No juramento dos deputados, uma leve esperança: que eles cumpram o que prometeram

Os deputados, no momento do compromisso solene: que os anjos digam "amém" ao que eles juraram! (Foto: Luís Macedo/Câmara dos Deputados)

Os deputados, no momento do compromisso solene: que os anjos digam “amém” ao que eles juraram! (Foto: Luís Macedo/Câmara dos Deputados)

Não sei se os leitores do blog conseguiram ver na cobertura feita ontem pelas emissoras de TV da posse dos novos senadores e deputados e da eleição dos presidentes do Senado e da Câmara o momento solene em que quase todos os 513 deputados juraram solenemente as palavras graves que a Constituição requer, pouco antes do meio-dia de ontem. (Três parlamentares que se atrasaram prestaram o compromisso à tarde.)

Se o Congresso estivesse se dando mais o respeito e respeitando mais a nós, eleitores, seria o caso de nos emocionarmos com a cena. De todo modo, gostaria de descrevê-la aqui, porque a correria da cobertura de ontem talvez não tenha permitido que muita gente prestasse atenção a este momento específico, que durou apenas alguns minutos.

Parlamentar muito experiente, firme defensor da liberdade de expressão (não entendi até agora o que ele foi fazer nesse partido estapafúrdio, o PROS), coube a Miro Teixeira (RJ), como deputado mais velho entre os que possuem maior número de mandatos, a tarefa de presidir a sessão preparatória de posse dos eleitos, já que o último presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), não concorreu à reeleição — tentou eleger-se governador de seu Estado e perdeu.

Miro iniciou os trabalhos lembrando, emocionado, o nome de deputados ilustres que já passaram pela Casa, como Tancredo Neves, Ulysses Guimarães, Adauto Lúcio Cardoso e Rubens Paiva. Antes de ler o compromisso constitucional para os deputados eleitos em outubro, disse Miro:

— Vamos continuar exercendo nossa vida pública com a luminosidade dessas expressões e de outras que não citei. Que nos orientemos pelos princípios da nossa Constituição, especialmente a impessoalidade, a transparência e a moralidade. Sejam bem-vindos. Aqui está a maior representação do povo brasileiro: a Câmara dos Deputados.

A seguir, enunciou o compromisso a que, depois, os deputados responderam, conforme reza o Regimento da Câmara, dizendo “assim o prometo”:

— Prometo manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro e sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil.

Que mais dizer? Tomara que!

Amém!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três − um =

13 Comentários

  • Edson

    E viva o paapi-noel!!!!!

  • Moacir 1

    Prezado Setti,
    Infelizmente parece que a Casa do Povo virou FEIRA e na hora da XEPA
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/02/1584330-apoio-no-congresso-sera-condicao-para-obter-cargos-diz-mercadante.shtml
    //
    “Um dia após sofrer uma derrota histórica, o Palácio do Planalto, na pessoa de Aloysio Mercadante , Ministro da Casa (In)Civil , iniciou a tentativa de reaproximação com o novo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e admitiu abertamente que usará a distribuição de cargos para remontar sua base de apoio no Congresso.(…) A presidente Dilma Rousseff vai comandar pessoalmente a divisão dos cargos do segundo escalão, postos logo abaixo de ministros ou de direção em estatais”.
    //
    São 20 mil os cargos de confiança cujos donos-afilhados-aliados são definidos por canetadas presidenciais.
    Mesmo Dilma e seus parcos e desequilibrados neurônios – acalmados à base de Hadol – deve ser capaz de abstrair
    que o Brasil seria administrado de forma mais competente se para tais postos chaves fossem indicados técnicos pelos critérios objetivos da meritocracia.
    Mas a chantagem no terceiro governo do PT passou a ser publicada no Diário Oficial.
    O que presenciamos na Casa de Horrores é um escambo de interesses, um comércio de emendas , um leilão de mandatos sem “luminosidade” , sem “impessoalidade”,sem “transparência”, sem “moralidade”, sem “representatividade”, sem compromisso com o “bem geral do povo”, sem integridade e sem “independência”.
    Quem vai levar um deputado fresquinho ?
    Quem dá mais?
    Pagou …levou!
    Abc

  • Alex Wie

    Impressionante se juntar tudo, não dá nem um neurônio

  • Márcio Almeida

    Não há como deixar de lembrar o grande sucesso do saudoso Dicró: “Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão…”

  • marize

    Só rindo. Rindo muiiiiiiiito.

  • Trovão

    Isso é, simplesmente, vergonhoso, imoral, ver tantos ladrões, corruptos, marginais, bandidos, vendidos, quadrilheiros, que viraram´”políticos” fazendo essa tipo de promessa.
    O povo brasileiro reprova essa casa da prostituição em mais 80% e o povo tem provas para essa reprovação.
    Na Folha de São Paulo de hoje, está noticiado que, quase a totalidade da mesa da cãmara, responde a processos na justiça por diversos crimes cometidos e informa que, mais de 50% desses marginais, ladrões, bandidos, corruptos, estão na mesma situação com a justiça.
    Vamos esperar que a operação lava jato, lave esse esgoto imundo, conhecido como congresso, com a cassação dos corruptos da gangue do lulla X9.

  • Adelmo

    Setti. Sai prá vomitar quando o senador Renan Calheiros em seu discurso falou em senado independente. Esse calhorda me dá nojo quando abre a boca prá falar. Não se acredita numa só palavra que ele pronuncia. Vaquinha de presépio. Espero que a Lava Jato varra este bandido safado do congresso. Me desculpe o jeito, mas o nordeste, além de dar mais um mandato a terrorista, produziu esta figura bizarra, corrupta e nefasta.
    Nós não merecemos isto aí.

  • Adelmo

    Segundo o que me falou um deputado. Na hora do juramento sumiu 6 carteiras. Surrupiadas enquanto alguns deputados estavam com as mãos levantadas. A policia está analisando as imagens prá ver se descobre os meliantes. kkkkk.
    Setti. Me desculpe, mas olhando esta imagem dos caras em juramento, tenho vontade de rir.

  • Vaulber B. Pellegrini

    – Prometo manter, defender e cumprir a (MINHA) Constituição, observar as (MINHAS) leis, promover o bem geral do (MEU) povo e sustentar as (MINHAS) uniÕES, a (MINHA) integridade e a (MINHA) independência do Brasil.

  • Paulo Marcelo Farias Moreira

    Será que alguém arrecadaria qualquer quantia naquela ocasião?
    Alguém teria coragem de levar dinheiro?
    Pela fama de nossos políticos acho que todos estavam com os bolsos lisos com medo de serem roubados.

  • Mery Nishiyama

    “– Prometo manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro e sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil.”

    Tenho observado com crescente tristeza que as 777palavras estão a cada dia com menos valor significativo.
    As pessoas perderam em absoluto tanto a vergonha quanto a importância de ponderar.
    Acontece que sou uma moça que preso as palavras como o meio de comunicação mais supremo.
    Me recordo de pessoas mais velhas me dizendo que viveram em tempos nem tão remotos assim, onde um compromisso era honrado com a promessa de cumprimento das partes apenas com palavras.
    Futilizaram o diálogo falado, e, num ritmo vertiginoso.
    “Raríssima a pessoa que se consegue conhecer pelo que a mesma diz ou escreve.
    Agora, não raro são ignomínias impiedosas que podem levar a desgraça física e emocional aquele em que nelas acreditam, como:
    “Eu te amo.”
    “Eu prometo.”
    “Eu juro.”
    O que quer dizer de fato?
    “Eu concordo. Eu discordo.” Essas sem justificativas são tão evasivas que beira a indiferença ou a ignorância.
    Sou leiga em tantas coisas, isso para ser no mínimo eufêmica, mas, não me envergonho por admitir e perguntar; Afinal de contas é assim que vou descobrindo o caminho das pedras.
    No entanto, confiança na palavra alheia é algo de que desde muito cedo fui induzida a me proteger.
    Só exijo dos outros, aquilo que posso dar.
    Sou o que penso e o que digo, nada a mais nem a menos…

  • zoiudo

    Nao cabe mais HIPOCRISIA no Congresso por pura falta de espaço!!!!!!!

  • Ronaldo força

    Se na hora do juramento passasse uma ambulância com a sirene ligada, mais da metade correria pensando que era a polícia. Seria um tal de se esconder!