Image
O técnico do Barcelona, Pep Guardiola e o lateral Maxwell: tolerando uma exceção medíocre no melhor time do mundo

A recente transferência do lateral esquerdo brasileiro Maxwell do Barcelona para o Paris Saint Germain coloca fim a três anos de uma inexplicável sobrevivência de um jogador apenas mediano, medíocre, no meio do elenco espetacular e milionário do melhor time do mundo.

Maxwell é um bom rapaz, tem boa aparência, comporta-se corretamente, obedece às ordens do técnico mas, no Barcelona, pouco passava disso: nas muitas vezes em que entrou no meio das partidas ou começou jogando — era reserva do francês Abidal –, nunca foi mais do que um jogador disciplinado e discretíssimo.

Se a bola vinha pra cá, ele mandava logo pra lá. Quando recebia passes, em geral devolvia, correndo, fugindo dos perigos de tentar desenvolver uma jogada. Raras vezes tentava um drible, e evitava incursões pela área, como faz o tempo todo e com êxito o lateral direito, também brasileiro, Daniel Alves. Raros, raríssimos foram seus centros para a área, mas ele chegou a fazer assistências e a marcara gols. Só se sentia mais à vontade defendendo, e nisso era aplicado.

Maxwell parecia achar que o Barça era areia demais para seu caminhão e se escondia do jogo — e até aí tudo bem, porque no futebol sempre houve jogadores assim. O curioso é que o exigentíssimo e workaholic Guardiola haja percebido, no brasileiro, qualidades que a maioria dos amantes do futebol não enxergava.

Não se sabe se o mistério um dia será resolvido. No PSG francês, menos pressionado por integrar o elenco solar do campeão mundial, quem sabe Maxwell venha a revelar habilidades insuspeitadas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 3 =

25 Comentários

Vitor Botelho em 07 de maio de 2014

chupa picolé...

Vitor Botelho em 30 de abril de 2014

Prezado Ricardo, Gosto muito do site de Veja. Sou leitor assíduo e assinante há mais de 20 anos. Quero aqui pontuar algumas coisas.... Estava pesquisando um pouco sobre o Maxwell na internet e achei o seu texto. Achei a suas posições incoerentes e muito mal educadas. Alías, os seus comentários também me parecem um tanto mal educados e desequilibrados. Não estou defendendo o Maxwell, apesar de ter lido somente textos falando bem dele seja na imprensa espanhola, francesa e italiana. O que eu quero mesmo é registrar aqui a minha opnião: o seu texto é linguisticamente pobre, suas opniões infundadas e nos comentários , quando não precisa de crivo do editor, vc se mostra grosseiro e mal preparado. É a minha pura e pessoal opnião.

jefferson em 27 de maio de 2012

Vá procurar sua turma, vá aprender de novo educação em sua casa e suma daqui com essa linguagem cafajeste.

Miltinho em 03 de fevereiro de 2012

Setti: Dizer que alguém tem dor de cotovelo não é ofensa alguma! Veja no dicionário. Mas tudo bem, se você prefere, eu retiro o que disse. Medíocre mesmo foi a matéria (já que não é ofensa, que assim seja).

rolando em 03 de fevereiro de 2012

Confesso que chamar o Maxwell de medíocre é algo pesado para mim. Na infância cheguei a jogar futsal com ele e seu irmão. Ele era um dos melhores, jogando como ala, muito driblador e preferia dar assistências a concluir a jogada pro gol. Entendo que ele não tenha se tornado um craque fora de série, mas não acredito que ao acaso tenha jogado no Ajax, Internazionale, Barcelona e agora PSG. Realmente no Barça foi mais acanhado, mas nunca o vi afundando o time ou complicando o seu setor nas vezes que atuou. Espero que ele se destaque em seu novo clube.

