Amigos do blog, pensei que a novela Tiririca tinha acabado, mas não.

O desembargador Walter de Almeida Guilherme, presidente do TRE de São Paulo, que assistiu ao teste sobre se o deputado eleito pelo PR é ou não alfabetizado, repassou a decisão em última instância ao colega Aloízio Rezende Silveira, juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo.

Leia aqui.

E não terminou também porque testemunhas do caso ainda estão sendo ouvidas no TRE.

A decisão do juiz, informou o TRE ao repórter do site de VEJA Bruno Abbud, não tem prazo para ser publicada.

Deus do céu, não imaginava que era tão complicado ver se alguém sabe ou não ler e escrever.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 1 =

Nenhum comentário

Brunna em 16 de dezembro de 2010

Depois da ***** do lula, o Tiririca será até que bom para o país!

Brunna em 16 de dezembro de 2010

Depois da ***** do lula, o Tiririca será até que bom pro país!

Rubem NETO em 13 de novembro de 2010

É ridícula toda essa pressão e cima do Tiririca! É a prova de que vivemos em um país hipócrita! O interessante é que para votar é aceito ser analfabeto, mas para assumir um cargo po´tico não se aceita. Seria por acaso...? "É perigoso" somente pessoas alfabetizadas votarem, acso contrário não daria para formar os currais eleitorais! Tirar Tiririca seria ir contra a Constituição Federal, afinal foram mais de um milhão de votos e não mil: Tiririca foi eleito de forma justa pelo Povo!Por isso, caso façam a sujeira de impedir sua posse, a Constituição estará sendo violada por dizer que "o poder emana do Povo e para o Povo"! Tiririca, abestado, entra com uma ADI!!!

Robinson em 12 de novembro de 2010

Não sei a razão de tanta celeuma com essa questão do Tiririca ser ou não diplomado. Mais de um milhão de eleitores votaram nele ! Temos que respeitar ! Democracia é isso ! Afinal, com a palhaçada que temos visto lá em Brasília, melhor deixar na mão de um profissional !! hehehe

Blindado em 12 de novembro de 2010

Tiririca encarna o grito de protesto do brasileiro ao "Status Quo" da política e políticos no Brasil. Engraçado, é ver um "promotor da justiça" que usa brinquinho de viado na orelha esquerda, tentar roubar a vaga do Tiririca para o ladrão Inocêncio. Pobre justiça...

Léo A.Mittaraquis em 12 de novembro de 2010

Caro Ricardo, Quando "comentadores" dizem que Tiririca preenche todos os requisitos legais para ser diplomado e representar a sociedade brasileira,sou levado a desistir do pranto. Talvez seja mais saudável nietzscheanamente rir,rir e rir. Com sicera admiração (por você, não pelo "comentarista" - faz-se necessário esclarecer), Afetuso abraço

Bruno em 12 de novembro de 2010

Prezadoum Setti, nem em um livro do grande Kafka poderia produzir uma ficçáo como esta. Será que estou ficando louco. Mobilizaçao de um poder judiciário discutindo provas, testes, testemunhas para saber se o eleito é ou náo analfabeto. E daí que importancia tem isto. Entáo se ele saber desenhar o seu nome ele é preparado para o Congresso Nacional. Isto é loucura.... Eu náo acredito que isto é tema de discussáo..... náo dá para levar este país a sério... Como explicar isto para um estrangeiro.....

Wilson Alves em 12 de novembro de 2010

Senhor Ricardo Setti, veja que interessante contradição: "Muita gente duvidava, mas Tiririca, o deputado mais votado do país, mostrou que sabe ler e escrever. Pelo menos o suficiente para passar no teste simples a que foi submetido. Muita gente pediu para ver o diploma de economista de José Serra. Mas ficaram sem ver. Aliás, José Serra dizia que também tinha diploma de engenheiro. Com o passar do tempo, não tocou mais no assunto e nada ficou provado." (por Helena) Tudo bem, normal, nós paulistas vamos nos orgulhando de ser um povo bastante educado, culto e politizado...

evandro condé de lima em 12 de novembro de 2010

Por que não sermos equanimes e exigirmos igual teste para TODOS os eleitos? Não seria mais justo? Afinal basearmos em que que todos sabem ler e escrever?

Jose Fernando em 12 de novembro de 2010

Tá explicado! Agora entendi porque os jornais estao contaminados por essa praga. Vejam a definição de tiririca. Tiririca, junça ou barba-de-bode, é uma planta pequena, de rápido desenvolvimento, pertencente à família Cyperaceae, e ao gênero Cyperus. Produz pequenos tubérculos de alto poder regenerativo (um único tubérculo cortado pode dar origem a várias plantas) ricos em fitormônios, sendo usado inclusive na produção de mudas de outras plantas por estaqueamento. É uma erva daninha de difícil controle no campo (e nos jornais), quer seja por controle mecânico (capinas) ou mesmo por herbicidas.

Jose Fernando em 12 de novembro de 2010

Para evitar tiriricas, beba Shakespeare, ou "ser ou não ser analfabeto!" Caro Ricardo, nunca vi tanta tiririca no noticiário, como tem ocorrido ultimamente. Porem o que mais me chama a atenção é dificuldade que estamos encontrando para determinar uma simples questâo: Afinal de contas, Tiririca é ou não é alfabetizado? Como podemos acreditar em dados sobre alfabetização de um país que está há meses tentando desvendar o mistério sobre um único caso questionado? Tiririca, por favor, acabe logo com essa palhaçada e na próxima audiência, revele sua indignação causada por todos os que não enxergam em você, um doutor das letras. Reproduza o que fez Hamlet, príncipe da Dinamarca, ao relatar sua dor e sofrimento quando descobre as ações de seu tio para possuir o trono da Dinamarca. Vai, Tiririca, e mostra ao mundo quem tu és. Ahn? quem é esse "abestado" de quem eu tô falando? Bem, sobre isso falamos outra hora. Por ora, shakespeare neles! "Ser ou não ser, eis a questão: será mais nobre Em nosso espírito sofrer pedras e setas Com que a Fortuna, enfurecida, nos alveja, Ou insurgir-nos contra um mar de provações E em luta pôr-lhes fim? Morrer.. dormir: não mais. Dizer que rematamos com um sono a angústia E as mil pelejas naturais-herança do homem: Morrer para dormir... é uma consumação Que bem merece e desejamos com fervor. Dormir... Talvez sonhar: eis onde surge o obstáculo: Pois quando livres do tumulto da existência, No repouso da morte o sonho que tenhamos Devem fazer-nos hesitar: eis a suspeita Que impõe tão longa vida aos nossos infortúnios. Quem sofreria os relhos e a irrisão do mundo, O agravo do opressor, a afronta do orgulhoso, Toda a lancinação do mal-prezado amor, A insolência oficial, as dilações da lei, Os doestos que dos nulos têm de suportar O mérito paciente, quem o sofreria, Quando alcançasse a mais perfeita quitação Com a ponta de um punhal? Quem levaria fardos, Gemendo e suando sob a vida fatigante, Se o receio de alguma coisa após a morte, –Essa região desconhecida cujas raias Jamais viajante algum atravessou de volta – Não nos pusesse a voar para outros, não sabidos? O pensamento assim nos acovarda, e assim É que se cobre a tez normal da decisão Com o tom pálido e enfermo da melancolia; E desde que nos prendam tais cogitações, Empresas de alto escopo e que bem alto planam Desviam-se de rumo e cessam até mesmo De se chamar ação."

Everaldo em 12 de novembro de 2010

O pai dos pobres e mãe dos ricos (Lula) e sua criatura (Dilma), também farão os testes? Porque só o Tiririca.

sinisorsa em 12 de novembro de 2010

"E, sim, a existência de um Tiririca com 1,3 milhão de votos é um SENHOR problema do Brasil, com tudo o que ele significa." Discordo totalmente de sua afirmação. Por favor me explique qual é o problema e o seu significado. Aliás, se o espancador de mulheres, Netinho de Paula, houvesse sido eleito, você também veria nisso um enorme problema? Há um quê de obsessão com Tiririca, não? Pois bem, acho que os auditores do BC, da Caixa, da Delloitte e da KPMG tem a obrigação de ser sentir muito envergonhados por serem os verdadeiros e incontestáveis anafalbetos, além de incapazes de somar 2+2. Infelizmente, esses senhores, muito provavelmente, se sentem superiores ao Tiririca e arrotam um "I'm not him!" Lêdo engano! O problema é a falta de consciência política de quem vota numa pessoa como o Tiririca, e a falta de caráter dos políticos que, para se elegerem às custas de pessoas com notoriedade, as utilizam sem constrangimentos, independentemente de que sejam ou não preparadas para exercer um mandato de deputado federal pelo maior estado da União.

Georgia em 11 de novembro de 2010

Mas ha tantas opcoes nesse "saber ler e escrever" ou "ser alfabetizado" 1.sabe escrever o nome,mas nao le 2. sabe ler de carreirinha, mas nao compreende o que le 3. sabe escrever so se for copia 4. entende palavras ditadas, mas nao sabe escrever 5. ouve uma estoria, resume com suas palavras e interpreta de outra maneira, etc etc etc Olha nao eh facil decidir o que venha a ser 'alfabetizado' Tai uma boa oportunidade para a valorizacao da profissao da PROFESSORA. Pensa que eh facil? Sei que não é, Geórgia, e fico indignado com isso. E você tem razão, não me parece fácil decidir o que venha a ser alfabetizado. Abraços

alvaro em 11 de novembro de 2010

Em um país em que o Ipea do PT considera de classe média famílias que têm rendimento de R$1.500,00 por mês, Tiririca poderia ser colega de José Ribamar na ABL.

Mauricio em 11 de novembro de 2010

Ricardo: Eu não votei no Tiririca, mas aceito a diplomação dele, pois preenche todos os requisitos legais para tanto. Ademais, o principal requisito: o VOTO POPULAR, não pode ser desprezado. Ele cumprirá o mandato conforme determina o entendimento médio? Sinceramente, eu não sei! Mas uma coisa eu sei: devemos respeitá-lo por ter conseguido o que muitos tentaram e não conseguiram (mais de 1,3 milhão de votos não é para qualquer um). Além disso, devemos respeitar os 1,3 milhão de eleitores que, por qualquer motivo, digitaram 2222 e confirmaram o voto. Isso é democracia. Certo ou errado? Deixe os eleitores do Tiririca decidiram na próxima eleição (se ele tentar se reeleger).

Marcus(MG) em 11 de novembro de 2010

Para ser justo o juiz deveria delegar um educador formado ou uma banca de educadores para analisar a situação,o problema Ricardo é que houve uma denúncia pelo jornalista que suspeitou que Tiririca era analfabeto,se ninguém tivesse denunciado passaria batido como muitos dos políticos no interior do Brasil. Mais importante do que fazer regras é a que elas sejam cumpridas,porque se não, qual o sentido delas existirem?

elionier em 11 de novembro de 2010

Se Tiririca fala melhor do que Lula e está fazendo estes testes, pq Lula tambem não fez? Duvido que ele sabe escrever direito.

Luigi em 11 de novembro de 2010

Olá Ricardo! Agora quem sabe,ficaremos sabendo o que faz um deputado. Ahahahahahaha, gosto muito de quem tem bom humor, caro Luigi. Abração!

Amadeus em 11 de novembro de 2010

Setti, A Deloitte audita e aprova o balanço do Panamericano do Sílvio. A KPMG analisa para a CEF o balanço do banco e aprova a compra de parte do Panamericano do Sílvio. A Fitch Ratings escabicha o processo todo e eleva a classificação do tamborete do Sílvio, agora com a parceria da CEF, para AA+. Isso agora em Julho/2010. Depois disso tudo, e por obra do acaso, o BC descobre que o banquinho está com as pernas quebradas; um rombo de 2,5 bilhões. E Você aqui tentando nos convencer de que o grande problema do Brasil é a analfabetice do Tiririca. Um Tiririca jamais seria capaz de perpetrar o que fizeram a Deloitte, KPMG e Fitch, três expoentes da excelência mundial no ramo de auditagem e classificação. Mas Você acredita que o problema do Brasil é o Tiririca. Não estou tentando convencer ninguém de nada, meu caro Amadeus. Estou comentando fatos e notícias. E, sim, a existência de um Tiririca com 1,3 milhão de votos é um SENHOR problema do Brasil, com tudo o que ele significa. Quanto ao caso do banco de SS, tenho comentado também. E fico intrigado, como você, que auditorias não peguem irregularidades. Sim, sei que elas trabalham com maciça quantidade de dados fornecidos pelas próprias instituições auditadas, mas não consigo compreender, se elas só examinarem esse material, qual é sua utilidade.

http://twitter.com/kika_vintecinco em 11 de novembro de 2010

O problema ñ é errar... mas errar o alvo: acho q o caso Tiririca é um pouco mais complicado do q saber ler 2 títulos e 2 subtítulos de jornal. Em um país em q até p/ ser repositor em supermercado é necessário 2o grau, como imaginar q seja possível alguém ocupar algum cargo legislativo ou executivo sem ter a escolaridade mínima exigida para repor produtos em prateleira de supermercado? Humildemente, acho q esta é a questão em questão. Até!!! P.S.: hj às 21h faço uma ENTRETWEETTERS, entrevista via Twitter, c/ Álvaro Dias, be my guest! ;) Cara Kika, Nesse horário eu estava num avião indo de SP pra Brasília, só vi seu comentário muito mais tarde. E você levanta uma questão séria. O problema é que, se o Congresso começar a exigir uma escolaridade maior dos candidatos, vai começar a ser criticado por elitismo e preconceito, e talvez seja mesmo. Se o cidadão sabe ler e escrever, e entende o que lê, já pode ser candidato, a meu ver. Abração e obrigado pelo convite.

Paulo Bento Bandarra em 11 de novembro de 2010

Na quarta-feira (10), o senador reeleito Magno Malta (PR-ES), colega de partido do humorista, disse que sua legenda entrará com uma Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) no STF (Supremo Tribunal Federal) para que o dispositivo que impede a candidatura de analfabetos seja declarado inconstitucional. Parece que o Brasil está cada vez melhor. Tiririca para Presidente! (Enquanto isto, pode ser para a equipe de transição da Dilma)! Partindo do senador Magno Malta, nada me estranha, meu caro Paulo.

Perola em 11 de novembro de 2010

Complicado não é ver se alguém sabe ler e escrever,é explicar ao público, de maneira convincente, como um partido desrespeita a lei escolhendo um analfabeto, e, depois dele eleito,resolver o "imbroglio' diplomando-o e dando a impressão que partido,TRE,juízes e outros "responsáveis" estão conscientemente fazendo "cada um a sua parte". Concordo com você, Pérola. Obrigado pela visita e pelo comentário. Abração

Michel Vieira em 11 de novembro de 2010

Se ele realmente soubesse ler e escrever já teríamos liquidado essa história.

Renato Brito Alves em 11 de novembro de 2010

Caro Setti!!! Perdoe-me a falha, mas você me chamou de Bruno?!?!?! Também falhastes. Um grande abraço Eu tinha acabado de falar com o repórter Bruno Abbud, do site de VEJA, quando respondi a seu comentário e misturei os canais. Peço desculpas sinceras, caro Renato. A imprensa, como diz o ministro Fanklink, erra... Abraços

P R I em 11 de novembro de 2010

kkkkkkk também não imagina ser tão difícil assim...

Paulo Bento Bandarra em 11 de novembro de 2010

Tiririca passou no teste. Ou melhor, o Everardo Oliveira Silva. Negou-se a fazer perícia no seu pedido de inscrição para não fazer prova contra si. Ou seja, fraudou mesmo o pedido manuscrito e, é confesso neste ato de se negar. E parece que vai ficar por isto mesmo, iniciando com fraude o seu mandato. Agora, tudo bem que ele fosse disléxico. Mas pode um "personagem" ser votado e ser diplomado? Ninguém votou nas idéias do Everardo, mas no Tiririca que não existe! Num dos personagens que Everardo interpreta sem existência real e sem idéias políticas alguma! Toda uma legislação eleitoral que cerceia a liberdade para depois patrocinar um deboche destes? Ou melhor, uma palhaçada destas?

André em 11 de novembro de 2010

O INEP já demonstrou duas vezes que é BEM complicado avaliar essas questões.

Wilson Alves em 11 de novembro de 2010

É complicado senhor Setti... E o pior nem é se o Tiririca é analfabeto, provavelmente não é mesmo, o pior é saber ler e escrever fluentemente, contudo, ser mau caráter, no mínimo omisso para com as necessidades dos mais carentes, cúmplice de más administrações e criar factóides com o claro intento de prejudicar governo democraticamente eleito.

Renato Brito Alves em 11 de novembro de 2010

Espero, sinceramete, que ele seja diplomado Deputado Federal, pois somente assim os mais de 1 milhão de paulistanos ignorantes que votaram nele, saberão o que faz um deputado federal. E não me venham falar em voto de protesto, os votos dados a esse ser não foram de protestos, foram dos mihões de eleitores que mal sabem ler e escrever, só assim eles se sentirão representados. E Viva o Brasil!!! E Viva São Paulo!!! Caro Bruno, não foram exclusivamente paulistanos que votaram nele. Paulistano é quem nasceu em São Paulo, a cidade. Tiririca foi eleito com votos de paulistanos e de paulistas de muitos outros municípios do estado.

Rose em 11 de novembro de 2010

E agora não podemos mais nem desconfiar? http://www.youtube.com/watch?v=fczeRV3JKhk Não vi nada relativo a desconfiar, cara Rose. Litigância de má-fé é ingressar na Justiça quando obviamente não é o caso, gastar o tempo do Judiciário com causas absurdas etc. O Tribunal sabe o que faz, tem juízes experientes e competentes.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI