O grande Seedorf vai embora, deixa saudades e leva saudades. Mas nem de tudo

Craque extraordinário, Seedorf fará falta ao futebol brasileiro. Mas haveria condições de ele peremanecer? (Foto: Caio Pupo / Fotoarena)

Craque extraordinário, Seedorf fará falta ao futebol brasileiro. Mas haveria condições de ele permanecer? (Foto: Caio Pupo / Fotoarena)

Craque extraordinário, quatro vezes campeão, por times diferentes, do mais difícil e mais importante certame de clubes do mundo — o da Liga de Campeões da Europa –, o holandês Clarence Seedorf iluminou o Botafogo e o futebol brasileiro com sua passagem de um ano e meio por nossos gramados.

Ela e sua carreira se encerram hoje com o anúncio de sua aposentadoria como jogador, aos 37 anos — e impressionante forma física –, e sua contratação como técnico do Milan que defendeu dentro do campo, para o lugar do criticado Massimiliano Allegri.

O fato de ser casado com a brasileiríssima Luviana, ex-passista de escola de samba e mãe de seus quatro filhos, certamente contribuiu para que um dos mitos do futebol mundial deixasse 10 anos de trajetória no Milan e viesse jogar no Brasil, ainda que em fim de carreira. Tornou-se o líder inconteste do Botafogo e ídolo da torcida, que o transformou em “Sidão”.

Seedorf, que fala cinco idiomas e um português melhor do que a maioria dos embaixadores estrangeiros em nosso país, chorou ao se despedir dos brasileiros. Leva muitas saudades do país, dos amigos que fez, de morar no Leblon, de frente para o mar.

Também da torcida do Botafogo e dos brasileiros em geral.

De sua passagem pelo futebol brasileiro, apesar da dedicação que exibiu em campo e das palavras generosas que dedicou ao ex-time, duvido que leve saudades.

Um dos muitos exemplos da bagunça que é, infelizmente, o futebol brasileiro, ao longo desse ano e meio no alvinegro de General Severiano o grande Seedorf viu coisas de que, até então, só ouvira falar na profissão — como o sistemático atraso de salários (contra o que, diga-se, protestou sempre junto à diretoria), a falta de organização e de dinheiro levando a frequentes cancelamentos de treinos e a indisciplina de companheiros.

Tanto é que, em relação a este último ponto, ao elogiar Oswaldo de Oliveira, disse que aprendeu muito com o técnico, mas que não conseguirá, como treinador, ter a mesma paciência. Para bom entendendor…

Nos certames que disputou, tomou contato com outras realidades a anos-luz do futebol europeu onde floresceu — vestiários vergonhosos, gramados horrendos, a prática do tapetão, arbitragens suspeitas, insegurança nos estádios…

Sua volta à Itália, ainda que para um Milan em crise, faz com que volte a um patamar superior de profissionalismo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 15 =

18 Comentários

  • Vera Scheidemann

    Que ele seja muito feliz Merece !
    Vera

  • Daisy Turenko

    Sou daquelas mulheres que adoram futebol e, modéstia à parte, acho que entendo do assunto.
    Sendo assim, parabéns pelo texto, ao ponto, preciso e irretocável, Ricardo

    Muito obrigado, cara Daisy.
    Um abraço

  • Ricardo Tiessi Sobrinho

    Grande Seedorf! Que pena que a zoeira que é o futebol brasileiro não permita manter por aqui gente de seu quilate. Em outras circunstâncias, ele poderia iniciar no Brasil sua carreira de treinador, não é mesmo?
    Um abraço

    Concordo totalmente com você.
    Um abraço

  • Alberto Orellana

    Concordo cem por cento com você, caro Setti.

  • Sebastião

    Um grande CRAQUE.
    Espero que seu exemplo de profissionalismo no Botafogo seja seguido por jogadores, técnicos e dirigentes esportivos de TODOS os clubes do brasil.
    Boa Sorte SEEDORF !!!

  • carlos nascimento

    Ricardo,
    A presença de Clarence Seedorf no futebol brasileiro, apesar de pouco tempo – 18 meses – deixa um legado grandioso, a valorização do bom caráter, o alto grau de profissionalismo, humildade, espírito agregador, boa sinergia, enfim, um astro de primeira grandeza, sem necessidade da espetaculização de outras personalidades do esporte, que em certos casos beiram ao RIDÍCULO.
    O Glorioso Botafogo perdeu a chance de incorporar essa joia rara de conteúdos ao seu patrimônio, pois se o padrão cultural de nossas Instituições permitissem auferir o ganho a ser obtido com a manutenção do profissional no Clube, atuando em outras funções, tipo : Diretor Esportivo, ou Supervisor Técnico, funções remuneradas, com a missão de coordenar todas as divisões de futebol do Clube, mas…..a visão ainda é bastante amadora, os Presidentes dos Clubes ainda não atingiram o nível de excelência, não aceitam dividir os holofotes.
    Perdemos todos nós, tínhamos uma vantagem, o craque adora o RJ, aprendeu a gostar do povo, pena que ele tenha restrições – descrença – dos nossos dirigentes. O campeonato brasileiro de 2013 foi um péssimo teste, está sub-judice.
    Resta-nos agradecer sua passagem pelo País, aprendamos muito com o craque e cidadão CLARENCE SEEDORF.

  • Marcos

    Grande craque, grande profissional, grande ser humano! Carreira impecável. O antípoda do grande enganador, o firuleiro improdutivo do Ronaldinho Gaucho. Boa sorte no novo desafio, Mr. Clarence Seedorf!!!

  • Ezequiel-SP

    O Seedorf fala de 6 idiomas pra lá. Joga futebol como ninguém. É integro, probo e cumpridor dos seus deveres. O que esse cara veio fazer aqui no Brasil? ainda mais no Rio Janeiro?
    Já sei: veio aprender como não se faz certas coisas que ele ouvia falar….

  • Aldo Matias Pereira

    Setti,
    Uma pena, realmente, que ele deixe o Brasil. Só não acho que esteja voltando para “um patamar SUPERIOR de profissionalismo”. Ele, simplesmente, volta para o profissionalismo.

  • Bruno Sampaio

    Valeu, Seedorf, seja feliz na itália com seu profissionalismo, empenho e dedicação. Tenho certeza que será bem sucedido, como em tudo que faz, até aprender português!
    Vai deixar saudades no botafoguenses. Boa sorte!

  • antipetista

    um jogador humilde , que encerrou sua carreira de jogador em um time pequeno.

  • neil ferreira

    Li em alguma revista européia dedicada aos esportes, incluindo o futebol, uma linha dedicada a Clarence Seedorf, dizendo que ele é “the ultimate gentleman in the soccer.
    Não sei traduzir isso ao pé da letra, mas tenho a certeza de que eu e a torcida do Flamengo sabemos do que se trata.
    Seja feliz de volta ao Milan, nosso “ultimate gentleman”

  • Reynaldo-BH

    Para a Rita.
    Quem foi que ensinou? Aprendeu sozinho?
    KKKK
    Abraços.
    http://www.youtube.com/watch?v=hCRDskZrUMU

    Ela está em férias, grande Reynaldo, mas com certeza verá esta sua delicadeza.
    Abraço

  • Dulce Regina

    Só você mesmo- REYNALDO BH-15/01/14-16.59H- para nos presentear com este
    Link oferecido â Rita, e todos que se interessaram ( como eu ), Ri muito !!! Que personalidade ! Os seus lobos fazem isto ? Acredito que sim. Beijos meu Rey, Dulce Regina

  • Ricardo

    excelente profissional , e acima de tudo um homem exemplar , boa sorte .

  • fernando

    …grande Seedorf…veio num mal momento do futebol brasileiro..mas deixou exemplo profissional e aulas de futebol…

  • Magno

    É arbitragem suspeitas e tapetão também existe na Itália…

  • Le

    O texto é uma homenagem a Seedorf e a quem admira seu profissionalismo, faltou a foto da linda Luviana e filhos do casal.Triste saber que ele teve problemas que são de gestão esportiva equívocada e desastrada.