Image
Murdoch (segundo-à-esquerda) com Aznar (centro) em 2009 (foto: The Elliott School of International Affairs)

Amigos do blog, o ex-primeiro-ministro da Espanha, José María Aznar (1996-2004), está longe do poder há 8 anos, mas ainda é o grande e indisputado guru do conservadorismo no país. Está à frente de uma fundação ligada ao Partido Popular (PP), o principal de oposição ao governo socialista em final de mandato, mas é a voz de maior peso entre os “populares”. Mariano Rajoy, o atual líder do PP e candidato favorito ao lugar do socialista José Luís Rodríguez Zapatero nas eleições de 20 de novembro próximo e ex-ministro de Aznar, foi escolhido a dedo — daí a expressão espanhola dedazo — para o cargo, em que se mantém desde 2004, sem qualquer consulta ou votação.

E ainda hoje, fora do poder, para onde se inclina Aznar, para aí vai o PP.

Pois bem, tudo isso para contar-lhes que o ex-primeiro-ministro (que na Espanha tem o título de “presidente do governo”) acaba de ter elevado de 220 mil para 230 mil dólares (algo como 380 mil reais) anuais seu salário como membro do Conselho da News Corporation, a holding do ultraconservador grupo de mídia do bilionário australiano-americano Rupert Murdoch — o mesmo que precisou há algumas semanas fechar o mais que centenário tabloide britânico News of the World pelo envolvimento do jornal num escândalo de escutas ilegais a personalidades.

A informação vem da própria holding, junto à divulgação de seus resultados do primeiro semestre.

Aznar é titular de uma empresa familiar com sua mulher, Ana Botella, e fatura perto de 2 milhões de euros por ano como conselheiro de empresas, palestrante e autor  de livros, entre outras atividades.

Mas não deixa de ser um problema ético de consideráveis proporções que o principal guru do provável novo governo da Espanha, que se mantém tecnicamente fora da política mas conserva um grande poder em seu partido, seja funcionário assalariado de um barão da mídia internacional.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × um =

7 Comentários

Milena em 15 de setembro de 2011

Rupert Murdoch, ultraconservador?? Ele passou a vida tentando derrubar a monarquia na Inglaterra e na Austrália. Felizmente, o bom senso dos ingleses sobreviveu à difamação da família real, promovida pela imprensa suja de Murdoch. E na Austrália, apesar de ele ter conseguido emplacar um plebiscito entre república e monarquia em 1999, os australianos não foram na onda dele e votaram pela monarquia. Tá bom, Milena. Então fica combinado: Murdoch é um conhecido comunista, de carteirinha. Está bom assim? Onde é que você foi buscar o conceito de que alguém, por ser contra a monarquia, não pode ser ultraconservador?

Paulo Bento Bandarra em 09 de setembro de 2011

Então pessoas ligadas a mídia são ilegítimas, numa democracia, de ter peso político? A mídia, em si, é algo danoso para a imagem da pessoa a ponto de conspurcá-la? Mesmo sem evidências que a mídia, na Espanha, se comporte assim? Chávez, Cristina, Evo Morales, Correia, e o PT estão então certos em fomentar o controle social da mídia por serem essencialmente danosas para a sociedade e para o honorabilidade de quem exerce esta atividade?

Paulo Bento Bandarra em 08 de setembro de 2011

Eu diria que é maledicência colocar em dúvida a ética de uma pessoa que tem uma renda anual de 2 milhões de Euros e uma grande liderança política se venderia por 230.000 dólares. Acho preconceituoso. Não disse em momento algum que ele "se venderia", Paulo. Não leia o que não está escrito, por favor. Acho, porém, que um dirigente político de seu peso tem, sim, um conflito ético ao estar ligado a um grupo tão poderoso de mídia.

Moacir em 08 de setembro de 2011

Ricardo, não entendo haver conflito. Por sinal, no caso há sim uma boa governança, seja de Asnar, seja da News.

Pedro Luiz Moreira Lima em 08 de setembro de 2011

Amigo Setti: Sua nota é uma demonstração na busca da Verdade Jornalística. Sua observação em DEFESA da Ética acima de suas convições partidaria e economicas é que o tornam um jornalista respeitado. Concordo com sua visão ética dos fatos relatado acima,as minhas dicordancias politicas e economicas das suas são normais e naturais e como é bom quando discordo de você - sei qual será sua resposta:em Defesa da Pluralidade,Elegante e da Ética. Quando entrei aqui,entrei desconfiado - a Confiança veio de Sua Intransigente Defesa da Legalidade e Democracia - a partir daí troquei o "Caro Setti" por "Amigo Setti" e pode certeza disso - SOU SEU AMIGO! Muito obrigado, caro Pedro Luiz. É uma honra para mim. Abração

Nei em 08 de setembro de 2011

Taí um homem modesto. O Aznar é pinto perto do J. Dirceu e do A. Palocci

Paulo Bento Bandarra em 08 de setembro de 2011

Aumento de 4,54% na iniciativa privada. Nós não temos o hábito de raciocinar no Brasil com salários anuais, mas mensais. Seriam de 19.166 dólares por mês. Quanto mesmo Dilma ultraprogressista ganhava da Estatal Petrobrás por mês para ser presidente do Conselho de Administração da Petrobrás? Sendo ela ao mesmo tempo ministra? E a Gleisi Hoffmann, esposa do Ministro Paulo Bernardo, em Itaipú?

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI