Image
O Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo: centro de excelência

Amigos, o Rio de Janeiro só terá a ganhar com a mobilização ora em curso para levar para a cidade uma filial do esplêndido Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, que começou com modestas instalações doadas pela comunidade judaica em 1955 e hoje é um hospital-referência do país, internacionalmente respeitado.

O Einstein, como é conhecido em São Paulo, além de ser um centro de excelência como hospital, é um importante núcleo de pesquisas médicas e desenvolve uma ampla obra social.

Um ponto alto da iniciativa de haver um Einstein no Rio é a firme decisão, tanto da direção do hospital em São Paulo como dos empresários e doadores do Rio, de que não haja qualquer tipo de participação do poder público – governos federal, estadual e municipal – no empreendimento, como forma de manter sua independência financeira, administrativa e técnica. (Sem contar, é claro, evitar pressões e pedidos de políticos). O hospital, porém, terá convênio para atender pelo SUS, tal como ocorre em São Paulo.

A construção e o equipamento do Einstein-Rio, numa primeira fase, está orçada em 450 milhões de reais.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − doze =

8 Comentários

ANA MARIA em 15 de agosto de 2011

HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN!!!CADA VEZ MAIS A EXELÊNCIA !!!

Paulista indignado em 22 de julho de 2011

Sabendo que o apedeuta e seu partido é contra Estado de Israel, é prudente se manter longe.

elisa cristina em 22 de julho de 2011

Gente que valoriza e respeita princípios éticos é assim: rejeita qualquer tipo de subordinação, anda de cabeça erguida e claro.....não se torna nunca refém dos desmandos de outrem. Parabéns ao Rio por esse presente e obrigada, Ricardo, por nos contemplar com uma notícia de gente do bem. Elisa Cristina Quem agradece sou eu, prezada Elisa, pela visita ao blog e pelo comentário. Um abraço

mané brasileiro em 22 de julho de 2011

Setti Felizmente, ainda tem gente com vergonha na cara.Parabens ao Einstein-Rio!

Sellba em 22 de julho de 2011

Que bom! Já estamos cansados de receber por aqui políticos famosos, entre eles muitos bandidos,que vêm para este hospital caríssimo para tratamentos às nossas custas. O dinheiro roubado por eles impede que muitos outros hospitais também sejam de qualidade.

Vera Scheidemann em 22 de julho de 2011

Maravilha ! Gostei demais dessa notícia. Um grande abraço ! Vera Obrigado. Pra você também, prezada Vera.

Cristaldo-SP em 22 de julho de 2011

Caro Setti, Isto demonstra claramente o tipo de governo que temos: 1) Hospital sendo construído com dinheiro particular, e, vetando dinheiro público; 2) O NASP, aeroporto que seria construído com dinheiro particular, é vetado pelo poder público; 3) Estádios de futebol, que não terão espectadores, sendo construídos com dinheiro público. É possível um país ter futuro?

Reynaldo-BH em 22 de julho de 2011

Uma notícia de que ainda existe um país que resiste! E um gesto para reflexão. Por que os doadores e benfeitores que querem dotar o RJ de um centro de referência médica não aceitam o dinheiro público? Nada seria mais normal e desejável! A resposta me parece a mesma que citei em outro post. SABEMOS, temos a CERTEZA de antemão, que haverá desvios, corrupção e superfaturamento se entes públicos forem envolvidos. E esta iniciativa nascerá maculada por estes fatos INEVITÁVEIS, visto a atual cultura da rapinagem implantada de modo prioritário no Brasil. Insisto: nada contra o correto uso do dinheiro público ( de res pública, coisa de todos, meu, seu, nosso dinheiro de impostos!) em benefício nosso, do povo! Chegamos ao extremo da degradação de valores: cidadãos ÉTICOS temem a parceria com governos, abrindo mão de recursos financeiros, de modo a não serem partners de roubos e desvios! Abrem mão do próprio direito de exigir contrapartida pelo que pagam! Preferem assumir sós encargos para não ter a companhia de ladrões e corruptos. Emblemático. E triste. Muito triste. De todo modo, quem há de criticar? Que este tapa (não de luvas de pelica, mas de luvas de concreto!) seja entendido. A sociedade, quando pode, prefere manter distância do Poder. A que ponto chegamos?

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI