O assassino Battisti, prestes a publicar um livro, mora em “modesto apartamento” no Rio. Tadinho, não?

Battisti ao deixar a Penitenciária da Papuda, em Brasília: perto da prisão que deveria estar cumprindo na Itália, agora leva um vidão no Rio (Foto: VEJA)

O ex-terrorista italiano Cesare Battisti, condenado em todas as instâncias da Justiça italiana pelo assassinato de quatro pessoas nos anos 70, concedeu hoje entrevista a um portal da internet sobre sua nova situação.

Como se sabe, Battisti teve seu pedido de extradição para a Itália concedido pelo Supremo Tribunal Federal que, no entanto, deixou a decisão definitiva para o então presidente Lula. Sempre assessorado pelo então ministro da Justiça, Tarso Genro — de quem Augusto Nunes costuma dizer que tinha Battisti como seu “terrorista de estimação” –, Lula decidiu no último dia de seu governo premiar o assassino com abrigo no Brasil, deixando a bomba da repercussão para estourar no colo da presidente Dilma.

Enquanto aguardava a decisão do Supremo, Battisti esteve preso por quatro anos, primeiro na Polícia Federal e, depois, na Penitenciária da Papuda, em Brasília. Foi libertado em junho passado.

Depois de passar uma temporada numa casa de veraneio no litoral paulista, emprestada por um dirigente sindical amigo, Battisti agora está morando no Rio, num apartamento emprestado pelo editor Evandro Martins Fontes, da editora Martins Fontes, que em breve lançará no mercado o livro de ficção que escreveu em francês e foi traduzido.

Battisti assegura que é muito bem tratado onde quer que vá: não paga cafezinho nem cerveja, porque “sempre aparece um amigo”, e até já fez amizade com integrantes do cordão carnavalesco do Bola Preta.

O apartamento, porém, é modesto, e veio sem móveis, que Battista aos poucos está comprando.

Perto, contudo, da cadeia dura que deveria estar cumprindo na Itália, decidida por tribunais de uma democracia — prisão perpétua, em regime de segurança máxima, que, lá, é de segurança máxima mesmo –, o ex-terrorista está levando um vidão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − oito =

30 Comentários

  • Luiz

    Bem que a Itália poderia mandar uns dois policiais e “sequestrá-lo”. Seria mais ou menos a mesma coisa que o Brasil fez com a Itália, recusando sua extradição.

  • Sergio

    Os meio de comunicações deveriam divulgar o nome de quem vai publicar o material mal cheiroso e aqueles que discordarem da maracutaia, nunca mais comprarem nada dela. Parece-me que será a Martins Fontes.Poderia confirmar?

    Está no texto, caro Sergio.
    Abraço

  • Think tank

    Coitadinho do Batistti, daqui a pouco vai acontecer como fez o “nosso” Ronald Biggs, vai preferir a prisão na Inglaterra que liberdade no Brasil.

  • G. Carvalho

    Quando me confidenciaram que o Brasil estava muito interessado em recrutar um italiano famoso, julguei que se tratasse de um físico de altíssimo coturno, o qual, soube depois, deixaria a Itália por um emprego bem melhor nos Estados Unidos. Perdemos, para concluir, o concurso profissional do cientista italiano.

  • Mari Labbate *44 Milhões*

    SETTI, o Brasil possui vários guerrilheiros famosos, envolvidos em terríveis crises éticas. O mencionado é “de estimação”, bem caracterizado pelo querido Augusto Nunes. Cesare Battisti, por onde caminha, espalha um rastro de sangue, na medida em que, a cada dia, envolve mais e mais pessoas, nessa trama diabólica de Poder. UM DIA A CASA CAI! Maravilhoso pensar que, quando cair um, os demais acompanharão na sequência, em um divertido Efeito Dominó! Os padrinhos do italiano distraído, principalmente: o senhor Lullinha, a Dona Letícia, a Dona Dilulla, Tarso Genro, Magno de Carvalho e Evandro Martins Fontes arrepender-se-ão muito, por terem feito escolhas tão erradas. Essa dívida leva séculos, para ser dissipada, no Universo! Concordo plenamente com o VIDÃO a que refere-se. Tenho total convicção de que essa festa macabra está com os seus dias contados, visto que Battisti retornará à Itália, para pagar pelo que deve e “seus amiguinhos” pelos crimes cometidos, pois NADA É PARA SEMPRE! Li, na Internet, que planejam retirar Cesare do Brasil, até o Carnaval… É verdade?

  • Octávio

    Olha só que belo projeto para o BNDES dos “cumpanhero”. Financiamento com juros subsidiados para o “ragazzo” comprar uma bela cobertura em Ipanema. Poderiam também colocar uns agentes federais para fazer a segurança dele. Assim não dá, deram asilo político sem “bolsa-terrorista”? Que coisa mais esculachada!

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Amigo Setti:
    Voce já conhece minha opinião – acredito na inocencia de Battisti.
    Na Italia dos anos de chumbo – o Estado de Direito não foi tão direito assim.Torturas e assassinatos cometidos pelo Estado Italiano são hoje fatos conhecidos.
    Os grupos que se levantaram contra o governo foram desbaratados, os da Direita sejamos honestos – tolerados e ate hoje o Ato Terrorista do Metro de Miláo misterio apesar das evidencias da Loja p2.
    Ocorrendo os crimes – sáo passados anos e nesses anos o Battisti nunca se envolveu em qualquer ato criminoso e hoje apenas um escritor.
    Deixar Battisti seguir sua vida pacata e as criticas somente em relacáo a sua obra literaria.
    Para que estimular opinióes raivosas como as abaixo, contra uma pessoa totalmente adaptada a vida pacifica sem representar nenhum perigo para a sociedade tanto do Brasil como a dos outros paises,inclusive da Italia?
    Grande abraco

    Caro e sempre lhano e cavalheiro Pedro Luiz,

    Você pensa de uma forma, eu de outra em relação a esse caso.

    Você acredita que Battisti seja inocente, eu o vejo como um assassino comprovado que está impune.

    Como jornalista, trabalhava na área de Internacional durante esse período negro da história da Itália e, portanto, não me considero mal informado.

    Na Itália pode ter havido excessos, mas o país combateu o terrorismo — inclusive o de direita, sim, apesar de haver infiltrações de organizações fascistas em seus órgãos de segurança — sem afastar-se do Estado de Direito e mergulhar nas trevas da ditadura, como ocorreu com tantos outros países ao longo da História.

    Por falar nisso, hoje um jovem leitor de 21 anos veio me questionar duramente sobre porque usei a expressão “trevas da ditadura” para referir-me ao regime militar que nos roubou, entre muitas outras coisas, 21 anos de liberdade, e em especial o período pós AI-5. Nem respondi. Adianta?

    Abração
    Pedro Luiz

  • wilson

    Próximas obras da Martins Fontes de Sangue:
    O Invalido Adolescente Tetraplégico – Um obstáculo
    a causa operária.
    Manuel de Guerrilha (Lamarca) com comentário e
    ponderaçoes de Batisti.
    O Terrorista Desamparado – Ente Incomprendido
    Carlos Chacal – O Romântico.
    Edition de Luxe em Rouge Urlant.
    Noite de Autógrafos no Matadouro Municipal !

  • Lia Fischer

    Que vergonha!!!Um país lotado de corruptos e importamos criminosos.Lugar de bandido é na cadeia e pra quem não sabe na década de 70 ,no país deste safado ai todo criminoso alegava ter virado bandido porque era contra o governo ou tinha uma “ideologia”. Matar é crime e não tem ideologia que explique isso.Brasileiro é um povo muito ingenuo mesmo, se esse infeliz se candidatar é capaz de se eleger..afinal só falta virar politico brasileiro pra completar o curriculo de uma carreira criminosa de peso.

  • a ITALIA deveria contactar o MOSSAD E ELIMINAR ESSA BARATA PREDATORIA.

  • Pedro Luiz Moreira lima

    Amigo Setti :
    Apenas discordamos mas cautelosamente vou me retirar do assunto – não quero ser confundido pelo Mossad como uma barata predatoria.
    Abração
    Pedro Luiz

  • Ismael

    Foi por essa razão que deixei de comprar livros na Martins do centro de SP, apesar de ser mais barata que outras livrarias. Ainda continuo porém a tomar um café lá, que aliás faz um dos melhores cafés do centro de Sampa.

  • selminha

    Setti, só espero não ter o desprazer de cruzar com o Battisti aqui no Leblon, bairro onde moro e que é local preferido de badalação dos famosos. Como sou baixinha abusada, é bom mesmo que ele não apareça na minha frente, pois vai ouvir o que não quer! Ele deveria estar apodrecendo na cadeia.

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Selminha:
    Para que?vai encontrar uma pessoa que não representa nenhuma ameaça a voce ou a outro qualquer.
    Caso, o que não acredito, tenha cometido tais crimes de que é acusado, já pagou e desde então sua vida é pacífica e o unico ganha pão são seus livros.
    Deixa Basttiti levar sua vida,ele não está ilegalmente no país,não “nada em dinheiro” fruto de roubos ou corrupção.
    Quer saber mais?sua agressão será recebida muito mal,ficará sozinha pois não haverá reação da parte dele e nem receberá solidariedades dos demais – vamos deixar o ódio para lá – 30anos (por aí) decorridos – você é resoluta da culpabilidade e outros como eu de sua inocencia – tudo foi tão discutido,debatido e acabou.Vamos seguir nossas vidas e Battisti a dele.
    Como dizia o John Lennon – Dê a paz uma chance.
    Feliz Natal e harmonia para voce e a todos.
    Pedro Luiz

  • duduvieira10

    Prezado Setti;
    O Governo do RS Sr. Tarso Genro ainda var dar um empregão para ele os gaúchos devem pagar a conta , assim como os irmãos da comunidade PTistas fizeram com aquele ex-padre das Farc, o Estado basileiros é mui bonzinho pra eles, lá, por qeu pra mim pago um monte de impostos e dou um duro de segunda a sábado . Ainda tá reclamando, Pra você ver, um vidão desse e o Cordão do Bola Preta ainda molha a sua mãos com aquelas mulatas maravilhosas!!

  • Corinthians

    Desculpe-me, apesar das ironias e de colocarem que isso se trata de matéria de opinião, discordo bravamente.
    Isso é um descalabro.
    Não culpo ninguém por achar Battisti inocente. Não culpo ninguém por achar que o estado de direito na Itália na época dos crimes não era realmente um estado de direito. Até por que isso em nada tem a ver com o caso Battisti.
    O governo brasileiro, especialmente o presidente Lulla, desrespeitou a decisão da justiça italiana de três instâncias de que Battisti é culpado. O ex-presidente Lulla, como não poderia deixar de ser e usando o último dia de seu mandato, o que dá mais vergonha, desrespeitou a decisão do STF brasileiro que dizia que ele deveria decidir de acordo com o tratado assinado entre Brasil e Itália. Lulla desrespeitou o tratado que previa a extradição.
    O governo petista desrespeitou as leis brasileiras ao dar visto de trabalho para Battisti, quando este foi condenado por usar passaporte falso para entrar no Brasil – e no Brasil, estrangeiros que cometem crimes não recebem visto de Trabalho.
    O pior de tudo é que já fomos acionados em Haia, e provavelmente seremos condenados.

  • Teresinha

    Além do livro o que será mais que Cesare Battisti anda fazendo, será consultoria por acaso?

  • Luiz Pereira

    Setti,

    Há quem “não acredite” nos crimes cometidos pelo Battisti… Vai ver o governo italiano resolveu iniciar um experimento kafkiano usando justamente esse comprovado assassino.
    O leitor que não “acredita” na culpabilidade de Battista crê entretanto nas asneiras de Amaury Jr. Ou seja, ele não dá crédito a um governo democrático, mas bota fichas na mesa e aposta num jornalista(?)processado por falsidade ideológica!
    Recomendo ao sr.Pedro Moreira Lima que leia o artigo de Merval Pereira – aliás, Setti, sugiro que vc o poste. Saiu em 18/12, ” A ficção do Amaury”.
    Nele, o jornalista da “grande mídia” analisa o livro e desconstrói com fatos e argumentos o texto de aluguel.
    Decerto o leitor Pedro acha que existem diferenças entre ditaduras e corrupções – pelo menos é o que passa em seus comentários que sempre objetivam defender o PT e suas ações.
    Para mim ao contrário, não existem matizações nesses assuntos. Uma ditadura de Pinochet e Videla é tão abjeta quanto a do incensado Fidel Castro.
    E os corruptos que existiram no governo FHC são tão corruptos quanto a malta que grassa desde que Lula e Dilma vem governando o país.
    Há no entanto uma grande diferença: com FHC a corrupção não era uma ação governamental destinada a perpetuação do poder. Isso ocorre hj, quando partidos detêm ministérios de porteira fechada e destinam verbas para ONG´s fuleiras que por sua vez o redirecionam para os cofres dos Orlando Silva, Lupis e Negromontes da vida. Lula já disse que quer estar no palanque para destruir a oposição – palavras dele. Como pode uma pessoa que pensa dessa forma desejar ser ao mesmo tempo um estadista?
    Esse “estadista” pôs em prática um inédito irrigamento de dinheiro nas contas de entidades como a UNE e sindicatos. Com isso desmoralizou essas entidades. A UNE assiste o mensalão (ele existiu, Pedro Moreira Lima?) e nada faz, não tuge nem muge, comprada por Lula.
    Isso é país com futuro? Que futuro?
    abs

  • Luiz Pereira

    Setti, aí vai o artigo do Merval. Espero que O Globo não me processe.
    abs

    POLÍTICA
    A ficção do Amaury
    Merval Pereira, O Globo

    O livro “Privataria tucana”, da Geração Editorial, de autoria de Amaury Ribeiro Jr, é um sucesso de propaganda política do chamado marketing viral, utilizando-se dos novos meios de comunicação e dos blogueiros chapa-branca para criar um clima de mistério em torno de suas denúncias supostamente bombásticas, baseadas em “documentos, muitos documentos”, como definiu um desses blogueiros em uma entrevista com o autor do livro.

    Disseminou-se a idéia de que a chamada “imprensa tradicional” não deu destaque ao livro, ao contrário do mundo da internet, para proteger o ex-candidato tucano à presidência José Serra, que é o centro das denúncias.

    Estariam os “jornalões” usando dois pesos e duas medidas em relação a Amaury Jr, pois enquanto acatam denúncias de bandidos contra o governo petista, alegam que ele está sendo processado e, portanto, não teria credibilidade?

    É justamente o contrário. A chamada “grande imprensa”, por ter mais responsabilidade que os blogueiros ditos independentes, mas que, na maioria, são sustentados pela verba oficial e fazem propaganda política, demorou mais a entrar no assunto, ou simplesmente não entrará, por que precisava analisar com tranqüilidade o livro para verificar se ele realmente acrescenta dados novos às denúncias sobre as privatizações, e se tem provas.

    Outros livros, como “O Chefe”, de Ivo Patarra, com acusações gravíssimas contra o governo de Lula, também não tiveram repercussão na “grande imprensa” e, por motivos óbvios, foram ignorados pela blogosfera chapa-branca.

    Desde que Pedro Collor denunciou as falcatruas de seu irmão presidente, há um padrão no comportamento da “grande imprensa”: as denúncias dos que participaram das falcatruas, sejam elas quais forem, têm a credibilidade do relato por dentro do crime.

    Deputado cassado e presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson desencadeou o escândalo do mensalão com o testemunho pessoal de quem esteve no centro das negociações, e transformou-se em um dos 38 réus do processo.

    O ex-secretário de governo Durval Barbosa detonou a maior crise política da história de Brasília, com denúncias e gravações que culminaram com a prisão do então governador José Roberto Arruda e vários políticos.

    E por aí vai. Já Amaury Ribeiro Jr. foi indiciado pela Polícia Federal por quatro crimes: violação de sigilo fiscal, corrupção ativa, uso de documentos falsos e oferta de vantagem a testemunha, tendo participado, como membro da equipe de campanha da candidata do PT, de atos contra o adversário tucano.

    O livro, portanto, continua sendo parte da sua atividade como propagandista da campanha petista e, evidentemente, tem pouca credibilidade na origem.

    Na sua versão no livro, Amaury jura que não havia intenção de fazer dossiês contra Serra, que foi contratado “apenas” para descobrir vazamentos internos e usou seus contatos policiais para a tarefa que, convenhamos, conforme descrita pelo próprio, não tem nada de jornalística.

    Ele alega que a turma paulista de Rui Falcão (presidente do PT) e Palocci queria tirar os mineiros ligados a Fernando Pimentel da campanha, e acabou criando uma versão distorcida dos fatos.

    No caso da quebra de sigilo de tucanos, na Receita de Mauá, Amaury diz que o despachante que o acusou de ter encomendado o serviço mentiu por pressão de policiais federais amigos de José Serra.

    Enfim, Amaury Ribeiro Jr, tem que se explicar antes de denunciar outros, o que também enfraquece sua posição.

    Ele e seus apoiadores ressaltam sempre que 1/3 do livro é composto de documentos, para dar apoio às denúncias.

    Mas se os documentos, como dizem, são todos oficiais e estão nos cartórios e juntas comerciais, imaginar que revelem crimes contra o patrimônio público é ingenuidade ou má-fé.

    Que trapaceiro registra seus trambiques em cartórios?

    Há, a começar pela escolha do título – Privataria Tucana – uma tomada de posição política do autor contra as privatizações.

    E a maneira como descreve as transações financeiras mostra que Amaury Ribeiro Jr. se alinha aos que consideram que ter uma conta em paraíso fiscal é crime, especialmente se for no Caribe, e que a legislação de remessa de dinheiro para o exterior feita pelo Banco Central à época do governo Fernando Henrique favorece a lavagem de dinheiro e a evasão de divisas.

    É um ponto de vista como outro qualquer e ele tenta por todas as maneiras mostrar isso, sem, no entanto, conseguir montar um quadro factual que comprove suas certezas.

    Vários personagens, a maioria ligada a Serra, abrem e fecham empresas em paraísos fiscais, com o objetivo, segundo ilações do autor, de lavar dinheiro proveniente das privatizações e internalizá-lo legalmente no País.

    Acontece que passados 17 anos do primeiro governo de Fernando Henrique Cardoso, e estando o PT no poder há 9 anos, não houve um movimento para rever as privatizações.

    E os julgamentos de processos contra os dirigentes da época das privatizações não dão sustentação às críticas e às acusações de “improbidade administrativa” na privatização da Telebrás.

    A decisão nº 765/99 do Plenário do Tribunal de Contas da União concluiu que, além de não haver qualquer irregularidade no processo, os responsáveis “não visavam favorecer em particular o consórcio composto pelo Banco Opportunity e pela Itália Telecom, mas favorecer a competitividade do leilão da Tele Norte Leste S/A, objetivando um melhor resultado para o erário na desestatização dessa empresa”.

    Também o Ministério Público de Brasília foi derrotado e, no recurso, o Tribunal Regional Federal do Distrito Federal decidiu, através do juiz Tourinho Neto, não apenas acatar a decisão do TCU mas afirmar que “não restaram provadas as nulidades levantadas no processo licitatório de privatização do Sistema Telebrás. Da mesma forma, não está demonstrada a má-fé, premissa do ato ilegal e ímprobo, para impor-se uma condenação aos réus.

    Também não se vislumbrou ofensa aos princípios constitucionais da Administração Pública para configurar a improbidade administrativa.”.

    O livro de Amaury Ribeiro Jr. está em sexto lugar na lista dos mais vendidos de “não-ficção”. Talvez tivesse mais sucesso ainda se estivesse na lista de “ficção”.

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Amigo Luiz Pereira:
    Existem vertentes no processo de Battisti ´não tomei opinião assim no escuro – li os argumentos da defesa e da acusação,amigo para mim os da defesa foram mais convicentes.
    O Setti, grande sujeito, pensa diferente de mim e nem por isto nos cobramos,apenas visões diferentes do que ocorreu no processo,esqueci o mesmo ocorre com o Corintiano não cobra a minha opinião e sim critica a postura do governo em relação ao asilo.
    O acontecido já tem por volta de 30 anos,custo alto pagou o povo italiano.Battisti largou a luta armada,passou a ser escritor e uma vida pacífica sem representar nenhum perigo para qualquer sociedade – deixar Battisti viver em paz no Brasil,não peço simpatias mais o fim da beligerancia – concorda?
    Quanto ao livro Privataria Tucana, o mesmo ocorre com o Setti tem uma visão diferente de mim e assim como o Merval – e dái?é apenas divergencias e e sem a divergencia – Deus nos Livre! é a Ditadura!
    o Grande debate está agora no Congresso e espero que a CPI da Privataria Tucana vá adiante e sem acordão – e devemos cobrar!chega de “Cidadão Acima de Qualquer Suspeita”seja parlamentar,banqueiro,industrial,donos de jornais,radios e televisões,padres,pastores,juizes,militares… que se escondem sempre no tal “Segredo de Justiça.”
    Numa CPI não haverá como silenciar – e nós saberemos as verdades e mentiras ao vivo e sem manipulações.
    Grande abraço
    Pedro Luiz

  • selminha

    Pedro Luiz Moreira Lima:
    Quem não aprende com a história está condenado a repeti-la, não importa se são 30 ou 3 anos. Battisti é um terrorista e não pagou pelos seus crimes – 4 assassinatos – fugiu!!! Se você quer mesmo dar chance à paz, como Lennon prega em Imagine, não pode condescender com atos violentos.
    A propósito, se eu encontrar com o italiano aqui pelo Leblon e vaiá-lo, pode ter certeza que muita gente vai apoiar-me e vaiar junto. Meus vizinhos de bairro são bastante esclarecidos e não perdem nunca a capacidade de indignação, felizmente. Vivemos bem e felizes com a nossa consciência. Respeito o seu ponto de vista, mas lamento, como o de alguns bons amigos que tenho. Fazer o quê?
    Um Feliz Natal e ótimo 2012 para você.

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Amiga Seliminha:
    Tudo bem – pode vaiá-lo longe de mim impedir mas o termo Terrorista não acha forte demais?
    Não fugiu exilou-se durnate 10 anos na França no Governo do Predidente Miterrant.
    Na França administrou uma livraria e autor de varios livros – com bom aceite da crítica.
    Cassado seu exílio na França – correu o mundo: México e agora Brasil – sem cometer crimes ou quaisquer atos de violencia.
    Aqui ficou 4 anos preso,sem família – agora é um asilado politico,acha justo ainda denominá-lo de Terrorista?
    Era um rapaz por volta dos 20,hoje aos 50 levando uma vida pacífica,escrevendo e querendo levar uma vida de paz.
    Vamos deixá-lo encontrar essa PAZ.
    Feliz Natal e sei que 2012 será maravilhoso para todos nós brasileiros.
    Paz e Amor
    Pedro Luiz

  • Luiz Pereira

    Pedro,

    Vc quer dizer que leu o processo para se inteirar? Em italiano?
    Battisti matou. Há um post no blog do Reinaldo Azevedo onde está descrito os requintes de crueldade empregados no assassínio. Se tiver tempo e paciência, vareje que vai achar.
    Repetindo, Battisti matou. Matou e fugiu. Foi julgado à revelia em um estado democrático. A França não lhe deu asilo.
    Veio para o Brasil e aqui encontrou o paraíso, abrigado no generoso colo petista.
    Só para efeito de ilação: se ao invés de ser um terrorista de esquerda, fosse de direita, digamos, alguém que tivesse feito a mesma coisa em Cuba, o que vc imagina que o Ministro Tarso Genro teria feito? Vc tem dúvidas de que Battisti já estaria puxando cana em Cuba?
    Não tenha dúvida. O Brasil mandou 2 pugilistas cubanos de volta, jovens que haviam solicitado asilo.
    Battisti é um criminoso. Seu crime não está prescrito na Itália. A sociedade italiana reagiu em peso contra a decisão brasileira.
    Vc tem filha? Gostaria que esse monstro fosse seu vizinho? Duvido. Então, não julgue quem não o quer por perto.
    Carlos, o Chacal, também tinha uma causa. Só matou mais gente. É de esquerda. Se tivesse vindo para o Brasil também estaria solto. E quem sabe, contando com sua compreensão…
    Mas Battisti, ia me esquecendo, passou “para uma vida pacífica”. Oh! Como vc é doce, meu caro Moreira Lima! Se vc realmente tiver uma filha, deve ser seu sonho ter um “pacífico” como Battisti como genro.
    Partindo de tal raciocínio, vc, Pedro, pode ser roubado, estuprado, vilipendiado e sofrer todo o rosário de crimes que não tem problema para seus algozes: todos eles em 30 anos serão por vc perdoados. Claro, se tiverem se tornado “pacíficos”.
    Como diria o Ancelmo Góis, vc é um fofo, Pedro Moreira Lima.
    Posso te chamar de Liminha?
    Então vamos ao rato – quer dizer, ao Amaury. Liminha, vc acha mesmo que um sujeito que tem 4 indiciamentos na PF tem algum calibre moral para escrever justamente sobre temas pelos quais é processado?
    As tais “provas” já estavam registradas em cartória há anos. Por quê não foram usadas na campanha? Porque não provam nada. E essa mão na cumbuca nem o PT quis enfiar. Mandou um pistoleiro a soldo escrever um livro. Que vem sendo comprado por pessoas que buscam uma revanche para o mensalão.
    Aliás, Pedrinho, vc não me respondeu: vc acha que o Mensalão existiu?
    Vc que gosta de ver grana em paraísos fiscais, acreditou no Duda Mendonça quando ele afirmou ter recebido tudo por lá?
    Façam-se as duas CPIs, a da privatização e ao do Mensalão?
    Concordo com vc, chega de cidadão acima de qualquer suspeita. Vá adiante, diga ao Lula que o sarney não pode ser acima de ninguém.
    Moreirinha (somos íntimos, né? Vc assim decretou ao me chamar de amigo)vá mais além: pegue o Roberto Teixeira e Paulo Okamoto e pergunte-lhes sobre a verdadeira evolução patrimonial do Lula.

    Pedro, o Setti é probo e um lorde. Por isso ele discorda de vc, apenas.
    Se vc escrevesse suas observações no blog do Augusto, já lhe teria sido prescrita uma surra de rabo-de-tatu para ver se vc cria juízo, menino!
    E vc teria de perdoar o Augusto, se ele daqui a 30 anos se tornasse “pacífico”.
    Pedro Luiz Moreira Lima, não é que vc é mesmo um fofo!!!
    abs

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Ô Luiz Pereira:
    O processo do Battisti – foi amplamente divulgado em artigos,reportagens e debates entre defesa e acusação em todos os jornais e revistas do Brasil.
    Foi na imprensa do Brasil que foi formada minha opinião.
    Em outra opinião minha aqui,disse que estou otimista com a ano de 2112 – A Comissáo da Verdade,A CPI da Privataria Tucana(e o nome que esta se dando a CPI) e finalmnte o julgamento dos Mensaleiros pelo STF e tudo isso ao vivo,sem segredo de justica e manipulacáo – ao vivo!dai meu otimismo.
    Ja dei opiniáo no Augusto Nunes,nunca fui agredido por ele e nem impedido de expor minha opiniáo,confesso que pouco entro la – principalmente pelas respostas agressivas dos seus frequentadores.
    Voce me faz perguntaas sobre Cuba,Direita x Esquerda,Chacal, coloca familia,no caso minha filha.
    Usa de ironia e deboche – me chamando de Pedrinho,sim tem gente que me chama assim mas por carinho.
    Náo sou intimo seu e nada posso impedir voce me chamar de Pedrinho,Moreirinha ou Liminha,FOFO – chamei-o de AMIGO – foi questáo de civilidade,festas natalinas e sermos companheiros da coluna do Setti,nunca ironia ou deboche,caso tenha interpretado assim minhas desculpas.
    Náo vejo como trocar ideias,opinióes com voce – sua agressividade impede.Qualquer que seja minha opiniáo, sua resposta sera pela violencia verbal – o deboche e uma delas.
    Dizer uma coisa, Luiz Pereira, procura se interar mais da coluna do Setti – existe aqui um espaco de respeito a opinióes contrarias,sem duvida que ocorre aqui e ali umas faiscas e [e normal.
    Em relacáo a voce,sinto muito,náo ha dialogo – náo que eu náo deseja. E a sua total incapacidade de dialogar – nao e pelo deboche e agressáo que me fara rever ponto de vistas.
    De qualquer maneira – Boas Festa e um Feliz Ano Novo.
    Pedro Luiz

  • Luiz Pereira

    Pedro, boa noite,
    Concordo com vc, usei de ironia na resposta. Mas convenhamos, vc começou. Podemos discutir pontos de vista. Mas tem certas coisas que é impossível.
    Se alguém te assalta, ou me assalta, é um ladrão. Se um político superfatura uma obra ou aceita vantagem indevida sob qualquer pretexto, é um corrupto. E não adianta a Ministra Gleisi Hoffman desejar relativizar as coisas como fez no caso Palocci, onde candidamente doutrinou que o ex-ministro havia obtido dinheiro para si, não para o partido. Como se roubar para o partido fosse mais aceitável que para si próprio.
    Da mesma forma, um indivíduo que mata 4 pessoas é um assassino. Esqueça-se por enquanto que ele era um ativista atuando numa célula que tinha como objetivo lutar contra um estado democrático.
    Battisti matou. Não foi crime político? Foi crime político? É terrorista, não é terrorista? Pouco importa. Há uma sentença imprescrita contra sua pessoa evadida.
    Aí, vc diz que ele hj é uma pessoa “pacífica” e faz citações de paz e amor. Até onde posso deduzir – e o fiz, isso é deboche, ironia, ou o que queira. Segui no mesmo tom, versão 2.0.
    Ronald Biggs roubou o Trem Pagador e veio para o Brasil. Se deu muito bem por aqui, teve filho e foi ficando. Se tornou menos ladrão por isso?
    Mas há um detalhe: o asilo não foi concedido a Battisti por nenhuma outra razão a não ser o fato de ser ele um militante de esquerda.
    Nosso ex-onano-ministro Genro – o mesmo que deportou dois jovens boxeadores cubanos que haviam solicitado asilo durante o Pan – teve isso em mira: o fato de ser Battisti uma pessoa de afinidades ideológicas com ele.
    A Itália é um estado democrático de direito. Recorreu a Haia. Provavelmente não sairemos bem na fita por lá.
    Não gostaria de ter esse assassino por perto. Não sabia que vc tinha uma filha – fiz uma suposição. Eu tenho uma. Ficaria incomodado se esse verme fosse meu vizinho. Tanto quanto Pimenta Neves. Battisti matou sadicamente quatro pessoas. Pimenta Neves, covardemente matou pelas costas. Vc realmente os quereria por perto? E no entanto, olhando o ar compungido de Pimenta Neves vc não poderia dizer que ele é um arrependido? Só que não basta se arrepender quando a coisa é desse quilate. É preciso pagar a pena.
    Aceito o contraditório. Mas não tenho paciência para discutir se o Sol é quente ou frio. Do mesmo modo, um assassino é um assassino. Um ladrão é um ladrão. Um corrupto é um corrupto.
    Logicamente aceito que vc diga houve trampa nas privatizações. Mas até FHC reconhece que houve corrupção em seu governo!
    O que não invalida as privatizações, do meu modo de ver. As siderúrgicas, teles, a Vale, não tinham competitividade. Penalizavam o contribuinte duplamente, seja drenando recursos do Erário, seja não oferecendo serviço de qualidade.
    Mas obviamente que vc pode discordar. E nesse caso a discussão poderá ser boa. Eu acho que a LRF é boa. Que o Plano Real foi bom. Acho que o controle sobre a mídia que o PT deseja levar adiante é tenebroso.
    Vc pode achar democraticamente que não e poderemos discutir sem ranhuras sobre isso.
    Porém, no momento em que vc se municia de um jornalista com 4 processos por estar envolvido em dossies e que tais, e acha que o livro que ele despejou no mercado é uma fonte confiável, então periga vc ficar à deriva nos seus argumentos. Se as tais provas fossem tão boas, e rodando a tanto tempo por aí, repito a pergunta feita no post anterior, pq não foram usadas contra o Serra na campanha?
    Logo o PT, um partido que fabrica dossies não quis delas se utilizar? Esquisito, não?
    O partido da vidraça da hora é o PT. Esse partido dizia não roubar nem deixar roubar. Balela, já se sabia. O que não se imaginava é que seria a fonte do maior esquema de corrupção da história de todos os tempos nesse país.
    A forma de subverter a democracia de modo subliminar (às vezes nem tanto) como vem fazendo o PT, e o cinismo como lidam quando para variar o rei fica nú é enojante. Vide a presidente Dilma quando diz não se interessar pelo “antes” do Fernando Pimentel.
    Na Alemanha dos anos 30 um tal de Adolf usou a democracia para montar, segundo Churchill, um regime que tinha “as luzes de uma ciência pervertida”.
    Chavez vem fazendo o mesmo, Cristina K vai botando as mangas de fora. Eu não quero isso por aqui. Vc tem o direito de pensar o contrário. Mas aí talvez eu já não ache graça no contraditório. O contraditório não deve ameaçar a democracia.
    No mais, se vc achar que o PT não é corrupto, que o Lula é o máximo, que as privatizações foram um atraso, que o FHC foi uma bomba (e ao inventar a reeleição foi mesmo), que o sarney é genial, tudo isso e muito mais podemos discordar sem ironias.
    Mas toda vez que vc chamar um assassino de ser pacífico e que ele quer paz e amor, vou achar que vc está de deboche.
    Para vc também Feliz Natal e Feliz 2012.

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Luiz Pereira:
    Quando enviei o PAZ e AMOR não foi por ironia,foi um simbolismo forte dos anos 70 – quando tantos sonhavam com um mundo mais humano e digno.Continuo no mesmo sonho.
    Como disse e reafirmo o caso do Battisti foi amplamnente divulgado na Imprensa do Brasil,entrevistas com advogados de acusação e de defesa – para voce e muitos Battisti é culpado, para mim e muitos inocente.No meu caso mesmo sendo leigo em Direito,a acusação não foi suficientemente clara nos argumentos da defesa,não se trata de ser Direita x Esquerda,trata-se da condenação de um homem e para mim inocente.
    Na propria Italia diversos juristas italianos,não vou citar,só consultando os jornais da época, colocaram a decisão do Tribunal muito mais como uma decisão política do que uma decisão de Justiça.
    A ida ao Tribunal de Haia, é uma decisão soberana do governo e do Povo Italiano,não sei se já ocorreu ou ainda ocorrerá,de qualquer maneira haverá novamente acusação e defesa,quem sabe que dessa os promotores me convençam.
    O tempo da guerra civil italiana tem mais de 30 anos – não sei se ainda existem presos dessa época se foram anistiados ou cumpriram as penas.
    Vejo Battisti um cara que relegou a luta armada e faz críticas as decisões quando jovem.
    Durante todo esse tempo,tornou-se escritor e nada consta contra ele de crimes ou de filiação a organizações terroristas.
    Tem-se comportado no Brasil de maneira sóbria,
    não se expõe e longe de querer ser uma celebridade,única atividade continuar escrevendo.
    Não me sinto nenhum pouco ameaçado por ele,não o vejo como um assassino frio e cruel, caso voce sinta – ao vê-lo se afaste.
    Quanto ao Palloci,lutadores cubanos,Ronald Biggs,Pimenta Neves são assuntos individuais e cada caso sua particularidades.O Post do Setti é sobre Battisti e é essa a minha opinião.
    Dei uma sugestão ao Setti de convidar pessoas de grande conhecimento no assunto do Estado ser gestor de empresas ou ceder a inciativa privada.O debate ser acima de partidarismo,um debate que seja educacional e aprendizado de nossa parte.
    O ano de 2012 será uma ano de grande agitação para o Povo Brasileiro, A CPI da Privataria,A Comissão da Verdade e o julgamento dos Mensaleiros,será ao VIVO,sem o Segredo de Justiça – como diria a Emília do Monteiro Lobato – “Ali na batata!”
    Tenho a convicção – dessa vez passaremos realmente o país a limpo.
    Terminando – não uso do deboche – considero Battisti no momento que abandonou a luta armada,passou a usar a caneta para expor suas idéia e opiniões,considero Battisti assim como eu – uma pessoa comum e sem perigo para qualquer sociedade.
    Feliz Natal para voce,Setti e todos que participam do seu espaço democratico.
    Pedro Luiz

  • Luiz Pereira

    Pedro, boa noite,

    Ninguém que fosse seguidor do Flower Power pegava em armas para chegar a um mundo mais humano e digno, como vc disse.
    Ao contrário, quem se artilhava e queria uma revolução achava esse movimento de paz e amor uma coisa bem burguesa, tal como a democracia. Nossa presidente não foi para a clandestinidade como tantos outros. Esses outros que, pregando àquela época o uso de armas para mudar o regime e implantar outro, mais totalitarista ainda, hj pedem indenização ao Estado. Ou seja, tentaram derrubar um regime e se deram mal. Uns foram exilados, outros mortos, muitos mais torturados. Mas é a regra do jogo. Perderam. O lado que ganhou não era melhor. Agora querem ser indenizados. Como diz o Millor, “achava que queriam fazer uma revolução, não que estavam fazendo um investimento”. Coisas do Brasil.
    Voltando ao Battisti, mantenho meu ponto-de-vista: quem mata tem de pagar a pena devida. Ninguém mata por paz e amor. A Itália solicitou sua extradição. O Brasil aqui o mantem não por crer que Battisti seja inocente. Nada disso. O que o mantem aqui foi a identidade ideológica do facínora com Tarso Genro. Se ele fosse da P-2, que vc citou, tenha certeza de que já estava na Itália faz tempo.
    Critico sua posição de achar que uma pessoa que cometeu um delito pode escapar de sua pena apenas se arrependendo, seja lá o tempo que dure esse arrependimento.
    Recordar essa frase da Emília é voltar no tempo, e ela era mesmo porreta. Mas não vai sair CPI alguma. Ninguém quer – governo e oposição. E o julgamento dos mensaleiros está indo pro brejo…
    Bom 2012!
    abs

  • Evandro Martins Fontes

    Se eu cometi algum erro de informação no post, você me fará um favor se me corrigir, fundamentadamente.

    Publicarei uma retificação aqui, como sempre faço, jornalista ético que sou.

    Mas não publico comentários ofensivos como o seu.

    Passar bem.

  • Evandro Martins Fontes

    O que você acha de mim nem se compara ao que penso de você.

  • Evandro Martins Fontes

    Setti
    O que você pensa pouco me importa.

    Posso dizer o mesmo sobre você.