Image
ACM Neto e Agripino Maia (DEM), Ana Arraes (PSB) e Henrique Eduardo Alves (PMDB): tudo em família

A escolha dos novos líderes dos principais partidos na Câmara e no Senado mostra, entre os que já estão definidos ou quase definidos, uma grande prevalência de dinastias, de linhas de sucessão familiares, frequentemente oligarquias – uma espécie de pequeno retrato de um fenômeno maior: o domínio da política brasileira por pouca gente. Mais à esquerda, mais à direita, são os de sempre.

De 11 líderes de partidos mais ou menos definidos, nada menos que 8 pertencem a algum tipo de dinastia familiar. E um pode ser descartado da conta dos sem-dinastia, porque é também um sem-voto – o suplente Gim Argello (PTB-DF). Então, de 10 líderes, são 8 – 80% — os que têm ou tiveram parentes na política.

Vamos à lista.

NA CÂMARA:

Henrique Eduardo Alves (RN), líder do PMDB, é filho do ex-governador Aluizio Alves (1961-1966), sobrinho do três vezes deputado estadual e ex-vice-governador Garibaldi Alves (1987-1991), que, aliás, acaba de assumir definitivamente um mandato de senador porque era suplente da ex-senadora e nova governadora Rosalba Carlini (DEM), e ainda primo do duas vezes governador Garibaldi Alves Filho (1995-2003).

Duarte Nogueira (SP), líder do PSDB, é filho do três vezes prefeito de Ribeirão Preto, 600 mil habitantes, a terceira mais populosa cidade do interior do país.

ACM Neto (BA), possível líder do DEM, é filho do senador (ex-suplente) em fim de mandato Antonio Carlos Magalhães Filho, neto do falecido senador, ex-ministro e três vezes governador Antonio Carlos Magalhães (biônico no período 1971-1975, biônico no período 1979-1983, eleito diretamente para o mandato 1991-1995), sobrinho do falecido presidente da Câmara, Luís Eduardo Magalhães, e sobrinho-neto do ex-deputado Ângelo Magalhães.

Ana Arraes (PE), líder do PSB, é filha do três vezes governador Miguel Arraes (1963-1964, 1987-1991 e 1995-1999) e mãe do governador Eduardo Campos (2007-2011, reeleito para o período 2011-2015).

NO SENADO:

Renan Calheiros (AL), líder do PMDB, é irmão do prefeito de Olinda (PE) e ex-deputado também por Pernambuco Renildo Calheiros (PC do B), e pai de Renan Filho, por duas vezes prefeito de Murici (AL), eleito deputado federal no ano passado pelo PMDB.

Álvaro Dias (PR), líder do PSDB, ele próprio ex-governador do Estado (1987-1991), é irmão do ex-secretário da Agricultura do Paraná, também senador em final de mandato e candidato derrotado ao governo Osmar Dias (PDT).

Agripino Maia (RN), possível líder do DEM, ele próprio duas vezes governador do Estado (1983-1986 e 1991-1994), é filho do ex-deputado e ex-governador biônico Tarcísio Maia (1975-1979), primo do ex-governador biônico Lavoisier Maia (1979-1983) e sobrinho do ex-governador biônico da Paraíba João Agripino (1966-1971), e primo do ex-governador da Paraíba Antonio Mariz (1991).

Francisco Dornelles (RJ), líder do PP, é sobrinho do falecido ex-deputado, ex-primeiro-ministro no breve parlamentarismo que durou de 1961 a 1963 (1961-1962), ex-senador, ex-governador de Minas Gerais (1983-1984) e ex-presidente eleito Tancredo Neves. E é primo do ex-governador de Minas (2003-2011) e senador eleito Aécio Neves (PSDB).

Como se vê, não falta nada: há neto, sobrinho-neto, filho, irmão, primo, pai, mãe e tio de político.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 5 =

Nenhum comentário

carlos nascimento em 31 de janeiro de 2011

Eduardo, Fui surpreendido com o seu novo comentário - positivamente - dessa vez a sua linha de posicionamento é inversamente contrária ao anterior, busca registrar o "contraditório", sem as costumeiras agressões que milicianos amestrados da era da mediocridade costumam fazer em suas incursões nas Colunas de debates politicos, mostrando que sua formação - educacional e familiar - é de outro nível e, há sim, chance de melhorarmos à qualificação do debate. Vc cita "Voltaire", ótimo, o francês era adepto fervoroso da luta contra à INTOLERÂNCIA e buscava iluminar com luz os caminhos da decência, eu, tenho alguns pensadores que me influenciam, como Chico Xavier e, também Confúcio, o sábio pensador Chinês, era paciente, porém, intransigente com a moral, sua verve era inteligente e implacavel, tinha excelente acabamento, a minha nem tanto, as vezes soa muito agressiva e incisiva, coisas da idade. Ouso discordar de algumas considerações, tais como: "abordar e comentar qualquer assunto é permitido apenas aos filósofos e jornalistas" Não meu caro, a liberdade de expressão é um DIREITO SAGRADO, respeitando o contraditório e a boa educação, temos o dever e o direito de apresentar nosso conteúdo ao debate,somos parte de um conjunto social e, precisamos aspirar desenvolvimento e melhor bem estar. Educação - Presidente e Ministro da Educaão - Vc diz que meu comentário foi inconsequente: Veja bem, não é sómente eu que afirmo isso, leia o post mais comentado da Coluna do RS ao lado -não, eu não me orgulho de ter um Presidente semianalfabeto- reflita, avalie, temos ou não temos razão em nossa critica. Quanto ao Ministro da Educação (sic) informo que o mesmo já foi escolhido - O homem sem visão do ano - pela sua total incompetência, o ENEM é apenas um fato, como vc mesmo afirma as escolas estão sucateadas, o nível do ensino superior talvez já esteja em "xeque", acabei de ler o noticiário vindo de Belém do Pará, lá no sábado desabou um prédio de 34 andares, os efeitos já sabemos - vitimas desamparadas - as causas , bom essas jamais serão esclarecidas, estamos no País da impunidade, essa vai virar uma eterna novela, vc como engenheiro, poderia me ajudar nas pesquisas e tentar descobrir o que aconteceu em Belém do Pará. No campo politico, um bom exemplo para vc refletir, no domingo o fantástico apresentou boas reportagens, uma do banqueiro estelionatário, controlador do BANCO SANTOS, vivia suntuosamente, prejudicou várias e várias pessoas, está livre e solto, debochando, ironizando de nossa cara, caso idêntico nos EUA -Madoff- o pilantra está preso e continuará preso até o final de sua existência. Uma outra reportagem mostrava as condições da policia e de Justiça no Estado do Marnhão, situações imorais e que só guardam similaridade com os tempos medievais, isso é a realidade do País, agora, uma estranha coincidência, tente adivinhar quem é o líder politico daquele Estado citado na reportagem e quem é o amigo mais próximo do banqueiro estelionatário, é fácil, vou dar uma pista, êle continua sendo Presidente do nosso senadinho federal. São essas situações que nos fazem sair do anonimato e utilizarmos os pensamentos e as idéias de Confúcio e, até mesmo de Voltaire, nem sempre, torno a repetir, com a mesma paciência, coisas da idade. O Brasil é a oitava economia do planeta, somos ricos (sic), nossa classificação de nível educacional é - me ajude ai - bem abaixo, muito abaixo do custo e beneficio que nossos impostos geram, fruto do grau de politica, portanto, Eduardo veja sua análise e visão atual, procure entender o marketing atual, estão iludindo várias mentes. Teremos outras oportunidades de avançarmos em nossas considerações, isso eu tenho certeza. Receba um aperto de mão, fraterno e sincero. Carlos Nascimento.

Ruy Barbosa de João Mangabeira em 31 de janeiro de 2011

O "Sistema" criado após a descoberta da América, 1492 e com o Tratado de Tordesilhas, 1494, inventou a Descoberta do Brasil, 1500!!! Depois inventaram a Império do Brasil, não deu certo, então inventaram a República dos Estados Unidos do Brasil, infelizmente não deu certo. Por fim, Minas se uniu ao Rio-grande, pois com o Decreto 19.308, de 10 de Novembro de 1930 (este, teve o cuidado de dizer a Carta de 1891 continuava em vigor embora pudesse ser modificada por tal Decreto, e fora), inventaram o Governo Provisório dos Estados Unidos do Brasil. Novamente, INFELIZMENTE, esse deu certo, hoje, somos a República Sindical das Medidas Provisórias do Brasil. Enfim, nós associamos a partir de 1930, as famílias, melhor essas Oligarquias de estirpe Coloniais com as Facções Sindicais de empregados e empregadores. Para eu não passar por mentirosa, tu, em excelente Matéria veicula no Blog, mostra o Collor e o P. C. Farias com o Lindenberg "Farias". Bom quem nós poderíamos chamar no nosso País de Sociedade Civil????!!! fui. ERASMO SELVAGEM BRASILEIRO DE ROTERDAN - 30/01/2011 às 10:48 Lamento discordar com o conteúdo do texto: “avidez por dinheiro público ofende a memória de Joaquim José da Silva Xavier”, isso só seria verdade se não existissem Documentos Oficiais mostrando exatamente o contrário, ou seja a nossa História, de Caio Prado e outros Famosos Escritores, é um Perjúrio, só!! Existem duas Cartas Denúncia nos Autos MG/RJ, escritas em cada uma destas Colônias, pelo CORONEL SILVÉRIO DOS REIS, mas denunciando o DESEMBARGADOR TOMÁS ANTÔNIO GONZAGA. Leiam As Cartas Chilenas (se não tiverem tempo e acesso aos Autos), o personagem “Ribério” é (aparece também no Poema “Marília” ou “Mar/ilha” o destino dos exilados) o pseudônimo de Tiradentes (pois todos os Personagens são pseudônimos de alguém vivo a ativo naqueles instantes), entenderão o Nosso Perjúrio Nacional (aliás um Decreto de 1937 do Tirano Vargas o tornou heroi, precisava de demagogia servir de tapa-olhos). Os dois personagens principais (são o próprio Autor da Obra, Cláudio Manuel da Costa) são, quem narra a “Estória” condizendo com a História, Doroteu (“dor-o-teu) e Critilo (de criticar, quem faz as críticas sobre as pessoas e a Sociedade Colonial portuguesa no aqui). ABRAÇÃO.

eder barbosa de sousa em 30 de janeiro de 2011

Seriam essas pessoas alfabetizadas. Para mim são politicamente analfabetos, quando se tenta enter filosficamente o que é política. LIMINAR ILEGAL DO STF, CONCEDIDA PELO MINISTRO DIAS TOFFÓLI, FAVORECE LADRÕES DE TERRAS NO TOCANTINS. Eder Barbosa de Sousa. Sou um crítico contumaz de certas práticas das nossas instituições judiciárias. Creio que enquanto o Brasil não passar a limpo o seu judiciário, nossa democracia não existirá de fato. Os corruptos contam com a tal morosidade do judiciário para ficarem impunes. Entendo que as coisas têm melhorado bastante, desde a criação do Conselho Nacional de Justiça – CNJ, mas é preciso respaldá-lo e fortalecê-lo ainda mais, para que o judiciário cumpra com seu irrecusável dever constitucional de promover a prestação jurisdicional de modo célere, efetivo e justo. Para melhor situar o aqui articulado, urge fazer uma breve síntese acerca de Ação Discriminatória 334/95, ajuizada pelo INCRA em 17/03/1982, abrangendo uma extensa gleba de terras com aproximadamente 30.000 (trinta mil) hectares, na região onde, atualmente, está situada a cidade Palmas, Capital do Tocantins. Ao sentenciar o feito, o Juiz de 1ª instância julgou que as cadeias dominiais existentes sobre a referida gleba eram ilegítimas, eis que constituídas por antigos títulos paroquiais transferidos a non domino, isto é, não possuíam origem legal. Diante disso, corretamente anulou esses títulos paroquiais irregulares, determinando o cancelamento dos respectivos registros imobiliários. Todavia, entendendo que uma das finalidades da ação discriminatória não é arrecadar terras para o poder público, mas de propiciar aos possuidores a regularização da posse, garantiu todos os direitos possessórios existentes na área discriminada. Fundamentados nessa garantia estabelecida na sentença judicial, os legítimos posseiros buscaram a regularização de suas posses, adquirindo, do próprio Estado do Tocantins, os legais títulos de domínio definitivo, registrando-os no registro imobiliário, legalizando, assim, a situação fundiária de suas propriedades. No juízo de 2º grau, a Apelação Cível 1620/96 do TJ/TO, além de confirmar a sentença, determinou corretamente, que os registros imobiliários decorrentes de títulos definitivos outorgados pelo Estado do Tocantins, não poderiam ser cancelados. A clareza desses julgados não permitia tergiversações promíscuas. Contudo, não foi o que aconteceu: em 05/04/1999, o ESTADO DO TOCANTINS, no 3º Governo Siqueira Campos, em conluio com o CRI de Palmas, na calada da noite, sob o pretexto de dar execução às decisões proferidas na citada ação discriminatória, cancelou aproximadamente 427 matrículas imobiliárias legítimas, em que pese tais registros procederem de títulos de domínio adquiridos do próprio Estado do Tocantins. Ressalte-se, que parte dessas terras arrecadadas fraudulentamente pelo Estado do Tocantins, foi destinada à especulação imobiliária privada, por meio da empresa Orla S/A Participações e Empreendimentos, empresa de capital fechado constituído por 24 empresas privadas, um sindicato da construção civil e o Estado, este, com participação minoritária, apenas para dar suporte a uma pretensa legalidade. A esse consórcio foi delegada a responsabilidade pela urbanização e comercialização de grandes loteamentos implantados nessas áreas tomadas pelo governo estadual, um negócio fabuloso, pelo qual a Empresa Orla recebe a exorbitante remuneração de 40%. Em verdade, essa empresa é o maior promotor da especulação imobiliária de Palmas, capital do Estado: agindo como agente imobiliário que faz da cidade um enorme loteamento, ela consegue manipular os preços dos lotes urbanos conforme sua conveniência, elevando o mercado imobiliário às alturas. Assim, vai se enriquecendo alucinadamente à custa dos bens alheios. Noticia a Orla S/A Participações e Empreendimentos que os recursos provenientes da venda dos imóveis públicos (na verdade parcelamentos do solo feitos em propriedades privadas fraudulentamente arrecadadas pelo Estado) são destinados da seguinte forma: 25% para um fundo de terras nuas; 30% ao fundo de desenvolvimento urbano e de preservação ambiental; 5% ao fundo de apoio à moradia popular. Os demais 40%, naturalmente, representam sua luxuriante comissão no negócio. Entretanto, não se sabe como são administrados tais fundos: cita-se, para ilustrar, trecho de discurso proferido durante a sessão da Câmara Municipal de Palmas de 9/06/2010 pelo vereador Milton Neris: “Onde está o dinheiro da venda dos terrenos? Eles dizem que o dinheiro vai para um fundo social que eu nunca vi. (...) a casa tem que abrir a caixa preta da Orla S/A, que está lacrada”. Pois bem, eu desconhecia esses fatos, até que em meados do ano de 2002 fui procurado pela Senhora TEREZINHA ALVES EVANGELISTA, uma humilde sertaneja, viúva, idosa, semi-analfabeta, que, aflita, dizia que as terras de sua propriedade estavam sendo invadidas por máquinas do governo estadual para ali implantar quadras urbanas de Palmas, sob a alegação que aquelas terras pertenciam ao Estado do Tocantins. Naturalmente, que tais quadras foram parar nas mãos da Orla s/a Participações e Empreendimentos. D. Terezinha narrou que sua família, reside no local desde a década de 40, sendo que adquiriu aquelas terras no início da década de 1960, sendo que ali nasceram seus 14 (quatorze) filhos, ali criados com enormes dificuldades, mas dignamente. Informou que depois da anulação de seu título paroquial pela aludida ação discriminatória, legitimou sua posse nos termos da sentença, adquirindo, do próprio ESTADO DO TOCANTINS, novo título de domínio definitivo de sua propriedade, devidamente registrado no cartório imobiliário de Palmas, razão pela qual confiou que a situação de sua propriedade estava regularizada. Afirmou que quando da criminosa invasão de sua propriedade, procurou o Instituto de Terras do Tocantins, o Cartório de Imóveis, o Ministério Público e vários advogados, porém todos lhe disseram uma mesma coisa: devido ao trânsito em julgado da decisão discriminatória, realmente ela havia perdido suas terras, que nada mais poderia socorrê-la. Evidentemente, fiquei estarrecido com a narrativa, seria arbítrio em demasia. Disse-lhe então o seguinte: se o que a Senhora está afirmando for procedente, estamos diante de uma ladroagem e grilo de terras sem precedente na história deste país; e, mais grave, patrocinado por um governo, responsável por velar pelas garantias constitucionais e zelar pela dignidade da pessoa humana. Depois de examinarmos criteriosamente a questão, constatamos que suas afirmações eram completamente fidedignas: o CRI de Palmas, de fato, cancelara o legítimo registro imobiliário pertencente àquela humilde senhora idosa, que, devido à tão infame injustiça, veio a falecer no decorrer da tramitação do processo. Evidentemente, tratava-se de uma fraude administrativa sem precedentes. Isso porque o ato de cancelamento realizou-se sem o devido processo legal, feito mediante um simples Ofício da Procuradoria-Geral do Estado ao Cartório Imobiliário, em clara violação ao que realmente fora decidido na citada ação discriminatória, a qual, ao contrário da versão criminosa espalhada pelo Governo do Tocantins, além de afiançar todos os direitos possessórios existentes, garantiu todos os registros imobiliários dos possuidores de títulos adquiridos do próprio Estado do Tocantins. Como se tratava de mero ato administrativo, ilegal e abusivo, feito sem qualquer comunicação do titular do registro imobiliário aos interessados, ingressamos com um mandado de segurança no TJ/TO (MS 29.704), com pedido liminar, que, entretanto, foi negada, como se era de antever. Evidentemente, não saímos vencedores no julgamento de mérito do citado mandado de segurança no TJ/TO: em uma decisão flagrantemente esdrúxula, por maioria (8x3), decidiu-se pela improcedência da segurança, julgando pela legalidade de uma fraude escandalosa. Ressalte-se que o Relator desse processo, no TJ/TO, foi o Desembargador Carlos Sousa, recentemente afastado das funções por decisão do STJ. No STJ, vencemos por unanimidade: “O cancelamento do registro do imóvel objeto do mandamus é ato ILEGAL e ABUSIVO, já que o acórdão transitado em julgado ressalvou os títulos dominiais adquiridos do próprio Estado, como no caso vertente”. (STJ/RMS nº 19830/TO). No mesmo sentido STJ, no RMS 27.524/TO, relativo a outro lesado, também sob nosso patrocínio, decidiu com o seguinte teor: ”Nesse contexto, estando comprovado que o Estado de Tocantins vendeu os imóveis aos recorridos e que o acórdão da ação discriminatória não atingiu os títulos definitivos emitidos com a aquiescência do próprio Estado, é de se concluir que não poderiam ter sido cancelados os registros imobiliários dos recorridos”. (STJ, RMS nº 27.524/TO) Relativamente ao acórdão do RMS 19.830/TO, ocorreu o instituto da coisa julgada material; considerando-se, então, o princípio constitucional da isonomia, era manifesto que o Estado/grileiro estava obrigado a devolver todas as terras roubadas por meio de um simplório ofício da PGE/TO ao CRI de Palmas. Ledo engano, o Estado nunca fez isso. À medida que alguns outros proprietários solicitavam nossos serviços advocatícios, fomos ingressando com outros MS; porém, o TJ/TO procrastinava como podia os julgamentos: teve MS que levou até cinco anos para ser julgado: era um entra e sai da pauta de julgamento, sem escrúpulos. Nesse ínterim, fomos procurados por vários outros proprietários. Assim, em nome da economia processual, para que não se abarrotasse ainda mais o já atravancado Poder Judiciário com centenas de ações desnecessárias, tratando-se de ato já anulado pelo STJ, acobertado pela autoridade da coisa julgada, requeremos às Corregedorias do fórum da Comarca de Palmas e do Tribunal de Justiça/TO o restabelecimento de todos os registros cancelados ilegalmente pelo CRI de Palmas. Como não houve atendimento a esse pleito, demandamos o CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, requerendo o pronto conserto de todos os registros fraudulentamente cancelados pelo Estado do Tocantins. Pois bem, o CNJ, ao contrário das Corregedorias locais, ouviu minhas denúncias: instaurada a Inspeção no Judiciário do Estado do Tocantins, determinou-se o exame do referido pedido de providências, conforme consta do Auto Circunstanciado de Inspeção Preventiva Justiça Estadual do Tocantins, Portaria nº 131 de 12 de junho de 2009, fls. 48/49, cuja inspeção confirmou, mais uma vez, a fraude imoral praticada pelo Estado do Tocantins e o CRI de Palmas. Diante disso, o então CORREGEDOR NACIONAL DA JUSTIÇA, Min. Gilson Dipp, em 18/01/2010, corretamente proferiu decisão determinando ao CRI de Palmas/TO o imediato restabelecimento de todos os registros cancelados ilicitamente, que ainda não haviam sido restaurados, bem como anulou todos os registros sobrepostos. Parecia que estava resolvida a questão, com o integral restabelecimento da ordem legal. Ledo engano! Há uma estratégia deliberada a permear essa fraude colossal: procrastinar indefinidamente a questão, levando os proprietários à humilhação e à exaustão moral, psicológica e financeira. Tanto assim o é, que o ESTADO DO TOCANTINS, em 29/06/2010, em evidente má-fé, impetrou na CORTE SUPREMA o Mandado de Segurança nº 28.915, com pedido liminar, requerendo a revogação da aludida decisão do CNJ, acusando que a mesma violava a coisa julgada formada na Ação Discriminatória 335/94. Em 30/06/2010, o feito foi distribuído ao eminente Ministro DIAS TOFFOLI, que, naquela mesma data, inexplicavelmente, avaliando exclusivamente a versão feita pelo Estado do Tocantins, sem o devido cuidado de analisar os documentos constantes dos autos, concedeu a medida liminar pleiteada, suspendendo, absurdamente, os efeitos da referida decisão do CNJ. Trata-se, contudo, de uma liminar ilegal, seja porque o mandamus foi impetrado intempestivamente, seja devido à ausência do valor da ação, quer, principalmente, porque transgride a garantia constitucional da coisa julgada formada no RMS 19.830/TO. Como demonstrado nos autos do processo mandamental, o Estado do Tocantins conheceu da decisão do CNJ na data de 27/01/2010; contudo, somente ingressou com o mandamus em 29/06/2010, isto é, 153 dias depois, o que comprova a extinção do direito à ação mandamental: “O direito de requerer mandado de segurança extinguir-se-á decorridos 120 (cento e vinte) dias, contados da ciência, pelo interessado, do ato impugnado”. (Lei nº 12.016/09, Art. 23 e o Art. 200 do RISTF). Na forma da lei, tão logo o julgador tome conhecimento da intempestividade do mandado de segurança, está obrigado a extingui-lo: “A inicial será desde logo indeferida, quando decorrido o prazo legal para a impetração. (Lei nº 12.016/09, Art. 10). Do mesmo modo, como faltava um dos requisitos legais de qualquer ação cível, valor da causa, a inicial não poderia ter sido admitida: “A inicial será desde logo indeferida, quando lhe faltar algum dos requisitos legais (Lei nº 12.016/09, Art. 10). Por fim, embora a liminar tenha sido concedida sob a motivação de que decisão do CNJ violava as decisões exaradas na citada ação discriminatória, é forçoso reconhecer que é a própria liminar, que insulta a coisa julgada formada no RMS 19.830/TO. Ora, o mencionado acórdão do STJ é de uma clareza solar: julgou abusivo e ilegal a versão apresentada pelo do Estado do Tocantins de que a ação discriminatória anulara todos os títulos de domínios existentes na área de sua abrangência, quando, em verdade, a decisão alcançou, exclusivamente, os antigos títulos paroquiais irregulares, resguardando expressamente, todos os registros conseqüentes de títulos expedidos pelo próprio Estado do Tocantins. E não poderia ser diferente, uma que esses títulos outorgados pelo Estado do Tocantins, sequer existiam quando da prolação da sentença discriminatória. Observa-se, então, que a ilegalidade da mencionada liminar é deduzida, também, da ausência de motivação válida, haja vista que a justificativa liminar não considerou que os registros cancelados pelo CRI de Palmas/TO, procedidos de títulos imobiliários outorgados definitivamente pelo Estado do Tocantins, não tinham qualquer correlação com os antigos títulos paroquiais irregulares anulados pela sentença discriminatória. Os títulos cancelados pela sentença discriminatória, nem de longe, são os mesmos restabelecidos pelo CNJ. Por tais motivos, interpusemos recurso de agravo em face da liminar em questão, visando sua revogação. Igualmente, a UNIÃO, demonstrando, dentre outras coisas, também a decadência do mandamus em menção. Contudo, decorridos mais de 200 dias desde a concessão da medida liminar, em que pese os reiterados pedidos de apreciação dos agravos, estes ainda não foram examinados, em clara infração às disposições legais e aos direitos dos recorrentes, perpetuando-se uma liminar ilegal. Ressalte-se que o Min. Dias Toffóli, é sabedor da ilegalidade por ele praticada. Deveras é inaceitável que se conceda medida liminar para proteger direitos estatais fundados numa fraude atroz, e, ao mesmo tempo, se omita de examinar os recursos interpostos em face dela, prejudicando centenas de famílias de trabalhadores, vítimas de um roubo de terras escandaloso, perpetrado pelo próprio o Estado Tocantins, que poderoso, há mais de (11) onze anos, não mede esforços fraudulentos para levá-las à capitulação incondicional, em explícita violação de suas dignidades humanas. Igualmente, o feito não foi levado a julgamento, embora seja um lapso temporal mais que suficiente a ensejar o pronunciamento judicial acerca de uma ação mandamental, especialmente por ter sido concedida a favor do Impetrante a medida liminar pleiteada, o que, por si só, confere a priorização do julgamento do mandado de segurança, que já possui prioridade legal sobre os demais processos, salvo o habeas corpos. Não está se pedindo nada demais, apenas que o Ministro DIAS TOFFOLI leve para apreciação de seus pares, o esdrúxulo mandado de segurança, cumprindo os comandos legais estabelecidos em lei — CF. Art. 5º, LXXVIII, Lei 12.016/09, Art. 7º, 10º, 12, § Único, 14, § 1º, 16 § Único, 20, § 1º e 2º e 23, RISTF, Art. 111 e CPC, Capítulo III, Seção I. O que não pode, é a Corte Suprema deste país, omitir-se em suas responsabilidades e permitir que ladrões de terras, grileiros pútridos, continuem a humilhar cidadãos honestos, e que, um Ministro do STF, do alto de seu poder unilateral, continue, por birra ou incompetência, a manter tamanho desatino, sob a desculpa da morosidade da justiça ou outra qualquer, prejudicando pessoas humildes e honestas, cumpridoras de seus deveres de cidadão, e, assim, beneficiando políticos imorais e gestores corruptos, sob qualquer alegação. A nação não merece isso.

Eduardo Lima e Silva em 30 de janeiro de 2011

Caro Setti, Acho que já passou da hora de ser instaurado o império da Lei neste país.Temos lei para tudo. Você não acha que se passarmos a cumprir o arcabouço legal no Brasil , a maioria das mazelas cairia por terra? Cumprir a lei, aplicar as sanções previstas, mesmo com a limitações de quem as tenha criado, pode transformar. Ah, com certeza, Eduardo. Talvez, tudo somado, o principal problema do país seja a impunidade. Porque ela leva à descrença nas instituições, à descrença de que vale a pena ser honesto e decente, à descrença de que vale a pena ser um cidadão correto. Então o tecido moral do país apodrece. Nosso nó não é falta de leis, é a falta do cumprimento das que temos. Se a lei fosse cumprida com um mínimo de rigor, teríamos um novo e animador panorama. Não desanimo nunca de que chegaremos a esse dia. Abração

Moreira em 30 de janeiro de 2011

Apenas uma pequena correção, o governado João Agripino Filho, foi eleito em pleito direto, tendo como adversário o Senador Ruy Carneiro. Vou checar, caro Moreira. Abraço e obrigado.

carlos nascimento em 30 de janeiro de 2011

Quanto a menção aos Egipcios e aos Tunisianos, estão mostrando que cansaram, não tem sangue de barata tonta e vão partir para as REFORMAS. Aqui na democracia da imoralidade, somos obrigados a ouvir milicianos amestrados pedindo que se façam SILÊNCIO na luta contra os desvios e ilicitos imorais. É hora de usarem pelo menos meio neurônio na busca de soluções.

carlos nascimento em 30 de janeiro de 2011

É hora de: Educação - Fala da Educação do País. Investimentos - Fala dos Investimentos e da corrupção. Energia - Fala do blecaute que já sinaliza, inclusive no Rio de Janeiro, ou não está tendo apagão diários aqui. Politica - Fala ai da Politica, uma beleza, vc deve gostar do sarnei e sua camarilha. Vc está feliz com o retorno do Delúbio. Moralidade - Fala ai dos procedimentos morais em vigor, das cuecas, dos estrupos, da vergonhosa movimentação politica de troca de partidos, do inriquecimento ilicito, das fraudes nas licitações, no corporativismo. Oposição - Fala ai da atual oposição que está perdida, em concluio com tudo, não denuncia nada, está tudo no mesmo saco, fala ai. Ia esquecendo quem ultimamente tem falado é o teu xará Eduardo, que ameaça o pessoal do PT com os problemas de Furnas e um certo Cardeal, fala ai. VOU AGUARDAR !

carlos nascimento em 30 de janeiro de 2011

Na era da mediocridade os milicianos amestrados se irritam com as verdades, tentam calar quem possa ter neurônios acima da sua ignorância educacional, não debatem, estão felizes e satisfeitos com o nível de País que os seus iluminados querem nos impor. Vou dar um chance ao "messias" das 16:29 hrs e 21:17 hrs, diga ai, solte os seus argumentos, quais foram as besteiras que eu postei, vamos ver se vc consegue me convencer, caso contrário, fique calado e deixe de ser obtuso. Carlos Nascimento.

carlos nascimento em 29 de janeiro de 2011

É hora de....... Que tal chamarmos os EGIPCIOS ou quem sabe os TUNISIANOS ? Se continuarmos contando apenas e tão sómente com essa nossa "oposição zzzzziiiiinnnnnhhhhhaaaaa" de excrementos fecais, tudo continuará como sempre esteve,uma......, fala ai EDUARDO CUNHA, dá uma ajuda, nem que seja de vilão, já que nossa oposição não faz nada, pelo menos o pessoal da situação AJUDA.

carlos nascimento em 29 de janeiro de 2011

GRANDES DIFERENÇAS Leio o discurso e as preocupações de OBAMA em sua visita ao Congresso Americano, vejamos: EDUCAÇÃO - Estamos atrasados, apenas um entre quatro americanos não conclui o ensino médio, caimos para o nono lugar no ranking de conclusões universitárias. É hora de contratarmos novos 100 mil professores. DEFICIT PÚBLICO - Uma vergonha, precisamos dar exemplos ao planeta, já e agora. ENERGIA - É hora do carvão limpo, do sol e do vento, o petróleo já deu sua contribuição. POLITICA - A democracia e os contraditórios dentro da legalidade devem ser fortalecidos. Enquanto isso, em um certo País da América do Sul, vejamos: EDUCAÇÃO- Temos um líder que cultua o atraso educacional, nunca estudei e cheguei à Presidência, estudar muito é para otários. Professor continua ganhando esmolas e o Ministro da Educação, bem êsse não consegue nem fazer gestão das provas. Belo futuro o nosso. DEFICIT PÚBLICO - Responsabilidade Fiscal é para Tucanos idiotas, vamos investir, ao final de 08 anos os gráficos denunciam, passaram dos limites, agora que vai pagar a conta, os idiotas dos contribuintes, tome ARROCHO. ENERGIA - O pré-sal é nosso, ninguém nos tira, temos em abundância, esqueçam novas alternativas. Tome hidelétricas, tome risco ambiental. POLITICA - Bem,está tudo uma beleza, sarney continuará na presidência do senado, delúbio soares será reconduzido ao pt e nós todos continuaremos com cara de palhaço. VEJAM AS DIFERENÇAS,ANALISEM, NÃO DIGAM DEPOIS QUE NÃO FORAM AVISADOS. Ia esquecendo, no País do futebol, os maiores times acabam de fazer grandes investimentos nos Ronaldos, um gordo e outro baladeiro, resultado disso será, NUNCA MAIS IREMOS ASSISTIR NOVOS RIVELINOS E NOVOS ZICOS. É hora de ................

Auro Cunha em 29 de janeiro de 2011

Ah, vocês esqueceram dos maranhenses.

Auro Cunha em 29 de janeiro de 2011

Em poucas palavras; Isso é ridículo e ao mesmo tempo engraçado. É nossa culpa!

Lucas em 29 de janeiro de 2011

Não é só no Brasil que isso ocorre, mas em vários países, nos EUA por exemplo há as famílias Kennedy, Bush, Rockefeller, etc., que são grandes e ricas famílias de políticos.

Carlos Costa em 29 de janeiro de 2011

Tá difícil,de aturar essa cambada.Deve haver algum jeito,de tirar essa sujeira do Brasil!!!Pelo voto, isso já está provado,não vai... POBRE BRASIL. ATÉ QUANDO.

Marcos Gomes em 29 de janeiro de 2011

Isso é o nepotismo político brasileiro que permite a permanência das oligarquias no Brasil. Aqui em Pernambuco o Governador é neto de Miguel Arraes e descendente direto de senhores de engenho e de barões da família Sousa Leão. Sua avó era descendente direta do barão e visconde de CAMPO ALEGRE. Muitos dos barões dessa família governaram Pernambuco. Um dos senadores eleitos de Pernambuco é o Armando Monteiro Neto que é filho do usineiro, ex-senador e deputado federal Armando Monteiro Filho e é neto pelo lado materno do ex-governador e deputado Agamenon Magalhães e sobrinho-neto do ex-líder político do Rio de Janeiro Sérgio Magalhães. Aqui também muitas esposas,filhas e filhos, netas e netos, irmãs e irmãos de políticos dão continuidade ao CORONELISMO da Monarquia e da República Velha que continua vivo com os seus "chiqueiros" eleitorais. Entre os principais donos de chiqueiros pernambucanos pode-se citar Inocêncio Oliveira conterrâneo do famigerado "Rei do Cangaço", entre outros, já citados na matéria. Deveria haver uma lei tornando inelegível parentes de 1º grau de políticos. Caro Marcos, não é apenas em Pernambuco que ocorre isso, mas no Brasil todo. E meu post referia-se apenas aos líderes de partidos na Câmara e no Senado. No Congresso inteiro, os casos contam-se às centenas. É triste, mas é a realidade -- e só cabe a nós, eleitores, mudá-la. Abração e bom final de semana.

Leonardo Carvalho em 29 de janeiro de 2011

Foi um pequeno erro de leitura, desculpe pelo mal entendido.

Lucas Sampaio em 29 de janeiro de 2011

Eu dificilmente concordo com algum articista da Veja por questões de ideologia partidaria, mas essa história de dinastia politica é uma vergomha nacional que tem que começar a mudar a partir das pessoas.

Lucas em 29 de janeiro de 2011

Observação: Francisco Dornelles, além de sobrinho de Tancredo Neves, também é primo de Getúlio Vargas (o pai do Francisco, Mozart Dornelles, era irmão de Ernesto Dornelles, ex-governador do Rio Grande do Sul (1943-1945 e 1951 a 1955), Mozart também era sobrinho de Cândida Dornelles Vargas, mãe de Getúlio, Serafim Dornelles foi o avô do ex-presidente Getúlio Dornelles Vargas e bisavô do atual senador Francisco Dornelles). Resumindo: A mãe de Francisco Dornelles, Mariana Neves, era irmã de Tancredo Neves, e o pai de Francisco, Mozart Dornelles, era primo de Getúlio Vargas.

Flavia em 29 de janeiro de 2011

José Roberto - 28/01/2011 às 11:04 Tá reclamando do que? a imprensa devia ser livre, nao é o povo devia ter liberdade de expressao, é serciado! pare de me sensurar! Mas José Roberto, quem é que está “serciando” você, quem é que está “sençurando” você? ------- Setti, esta agora com o mesmo espirito ironico e debochado do Nunes? Nao gostei! Daqui a pouco voce vai estar chamando os petistas de vagabundos, como o Reinaldo, grosseiramente, fez. Vc, pensava eu, era o ultimo reduto de educação aqui.... Trato todo mundo com educação, e só subo o tom com gente muito agressiva. O comentário do José Roberto me deu margem brincar com seus erros de ortografia, porque ele é literalmente incompreensível. Não pretendo chamar os petistas por nomes, mas criticar as ideias deles. Não tenciono mudar meu jeito de ser, não, Flávia. Abraço

Augusto Cesar em 29 de janeiro de 2011

UM CASO INUSITADO ACONTECE AQUI NO AMAPÁ COM A BENÇÃO DO TSE. O SENADOR GILVAN BORGES (APADRINHADO DE SARNEY), PERDEU DUAS ELEIÇÕES SEGUIDAS PARA O EX-SENADOR CAPIBERIBE QUE, MESMO INOCENTADO PELO TRE LOCAL NAS DUAS ELEIÇÕES PASSADAS, A FAMOSA OLIGARQUIA SARNEY BUSCOU NOS AMIGOS DO PODER (TSE)A CASSAÇÃO FANTASMA DO EX-GOVERNADOR E PRESENTEOU SEU ASSESSOR COM MAIS OITO ANOS NO SENADO, CONTRARIANDO A VONTADE POPULAR DO AMAPAENSE.É ISSO QUE NOSSA FRÁGIL DEMOCRACIA ENSINA AOS NOVOS POLÍTICOS COM DNA DO PASSADO. Você tem razão. Vou comentar o caso dos Capiberibe em breve, caro Augusto César. Abração

Augusto Cesar em 29 de janeiro de 2011

POR ISSO QUE NOSSA DEMOCRACIA ANDA A PASSOS DE CÁGADO COM ESSES LÍDERES POLÍTICOS LIGADOS AO PASSADO. TUDO CONTINUA COMO DANTES, É TOMA LÁ DA CÁ.SÓ UMA PROFUNDA REFORMA POLÍTICA É CAPAZ DE MUDAR ESSA OLIGARQUIA QUE SE PERPETUA ATRAVÉS DOS TEMPOS. VALHA-NOS QUEM????? Valhamo-nos nós mesmos, que precisamos dar à eleição de vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores a importância que elas merecem. Ninguém presta a atenção nelas nem nos candidatos. Depois todos nós reclamamos. Quem precisa mudar, primeiro de tudo, somos nós. Abraço

Leonardo Carvalho em 28 de janeiro de 2011

Esqueceu de citar o filho de José Dirceu nesta lista. Não me esqueci, não, caro Leonardo. O filho do Dirceu não é líder de partido. Só mencionei os líderes na Câmara dos Deputados e no Senado. Abraços

PAULO DE TARSO em 28 de janeiro de 2011

Quando escuto ou leio nomes como Sarney , Renan Calheiros,Collor , Maluf e outros vermes da política me pergunto afinal de quem é a culpa por eles estarem em cargos tão importantes da política ? Respondo sem titubear :cada povo tem o governante que merece .O povo precisa criar é vergonha na cara e não eleger mais esses parasitas para nenhum cargo .Tem muitas pessoas de bem na política , só que não tem dinheiro para bancar essas campanhas milionárias que tem no Brasil , por isso muitas vezes não se elegem .Somente uma maior conciencia política vai mudar essa realidade . Concordo totalmente com você, caro Paulo de Tarso. Abraço.

Carlos em 28 de janeiro de 2011

Um dos melhores jornalistas da Veja, com certeza. Belo texto. Obrigado pela parte que toca, caro Carlos. Abraços.

João Telésforo em 28 de janeiro de 2011

Acho interessante pensarmos as causas desse domínio oligárquico na política brasileira. São várias, mas gostaria de apontar uma. A propriedade de meios de comunicação é um dos trunfos dessas oligarquias para a perpetuidade no poder político - daí o nome coronelismo eletrônico. Algo que a Constituição na verdade já proíbe, mas que infelizmente tem carecido de efetivação legislativa ou judicial... Veja-se a situação no meu estado de origem, o Rio Grande do Norte: o Senador José Agripino Maia, que tem os parentescos elencados por você, é proprietário de uma TV (a retransmissora local da Record) e três rádios. E eu acrescento à sua lista ainda Felipe Maia, filho dele que se reelegeu Deputado Federal agora. A prefeita de Natal, Micarla de Souza (PV, ex-PP, filha de ex-Senador do RN), é proprietária da retransmissora do SBT. A retransmissora da Globo, por sua vez, tem entre seus proprietários o agora Ministro Garibaldi Alves Filho e o Deputado Henrique Eduardo Alves, ambos do PMDB, e que têm na família os antecessores e sucessores políticos que você citou (e outros mais... o tio Agnelo Alves e o primo Carlos Eduardo Alves, por exemplo, ambos ex-Prefeitos de Natal). Já a retransmissora da Bandeirantes no RN é de propriedade de Geraldo Melo (hoje no PPS, ex-Senador tucano), cuja mulher foi prefeita de Ceará-Mirim, cidade conurbada com Natal. Enfim, essa situação se reproduz em inúmeros estados. Basta lembrar dos Sarney no MA, Collor em AL, ACM na BA... Todos donos das retransmissoras locais da Rede Globo. Uma ótima fonte de informações a respeito é o site http://www.donosdamidia.com.br/. Você tem toda razão. A mídia regional é grande fonte de poder e riqueza para as oligarquias. E não citei todos os parentes e todos os cargos de todos os relacionados porque o post acabaria ficando extenso e chato demais. Obrigado, caro João. Abraço

Ismael Pescarini em 28 de janeiro de 2011

Toda aristocracia é antipática. Ela confronta o princípio da meritocracia. No Brasil, a única instituição que escapa dessa deformidade é o futebol. Nem querendo, o Pelé fez um sucessor. Já o Raí foi o que foi não por ser irmão do Sócrates, mas por mérito, e por ter um bom caráter, maior é nossa admiração. Foi FHC quem disse, em recente entrevista, que esperava de Lula uma aliança, mas ao contrário, Lula preferiu aliar-se à velha oligraquia de sempre para esmagar seu rival. Perdeu uma grande oportunidade de reverter o sentido dessa escrita e se tornar um grande estadista. Ainda mais ele, que veio de uma classe laboriosa. Concordo inteiramente com seu bem fundamentado e inteligente comentário, caro Ismael. Obrigado e volte sempre! Abraço

Paulo em 28 de janeiro de 2011

È uma verdadeira salada de pepino com abacaxi, temperada com mostarda, que só os políticos compram e comem. Em ultima análise é a transformação dos cargos públicos em propriedades particulares e familiares, verdadeiras capitanias hereditárias. Pouca vergonha homologada por um povo enganado e inculto, assim como aconteceu com o Lula e a Dilma. Até quando? Até os eleitores prestarem mais atenção em quem votam para deputado estadual, deputado federal e senador. Praticamente ninguém se interessa pelos candidatos ao Legislativo durante a campanha eleitoral, votam em qualquer um, frequentemente escolhem ao chegar ao local de votação -- e depois reclamam que "os políticos" isso, "os políticos" aquilo, como se não tivéssemos sido nós os responsáveis pela eleição deles, não é mesmo? Abração, caro Paulo.

Livia em 28 de janeiro de 2011

À Começar de cima.........Por essas e outras acho que o voto nao deveria ser obrigatório. Mais de 50% do povo se mantem na ignorância, nao sabe direcionr o voto..." ah vou votar nele pq é filho de fulano. "ah vou votar naquele pq nao tenho ninguem pra votar e meu vizinho vai votar nele...." A base do voto brasileiro é assim! ninguem tem mais consciencian nem vontade de nada....É UMA BOLA DE NEVE!

Decio Azevedo em 28 de janeiro de 2011

Inacreditável, Veja esqueceu de mencionar o parentesco de Dornelles com Aécio Neves, que aliás é neto de Tancredo.Interessante esse esquecimento. Muito interessante, mesmo, Décio. Imagine se um ser infalível como um jornalista vai se esquecer de algo. Claro que sempre soube disso. Mas ocultei dos leitores porque faço parte de uma conspiração secreta, que envolve a CIA mas também a polícia secreta da Rússia e de outros países. Tudo para proteger o senador Aécio Neves na sua trajetória política -- ele, que também integra, secretamente, o Lado Oculto da Força. Está bem para você esse nível de paranoia, ou você precisa mais? Fica tão difícil assim acreditar que um jornalista deixe de lado, por um lapso, uma informação -- que aliás já foi corrigida? O comentário, então, já começa sempre com uma pedra na mão? Calma, Décio. Esse azedume faz mal pra saúde.

carlos nascimento em 28 de janeiro de 2011

Tentem adivinhar o meu atual estado de espirito, leio nos jornais a seguinte manchete: sirnei será presidente do senado federal - a minúscula casa legislativa do BRASIL - pela QUARTA vez ! Depois dessa manchete, o que eu DEVO FAZER ???????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

carlos nascimento em 28 de janeiro de 2011

Já conhecemos os diversos defeitos do Governo, já conhecemos as suas imoralidades, pronto, agora é hora de estratégia para realizarmos as mudanças. Agora, convenhamos, com a nossa atual "oposição", para não ser tão indelicado - oposição chula - que só busca garantir os seus interesses pessoais e grupais, o Governo e os petralhas irão ficar por ai mais uma década, é impressionante o grau de irracionalidade da oposição, é Projeto Minas, é Projeto Kassab, é Projeto Pmdb, o projeto que deveria realmente interessar, chama-se: REFORMAS, REFORMAS, REFORMAS, seja do Judiciário, Politica,Tributária, Educacional e, a REFORMA da VERGONHA NA CARA. Os mineiros e os paulistas precisam enteder que o Brasil é quase um Continente, as oportunidades estão espalhadas em vários locais, continuam se achando, ainda não cairam na realidade de que estamos em pleno século XXI, o mundo pensa em velocidade de gigas, os caras ACREDITAM que os seus "currais" são capazes de dominar tudo, vão tomar naquele lugar, dessa vez com PEDRA e AREIA.

carlos nascimento em 28 de janeiro de 2011

Quando levantamos a bandeira das REFORMAS, estamos exatamente sinalizando essas discrepâncias no País, precisamos arejar os sistemas, precisamos descobrir novos talentos, precisamos incentivar consciência politica, os jovens precisam entender que é necessário ser POLITICO - maiúsculas -, não existe apolitico, isso é burrice, é burrice também jogar tudo no mesmo saco, temos sim que separar o joio do trigo. Essa falta de educação politica - atraso educacional - é que permite aberrações, tais como: sarney pela quarta vez ser presidente da casa do espanto - o miniscúlo senado federal - dessa forma continuaremos à sustentar o ATRASO. FALAMOS MUITO, ESCREVEMOS MUITO, CONCRETIZAMOS MUITO POUCO. É hora de E D I T O R I A I S.

ERASMO SELVAGEM BRASILEIRO DE ROTERDAN em 28 de janeiro de 2011

Quem ler os Autos da Devassa MG/RJ, juntamente com essa Excelente Matéria, verá, tudo como dantes no quartel de abrantes. Muda-se somente as moscas!!!! E. Burke: É assim se as pessoas, têm muito a si esperar e nada a perder, pois elas, serão, sempre perigosas! Quanto maior o poder, mais perigoso é o abuso. A liberdade deve ser limitada (com o poder) a fim de ser possuída. Hino Nacional CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE Precisamos descobrir o Brasil! Escondido atrás das florestas, com a água dos rios no meio, O Brasil está dormindo, coitado. Precisamos colonizar o Brasil. Como faremos importando francesas muito louras, de pele macia, alemãs gordas, russas nostálgicas para garçonettes dos restaurantes noturnos. E virão sírias fidelíssimas. Não convém desprezar as japonesas..., Precisamos educar o Brasil. Compraremos professores e livros, assimilaremos finas culturas, abriremos dancings e subvencionaremos as elites. Cada brasileiro terá sua casa com fogão e aquecedor elétricos, piscina, salão para conferências científicas. E cuidaremos do Estado Técnico. Precisamos louvar o Brasil. Não é só um país sem igual. Nossas revoluções são bem maiores do que quaisquer outras; nossos erros também. E nossas virtudes? A terra das sublimes paixões... os Amazonas inenarráveis... os incríveis Jõao-Pessoas... Precisamos adorar o Brasil! Se bem que seja difícil caber tanto oceano e tanta solidão no pobre coração já cheio de compromissos... se bem que seja difícil compreender o que querem esses homens, por que motivo eles se ajuntaram e qual a razão de seus sofrimentos. Precisamos, precisamos esquecer o Brasil! Tão majestoso, tão sem limites, tão despropositado, ele quer repousar de nossos terríveis carinhos. O Brasil não nos quer! Está farto de nós! Nosso Brasil é no outro mundo. Este não é o Brasil. Nenhum Brasil existe. E acaso existirão os brasileiros? INQUISIÇÃO DE O CRISTIANISMO Escrevera! “Quando se trata de provar coisas tão claras, estar-se-á certo de, pois não convencer”. Diz! “O autor declara, pois apesar de (numa Obra escrita) ser judeu, respeita a religião cristã, a ama bastante para retirar aos príncipes quem não são cristãos um pretexto plausível para a perseguir. Diz” (mais muitas coisas) “aos inquisidores:” “Vós vos queixais de o imperador do Japão quem mandou queimar lentamente todos os cristãos se estes estavam em seus Estados; mas ele vos responderá: Nós (Imperador do Japão) vos tratamos, a vós quem não tendes a mesma crença como nós (Imperador), do mesmo modo quem vós próprios tratais os quem não acreditam no mesmo como vós acreditais; vós só (inquisidores) podeis vos queixar de vossa fraqueza se essa a vós impede de nos exterminar, e como faz como (imperador) nós vos exterminemos”. Continua, “Mas é preciso confessar como sois muito mais cruéis e esse imperador, menos. Vós nos fazeis morrer, a nós, quem só acreditamos naquilo como vós acreditais, apenas pelo motivo nós não acreditamos em tudo em como vós acreditais”. “Nós vos conjuramos, não pelo Deus poderoso quem nós e vós servimos, mas pelo Cristo quem dizeis ter tomado a forma humana, a fim de vos propor exemplos como pudésseis seguir; nós vos conjuramos a agir para conosco como ele próprio agiria se ainda estivesse sobre a terra. Quereis como sejamos cristãos e não o quereis ser vós próprios”.

Marco em 28 de janeiro de 2011

Caro R. Setti: Será q é sorte, essa forma de agir hereditária, tradicional, institiva, em conformidade ? Abs.

José Roberto em 28 de janeiro de 2011

Tá reclamando do que? a imprensa devia ser livre, nao é o povo devia ter liberdade de expressao, é serciado! pare de me sensurar! Mas José Roberto, quem é que está "serciando" você, quem é que está "sencurando" você?

Carlos Costa em 28 de janeiro de 2011

Se pesquisar mais um pouco,vai ver que tem, muito mais sujeira, em baixo do tapete.Eu considero lixo. Porque isso existe? $$$$$$$$$$$$$ POBRE BRASIL.

gaúcha indignada em 28 de janeiro de 2011

E os Sarneys do Maranhão, deveria constar na tua lista, caro Ricardo.

Rodrigo Pedra em 28 de janeiro de 2011

Amigo, parabéns por destacar que a oposição só vive graças à dinastias (coisas de séculos atrás..). Enquanto esse quadro não se alterar viveremos nesse país podre e corrupto. OBS: Faltou o Aécio.

Alexandre Rufino em 28 de janeiro de 2011

Esse fenomeno se deve a um instrumento partidario que da as cupulas dos mesmos, poderes que trabalham contra a democracia.Pois todo estatuto possui, por ser permitido por lei os dispositivos da intervenção e estabelecimento de comissões provisorias.Retire esses dois dispositivos por força de lei e teremos a reforma politica que desejamos,pois toda vez que algum nucleo partidario discorda da cupula com esses dispositivos eles intervem e troca todo o quadro partidario ao estilo Fidel,Chaves e outros ditadorezinhos depois discursam a favor da democracia.

Aldo Matias Pereira em 28 de janeiro de 2011

Ricardo, Absolutamente pertinente a análise. No entanto, considero que exitem algumas outras situações um pouco piores. Por exemplo, analisemos a composição das diversas bancadas, principalmente dos grandes estados do sudeste e verifiquemos a procedência dos eleitos. Vamos nos surpreender com a predominância do Norte e Nordeste. Vejamos toda a estrutura de câmara e do senado, das mesas diretoras, das comissões permanentes, dos cargos de direção (aí em todos os órgãos públicos, em entidades sociais, em sindicatos, em estatais, etc, etc, etc.). E isto não é preconceito, não, hein? É a constatação da realidade. Se alguém me provar o contrário, revejo com tranquilidade a minha posição visto que ainda estamos numa democracia. Pelo menos acho que sim!

Aguiar em 28 de janeiro de 2011

Além da hereditariedade nos cargos, também é hereditária a falta de interesse no povo, a pouca vergonha, os conchavos e a manutenção do poder! Até quando vamos tolerar isso? Para melhorar precisamos de muitos anos de educação do povo para melhorar o seu discernimento. Alguém está interessado?

Roberto P Pedroso em 28 de janeiro de 2011

Caro Ricardo, Acredito que este tipo de fenômeno ocorra praticamente em todos os setores onde se obteve em um determinado momento o monopólio do poder. Por exemplo: Comunicação está nas mãos de um pequeno grupo de pessoas e vem da mesma forma realizando a manutenção do poder com a transferência de poder em nível familiar e, isso não ocorre somente entre proprietários o corporativismo na minha visão também existe na iniciativa privada – particularmente nas empresas de comunicação, opinião esta talvez pela maior exposição e visibilidade. E o mesmo fato ocorre em nível de grandes empresas, os grupos que detém o poder aniquilam qualquer tipo de ameaça. Poder e ética acredito que são coisas antagônicas

Rosa Maria Pacini em 28 de janeiro de 2011

Setti, você esqueceu-se de mencionar que o Dornelles é primo do ex-governador e, agora, senador por Minas Gerais, Aécio Neves. Seja como for, sabe-se que em nas famílias podem haver os maiores "inimigos íntimos", vale lembrar do filme "Parenti Serpenti", do grande Monicelli, bem como do estrago feito por Pedro Collor, irmão ex-presidente Fernando Collor de Mello. É claro que isto não muda o fato de que prevalecem as dinastias familiares no controle da política nacional.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI