Image
O ex-ditador Kadafi, já muito machucado pela turba: horrendos atos de barbárie que nada, nada justifica  (Foto: tv líbia via Reuters TV)

Amigos do blog, sei que entro tarde no assunto – o ditador Muamar Kadafi morreu linchado na quinta-feira, 20.

Mas preciso escrever o que se segue.

Fui dos que comemorei, um tanto precocemente, a queda de seu regime. Veja este post de 24 de agosto deste ano, que republiquei recentemente, em que celebrei, já no título: “Kadafi na Líbia: o fim de um déspota, assassino e ladrão é motivo para comemorar”.

Cenas pavorosas gravadas por celulares

Mas nada – nada – justifica a sucessão de horrendos atos de barbárie que levaram a seu massacre físico, em cenas pavorosas gravadas precariamente por telefones celulares.

“O que fizeram com Kadafi nos torna mais desumanos”, resumiu esse santo homem que é o Prêmio Nobel da Paz e arcebispo anglicano emérito da Cidade do Cabo, Desmond Tutu, herói na resistência pacífica mas implacável ao regime racista do apartheid na África do Sul, em magnífica entrevista que concedeu ao site de VEJA ao lado de Mary Robbins, ex-presidente da Irlanda e ex-Alta Comissária da ONU para Refugiados. “Espero que um dia possamos nos redimir.”

Image
O arcebispo Tutu (à esquerda, Mary Robbins): “Espero que um dia possamos nos redimir” (Foto: Marcos Michael)

De fato.

Dificilmente se conhecerá em detalhes o que ocorreu com o ex-ditador, mas vou tentar um rápido resumo do que se sabe.

Na quinta, 20, com o cerco dos rebeldes apertando em torno de sua cidade natal, a litorânea Sirte, a meio caminho entre Bengazi, a leste – a capital dos rebeldes – e Trípoli, capital do país, a oeste, Kadafi, escondido em algum lugar nas redondezas, começou a empreender uma fuga em direção mais a oeste, rumo à fronteira da Argélia ou da Tunísia. Ele seguia em um comboio de dezenas de veículos militares, que incluíam blindados de transporte de tropas, caminhões e pequenos tanques.

Não se sabe o que pretendia. Talvez fosse ser resgatado, já dentro da fronteira de um dos vizinhos, por um avião das forças que ainda lhe eram leais, e conduzido a algum país onde obtivera secretamente refúgio.

O ataque dos jatos franceses

A coluna foi divisada por caças da Força Aérea da França, conforme informou o ministro da Defesa francês, Gérard Longuet. Por mandato da ONU, a França foi um dos países da OTAN, a aliança militar ocidental, que começou a atacar as forças de Kadafi a partir de fevereiro com o objetivo de “proteger a população civil” rebelada contra o regime das investidas dos militares líbios. Segundo o governo francês, os pilotos franceses não sabiam que Kadafi estava no comboio mas, como parte de sua missão, investiram contra o comboio militar.

O ataque paralisou a coluna em seu deslocamento, e aí teria sido alcançado pelos insurgentes. Os combatentes destruíram os veículos, afirmou Longuet, “dos quais saiu o coronel Kadafi”. Há versões de que Kadafi e um grupo leal afastaram-se do comboio, incursionaram por um oásis ou arvoredo que haveria na região e o ditador acabou sendo localizado oculto em manilhas de água pluvial existentes na região. Um miliciano rebelde, Salem Bakir, jura que Kadafi implorou que não o matassem.

Image
A sede do Tribunal Penal Internacional, em Haia, na Holanda (Foto: Divulgação)

Socos, pedradas, pancadas, tiros, cabelos arrancados…

Não se sabe. O que é absolutamente certo é que o ditador for aprisionado vivo e massacrado em seguida. No momento da captura, Kadafi já teria ferimentos de bala em uma das pernas e num ombro. As emissoras árabes de TV Al Jazira e Al Arabiya transmitiram imagens em vídeo nas quais o coronel, apesar da precariedade das gravações, feitas visivelmente em meio a empurrões e tumulto, aparecia ferido, principalmente na cabeça, mas vivo e sendo empurrado e golpeado.

O horror continuou sem ter sido gravado, mas ele recebeu socos, pedradas, pancadas de armas, tiros, teve cabelos arrancados e foi empalado com um cabo de madeira. Um laudo de autópsia realizado na cidade de Misrata, para onde os milicianos levaram o corpo, reza, secamente, que ele morreu por “disparos na cabeça e no abômen”.

Cadáver exposto de maneira ignóbil, como um troféu

Em Misrata, de maneira ignóbil, o cadáver ficou exposto durante quatro dias, como um troféu, enquanto rebeldes, curiosos e todo tipo de gente o fotografava ou se deixava fotografar ao lado dos restos, sorrindo, como se se tratasse de um piquenique.

Horror, horror, horror.

O Conselho Nacional de Transição – que Deus sabe o que controla, entre grupos armados de diferentes orientações, sem hierarquia, sem disciplina, sem tradição alguma de democracia e de Estado de Direito – promete “investigar” a morte do ex-ditador e punir os culpados.

Acredito tanto que isso se faça corretamente como numa viagem a Plutão de bicicleta.

A entrega ao Tribunal Penal Internacional seria o caminho civilizado

Kadafi tinha contra si uma ordem de captura emitida em junho pelo Tribunal Penal Internacional de Haia, por crimes contra a humanidade cometido a partir do levante popular de 15 de fevereiro contra seu regime. A ordem incluía o segundo de seus oito filhos, Saif al Islam, e seu cunhado, Abdullah Senusi, chefe dos serviços secretos do regime.

A prisão e a entrega, incólume, do ditador para um julgamento civilizado, como são os valores que o Ocidente diz reverenciar, teriam sido a forma de o Conselho Nacional de Transição se afastar do caminho da barbárie e exibisse ao mundo sua intenção civilizatória.

Ao matarem Kadafi da forma bestial como o fizeram, os insurgentes – e, por tabela, o CNT – se igualaram aos piores crimes do ditador, fornecendo a quem se interessa pela sorte do mundo um gosto do que poderá ser a “nova” Líbia que prometem erigir.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 5 =

Nenhum comentário

Emylly em 21 de setembro de 2014

Eu sou completamente a favor do que fizeram com ele blz. Deveriam ter feito muito mais, ter torturado ele até a morte. Aqui se faz e aqui se paga. Se ele tivesse pegado sua filha e a violentasse e a estuprasse, o qui faria se ele tivesse na tua frente ? Chamaria a policia ? Kkk aah concerteza não. Não venha dar uma de bom samaritano não ta. Tchauzinho

ivan em 17 de janeiro de 2014

Pode não ter justificativa para o Sr., mas para as famílias que foram mutiladas por ele a opinião pode ser diferente. Imagine o Sr ter seus filhos executados somente por divergirem das ideias de seu representante político. É muito fácil falar quando se está em uma posição confortável. Só quem sofre sabe........ OK, então você é a favor da barbárie, da justiça feita com as próprias mãos. Eu sou a favor dos direitos humanos e da primazia da lei. Estamos, realmente, em campos inteiramente opostos.

Rodolpho em 06 de dezembro de 2012

Não ouse se referir a família aqui!

Ricardo em 19 de novembro de 2012

Ninguém é assassino até que a situação conspire a tal!!

Aparicio em 21 de outubro de 2012

'Nada Justifica'. Fala isso só quem não teve suas filhas, filhos e esposa estupradas na sua frente, esse cara era o diabo, ainda saiu bararo a morte que teve, tinha era que pagar por todos os crimes que cometeu. Gente civilizada quer que os criminosos sejam julgados, tenham direito a defesa e, quando condenados, recebem sua punição. No caso de Kadafi, a mais rigorosa possível. Linchamento é, em qualquer circunstância, sinônimo de barbárie e indigno da condição humana.

Marina SS em 24 de setembro de 2012

Ele teve o quê mereceu, sequestrava, estuprava e espancava meninas. Ele era um monstro !!!

Eliana Prata em 03 de março de 2012

O líder era procurado por ser um assassino, a´pos a sua execução a sociedade tem a obrigação de procurar pelos assassinss que o mataram, afinal tanta luta para se conseguir um tribunal Internacioanl, que sentido tem tudo isso. Quero deixar o meu protesto pelos atos que ele praticou e pelos atos que pratcicaram com ele. Que Deus tenha piedade destes espíritos atrasados

luiz em 24 de janeiro de 2012

Nada justifica o horror que o povo brasileiro sofre nos postos de saude e hospitais públicos, com obitos e partos em calçadas. Se entrarmos dentro dos hospitais vermos mais horrores, até parecido com a guerra do Muamar Kadaff, Iraque, afeganistão e outras. Não temos governo para o povo. Enquanto não conseguir mais impostos que o povaõ morra, tem muita gente, o percetual ain da vai ser baixo, e tem muita gente nascente.

Ancelmo em 17 de janeiro de 2012

Não, da a idéia de como trabalham os americanos: com cinismo e mentira!

Aldo em 08 de janeiro de 2012

Tem razão Gadellha, o que tem de santinho que acha que tem que tratar animal com direitos é de lascar, da um de anjinho longe do inferno é fácil, mas por experiência ja vi muito "anjo" virar animal quando a violencia bateu na porta da casa, resumindo é hipocrisia o só idiotice mesmo! Acho que esse deve ser o destino de todo ditador, empalado estuprado e humihado em público! Só assim mesmo pra se livrar dessa praga que assola a humanidade, o governo TEM que temer o povo, NUNCA o contrário!

r. gadelha em 01 de janeiro de 2012

É muito fácil condenar os inimigos de Khadafi para quem não viveu sob a sua infame ditadura. Os líbicos podem ser um povo bárbaro, mas sofreram e se vingaram com todo o direito. Se você tivesse tido toda a sua família esquartejada pelo tirano, faria a mesma coisa. Não me venha dar uma de santo.

jader pereira em 03 de novembro de 2011

Empalado?!Santo Deus!!!Desa eu não sabia!Caro Setti,concordo plenamente com o sr.Execução sumária por parte de militantes de uma causa que se passam por 'arautos da democracia' é o cúmulo da incoerência.

jader pereira em 03 de novembro de 2011

Empalado?!Santo Deus!!!Desa eu não sabia!Caro Setti,concordo plenamente com o sr.Execução sumária por parte de militantes de uma causa que se passam por 'arautos da democracia' é o cúmulo da incoerência.

Ivo Jeronimo em 02 de novembro de 2011

Concordo plenamente com Langstein e Núbia. A história deste déspota começou a mais de 40 anos. Aliás, quem já pesquisou sobre a forma em que ele tomou o poder. O que aconteceu com os "discordantes"? Seria mais útil o massacre ao tirano, se o tirano da Síria se preocupasse em ocorrer algo semelhante com ele e saísse imediatamente do poder. Infelizmente parece que não é o que ocorre. Há se em nossa "democracia" pudesse-mos caçar os fernandinhos beira-mar nos esgotos e fazer a mesma coisa. No entanto, somos obrigados a ve-los de jatinho de prisão para prisão de segurança máxima. quanto custa isto?

Rodrigo em 02 de novembro de 2011

Plenamente de acordo com você, prezado Setti.

oiram em 01 de novembro de 2011

Em todos os países árabes que tiveram seus líderes depostos surgirão lideranças ainda piores.

Langstein De Almeida Amorim em 01 de novembro de 2011

Kadafi foi aprisionado num esgoto por revoltosos que lutavam ao máximo para vingar os crimes cometidos contra familiares seus pelo regime do ditador. Não havia um só desses rebeldes que não exibissem manchas de sangue em seu ambiente doméstico. Eles não eram um exército organizado sob o comando de um superior hierárquico. Eram bandos que expunham a vida às armas de destruição em massa do governo quadragenário. Buscavam coragem no ódio que o tirano secretou em profusão no seio dos que sorriam para a liberdade. A Otan mandava nos céus e os revoltosos mandavam na terra crestada pelo fogo dos combates. Querer que esses tantos violentados por tanto sangue derramado tivessem tido a cortesia de mandatários de ordem religiosa, é pretender que essas vítimas de Kadafi tivessem a insensibilidade do 'Pensador' de Rodin. Não condenem os que o lincharam. Condenem quem construiu seu próprio linchamento...

Langstein De Almeida Amorim em 01 de novembro de 2011

Kadafi foi aprisionado num esgoto por revoltosos que lutavam ao máximo para vingar os crimes cometidos contra familiares seus pelo regime do ditador. Não havia um só desses rebeldes que não fossem exibissem manchas de sangue em seu ambiente doméstico. Eles não eram um exército organizado sob o comando de um superior hierárquico. Eram bandos que expunham a vida às armas de destruição em massa do governo quadragenário. Buscavam coragem no ódio que o tirano secretou em profusão no seio dos que sorriam para a liberdade. A Otan mandava nos céus e os revoltosos mandavam na terra crestada pelo fogo dos combates. Querer que esses tantos violentados por tanto sangue derramado tivessem tido a cortesia de mandatários de ordem religiosa, é pretender que essas vítimas de Kadafi tivessem a insensibilidade do 'Pensador' de Rodin. Não condenem os que o lincharam. Condenem quem construiu seu próprio linchamento...

Fernanda em 01 de novembro de 2011

Kadafi teve o que mereceu!Assim como qualquer bandido que comete 'um' crime hediondo deve ter!

Pedro Luiz Moreira Lima em 01 de novembro de 2011

A OTAN se retirando - depois de deixar um rastro de morte e destruição - atacar com foguetes e aviões é uma coisa - ocupar a terras dos outros é bem diferente. Sorte ao POVO LÍBIO.

fpenin em 01 de novembro de 2011

A barbárie é a mesma,ainda que os objetivos pol´ticos sejam diferentes e até antagônicos. É da espécie humana...

Sandro. em 31 de outubro de 2011

E no Brasil algo diferente? Vídeos de linchamento toda hora aparecem por emails e em telejornais, com os assassinos facilmente identificáveis, e nada é feito em relação a isto. O caso do belém do Pará é o mais marcante!

Núbia Lima em 30 de outubro de 2011

Ricardo Setti compreendo perfeitamente a sua preocupação do que poderá ser a "nova" Líbia, mas diante de 42 anos de uma Ditadura onde o Gadhaffi fazia questão de mostrar que sempre governou "seu" povo com mãos de ferro, mesmo no final após ser retirado do poder pelos rebeldes ele fez questão de deixar claro que iria atrás dos "ratos" onde quer que eles estivessem. Você já parou para imaginar qual seria o fim desses "ratos" nas mãos do exercito do "Grande líder", já parou pra pensar quantas pessoas ele já executou da mesma forma em que ele foi assassinado ou de forma muito piores? No oriente, diferentemente dos nossos países aqui no Ocidente, o povo tem boa memoria e boa memoria quer dizer guardar fatos bons e ruins, agora me diga honestamente em 42 anos suportando o Muammar você acha mesmo que esses rebeldes seriam capaz de esquecer todo o ódio que eles aprenderam com o líder? Quando você diz que nada justifica o horror do linchamento fico o quanto é fácil dizer isso quando se esta do outro lado do mundo vivendo bem ou mal numa democracia, é muito mais fácil ainda dizer isso quando você não teve um filho, um pai ou outro parente, amigo próximo que foi executado por aquele lixo, quando não foi você que viveu 42 anos sem nenhuma perspectiva de uma vida digna, sim porque viver de joelhos é viver sem dignidade. "A prisão e a entrega, incólume, do ditador para um julgamento civilizado, como são os valores que o Ocidente", acontece que os crimes que o Khadafi cometeu, quase 100% deles foram no Oriente e lá a maioria das leis vale da forma "Olho por olho dente por dente" se vivemos implorando para que se respeite a cultura de outros povos não há hora melhor para respeitar uma cultura amargurada e acabada por um Ditador. Se a OTAN esta mesmo preocupada em fazer algo de bom para a Líbia que comece com menos hipocrisia e que deixe o país andar com as próprias pernas.

Fatma simpson em 30 de outubro de 2011

Você resumiu exatamente o que eu senti ao ver aquelas cenas, cheguei a comentar será que eu estou errada em achar isso um absurdo um atestado do quanto somos sanguinários, fica a pergunta para onde caminhamos?

Pedro Luiz Moreira Lima em 30 de outubro de 2011

A OTAN não esta atrás disso?poderia se esperar melhor?

Christiane em 30 de outubro de 2011

Por dácadas Os EUA e Europa apoiaram Kadafi, assim como apoiaram Saddam...Em sua hipocrisia quando estes não foram mais úteis invadiram Iraque e Líbia em busca de Petróleo...Kadafi era sim um ditador,mas não sanguinário como a grande mídia nos faz querer acreditar. Sua morte assim como a de Saddam, mortos como bichos legitimizam o terrorismo e a barbárie.

Lucia s. em 30 de outubro de 2011

Khadafi era um ser humano horroroso.Perverso, sanguinário, simpático ao terrorismo e auto-centrado ao ponto da psicopatia. Sua morte, do pouco que me permiti ver, foi um festival de horror, algo comparável a chutar um animal em estado terminal.Foi fruto de ódio e barbárie, algo que ele mesmo alimentou por mais de 40 anos. Concordar com tal horror? Jamais!Entender porque esta barbárie aconteceu? pode-se tentar, filosóficamente, embora mesmo assim, não seja aceitável. A linha entre o humano e o animalesco, torna-se, a cada dia, mais tênue. Que a Líbia não abrace tal modo de vida, esperamos todos. Este é seu grande momento de lutar por liberdade e responsabilidade com seu próprio futuro.

ULYSSES em 30 de outubro de 2011

E o Brasil é muuuuito diferente. Imaginem o q

Amilton Mello em 29 de outubro de 2011

Por que se mata um homem? Para mostrar que não se deve matar?Como esperar dias melhores? Pobre Líbia...Pobre África...Pobre mundo...e apesar de não merecer, Pobre Kadafi...

Neide em 29 de outubro de 2011

vai chegar o momento que os libios dirão: ruim com ele pior sem ele. barbaros. sou totalmente contra justiça com as próprias mãos.

duduvieira10 em 29 de outubro de 2011

Meu Prezado Sr. Setti; Certamente meu caro, uma coisa horrível, era ruim ficou muito pior, me sentí muito mal com a cena. Minha preocupação é, será que a humanidade caminha para trevas? Pense! Com toda civilação, meios massisos de informações tem acontecido cada barbaridades que o Bispo Tutu de razão: "depois dessa o mundo ficou mais desumano'. Será que depois da revolução francesa, queda da bastilha, quantas pessoas perdaram a cabeça na guilhortina em nome de um mundo melhor? Será que foi em vão? Regredimos? É um caso a pensar!! SdS

Olati em 29 de outubro de 2011

E realmente horrivel, mas o que se planta se colhe...Espero que o povo libio agora se preocupe em matar dentro de si o Kadafi que ficou dentro de cada um deles, pois quando o torturaram e mataram se igualaram a ele.

Fernando em 29 de outubro de 2011

Imagino o que ocorreria se o Kadafi fosse capturado pelos recrutas que estupraram um colega em SM. Que tipo de gente eh esta? Mas a exposicao do cadaver parece demonstrar que a sociedade na Libia estah bastante amargurada (p/ colocar suavemente). Lembro de uma jornalista (nao recordo o nome) que tinha sido mantida prisioneira pelos insurgentes no Iraque e, no incio do conflito, na Libia pelas tropas pro-Kadafi. Ela disse que a diferenca de tratamento foi grande: no Iraque foi tratada com respeito e bem cuidada; na Libia, ela foi "tocada" (mas nao estuprada)e disse que os soldados demonstravam raiva, olhavam direto no olho dela antes de socarem... a brutalidade era intrinsica. []s!

FRANCISCO em 29 de outubro de 2011

VC DISSE NO SEU COMENTARIO ANTERIOR AS RAZÕES PARA A OTAN DERRUBAR KADAFI?SERÁ QUE ELE ERA MESMO O QUE DIZIAM, CRIMINOSO ETC?PELO QUE EU ENTENDI SUA MORTE FOI MASIS UMA QUEIMA DE ARQUIVO, AGORA ESTE PAISES VÃO DEITAR E ROLAR NO PETRÓLEO LIBIO E VIVA A DEMOCRACIA ,VIVAAAAAAA

Fernando em 29 de outubro de 2011

Tentando ser um pouco otimista com o futuro da Libia... A turba que fez o linchamento faz parte do extrato social dos dois lados do conflito. Talvez a diferenca seja no comando. O conselho de transicao deu recados que queria o Kadafi vivo p/ ser julgado. Mas o conselho de transicao nao tem praticamente nenhum poder sobre as milicias. Jah o Kadafi tinha um discurso de genocida: "pegar os ratos, casa por casa, quarto por quarto, armario por armario". Espera-se que as milicias sejam desarmadas e os oficiais do exercito voltem aos seus postos. Tb espera-se que as eleicoes revelem que a maioria da populacao nao eh do mesmo tipo. No Brasil ocorrem linchamentos seguidamente. Dois minutos no Google achei dus noticias pavorosas, um assassino de um mototaxi que foi depois morto/incendiado e um ladrao (nao assassino, nao estuprador, que tb nao justificaria evidentemente)que foi preso pelos moradores, teve o peh decepado por um facao p/ nao fugir, amarrado numa estaca e depois enforcado. Todos eles votam nas eleicoes no Brasil... Apenas, como escrevi inicialmente, tentando ser otimista com o futuro da Libia. Mas realmente eh um horror. Talvez eh torcemos p/ que os robos de guerra autonomos fiquem prontos o mais rapidamente possivel, e que possam agir sem odio, sem vinganca, sem o prazer da tortura, cenas repetitivas na maioria dos conflitos humanos. []s! P.S.: prezado Ricardo, gosto muito do seu Blog porque, entre outros motivos, alterna noticias boas com ruins (p/ dar um refresco), arte, etc. Assim, nao precisamos ficar depressivos e conseguimos ver tb o lado bom de tanta gente. Obrigado por sua visita, por seu comentário e por sua apreciação ao blog, prezado Fernando. Desde o início pretendi fazer um mix de assuntos que, de alguma forma, e guardadas as devidas proporções, lembrasse também um almanaque. Abraços

Reynaldo-BH em 29 de outubro de 2011

Setti, entenda o meu "você é infalível" como elogio ao que você mesmo cita no início do post. A barbaridade ocorreu no dia 20, quinta. Mas eu tinha a certeza que você iria se manifestar! É por aí o infalível. "O post pode até tardar. Mas não falha!" hehehe... No mais, que bom que você é humano! Estes falham. Eu, como bom humano que tento ser, exagero na dose de falhas. Não me importo não. Ao menos, não travo e peço para reiniciar o programa. Como os infalíveis computadores. Sem elogios fáceis, você pelo que conheço como jornalista e como se mostra como ser humano aqui neste espaço, tem a obrigação de falhar! Deixemos a infalibilidade para os papas. E para os donos da verdade. E se só há um papa, existem mais donos de verdades do que verdades verdadeiras. Abração meu amigo!

elizio em 29 de outubro de 2011

Caro Setti: vê-se em um dos vídeos que ao ser empurrado para a frente de uma camionete, haviam antes colocado no ditador um sutiã; desconheço dentro da cultura deles, se há forma mais humilhante do que jogar um sapato, como fizeram com o Bush. Estamos voltando à Idade Média. O mundo verá que a antiga ditadura, será café pequeno perto da que se instalará. Acho patente também que a posiçao tomadas pelos EUA e França, é um verdadeiro tiro no pé.

Vera Scheidemann em 29 de outubro de 2011

Perfeito, Ricardo. Como bem disse o Reynaldo-BH, você é infalível. As cenas horrorosas causaram repugnância a todos que, como nós, achamos que os humanos são racionais. Mas, cada vez mais, desconfio dessa racionalidade e vejo que temos muitos motivos para nos envergonhar da nossa desumanidade, como nesse caso. Não sei se um dia a gente consegue se redimir... Um abraço ! Vera

Tito Livio Bereta Bereta em 28 de outubro de 2011

"intrínseco". Desculpem. Não houve revisão.

*Mari Labbate* EMAS44 em 28 de outubro de 2011

O bestial Kadhafi não aceitou render-se, LOGO morreu de forma bestial! Todo extremista pede para morrer. É A LÓGICA UNIVERSAL! A Líbia, que é um dos Centros de Procriação Espiritual do Planeta, livrou-se de um ditador, agora, deverá passar por um processo de democratização, como nós. Interessante observar que ainda não nos livramos do comunista CASAL GOLPISTA! O Brasil engatinha em seu processo democrático, devido à falta de educação do Povo. Existe um oceano separando o Norte do Sul do País. Somente Jesus Cristo resolverá o impasse criado em 31/10/2010. O Arcebispo Tutu está totalmente equivocado. A Justiça Divina foi feita, visto que o ditador não quis preservar a sua vida, até o final. Deus permite execuções, dependendo das escolhas feitas. Ninguém terá que redimir-se, portanto, considerando-se que nada escapa ao julgamento do Governador do Planeta Terra: Jesus Cristo. Ele oferece todas as oportunidades de redenção. Nas consecutivas negativas, ocorre a interferência da Lei de Causa e Efeito. Um exemplo brasileiro: Lulla e Dilulla estão brincando com FOGO. Sairão queimados! Cesare Battisti, no relacionamento fraternal Brasil/Itália, representa a última gota de água! E assim caminha a Humanidade...

Reynaldo-BH em 28 de outubro de 2011

Setti, você é infalível! Ao menos para quem acima de ideologias e mesmo sentimentos legitimamente defensáveis, acredita ainda na tal espécie humana. E na evolução deste caminhar. Horror! Nada mais é aplicável ao linchamento de Kadafi. Ou barbárie. No dia que o filho de Kadafi - Saif - afirmou na TV (vi na CNN ou BBC, não me lembro ao certo) que a França deveria se abster de condenar a Líbia pois sempre foi parceira e apoiadora e que tinha documentos que atestavam estes fatos, pensei: "Este cara acabou de assinar a sentença de morte! Dele e do pai!" Se os USA tiveram o cuidado de sumir com o corpo de Bin Laden, dizendo ter sido jogado ao mar (Quando? Será que foi morto no mesmo dia ou após um interrogatório?), Kadafi foi exposto como um objeto de ódio, mesmo em decomposição. Literalmente. O cheiro nauseabundo deve ter sido mais intenso moralmente que fisicamente. Não se derruba um ditador com a utilização de métodos ainda mais selvagens que os do mesmo. Não se construiu um novo país retrocedendo a um estágio de barbárie. Não se transforma uma luta de um povo por liberdade em um espetáculo a ser divulgado no Youtube. Com cenas que nem um filme de terror , do tipo "b" de Hollywood conseguiria reproduzir. E não se pode crer que um novo país nasça afrontando o direito básico de respeito a um julgamento. Pobre Líbia. Não sei até que ponto o próprio Kadafi não criou o caldo de cultura que levou a este episódio que envergonha a dita raça humana. Pouco importa. Seria uma resposta civilizada dar a ele o tratamento que ele não quis dar a adversários. Preferiu-se a ultrapassagem da infâmia. Conseguiram. Cães - eu os conheço bem! - não agem assim. Nenhum cachorro humilha, tortura ou bestializa outro. Estes ditos seres humanos conseguiram agir assim. Não sou niilista. Ou tento não ser. Mas a cada novo crime cometido em nome de valores maiores - sem nunca ser - só me faz temer pela involução que parece ser galopante. Um momento, que seria histórico, foi somente coberto pela vergonha. De ser humano. Não sou infalível, não, Reynaldo -- longe disso, anos-luz disso. Mas tento ser coerente. Obrigado por suas palavras. Concordo plenamente com seu comentário, tanto como você com meu post. Abração

Tito Livio Bereta Bereta em 28 de outubro de 2011

Caro Setti.... Para muitos, citações bíblicas são enfadonhas, arcaicas, anacrônicas. Mas é no Pentateuco, para quem não sabe, os cinco primeiros livros bíblicos, por muitos atribuído a Moisés, que encontramos um dos mais contundentes ataques a personalidade humana, ao comportamento humano ou seja lá o nome que se queira dar. Segundo o Gênese, um pouco antes do dilúvio, Deus verificara que "a maldade do homem se multiplicara sobre a terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente. Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração". Gen.cap.6.vrs 5 e 6. Sempre faço uma observação, alertando possíveis leitores, que não tenho erudição parar buscar na fonte a origem desses textos. Os estudiosos judaicos dão extrema importância ao Pentateuco, base de todo o Judaismo como religião. Existem outros livros interpretativos, mas a interpretação deriva da origem. Sendo mais de cinco mil anos de história acompanhada de profundos estudos, fosse o texto um apêndice incômodo, te-lo-iam suprimido. Não quero dizer que algum trecho tenha sido excluído. Voltando a questão Kadafi e seu linchamento, querer que o processo passe por práticas democráticas chega as raias da utopia. Não é uma crítica a sua perplexidade. É a comprovação de que a barbárie permanece no coração do homem, por maior que seja o número de camadas de verniz que ele use, na tentativa de acobertar aquela condição. Somos intrinsicamente maus. Nossos atos nos dizem isso. Certo que haverá um ou outro ser evoluído, incapaz de, como se diz, abater uma simples mosca. Mas seu número é ínfimo, na somatória da humanidade. Mesmo quando surge alguém que se compadece do sofrimento alheio, muita vez é chamado de frouxo, mormente numa situação semelhante a que levou Kadafi a extinção.Se não for na Líbia, será em qualquer outro lugar. Ásia, América, Europa,enfim, não são os lugares que definem a "humanidade! O humanismo caminha a pássos de cágado. A proliferação de armas, nas asas do pensamento. Humanismo não gera lucros. Armas, sim, são um excelente negócio. Nada melhor que fomentar ódio entre os povos. Aquele belíssimo filme "O senhor das armas" pode mostrar uma pequena faceta do monstro que é a indústria bélica. Para que ela permaneça é preciso fomentar ódio, diferenças tribais, étnicas e quantas diferenças se fizerem necessárias. Certa ocasião escrevi a Veja sobre os caça Mirage. Eram fabricados por judeus franceses e vendidos ao mundo todo, até mesmo aos árabes. Veja não imprimiu minha carta, mas mandou-me uma carta particular, onde dizia que o espírito da reportagem era aquele mesmo, ou seja, espicaçar a curiosidade ou inteligência do leitor para que questionasse tais atos. A indústria da beligerância, eis o nome que se dá a tudo isso. Outros Kadafis virão e serão linchados como são abatidos porcos nos sítios e fazendas. Da forma mais imunda possível. É próprio do homem, Setti. Não há, neste exato momento, uma forma de apelar para a democracia, palavra desgastada, mal empregada e mal digerida. Desculpe-me o desabafo. Não foi contra você ou seu texto, vez que o respeito como profissional íntegro e bem intencionado. Mas há meandros intrincados, que impedem um raio-x ou eletroencefalograma ou ressonância magnética, tornando difícil a compreensão do comportamento humano. Salvo se quisermos usar aquelas palavras colocadas entre aspas, antropomorficamente atribuídas a Deus. Mas o reconhecimento de nossa intrínsica maldade bem que poderia dar início a mudança em nosso modus operandi. Reconhecermo-nos maus nos obrigaria a optar por continuar a sê-lo, ou a nos envergonhar de sê-lo, e procurar a evolução para o bem. Seria eu utópico também? Talvez.

Marco em 28 de outubro de 2011

Amigo Setti: Concordo ipsis litteris ! Abs.

geremias em 28 de outubro de 2011

Ele só foi assassinado daquela maneira por dois motivos: 1 - quem matou não sabe porque está fazendo isto. 2 - quem mandou matar tinha certeza que nós iríamos gostar.

Fernando Marés de Souza em 28 de outubro de 2011

Falta um pedaço da história. Antes dos jatos franceses, um telefonema de Kadafi para uma TV da Síria foi interceptado pelos EUA e assim se deu sua localização. Um "drone" não tripulado atingiu o primeiro veículo do comboio, fazendo-o dispersar, só depois chegaram os Rafales franceses. Há também a informação de que um grupo da SAS Britânica e Forças Especiais Quataris estavam no local onde Kadafi foi capturado, mas teriam recebido ordens de não se envolver. Bastante gente duvida - incluindo eu - da história do cano de esgoto, um factoide criado para dizer que Kadafi estava escondido como um rato. De resto, concordo com quase tudo... Valeu, caro Fernando. As versões são tantas que nós dois podemos estar certos, como podemos estar errados. De todo modo, procurei me basear na declaração formal do ministro da Defesa da França. Também acho que a história do cano -- não de esgoto, mas de águas pluviais -- tem todo jeito de ser um factoide. O que importa, para mim, é a barbárie do processo, e condená-la. Abração

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI