Image
Ricardo Teixeira e João Havelange: a podridão do futebol brasileiro tem para quem puxar (Foto: Wilton Junior / AE)

Assistir à bandalheira quotidiana que vige na FIFA mostra que nós, no Brasil, não estamos sozinhos. As tramoias ocorridas no cenário do Grande Futebol são tão dignas de repulsa como as barbaridades pátrias — a má gestão, as transferências suspeitas de jogadores, as ambições políticas que fazem pessoas se tornarem dirigentes, as maracutaias, safadezas e tudo o mais que está destruindo aos poucos aquele que foi o melhor futebol do mundo, porque vem minando o interesse dos torcedores.

Que pobre e triste consolo, não?

Refiro-me à escandalosa e imoral decisão da FIFA, já amplamente divulgada, de manter uma certamente gorda aposentadoria mensal a seu ex-presidente João Havelange e também ao ex-quase eterno presidente da CBF, Ricardo Teixeira, que ocupou posto de cartola na entidade sediada em Zurique.

Isso depois de o Comitê de Ética da entidade reconhecer que ambos receberam propinas para fazer negociatas — propinas gordíssimas, de 45 milhões de reais, comprovadas pela Justiça da Suíça, que os obrigou a uma devolução que ainda não passou de 5 milhões de reais.

Image
A mansão onde Ricardo Teixeira, cheio de problemas no Brasil, vive um exílio dourado em Miami (Foto: Folhapress)

A FIFA de tantas zonas cinzentas, de tantos segredos, caixas pretas e malandragens — ela não divulga, por exemplo, o valor da aposentadoria –, nesse ponto parece a esculhambação que era o Congresso até anos atrás, quando se acabou com as aposentadorias imorais de deputados e senadores após apenas 8 anos de mandato. Pois é depois de exatamente 8 anos de ocupar um posto de direção na entidade maior do futebol que o cartola passa a ter direito a uma pensão vitalícia. Até morrer!

A dinheirama ganha pela entidade permite que os cartolas, além de enriquecerem por meio de diversos expedientes, inclusive alguns legítimos, também se protejam e a seu futuro. Em 2005, estabeleceu-se que haveria um fundo para bancar as aposentadorias e separaram-se 15 milhões de dólares para isso. Os recursos são aplicados em investimentos que só Deus sabe quais, para manter a rentabilidade do fundo.

Teixeira, repleto de problemas no Brasil e virtualmente escorraçado da CBF por pressão inclusive do governo federal, vive vida de nababo em Miami, onde reside em uma mansão, possui carros de luxo, barco e outras mordomias.

O futebol brasileiro podre que ele deixou para trás tem onde se inspirar.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 3 =

10 Comentários

carlos nascimento em 11 de maio de 2013

Ricardo, Entendi perfeitamente, nesse caso o lado MATERNO foi o fator que decidiu seu desejo de tornar-se Corintiano. Bem, como amanhã iremos comemorar a segunda data mais importante do calendário - Natal em primeiro - esqueçamos momentaneamente o foco do post, para desejar-lhe de coração um ABENÇOADO e FELIZ DIA, com ótimo almoço em família. É uma data que me deixa em dois extremos, FELIZ ao lado da patroa, e bastante SAUDOSO de minha querida MÃE. Abração. Carlos Nascimento.

carlos nascimento em 11 de maio de 2013

Ricardo, Será que li direito abaixo, um Setti Tricolor Paulista, ajudando na construção do Estádio do Morumbi, poxa legal isso, como é que vc se desgarrou ? A família é eclética. Meu avô paterno era são-paulino, meu tio mencionado naquele comentário, seu filho mais velho, também. Já o irmão abaixo dele, meu outro tio, era corintiano, e meu Pai, palmeirense. A irmã caçula deles, corintiana. Do lado materno, todos os irmãos de minha mãe de todos os meus primos são corintianos. Entre meus irmãos, um não curte muito futebol e, dos outros três, há dois palmeirenses e um santista.

RONALDE em 10 de maio de 2013

Está evidente que a fortuna a ser paga como aposentadoria aos corruptos significa um cala a boca dos dois. Imaginem o tamanho da chantagem que os dois proporcionaram para que a FIFA se comprometesse a pagá-los para fecharem a boca.

SergioD em 10 de maio de 2013

Ricardo, um vereador aqui do Rio está lançando uma campanha para alterar o nome do Engenhão, que oficialmente se chama Estádio João Havelange. Já andam propondo nomes. Um dos mais discutidos é o de João Saldanha. Não sei não, mas acho que se avizinha uma grande polêmica por aí. Abraços

Berlatto em 10 de maio de 2013

Bom dia Setti, legal saber que tens ligação com o nosso querido rubro negro paranaense. Não me lembro de seu tio, Hélio Setti, subi para o time principal em 76, acho que já não estava mais na diretoria nessa época. Bellini, Djalma Santos vieram para o Atlético no início dos anos 70. Tive o prazer de jogar ao lado de Alfredo Gottardi, filho do Caju, remanescente dessa turma do Bellini, Djalma e Cia. Alfredo era um sagueiro técnico ao extremo, ai se alguém desse um chutão... Rapaz!, no meu tempo o Atlético não pagava ninguém, vivíamos de vale ou de "bichos", isto quando o time ia bem, né? Hoje o Atlético paga rigorosamente em dia, tem um CT de primeiro mundo e está terminando o seu próprio estádio, um dos mais modernos do país. Tem um presidente meio maluco, o Mário C. Petraglia, mais aí é outra história. Grande abraço, Setti e, saudações rubro negras. Abração pra você também. Meu tio fez muito pelo CAP e você não o conheceu porque ele, que no Paraná foi várias vezes deputado e depois conselheiro do Tribunal de Contas, transferiu suas atividades para São Paulo ao se aposentar, no final dos anos 60. Foi ele o criador da promoção "Paulistão", que permitiu o término do Estádio do Morumbi.

Zaratrusta em 10 de maio de 2013

Caro Setti, Infelizmente, suas palavras no título desse POST são proféticas, não APENAS no futebol, mas principalmente e mormente no sistema que lhe dá suporte, ou seja: o Sistema Financeiro Internacional! Se cavarmos mais um pouco (não precisa ir muito fundo) iremos encontrar uma trama de conexões incrivelmente surpreendente entre as Organizações Internacionais que administram as COPAS e as OLIMPÍADAS, com essa casta de velhacos escroques do mesmíssimo naipe do zé mané Dirceu, entrelaçada se dando auto-sustentação logística mútua! Um abraço!

ze do matogrosso em 09 de maio de 2013

...um raio X da Fifa, com toda promiscuidade, passada e futura. Está explicado, o porque de tanto empenho em fazer esta famigerada copa no Brasil. Achou os parceiros ideais, com o beneplácito e patrocíniuo governamental. Excelente o post do Berlatto. Éa pura realidade. E vamos que vamos. De fuleco e caxirolas.

carlos nascimento em 09 de maio de 2013

Ricardo, Bravo, esse é o RS que eu mais gosto de ler, quando o seu teclado solta os "megatons", denunciando com todas as letras esses parasitas do futebol mundial, é hora de darmos um basta nessas figuras asquerosas, que estão milionários as nossas custas, sem nunca sequer suarem a gola da camisa, há de chegar o dia em que os Clubes devidamente organizados em suas Ligas, serem os verdadeiros donos do espetáculo, dando um pontapé no traseiro desses excrementos. CHEGA desses abutres. Parabéns,abaixo a escravidão corrupta, viva a LIBERDADE e a DECÊNCIA. Obrigado, caro Carlos. Um grande abraço

Berlatto em 09 de maio de 2013

Setti, concordo com tudo de que falas no teu post. Sou ex jogador de futebol, joguei em alguns clubes, fui mais promessa do que realidade, atuei no CAP, onde me profissionalizei e que é meu clube do coração. Até que enganava bem, na minha época (anos 70/80) o futebol era mais técnica do que preparo físico. Hoje jogaria em qualquer time brasileiro. Mas desculpe, fugi um pouco. Voltando ao assunto dirigentes, assino em baixo: é uma verdadeira podridão e promiscuidade. Nossas federações são uns verdadeiros antros de oportunistas. Dirigentes, salvos raras exceções, estão nos clubes para se locupletar, quando não também, usam os seus cargos para se lançarem na política. E mais, vc tem toda a razão quando afirma que o nosso futebol se tornou técnicamente medíocre. É um sofrimento assistir jogos do futebol brasileiro. Arbitragens ruins, jogadores que correm feito doidos e, a bola?, judiada, né? Penso nos ex jogadores do meu tempo que hoje, a maioria, passa por dificuldades, não tem segurança financeira, não contam seguridade social, não tem assistência nenhuma. Mesmo agora, a grande maioria dos jogadores que atuam, passam por dificuldades, ganham pouco, jogam os campeonatos estaduais e, assim que acaba ficam desempregados. Em quanto isso, empresários, dirigentes, mesmo a TV que tem os direitos, nadam de braçada na grana que o futebol gera. E a grande maioria dos atletas ganham salários aviltantes, salvo os Ronaldinhos e Neymares da vida, não? Difícil discordar de você, caro Berlatto. E que legal saber que você jogou no CAP. Era o time do coração de meu tio, Helio Setti, que foi cartola de lá -- ajudou a fazer grandes contratações de grandes craques em final de carreira, como Djalma Santos e Bellini. Um abração e volte sempre.

Marco em 09 de maio de 2013

D. Setti, Futebol não é lugar para ingênuos torcedores, aliás, só o torcedor q acaba sendo o grande idiota da história. Ainda existe torcedor fanático q acaba levando a sério isso, chegando a ponto de querer matar adversários. Ou então sofrer por futebol. Só existe em sua maioria gente maldosa. Abs.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI