Image
A suntuosa sede do Tribunal de Justiça do DF: o pior em produtividade nos casos de corrupção e improbidade administrativa (Foto: Jornal de Brasília)

Viva o Conselho Nacional de Justiça.

Viva a Emenda Constitucional nº 45, que o Congresso aprovou no final de 2004 criando esse órgão fiscalizador.

O CNJ trabalha muito, mas divulga pouco — e mal — o que faz. Tem feito muita coisa boa.

Como a chamada meta nº 18. Vocês já ouviram falar?

Pois bem, a chamada Meta 18 foi estabelecida em novembro do ano passado pelos dirigentes dos tribunais brasileiros ao longo do VI Encontro Nacional do Poder Judiciário, promovido pelo CNJ. E prevê que, até o fim deste ano, sejam julgados todos os processos judiciais sobre crimes cometidos contra a administração pública e de improbidade administrativa que tenham sido distribuídos até 31 de dezembro de 2011.

Há casos que datam de 2002 e ainda não foram julgados. Mais de 3 mil já prescreveram, e seus responsáveis não serão punidos.

Zerar os 17 mil processos que restam até dezembro próximo é uma das prioridades da gestão do ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal, à frente do CNJ, que ele também preside.

Pois bem, levantamento promovido pelo CNJ mostra que o PIOR desempenho nas 27 unidades federativas até agora é a Justiça do Distrito Federal. O Tribunal de Justiça do DF tem pela frente 3.104 processos para liquidar até o final do ano — e, a julgar pelos antecedentes, não chegará nunca à meta.

Sabem quantos processos do tipo foram julgados no ano passado?

Um.

Sabem quanto foram julgados este ano?

Até agora, nenhum.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 12 =

4 Comentários

Maurilio em 18 de abril de 2013

É realmente um descalabro; mas salvo um grande engano a foto postada é do Minitério da Justiça. Não é, não, caro Maurilio. O edifício-sede do Ministério da Justiça é maior e bem mais bonito. Um abraço e obrigado pela preocupação com a exatidão no blog.

Marco Felix em 18 de abril de 2013

Rabos presos e criminosos impunes. Alem do agronegócio, a produtividade dos corruptos são elevadas e continuará assim por muito e muito tempo. Como nunca antes neste pais.

zm em 18 de abril de 2013

Total aberração, esculhambação, desrespeito e inépcia para falar o mínimo Setti! Com essa justiça minúscula nunca chegaremos a lugar algum.Tem que explodir essa caixa preta,esse corporativismo, esse feudo dos intocáveis. E isso na capital da republiqueta, um tribunalzinho que não produz, não dá satisfação à sociedade,com um custo altíssimo para os cofres da nação. Altos salários, altas mordomias, alta incompetência, alta improdutividade, altos interesses. Por fugir a norma padrão é que o julgamento do mensalão foi tão badalado, mesmo tendo levado longos 8 anos. Os processos judiciais deveriam ter, por norma, um prazo legal para serem concluídos, acabando ainda com a maldita "prescrição".

ze do matogrosso em 18 de abril de 2013

...os eventos em resorts, viagens patrocibadas, jatinhos à vontade, instalações nababescas que convidam ao ócio, não permitem que esters privilegiados, membros de uma casta de intocáveis, trabalhem. Se tivessem que pagar o pão com o suor do trabalho já teriam morrido de fome antes mesmo de comprarem o diploma.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI