Image
Oscar Niemeyer, chamado hoje no mundo todo como “o último grande arquiteto do século XX” (1907-2012) (Foto: Lavanguardia.com)

Meu querido amigo Wilson Moherdaui, grande jornalista, postou em seu Facebook o seguinte texto, que subscrevo, feliz:

Alguém aí sabe o que fez o gênio Salim Farah Maluf, além de botar no mundo o notório Paulo Salim Maluf?

E a dona Maria Maluf, que virou nome de complexo (vai ver que por ter gerado o notório Paulo Salim Maluf)?

Pois bem, se estavam esperando uma boa oportunidade, os impolutos vereadores de São Paulo agora têm: apresentem imediatamente um projeto trocando o nome da avenida Salim Farah Maluf e do complexo Maria Maluf para AVENIDA OSCAR NIEMEYER.

Simples assim.

 

Image
Niemeyer, nos anos 60, tendo atrás uma de suas inúmeras obras marcantes: o Palácio do Congresso (Foto: Jotdown.es)

É uma bela forma de ampliar o projeto Cidade Limpa.

Limpa do nepotismo, do puxa-saquismo, da falta de vergonha na cara.

(Se quiserem também, têm o meu apoio pra mudar o nome do Parque do Ibirapuera para Parque Oscar Niemeyer.)

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × um =

40 Comentários

Ismael Pescarini em 08 de dezembro de 2012

Prezada Izabella, tenho 52 anos e sou formado pela UnB. Bebi e comi o modernismo e Brasília por 5 anos. Niemeyer não é meu ídolo comunista, Niemeyer é um gênio da arquitetura. Voce fala em funcinalidade. Pois bem, a marquise do Ibirapuera é funcional e bela. Agora, quanto a ele ser palaciano, é o resultado não do programa mas da espacialidade isolada do contexto urbano, como a maior parte dos grandes palácios o são. Porém, há uma enorme diferença formal e de linguagem entre por exemplo Alhambra e o Louvre. Um integra e conduz suavemente por seus meandros o observador Alahmbra - o outro o domina e impõe seu comportamento - o Louvre, para fciar em dois exemplos. Niemeyer é suave, é tangivel, e nesse sentido sua arquitetura é humana. Funcional ela é de sobra. Vá ao Ibirapuera, Brasilia ou a seus museus e tire suas conclusões.

Paulo em 08 de dezembro de 2012

As duas Marginais poderiam homenagear um monte de políticos também. Desde que se mantenha o prefixo "Marginal" na frente do nome do indigitado.

Pedro Luiz Moreira Lima em 07 de dezembro de 2012

Setti: É duro ler pessoas com capacidade de ódio tão grande. Desprezos absoluto para eles. Pedro Luiz

Corinthians em 07 de dezembro de 2012

Concordo com o Alberto porém Júnior. Trocar o nome de uma avenida é um transtorno para todos - e gera um retrabalho imenso. Que ele receba o nome em algo novo a ser construído - uma ponte, um prédio, ou uma avenida. Ele foi um gênio na arquitetura - mas também acho que é exagerado a adoração a ele. Não por suas posições políticas, mas por que não vejo tamanha importância na arquitetura. Podemos dizer que um arquiteto não conseguiria construir nenhuma obra sozinho, só com seu projeto - já um engenheiro sim. O que não quer dizer claro que ele não foi importante. Foi muito importante sim, divulgou o Brasil, inovou em sua área, deixou obras marcantes e bonitas, trabalhou sempre - e portanto merece sim ser lembrado e admirado - apesar de seu gosto político.

alexandre em 07 de dezembro de 2012

um indivíduo que diz que o niemayer é 50% idiota, não sabe que na verdade ele é 100% idiota.

Angelo Losguardi em 07 de dezembro de 2012

Izabella 07/12/2012 às 17:37 . Fidel Castro SABIA desenhar uma florzinha, porém agora mora dentro de um freezer em Cuba (há quase dois meses, já), esperando que o Chavez venha a lhe fazer companhia (que pelo visto não vai demorar muito). Acho que vão fazer o enterro-duplo mais apoteótico de todos os tempos, nunca-antes-na-história-dessa-galáxia...

Izabella em 07 de dezembro de 2012

Ismael Pescarini, você é mesmo arquiteto? Também sou. Então, colega, o que você acha da absurda falta de funcionalidade dos projetos do seu ídolo comunista? Isso mesmo, dele, que desdenhava dos livros de arquitetura e só lia romances? Que não se importava se seus projetos eram funcionais ou não, porque que só lhe interessava ser diferente de todos os outros? . Você diz: “A arquitetura, enquanto modalidade artística do gênio humano (...)" e mais um monte de baboseiras. Pelo seu linguajar, dá pra ver que é mais ideológico que técnico. E mais: "(...) apesar da obra de Niemeyer ser palaciana, ela é delicada e tem uma excelente escala humana de tangibilidade(...)". Ora, me poupe. Era palaciana porque ele era palaciano. Do povão é que nunca foi, o cínico. E mais: "A obra é uma criação do espírito..." bla bla bla bla bla bla. Que fofo. Mas aposto que até Fidel Castro sabe desenhar uma florzinha.

Angelo Losguardi em 07 de dezembro de 2012

Oi Setti, a "grande obra" desse homem fala por si só. Já quanto a ser um grande homem, coisa que niemeyer nunca foi (pelo contrário, sempre teve uma vida de príncipe e defendia o inferno na terra para aqueles que estivessem no caminho da sua "utopia" - um regime homicida), é um quesito que considero importante pra nomear uma via pública (embora isso seja sistematicamente ignorado no Brasil).

Tuco em 07 de dezembro de 2012

. Singela homenagem ao comunistão - e a outros comunistoides: http://goo.gl/dwHBH .

markito-Pi em 07 de dezembro de 2012

Coloca meu nome aí no abaixo assinado, please, Setti. Ha outra coisas em SP que merecem uma troca de nome, que o Wilson ha de compreender, e que sugiro mudança( não por Niemeyer, claro. Este merece coisa grande como sugeriu o Wilsinho e V. topou). Ha no Ibirapuera ma Praça Mario Kozel . Que fez este pobre coitado? Conscrito, a contragosto,estava numa guarita do quartel, numa odiada sentinela noturna, que foi atingida por um ato terrorista. Morreu. Triste. Na ponta da Av. Ipiranga ha um predio esquisitissimo, redondo, misto de garagem e Poupatempo, chama-se Instituto Ricardo Gambleton Daunt. O que fez este "herói" para merecer tal homenagem? Morreu, pobre criança, antes dos cinco anos de idade. Só isso. Morreu.Morte morrida, natural. O pai, delegado, desses a quem a ditadura cruel deu poderes amplos e discricionários, usou-os.Até para colocar o nome do infante numa instituição de estado. Lamentável.Ha inúmeros outros casos, mas deixo de alongar-me. Niemeyer, sIM. Um brasileiro do qual o Brasil se orgulha. Bye,bye, malufs.

Ismael Pescarini em 07 de dezembro de 2012

Como se vê há dificuldade em desculpar uma pessoa, com o nível de contribuição expressivo à cultura nacional, por suas posições políticas. Imaginemos se ao lado da biografia musical de Tchaikovysk, apensaríamos "embora fosse um pederasta", aliás com essa característica tem um monte de artistas. Ou do nome da Praça Mahatma Gandhi "embora fosse pedófilo". Por acaso, todos temos defeitos e conflitos, para isso existem bons e maus biógrafos e ao final, para alguns, tb existe um Deus para nos julgar. Niemeyer era ateu e comunista, mas nunca foi um delinquente. Nenhuma de suas obras provoca esteticamente a sensação de opressão, fausto ou exclusão. Pelo contrário. Quem puder ir visitar o Congresso Nacional, sentirse-á conduzido para o interior de um prédio sempre banhado de luz. Os mineiros que conhecem a igreja da Pampulha poderão ter sensação similar. E os paulistas, me digam quem não acha a marquise do Ibirapuera uma obra "inclusiva" e democrática?

iara em 07 de dezembro de 2012

Minha cara Iara, tenho carinho e respeito por meus leitores, mas não publico críticas a colegas blogueiros. Lamento, tá? Esta é uma norma ética a que me atenho. Um abração!

julio em 07 de dezembro de 2012

Nessa ordem talvez. Mas o Brasil vai muito mal. Caro Setti, com vossa permissão também joga minha lenha no fogo http://julio-cavaleiro.blogspot.com.br/

Marcos Conservador em 07 de dezembro de 2012

Ricardo, eu respeito sua opinião de que se deva separar a obra do pensamento político. Ponderações e diferenciações devem ser feitas, entretanto. As visões políticas estalinistas dele, se implantadas no Brasil, levariam milhões à morte. Não posso respeitar isso. ******************* Eu fico imaginando a hipótese de que outro arquiteto, também brasileiro e também talentoso (deve ter havido vários nos anos 50) tivesse sido o escolhido para projetar os palácios de Brasília. Será que este outro não ocuparia o lugar de Niemeyer na história? Ele foi, claro, um grande arquiteto, mas chegou ao topo num lance único que foi a construção de Brasília. Ele teve meios e oportunidades que ninguém mais teve. ******************* Adicionalmente, reitero o que já comentei: comunistas devem ser, no plano das idéias, somente, implacavelmente combatidos e ridicularizados. A simpatia pelo comunismo estende a vida de regimes assassinos.

Susana em 07 de dezembro de 2012

Junto com o nome de Niemeyer, deveria constar um pequeno texto dizendo que este grande arquiteto defendia Stalin como um exemplo de virtudes, que defendia as "democracias" cubana, chinesa, soviética, norte coreana, etc. E que desenhou um cartaz de propaganda em defesa dos narcoterroristas das FARC. Graças a Deus, por enquanto, o maior projeto deste arquiteto não saiu do papel. Certamente, em Cuba ou na Coreia do Norte, já existam praças, avenidas e até mesmo cidades com o nome dele.

EDUARDO em 07 de dezembro de 2012

É impressionante como tem gente, como você, dotada de total incapacidade de fazer qualquer crítica sem ofender. Tchau, deletei seu comentário.

RONALDE em 07 de dezembro de 2012

Haddad vai construir a Av. Niemeyer a qual terá muitas ruas que a cruzarão e terão os seguintes nomes: Stalin, Mao-Tsé-Tung, Fidel, FARC, Coréia do Norte, Hugo Chaves.

Filósofo em 07 de dezembro de 2012

Caro Setti, Peço licença para discordar da ideia.

Tuco em 07 de dezembro de 2012

. Aí está uma boa ideia. Uma boa ideia de jerico! Coloca de uma vez o nome de COMUNISTA NIEMAYER - que tal? Esses amigos queridos do Grande RSetti me aparecem com cada uma... E quanto à genialidade do morto, quem pode dizer muito são os pobres engenheiros calculistas que tiveram de cortar o sete para que certos tribufus parassem em pé! Sabe como é, papel aceita tudo - já a Lei da Gravidade não pode ser desatendida! O comunismo perde seu grande expoente! Ufa!, até que enfim! .

Luiz Antonio em 07 de dezembro de 2012

Caro Setti, proposta excelente. Muito mais significativa a homenagem ao gênio arquiteto do que a infelizes e desconhecidos progenitores de tal rebento político.

Ismael Pescarini em 07 de dezembro de 2012

Por ser arquiteto, não um fã absoluto de Niemeyer, fiquei aborrecido com as críticas estúpidas feitas a ele pelo ***** ******. Tentei postar o comentário abaixo, não uma ou duas, mas três vezes. Como se poderá ler, não há ofensas nem críticas sem argumento, mas ao contrário do que ele argumenta hoje, do topo de sua vaidade, ele publica apenas os ZURROS dos que o apoiam. Segue o comentário que fiz lá, e não foi publicado, e um complemento. "Permita-me discordar. A arquitetura, enquanto modalidade artística do gênio humano, ela transcende gerações, ela liga diferentes tempos e civilizações, e com esse pressuposto, apesar da obra de Niemeyer ser palaciana, ela é delicada e tem uma excelente escala humana de tangibilidade, assim como o palácio de Alhambra, para citar um exemplo. Diferente de Versalhes ou das pirâmides. Isso é um aspecto que leva alguns a atribuir humanismo às suas obras. Por outro lado, as posições políticas de Niemeyer são muito criticáveis com certeza, tanto quanto Saramago. Mas distinguir radicalmente um homem de suas obras, como você afirma, é um engano, posto que a genialidade não vem do nada. A obra é uma criação do espírito, em grande parte de quem a propõe e em parte das influências que recebe e da sua formação “humanística”, considerando o conce ito de humanismo como síntese de uma cultura.Outra crítica, mas aí é uma questão pessoal minha, não achei elegante espinafrar Niemeyer no dia de sua morte, pois Niemeyer não foi um criminoso, corrupto ou ladrão, como são Fidel Castro, Hugo Chavez e Lula entre outros." Em verdade, toda obra de arte é criticável. Porém, a arquitetura, além do gosto estético, tem o aspecto técnico, dos materiais, do conforto e do uso. Talvez nesse ponto, a obra de Niemeyer mereça uma crítica mais consistente. Mas no Humanismo, não, pois seus palácios (pois ele era contratado para projetá-los) e suas mansões tem uma dimensão e proporção geométricas, facilitadas pelo uso magistral do concreto armado e da curva, que aproximam o ser humano em sua pequenes física do espaço muitas vezes maior, sem opressão, sem sensação de abandono. Isso é uma síntese cultural brasileira e própria da pessoa Niemeyer. Ele errou politicamente? sim. Era um Picareta? NÃO. Merece respeito e muito. Desculpem a extensão e obrigado.

ALEXANDRE RABELO MORGADO em 07 de dezembro de 2012

Em qualquer Estado brasileiro, o arquiteto merece sim uma homenagem. Pessoas desconhecidas do povo brasileiro e que nunca fizeram nada, têm seus nomes em vários lugares do nosso País.

Joe Silva em 07 de dezembro de 2012

Graças a Deus a destruição arquitetônica do Oscar pouco fez para piorar SP além do monstro Copan e daquele mausoleu da América Latina. Proponho que as obras de Niemeyer, feias, frias e desumanas, sejam implodidas.

JT em 07 de dezembro de 2012

Por favor vereadores deste Brasil, não nomeiem os viadutos com o nome de Niemeyer antes de tirarem todos os moradores improvisados dos mesmos. Além disso o Oscar já tem bastante lugar com o nome dele: é Caminho Niemeyer em Niterói, é Espaço Cultural Niemeyer em praticamente todos os teatros que ele projetou. O Niemeyer foi um gênio? O maior do Brasil, dado que foi um Pelé que não se aposentou. Mas agora que ele está no time de Rino Levi, Artigas, Lúcio Costa e Flávio de Carvalho, que tal estes fantásticos arquitetos serem homenageados também?

Ricardo em 07 de dezembro de 2012

Concordo com o comentário do Jonas. Nem dê idéia de renomear o Parque do Ibirapuera, por favor.

Izabella em 07 de dezembro de 2012

Por que endeusar um homem que admirava Stálin, Fidel Castro e outros genocidas? Um homem que colaborou com as Farc e se orgulhava disso? Um "comunista" que estava sempre atrelado ao poder e à escória da humanidade? Ah, façam-me o favor... Encher a boca pra falar de "revolução" vivendo em uma mansão exclusivíssima no Joá, quem não quer? Um grandissíssimo hipócrita, isso sim.

Alberto Porém Júnior em 07 de dezembro de 2012

Bom dia Setti. Acho complicado esta questão de mudar nomes de ruas e avenidas. Deu o nome , está dado, mudar significa um transtorno enorme para quem mora, trafega ou se localiza. Em vez de consertar erros o melhor seria não cometê-los. Quando Maluf colocou estes nomes a população deveria ter gritado, xingado esperneado. Se não fez, amansou, então tem que aguentar. Niemeyer merece justas homenagens mas se for para dar nome a algo que seja novo e inovador como foi o grande arquiteto.

alexandre em 07 de dezembro de 2012

Caro Alexandre, entendo sua posição e a respeito. Mas não publico críticas em meu blog a colegas bloqueiros, até por uma elementar questão de ética, não é mesmo? Um abração

Hattori Hanzo em 07 de dezembro de 2012

Pode ate ser, mas que o destino desta avenida seja inferno, que para onde vão todos os comunistas. Poupe-me rapaz.

jonas em 07 de dezembro de 2012

Setti, não me venha com esta idéia... Avenida Águas Espraiadas estava muito bem antes de tornar-se Avenida Roberto Marinho, votada por unanimidade pelos vereadores de SP que morreram de medo de reação da Globo se votassem pelo não. Idéias como a sua renomearam a Estação Santo André em Estação Santo André Celso Daniel (argh) e Estação Sumaré em Estação Santuário Nossa Senhora de Fátima-Sumaré (arghx10), que deve ser o nome mais longo do mundo para uma estação de metrô! E segure aí, muitas outras aberrações virão! Aliás, mudanças de nomes é das coisas que os vereadores de SP mais gastam tempo, deixando os problemas cruciais para depois, literalmente (o que nao altera os megasalários). Isso deveria ser-lhes arrancado de tal direito de decisão, para que foquem no que se precisa!

maria luiza guião bastos em 07 de dezembro de 2012

Sim, sim, oui, yes!!!!!!!!!!!! a gente paulistana se livra de umas, hã, coisas inconcebíveis e até ......... tá, não vou escrever o que sinto não senhor, Sr. Setti, Caro Jornalista! - mas a sugestão é estupenda! Nada contra o arquiteto não, mas contrísssssima com relação, hã, àqueles nomes, acudaaaaa!!!! que perturbam a cidade, pra dizer o mínimo. Coração aquecido, ele ficou, ah, que bom que é ler essa sugestão de-ci-siva, tou até rindo de minha empolgação...............Aleluia!

Dinorah em 07 de dezembro de 2012

Oscar, que o concreto te seja leve.

ze do matogrosso em 07 de dezembro de 2012

..divago, caro fpnin e augusto. A transcoca, ora em construção na bolivia, a ser asfaltada com recursos do BNDS, brasileiro, deve ser batizada com o nome de integração LULLA. É o que se comenta nos departamentos de Santa Cruz de La sierra e Cochabamba.,ambos na Bolivia. Dizem que é prá ja.; Tive lá. Já em Garanhuns, terra do bode macho, água é artigo de luxo. Pinico é uma jacuzzi. CADÊ O MOLUSCO?????? Tá concentrado no japão junto com os fanáticos????

Aninha em 07 de dezembro de 2012

para fpenin, no Rio já temos uma belíssima avenida niemeyer ligando o leblon a são conrado, com todas as devidas curvas e bela paisagem. em paris tem uma Rue Santos Dumont no XVe arrondissement. pequena, mas existe...

fpenin em 06 de dezembro de 2012

Correção: Rei Alberto I, da Bélgica.

fpenin em 06 de dezembro de 2012

Setti, Você conhece alguma avenida importante na Europa com nome de brasileiros célebres? Por exemplo, Av. Tancredo Neves, na Bélgica? Pois bem, brasileiro tem complexo de vira-latas de há muito: em 1920, o prefeito Carlos Sampaio denominou de Rainha Elizabeth uma importante avenida, que liga Copacabana a Ipanema. Os cariocas não sabem quem foi essa dama, nem porque a rua tem o seu nome.Em 1920, o Brasil recebeu a visita do Rei Carlos I, da Bélgica, e de sua consorte, a Rainha Elizabeth.Nenhuma relaçao ou benefício ao Brasil. Agora, aproveitando o seu exemplo, Setti, faço a sugestão: que a avenida seja, doravante, denominada Oscar Niemeyer. Nada contra a Rainha Elizabet, mas, a meu ver, ela jamais teve relações mais profundas com o Brasil. Então, conclamo os meus amigos deste incomparável estado brasileiro a denominar a bela avenida de OSCAR NIEMEYER. Justiça a um grande brasileiro, mas, principalmente, ao Rio de Janeior, que lhe serviu de berço. De que eu me lembre no momento, Penin, a há a Emerson Fittipaldi Drive, em Miami, homenagem ao grande campeão. Certamente há nomes de brasileiros em ruas e avenidas de Portugal e de países da América Latina. Acho sua proposta boa. Abração

Marcos Conservador em 06 de dezembro de 2012

Tem que ser uma avenida compatível com o pensamento político dele, ligando um esgotão a um cemitério. É preciso separar o pensamento político da obra deste grande brasileiros, Marcos. Pelo amor de Deus...

ze do matogrosso em 06 de dezembro de 2012

..vale a idéia e o puxa saquismo. É própio do Brasil. Mas que não levem a idéia a voto popular ou a votação na camera de vereadores de s~]ao paulo. Tá arriscado o atleta do do santos o NEYMAR, ser agraciado imaginando que foi pela propaganda do sempre livre. Convém, antes, ver o lobbY na secretaria da presidência da república, ai no BB ou em são bernardo. O "perfeito" eleito", tá de acordo com a mentalidade paulistana. Consultem madame ROSE, logo ali, perto da Fiesp. Os colocadores de lenha na maria fumaça, reunidos no jockei, hão de opinar. O maluf tá lá....

moacir em 06 de dezembro de 2012

Setti, Vou deixar a frase saudosa das irmãs desaparecidas **A curva é o que faz o concreto buscar o infinito**

J.B.CRUZ em 06 de dezembro de 2012

Cada um com suas convicções..O homem se mede por seu trabalho..NIEMEYER morreu trabalhando.....GÊNIO !!!!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI