O horroroso “Fora FHC” era golpista. Fui contra isso, e sou contra qualquer slogan semelhante contra um presidente eleito segundo a Constituição

O horroroso “Fora FHC” era golpista. Fui contra isso, e sou contra qualquer slogan semelhante contra um presidente eleito segundo a Constituição Manifestação "Fora FHC" durante o segundo mandato de Fernando Henrique Cardoso (Foto: Ricardo Suckert)

Amigos, lembram-se do horroroso “Fora FHC”,  que radicais petistas começaram a fazer correr logo nos primeiros meses do segundo mandato do presidente Fernando Henrique?

Quando o hoje governador eleito do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, escreveu um tristemente célebre artigo na Folha de S. Paulo em que esteve próximo de defender a derrubada do presidente da República?

Só para lembrar. Em janeiro de 1999, mal iniciado o segundo mandato de FHC, Tarso, em nome do PT, exigiu a saída de FHC do poder e a convocação de uma Constituinte, falando em lucros exagerados dos bancos graças a “informações privilegiadas” que teriam sido vazadas pelo governo (lucros que foram fichinha perto do que os bancos ganharam nos anos Lula).

Depois, em 2001, no tal artigo na Folha, Genro voltou à carga: o presidente deveria renunciar, “se tivesse dignidade”, isso “em face da falta de legitimidade de um mandato construído por estelionato eleitoral”. Que falta de legitimidade? Que estelionato?

Pois bem, aquilo, sim, era GOLPISMO. Claro que fui contra. O presidente Fernando Henrique venceu limpamente as eleições de 1994 e de 1998, ambas no primeiro turno, era o presidente legítimo segundo a Constituição, as leis e a vontade majoritária do povo brasileiro.

Que ninguém espere que este blog apóie qualquer coisa semelhante contra a presidente Dilma Rousseff ou qualquer presidente eleito de acordo com a Constituição e a lei no Brasil. E muito menos que neste blog isto seja publicado como um post.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =

Nenhum comentário

  • Carolina Murad

    78.383 692 eleitores não escolheram Dilma. É a soma dos votos de Serra, brancos, nulos e abstenções. Eu, incluída nesse número.

    Você tem toda razão, cara Carolina. A presidente eleita precisa governar pensando nisso.

    Abração

  • Mesmo que ela passe por cima da constituição? Porque a campanha dela já massacrou a constituição e as multas são testemunhas que as leis não foram assim tão respeitadas.

    Cara Marcia,

    Respeito a presidente eleita, como democrata que sou. Mas vou criticá-la e cobrá-la sempre que achar que é o caso, como venho fazendo com todos os presidentes desde que comecei a escrever artigos de opinião, durante o governo do general João Figueiredo (1979-1985).

    Os abusos do presidente Lula foram comentados à exaustão neste blog. Fui criticadíssimo por isso, chamado de tucano, disso e daquilo, até de ser “contra o Brasil”.

    Mas ganhar limpamente eleições é a expressão universalmente aceita para dizer que um candidato ganhou sem fraudes, sem violar a lei, sem irregularidades. A Justiça Eleitoral não impugnou qualquer passo do pleito.

    Se as eleições tivessem sido acompanhadas, digamos, por observadores internacionais neutros, desses que monitoram eleições em países problemáticos, elas teriam sido consideradas limpas.

    As questões morais existem, sim, e serão muito discutidas como vêm sendo, neste blog. Do ponto de vista legal, as eleições foram limpas.

    Abraços

  • Esron Vieira

    Vc está certo (como democrata). Na democracia caberá este slogan somente em caso de Impeachment.

  • Oi Setti,
    Serra era e é, a melhor opção.
    Que a Dilma faça um bom governo, a todos os brasileiros.
    Respeitando a Constituição Federal.
    Abraços!

  • maria cristina

    Pois foi exatamente esse “Fora Yeda” que o Tarso Genro comandou lá no RS durante todo o governo de Yeda Crusius através de sua filha Luciana Genro do PSOL,sindicato dos professores,e até através do subserviente grupo RBS/Zero Hora.E quase ninguem do PSDB foi defende-la.Seu mais aguerrido defensor foi o jornalista Polibio Braga,que tem blog independente.

    Isso é golpismo puro, minha cara Maria Cristina, no qual, pelo que vejo, o agora governador Tarso Genro — que, meu Deus, foi ministro da JUSTIÇA — é reincidente.

    Afastar governantes só diante de graves violações da lei, e mediante processo legal, não por baderna nas ruas e “movimentos populares”.

  • sergio wagner

    No Brasil hoje, há dois e somemente dois partidos fortes: PT e PSDB. O Ex presidente Fernando Henrique Cardoso foi um dos responsáveis pela implementação e manutenção da moeda (nova moeda) no País, mérito de seu governo. Seu governo (apesar das contradições) passou por crises internacionais, mas o principal disso, foi que desde a implementação do Real até a entrega do cargo ao novo líder tudo, ou quase tudo foi experimental, (erros e acertos) sem manual de instrução. Já o presidente Luis Inácio da Siva, consolidou a democracia e manteve o ambiente macroeconômico anterior, quase sem crises internacionais. Também teve erros e acertos, pois o PT sempre foi oposição e quase nunca situação, errou e acertou também. Nossa democracia “bebê” é aparentemente nova para que seus gestores comemorem alguma coisa ainda. Tirando os xiitas dos dois partidos provindos de São Paulo, acho que num futuro mais distante, PT e PSDB não terão mais diferenças ideológicas, porque pois mais incrivel que possa parecer, provém do mesmo insumo político da década de 80. Num futuro mais próximo, serão um partído único.

  • Silvio

    De onde você tirou que a oposição fará o que o PT fez com FHC?Que evidências você tem que algum blogueiro, não petista ,teria uma atitude desta?Você deve se julgar mais democrático que aqueles que visitam seu blog e se coloca como o grande, e quase único,defensor da democracia. Detesto o PT, mas respeito a democracia através da qual Dilma se elegeu. Torço, porém não acredito, para que ela faça um bom e exemplar governo que atenda a expectativa da grande maioria dos brasileiros.

    Caro Silvio, sabe de onde eu tirei? Das ofensas que estou recebendo aqui mesmo no blog simplesmente por ter escrito que, como democrata, respeito a eleição de Dilma, e que esta se deu, sob o ponto de vista da Constituição e das leis, “limpamente”.

    Alguns comentários inteiramente impublicáveis, de um ódio e uma agressividade espantosas, não tive como publicar nem com asteriscos.

    Não acho que a oposição PSDB-DEM fará isso, não. Eu queria mais é lembrar que o PT da presidente Dilma já fez — e fez muito feio, não é mesmo?
    Um abraço

  • @MauroVS

    O tal “Fora FHC” foi em meados de 1995 quando FHC disse que não teria desarmamento?
    Plantou a semente do desarmamento que é o que é hoje, com referendo indo para o lixo.
    Além do amor pelo regime cubano, uma das coisas que o PSDB tem em comum com o PT, é o Desarmamento e Fechamento de Fábricas de Armas e Munições e depois querem que o Brasil membro permanente do Conselho de Defesa da ONU, só deliram.

  • lavinia

    SETTI,PENSO EXATAMENTE COMO VOCE.NINGUEM,EM SÃ CONSCIENCIA,PODE TORCER CONTRA O POVO BRASILEIRO.NUNCA FUI PT.NÃO GOSTO DO MODO TRUCULENTO E DESRESPEITOSO QUE ELE TRATA SEUS OPOSITORES(NÃO CONSIDERO DEMOCRÁTICO).MESMO ASSIM TORÇO PARA QUE DILMA FAÇA UM BOM GOVERNO.ESPERO QUE A JUSTIÇA NORTEIE SUA TRAJETÓRIA NOS PRÓXIMOS 4 ANOS.DEMOCRACIA E TRANPARENCIA SEMPRE!

  • Celso

    Dizem que jogador de futebol o que menos gosta de fazer é assistir jogo de futebol. Acho que o mesmo ocorrecom jornalistas que não lêem seus colegas. Ontem, no vídeo, foi dito que Juca Kfouri tem grande admiração pelo Agnelo Queiroz. Pois eles se detestam. JK não cansa de criticá-lo e o chamar de cordeiro. Em um Roda Viva tiveram a oportunidade de demonstrar o afeto que um nutre pelo outro.

    Foi falha minha, caro Celso. Eu me confundi com uma indicação que o Juca havia feito, nas eleições de 2006,segundo a qual ele votaria para deputado no Aldo Rebelo, do PC do B. Nada a ver com o Agnelo Queiroz. Se você voltar aos primeiros posts da home, fiz um post específico para reparar meu engano, explicando o caso.

    Abraço

  • Israel

    Santa Catarina fez sua parte: SERRA 56,61% (2.030.135 votos) e Dilma 43,39% (1.556.226 votos). São Francisco do Sul (minha cidade) SERRA 14.249 votos (60,61%), Dilma 9.260 votos (39,39%)Agora, Norte e Nordeste, hein? Vergonha nacional do bolsa-esmola e frentes de trabalho de última hora. Além do mais, 78,3 milhões de brasileiros (Serra, brancos, nulos e abstenção) NÃO OPTARAM por Dilma. Isso é uma sinalização que deve nortear também os rumos do Brasil a partir de ontem. Viva o Dia das Bruxas: O Brasil elegeu a sua!

  • noelia

    Para Carolina Murat:
    E 92.088.621 eleitores não escolheram Serra.Eu inclusive.
    Para Setti:
    Fernando Henrique Cardoso fez sim, um grande governo e tem, sem dúvida, um imenso peso no cenário nacional. Gostaria muito de entender qual foi exatamente o papel de FHC,durante estes oito anos.
    Tinha tudo para ser o grande lider da oposição, aglutinar em torno dele os grandes nomes do PSDB que não são poucos, e instituir e consolidar um processo de oposição digna ao governo Lula. Não necessariamente para ser ele mesmo candidato,mas para manter unida a oposição em torno de um projeto consistente de possivel retorno ao poder.
    São muitos e muitos os pontos nos quais esta oposição poderia trabalhar, marcando presença firme no cenário nacional, principalmente no Congresso.Seus lideres no Congresso deixaram a desejar, por que faltava um projeto coletivo oposicionista.
    A sensação que tenho é que FHC se distanciou do dia a dia do PSDB e da vida polotoca nacional, ficou muito mais ligado ao seu instituto e às viagens internacionais, e sua atuação politica junto ao seu grupo, foi mais pontual. Estou absolutamente convencida que o que faltou ao PSDB para vencer esta eleição foi exclusivamente consistência estratégica e falta de liderança. São Paulo, Minas, Paraná, juntos, bem estruturados politicamente, trabalhados permanentemente por suas significativas lideranças politicas, tinham tudo para fazer frente ao nordeste. Faltou trabalho, trabalho, permanente.Não se ganha eleição na campanha eleitoral.Sergio Guerra diz que o PSDB vai lançar candidado em 2012,tudo bem. Mas a campanha já começou. E mal para os tucanos. Não por que Dilma ganhou.O PSDB já começou a campanha mal, muito mal, quando Serra, ontem, a noite, em nenhum momento citou Aécio em seu discurso, e ainda esqueceu de Fernando Henrique.
    Creio que o problema do PSDB é a falta de liderança. E não vejo outro lider mais forte do que FHC, por suas características pessoais e por sua história de homem público. Sem uma liderança firme, vai prevalecer a briga entre São Paulo e Minas. O que é que você acha do papel de FHC neste processo todo?

    Cara Noélia, FHC já explicou isso várias vezes, inclusive na entrevista a VEJA desta semana. Ele considera que cumpriu sua missão da melhor forma possível e acha que um ex-presidente não deve imiscuir-se no dia-a-dia da política. Eu acho que ele está certo. Não gosto do que fizeram Collor e Sarney, por exemplo. Ele deve permanecer, como de fato permanece, como grande referência do PSDB em matéria de agenda e de estilo de comportar-se no poder. O PSDB precisa voltar-se a novos líderes, renovar-se, fazer oposição de verdade, livrar-se dos políticos enrolados em acusações — o primeiro deveria ter sido, na época do mensalão, o senador Eduardo Azeredo (MG). Se ele tivesse sido expulso do partido, o PSDB teria muito mais moral para posicionar-se no escândalo do mensalão.

    Abraços

  • HMC

    O Michel Temer vai fazer essa mulher de refém. Se ela resistir ele dá o tombo nela.

  • terceira via

    Não esta na hora deles esperimentarem do veneno que SEMPRE destilaram?????Concordo, a eleição foi justa e agora ela é presidente dos brasileiros, mas como fundamentalistas, milicianos petistas nunca souberam o que é democracia dos outros, só a deles, vou democraticamente dar um tempo a Pres. Dilma mostrar a que ela veio. Depois disso eu DEMOCRATICAMENTE tenho o direito de RADICALIZAR como eles SEMPRE fizeram com governos que não foram o deles, Setti,se o governo dela não for avaliato pelo menos “BOM” (pois ela vai governar junto com o governo que foi “OTIMO”) vai ser sim, FORA DILMA. vou dar a eles o veneno do radicalismo, metade desse tipo de oposição deveria ser dada a LULA, COLLOR foi deposto por menos do que LULA fez e foi merecido pois em meu pensamento qualquer desvio de conduta É DESVIO DE CONDUTA. (Fui educado em me referir a ROUBO????). Vou aguardar, mas que não varra coisas para baixo dos TAPETES do planalto. vamos ficar espertos com o destino do caso do MENSALÃO.

  • É interessante ver que os blogueiros da Veja todos possuem um tom diferente, e pensamentos distintos. A coluna do Reinaldo é diferente da do Augusto, que por sua vez é diferente da sua, a mais neutra. Por isso mesmo eu visito todas, todos os dias!

    Obrigado pela visita, caro Diogo.
    Abraços e volte sempre!

  • Ricardo Froes

    Uma campanha que dispôs da ajuda inconstitucional do governo desde 2007 não pode ter como resultado uma vitória limpa.

    Foi suja, e muito.

  • FERNANDO

    SETTI, NINGUEM QUER ISSO. SO QUEREMOS QUE AS LEIS SEJAM RESPEITADAS. PORTANTO, O RIGOR AS LEIS A TODOS, INCLUSIVE AOS ELEITOS.

  • José Américo C Medeiros

    Não, jamais um “Fora Dilma”, exceto se a justiça encontrar subsídios para tal ação, ou o seu governo ferir a Constituição, ou mesmo se houver uma tendência para nos alinhar a potências ditatoriais além da simples relação diplomática e comercial.
    Não é da índole do PSDB, formado por integrantes que lutaram contra a ditadura militar, mas não provenientes do sindicalismo.
    A radicalização do PT provém dessa raiz sindical, o que justifica (a eles) posturas como a recente de Lula na campanha para a sua sucessão.
    Eu preferia que essa força para-estatal, representada pelo sindicalismo, fosse levada pela força da Lei a se conter, e a exercer somente a função para a qual foi criada: cuidar das relações no capital-trabalho.
    E nada mais.

  • José Américo C Medeiros

    Eu veria com bons olhos a discussão, pela VEJA, da postura Lula nessa eleição, com pareceres jurídicos e à vista da constituição, quiçá até pelo aspecto moral.
    Não podemos permitir, para 2014, ou nas eleições mais próximas, para prefeituras, a banalização e uso ilegal da máquina estatal e chefes de poder atuando tão rasamente.

  • Marco

    Caro R. Setti : Endosso as palavras da Maria Cristina, a oposição do PT, começou com através do Cpergs,desde do momento da Posse, O Cpergs, gastava em horários nobres na TV,propagandas Calúniosas, fora os manifestos pessoais e Out doors mentirosos pelas cidades e mesquinharias sobre a casa da Governadora. Mas estamos falando de Tarso Genro,um verdadeiro cloaca e patife d alma.
    Abs.

  • henrique

    SETTI ,PARABENS , PARABENS E PARABENS !!!

  • Vera Natali

    Caro Ricardo Setti,meus parabéns !!!!! você sempre impecável !!!!!

    Obrigado, cara Vera.
    Um grande abraço!

  • Brasileiro

    Ricardo
    Favor corrigir sua desonestidade. Tarso Genro não pregou a “derrubada” de FHC. Pediu que ele renunciasse, em função da farsa cambial que manteve, com objetivos escancaradamente eleitoreiros.

    Amigo, você nunca concede a ninguém o benefício da dúvida? Já vai falando em “desonestidade”?

    Sim, Tarso Genro não chegou a pregar a derrubada de FHC, mas pregou que o presidente renunciasse e defendeu a convocação de uma Constituinte. Isso serviu de palavra de ordem para o odioso e golpista “Fora FHC” contra um presidente legítimo.

    Tarso estava incendiário no artigo, e a meu ver foi, sim, golpista, ao falar da necessidade de renúncia “em face da falta de legitimidade de um mandato construído por estelionato eleitoral”.

    Vou mexer no post e agradeço sua lembrança, mas lamento sua agressividade e a facilidade com que ofende as pessoas.

  • Marcia

    Caro Setti,
    Lembro desse infeliz artigo e da lamentável manifestação ocorrida em Brasília sob o comando do PT.
    O que mais me espanta é que este senhor, Tarso Genro, foi ministro da Justiça (?!) e agora é eleito governador do Rio Grande do Sul.

    Quero parabenizá-lo pelo seu trabalho e pelo blog,que tenho acessado desde o inicio no site de Veja. Grande abraço.

  • serafim m machado

    Sr. Ricardo para que este blog não seja desvirtuado, sugiro que os comentários sejam fornecidos com NOME INTEGRAL, não é uma questão de ser antidemocrático é uma questão de FICHA LIMPA

    O ideal talvez fosse este, caro Serafim, mas na internet, como sabemos, isso se tornou impossível. A grande maioria usa apelidos ou nomes criados ou de fantasia e é assim que tem funcionado.

  • Brasileiro

    Ricardo
    Agradeço sua elegância novamente, em publicar o meu comentário(19:52), retificar o seu post e com sutileza e bom-humor, corrigir a minha indelicadeza.
    Vc prova ser possível se fazer um jornalismo crítico, opinativo e interativo, inclusive com aqueles, que como eu, divergem de vc.
    Abraços do seu leitor e admirador.

    Obrigado, caro amigo, muito simpático e atencioso seu comentário.

    Conto com sua presença aqui.

    Abração do

    Ricardo Setti

  • João Zuccaratto

    Prezado Ricardo Setti,

    Você acha mesmo que a eleição de alguém que está ligada a quebra de sigilos fiscais e bancários para a confecção de dossiês de acusações contra adversários, uso continuado de bens públicos na promoção da candidata — relembre o achaque aos fornecedores da área de Projetos Culturais da Petrobrás, por exemplo —, uso continuado da mentira na propaganda e envolvimento descarado do presidente da República na campanha foi limpa, republicana, de acordo com a Constituição?

    Gostaria de ver a oposição — PSDB, DEM, PPS etc. — se basear apenas na Lei para fustigar a situação, continuadamente, com ameaças de processos de impeachment.

    Seria uma forma de manter na mídia e na consciência das pessoas os malfeitos que o pessoal do PT faz e depois luta de todos os modos para esconder.

    João Zuccaratto.

  • CHESTER MONCERRATH DIAS

    Muito bem apontado Sr. Setti. Sou seu fiel leitor, um abraço.

    Muito obrigado, caro Chester.
    Espero que continue conosco.
    Seu comentário me anima a prosseguir o trabalho por aqui.
    Um abração!