Berlatto em 03 de fevereiro de 2012

Prezado Ricardo, aqui no Paraná se falava a mesma coisa do meu conterrâneo, Beletti. Jogador medíocre, meia-bola etc. e tal. Aí eu argumentava o seguinte: Pô! meu, o cara jogou nos melhores times do Brasil, jogou no Barça, jogou no Chelsea, foi campeão mundial pelo Brasil e vc chama o cara de medíocre? Tá certo que o Beletti não era nem um craque, mas daí chamar o cara de medíocre?, é prá acabar,né? O mesmo se pode dizer do Maxwell. Veja os times que ele jogou. Será que os caras que o contrataram eram ceguinhos? Guardiola, José Mourinho?, não sabem quem tem talento? Francamente Ricardo, o sr. pisou na bola. Ps- É só uma opinião de um ex-boleiro,(Joguei no Atlético Paranaense, entre outros). Aliás, prá ser franco com vc, a minha bola era redondinha, dava prá jogar no Barça sem problema, (que cara pretensioso, hem?). Técnica, inteligência é o que não me faltava. Só me faltou mesmo foi sorte. Estar no time certo, na hora certa. Sorte vale muito no esporte, caro Setti. Abs. Caro Berlatto, Que legal saber que você conhece futebol mesmo, por dentro! Quanto ao Beletti, até hoje eu o acho medíocre, hahahaha. Veja bem: o Maxwell é um jogador bonzinho, jogaria no meu Corinthians e seria ótiimo. Medíocre eu o considero para um timaço como o Barça. Os reservas do grande rival do Barça, o Real Madrid, são todos de alto nível, a meu ver melhores do que o Maxwell. Mas desejo que o Maxwell se dê muito bem no PSG. E futebol é aquela coisa, não é? Cada torcedor, uma opinião. Todas respeitáveis, como a sua. Abração

Brasileiro de luto em 03 de fevereiro de 2012

nao e novidade, quantos andaram pela selecoa brasilera, e ate foram campeos de mundoo?????????? - a decadas, qualquer um e craque, baste ter empresario e marketing,,,, o Ronalducho chou a melhro do mundo enssa base... foi um bom jogador, mas nada de excepcional, como centenas no passado, e que nem conseguiram jogar em grandes clubes.. o que eo Neymar....falta de craques no Brasil e no mundo.... quem joga um pouquinha mais, e aparece, por falta de quem o pare, vira fenomeno... QUEM TEM UM OLHO EM TERRA DE CEGO E REI.

Caio Frascino Cassaro em 03 de fevereiro de 2012

Prezado Ricardo: Vou comprar uma briga com todos os amantes do Barça, mas, lá vai: tirando o Messi, que realmente é excepcional, o Xavi e o Iniesta, que são grandes jogadores (mas não, nunca, nunquinha foras de série), o restante do time do Barça é formado por um grupo de bons jogadores, formando uma equipe na qual claramente o todo é melhor do que a soma das partes. Aí entra o mérito do Guardiola e de toda uma forma de ver e pensar o futebol, e de ter a sorte de contar com um grupo que "encaixou", cujo resultado gera uma sinergia que se traduz em uma equipe extremamente vitoriosa . O Barça trouxe para o futebol conceitos do Rugby (aproximação e troca de passes) e do Basquete (pressão na marcação e foco total até o último segundo). Todos os jogadores do Barça, exceptuando-se aqueles que jogam na fúria, que é quase que uma extensão do clube Catalão, quando jogam por suas seleções têm um desempenho abaixo daquele que conseguem no clube. Pegue o exemplo de Daniel Alves: um percentual imenso dos gols do Barcelona saem de jogadas do brasileiro, em especial de tabelas com o Messi. Muito bem, alguém pode me dizer quantas assistências e quantos gols fez o Daniel pela seleção? Vou mais longe, quantos jogos ele nos fez esquecer do Cafu ou mesmo do Maicon? Mesmo o grande Messi ainda tem uma dívida com a torcida da Argentina aonde, diga-se de passagem, é bastante contestado por uma parcela ponderável da "massa". Assim, entendo que jogadores como Busquets, Abidal (no que, do ponto de vista técnico, é tão diferente do Maxwel?), Puyol, Piquet (cujo maior mérito, para mim, é ser namorado da Shakira), Pedro, Villa, etc, não passam de bons jogadores cujo desempenho é turbinado pelo encaixe de suas qualidades ao esquema de jogo proposto pelo técnico e pela filosofia de trabalho no clube. O próprio desempenho da fúria é exemplo disso que estou falando: sem um fora-de-série como o Messi, consegue vitórias normalmente magras, nas quais, a exemplo do Barça,privilegia a posse de bola e a aproximação, sem ter a mesma eficiência na pressão na saída de bola do adversário. É só lembrar do jogo contra o Paraguai pela Copa - 2010, nos quais nossos vizinhos engarrafaram a fúria e só foram eliminados em função de uma arbitragem, digamos, bastante simpática aos interêsses dos ibéricos. Finalizando, o que eu quero dizer é o seguinte: mais do que a qualidade técnica propriamente dita, um jogador do Barcelona precisa, mais do que em qualquer time que eu tenha visto, se encaixar na filosofia de jogo da equipe. Se consegue, tem a recompensa de transformar de bom para ótimo o seu rendimento. Caso contrário, fica na escala dos medianos - o que me parece ser o caso do Maxwell. Um abraço

Allejo em 03 de fevereiro de 2012

Caro Setti, concordo com você, Maxwell é jogador p/ compor elenco e quebrar um galho em jogos da Copa do Rey, essas coisas. Deve ter um empresário MUITO bom. abraços !

Manuel Alonso Fernández em 03 de fevereiro de 2012

Moro em Vigo (Galicia) na Espanha e acompanho a Liga BBVA, que por sinal este ano vai ganhar o Madrid, mas voltando ao assunto Maxwell, näo acho ele medíocre, e o exigente e workholic Pep como vc descreve, leva muito em conta a personalidade de um jogador e näo só o seu talento, lembrando que Ibra, Etoo foram dispensados por ele , e nao eram medíocres, Alexis foi contratado por ser bom jogador, mas muito se deve a sua personalidade ( bom moço), eu por exemplo näo acredito que Neymar jogue no Barcelona enquanto Pep for o treinador, mas sobre Maxwell , juntando seu esforço, suas atitudes, seu comportamento, sua nacionalidade Italiana ( näo é um jogador extra comunitário) e algun futebol ... talvez consiga alguma explicaçao ! Abraços !!! Valeu, Manuel! Que bom saber que tenho leitor na belíssima Galícia! E você tem realmente razão sobre o Pep Guardiola. Por "problemas de vestiário", como se diz aí na Espanha, ele dispensou cracaços como o Ibrahimovic e o Etoo. Guardiola dá muito valor ao "encaixe" do jogador no time, sua personalidade, seu comportamento etc. Acho o Maxwell um jogador que cairia bem no meu Corinthians, por exemplo, mas considero-o medíocre no contexto de um timaço como o Barça. Um abração

Miltinho em 02 de fevereiro de 2012

Setti: Pelo menos V. Sa. poderia ter mais respeito com outros profissionais. Não é porque se trata de um jogador de futebol que pode ser desqualificado como medíocre. Parece ser uma tremenda dor de cotovelo sua, que deve se considerar um excelente jornalista, mas ganha em um ano o que ele ganha no mês. Tenha mais respeito. Você pede respeito a um terceiro, mas me desrespeita diretamente, imaginando uma "dor de cotovelo" que não existe. Imagine se vou ter inveja de alguém por ganhar mais do que eu! Sou felicíssimo com o que tenho e com a vida que tenho. E você precisa consultar o dicionário, Miltinho: chamar alguém de "medíocre" nunca foi ofensa. Não costumo desrespeitar ninguém, como você acaba de fazer comigo.

Matheus em 02 de fevereiro de 2012

Eu incluiria o Belletti nessa lista.

Valentim-Pr em 02 de fevereiro de 2012

O glorioso Barcelona tem uma penca de "medíocres" lá no segundo e terceiro escalão. Dá pra dois times. Jogadores de várias nacionalidades. Sei que vai me dizer que tem, e tem mesmo, o direito de escrever o que quizer nesse ótimo blog que frequento e muito, aliás: Parabéns pelo Blog! Jornalista Ricardo Setti. Seu passado e presente na imprensa brasileira, se compara à poucos. Parabéns à Editora Abril, por ter um profissional de seu quilate em seus quadros. No meu entender, o time do Barcelona toca a bola. Chutão só na hora do desespero total, coisa rara. Até hoje, nunca vi esse time atacar e ficar cruzando bola na área do adversário. Os jogadores são exaustivamente treinados para se deslocarem e confundir a defesa adversária, com deslocamentos dos atacantes, de repente nas costas dos zagueiros. Bem manjado, mas eficiente, mortal. É assim que o Messi se fez e faz a glória de seus companheiros. Jogadas preparadas. Jogadas de toques onde os dribles e pedaladas inúteis, não tem vez. O único liberado é o Messi. Esse aí, é de outro planeta. Achei que "medíocre" foi demais para o bom jogador Maxwell. Abração. Desculpe pela demora na resposta, caro Valentim, e muitíssimo obrigado pelas boas palavras a meu respeito e a respeito do blog. Considero o Maxwell medíocre no contexto do timaço do Barça -- mas, claro, respeito e publico sua opinião. Mudando de assunto: você é do Paraná? Tenho grande carinho pelo Paraná, onde me criei, onde tenho parte da família e onde estão sepultados meus antepassados e muitos parentes queridos. Um abração

renan em 02 de fevereiro de 2012

ridiculo, ridiculo, ridiculo! não, não estou falando do Maxwell, que apesar de suas limitações em comparação ao Dream Team catalão, nunca comprometeu um jogo, não aparecia, jogava o simples, e, se fosse essa a exigencia de Pep. cumpriu-a com perfeição. Ridículo mesmo é sua audácia, chamar Maxwell de "medíocre".

João Guilherme em 02 de fevereiro de 2012

Acredito que o Maxwell não seja um mal jogador, foi jogar no Ajax muito novo, e por lá satisfez a equipe. Foi comprado pela Inter de Milão, onde jogou partidas sensacionais e colhendo os frutos do seu êxito foi, mais uma vez comprado para integrar um dos maiores elencos da história. É verdade que foi pouco utilizado no Barcelona, porém quando o fez, fez a altura de um bom defensor. É um jogador subestimado pelos cronistas esportivos, e merecia uma chance de integrar o elenco da seleção.

Caio Frascino Cassaro em 02 de fevereiro de 2012

Prezado Ricardo: Acho que ele é um cara muuuuuuuuuuuuito legal. Mas, fora a brincadeira, ele não é um mau jogador, não. Era titular no campeoníssimo time da Inter de Milão e, sempre que chamado para jogar no Barça, deu conta do recado com muita dignidade. Um abraço Com esforço, com aplicação, mas sem brilho algum. Não estava à altura do timaço do Barça, Caio. Devo ter visto umas 30 partidas dele, ninguém me contou. Claro que não é um MAU jogador, mas é espantoso ter durado tanto no Barça. Abração

Ronald Pereira Silva em 02 de fevereiro de 2012

Ser simples no nosso tempo é espetacular, principalmente se tratando de jogador de futebol! OBS: Na Inter de Milão, o capixaba Maxwell era um pouco mais participativo durante as partidas..

Marcos em 02 de fevereiro de 2012

O Maxwell substituiu o Abidal quando ele esteve machucado. Deu o passe de ouro para Ibrahimovic marcar na Supercopa da Espanha em 2010, marcou dois gols, mas realmente nunca se firmou. Passou muito tempo lesado e cedeu a posição ao Adriano, também brasileiro, que joga muita bola.

Marcelo Meireles em 02 de fevereiro de 2012

Pode apostar que o reserva de Daniel Alves tem o mesmo nível mediano do Maxwell. Se ele fosse de alto nível, como é Daniel Alves, estaria sendo titular em outro time grande. - Lembra do Silvinho, ex lateral esquerdo do Corithians ? Pois é, ele tb jogou um tempão no Barça. Era o mesmo tipo do Maxwell. - São caras que são bons de bola, mas sem nenhum plus. Mas acima disso, sabem bem qual é o seu real potencial, e não criam instabilidades no elenco brigando pra jogar. Se preparam, se aplicam e fazem o básico, bem feito. - Não ambicionam a Seleção, ou as glórias de um Roberto Carlos da vida. Sabem o seu tamanho. - Para e pensa. Vc imagina o Marcelo, do Real Madrid, aceitando passivamente a reserva do Abidal no Barça ? - Duvido que aceitaria. Faria quizumba até jogar. - Ou sair O Silvinho era melhor do que o Maxwell, e na época dele o Barça estava longe de ser o que é hoje. E o Adriano, também brasileiro, é muito bom e joga pelo meio e, precisando, nas laterais. Já chegou a jogar no lugar do Dani Alves. Se o Marcelo fosse para o Barça, já seria contratado para ser titular, até porque o Abidal tem 33 anos.

Fábio em 02 de fevereiro de 2012

Cara, em qualquer time do mundo, alguns jogadores são defensivos ao extremo, e não precisam ser dribladores como o Iniesta e o Messi, para se destacarem. O Maxwell é um excelente lateral esquerdo, defende muito bem, e apoia com consistência. Você o comparou ao Daniel. O lateral direito do barcelona é o melhor lateral do mundo, dribla como poucos meias, chuta muito bem ao gol, e tem o passe de um ótimo meia atacante. Você deveria mudar de esporte, nos comentários. Deixe de ser grosseiro, Fábio. Tenho o direito de ter minha opinião, como você tem de ter a sua. Acho que, para um supertime como o Barça, o Maxwell é supermedíocre. Eu o vi jogar ali, no campo, pertinho, várias vezes. O problema não era ser ou não ser ofensivo. Ele se escondia do jogo, tinha medo de errar passes e de fazer jogadas, no meio de tantos craques.

Marco em 02 de fevereiro de 2012

Amigo Setti: Existe uma tese aqui no Sul, q jogador ruim tem q ser mandado embora,pq acaba sempre jogando. Mas dá uma olhada quem é o empresário dele, tvz se justifique. E por falar nisso quando é q vou te ver na Redação Sportv, o nosso A. Nunes já participou. Quase q ele larga tudo e fica por lá. Claro, q é somente brincadeira. Abs. Hahahaha, sensacional, essa: jogador ruim tem que ser mandado embora porque senão acaba jogando. Eu não conhecia! Quanto ao SporTv, é só me convidarem... Já dei, recentemente, uma entrevistinha para a ESPN e o jornalista Paulo Calçade, que tem um programa na rádio Estadão-ESPN, fez um programa inteiro comigo a respeito do Barcelona, da cidade de Barcelona e da rivalidade entre o Barça e o Real Madrid. Um abração

Caio Rodrigues do Carmo em 02 de fevereiro de 2012

Cara, primeiro, o Maxwell é um BOM lateral, e não mediano e medíocre como voce fala... Tem em suas caracteristicas atribuiçoes mais ofensivas do que defensivas, ao contrario do zagueiro Abidal. Tanto que varias vezes Maxwell jogava de meia ou de ponta. Com certeza a perspectiva de "aparecer" mais no PSG e tambem dinheiro, pois o investimento foi alto, o tiraram do Barça, e não o fato dele ser um jogador "mediocre"! Cada um tem sua opinião, Caio. Respeito a sua, mas continuo com a minha: para o Barça, ele é medíocre.

Fernando Wallaf em 02 de fevereiro de 2012

Muito boa a sua visao, eu tambem sempre achei isso. Acho que se chegar alguem aqui e nao conhece o futebol do Maxwell vao pensar que você esta querendo falar mal, mais nao essa e a mais pura verdade ! PARABENS !

Ulysses Costa em 02 de fevereiro de 2012

Ou seja, ele fez o certo. Jogou o futebol dele, sem querer inventar, fazer algo diferente do que ele sabia. Se assim o fez, explica o porque ficou tanto tempo no Barcelona. Boa sorte a ele no PSG, time em que ele vai fazer a mesma coisa que ele fez no Barça, jogar o seu futebol sem aparecer...

Michael em 02 de fevereiro de 2012

Desista, não publico grosserias.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI