Image
A lua, durante o eclipse, com o que parece uma pequena mancha de formas em ângulo reto, mais ou menos no centro da figura: é a mão do homem — a Estação Espacial Internacional (Clique para ampliar)

Amigos do blog, surgiram dúvidas técnicas sobre a autenticidade da foto da lua que publicamos no blog, enviada pelo prezado leitor SergioD, mostrando, num ponto minúsculo, mas perfeitamente visível, a silhueta da Estação Espacial Internacional.

Em atenção aos leitores que levantaram essas dúvidas técnicas, a começar pelo excelente fotógrafo profissional e querido amigo pessoal Cacalo Kfouri, vamos contar como afirma ter trabalhado o autor da foto, o astrofotógrafo francês Thierry Legault.

Ele fez a foto no dia 20 de dezembro de 2010, em Avranches, na região da Normandia, no norte da França, algumas horas antes do eclise lunar ocorrido naquela noite. Para isso, usou um telescópio Takahashi EM400 e uma câmera Canon 5D Mark II, com velocidade 1/2000s e sensibilidade à luz de 1600 ISO. A previsão do trânsito da lua — para que ele se preparasse adequadamente para a foto — foi fornecida pelo site calsky.

Outras informações técnicas: a duração do trânsito lua/Estação Espacial naquele momento foi de 0,55 segundo. A Estação estava a 424 quilômetros de distância do observador, orbitando a terra a uma velocidade de 7,5 quilômetros por segundo (ou 28 mil quilômetros por hora).

Image
Detalhe emocionante: o pontinho sobre a lua é a Estação Internacional — e há pessoas vivendo e trabalhando ali dentro

A eclipse da lua — ou seja, a situação em que o sol, a Terra e a lua estão alinhados de tal forma que a Terra impede a luz do sol de iluminar seu satélite — coincidiu, no amanhecer do dia 21 de dezembro de 2010, com o solstício de inverno ho Hemisfério Norte, ou seja, quando o sol atinge a maior distância angular em relação a um plano que passa pelo Equador, e parece mais “longe” da Terra.

Legault aproveitou para fazer imagens do duplo fenômeno ocorrendo sobre o fabuloso monte Saint-Michel, que você pode ver nas fotos abaixo, feitas com a mesma câmera, com lentes 135/2 e exposição de 1 segundo.

Image
O Mont Saint-Michel na madrugada mágica de 21 de dezembro de 2010

 

Image
Outra vista do Mont Saint-Michel feita pelo astrofotógrafo francês

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 9 =

4 Comentários

Mari Labbate *44 Milhões* em 16 de maio de 2012

Querido Setti: fiz uma poderosa Magia-Lunar, turbinada pelo meu cancerianismo, para afastar os maus-espíritos do Brasil, em 2012: ANO DO DRAGÃO! Quer transformar-se em um belíssimo Bruxo-do-Amor? Estou convidando-o, pois a sua Alma já é sensível às Energias-Sutis. Quem interessar-se, basta pedir essa dádiva ao seu Anjo de Guarda. É simplesmente MARAVILHOSO continuar, onde os outros irmãos param...

cacalo kfouri em 14 de maio de 2012

dou o braço a torcer, apesar de a foto não ter sido feita pelos meios tradicionais, tem muita influência digital nela. abraço

SergioD em 14 de maio de 2012

Ricardo, bateu com o nome do fotógrafo que tinha apurado antes. Só não sabia que as fotos tinham sido batidas nesse lugar tão especial. Quem já visitou o Mont Saint-Michel entende isso. Ver o mar cercá-lo, centímetro a centímetro, ao vivo e à cores é emocionante. Mais emocionante que isso somente o que sentiram Armstrong e Aldrin, Conrad e Bean, Sheppard e Michell, Scott e Irwin, Young e Duke e finalmente Cernan e Schimidt, da Apolo XVII e dezembro de 1972. Grande abraço

Tuco em 14 de maio de 2012

. He, he, he... Levando-se em consideração que está cheio de gente que acredita em deus, em papai noel e na "urna eletrônica", essa valorosa explanação faz com que aguardemos a próxima, que nos provará o passeio na Lua, pelo Homem, em 1969! .

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI