Por Domitila Becker

Você pagaria para dormir em um cano de esgoto? Ou, melhor, você dormiria em um cano de esgoto? Para os hóspedes do Das Park Hotel, em Linz, na Áustria, a reposta é sim.

O inusitado hotel foi elaborado a partir de canos de concreto, de 2 metros de largura por 2,5 metros de comprimento, novíssimos em folha. Os cômodos são pequenos, mas, como você pode ver nas fotos abaixo, aconchegantes.

Cada um deles é equipado com uma cama de casal, lençóis e cobertores. Um espaço para guardar a bagagem, uma luminária e uma fechadura eletrônica codificada. Ao reservar o quarto pela internet, os interessados recebem uma senha com a qual poderão abrir a porta do dormitório no dia marcado.

A singularidade do hotel, entretanto, não se restringe a arquitetura. Os hóspedes podem decidir quanto querem, ou podem, pagar pela noitada. O grande inconveniente é que os aposentos não dispõem de banheiro nem de cozinha. A sugestão dos criativos donos do estabelecimento é procurar o posto de gasolina ou o restaurante mais próximo.

O Das Park Hotel fica em um local estratégico, na grama verde do encantador Rodlpark, que abriga anualmente, em junho, um festival de música ao ar livre: o Open Air Ottensheim. O hotel, que está em sua “terceira edição”, contudo, só fica aberto de maio a outubro. Portanto, se você quiser vivenciar a experiência ainda este ano, é melhor correr.

Aos amigos do blog, em especial aos arquitetos e engenheiros, pergunto: seria essa uma solução para acomodar, provisoriamente, moradores desabrigados ou remanejados de áreas de risco no Brasil?

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + 9 =

4 Comentários

Dimitri Basmagi em 31 de agosto de 2013

Prezados senhores Achei curioso dormir em um cano, mas...... Veja este Hotel Torremolinos de Ubatuba e bem mais confortavel e tem uma vista Panoramica sem par. www.hoteltorremolinos.com.br se parece uma propaganda e a coinsidencia, NADA INTENCIONAL. Atenciosamente Dimitri Basmagi

Kitty em 18 de julho de 2011

Holá Ricardo, De jeito maneira eu acho uma solução albergar pessoas, no que parece ser casas de cachorros, além de ser aviltante colocar seres humanos em canos de esgoto. Claro que,também é indigno ver seres humanos morando debaixo de pontes;aqui no NE com o calor que temos e as chuvas intensas durante "the rainy season" morreriam de calor ou sairam rodando nas correntezas.Mas você colocou o tema como novidade, e,realmente chama bastante a atenção!É novedoso sim. Se não fosse por esta seção nunca saberíamos da existência destas habitações,valeu Ricardo. UM abraço/Kitty

Atento. em 18 de julho de 2011

Completando o comentário do JT: no nosso calor tropical, o interior atingiria uma temperatura e umidade insuportáveis. Além do que unidades habitacionais desse tipo demandariam dificuldades de transporte, dado o volume e peso de cada uma, o que seria ainda mais difícil em situações de catástrofes naturais. Creio que as barracas convencionais ainda são mais adequadas: mais fácil de transportar e manter, além de ser possível montar rapidamente toda uma comunidade, com ambulatório, sanitários, cozinha de campanha, vigilância, administração, etc, a um custo per capta mínimo. Sempre me pergunto: por que barracas são úteis para exércitos em campanha mas não são utilizadas para os desabrigados nas catástrofes? Talvez alguém da nossa Defesa Civil possa esclarecer.

JT em 17 de julho de 2011

Moradores de rua e usuários de drogas já se valem de manilhas de esgoto ou água de chuva para se abrigarem provisoriamente. Porém, de jeito nenhum eu, como arquiteto, recomendaria esta solução para os desabrigados brasileiros. É uma contradição irônica morar num cano de esgoto e não poder desonerar o intestino nele, mas se ficarmos restritos à questão técnica, o concreto usado neste canos possui pouca inércia térmica, ou seja: seus usuários passariam frio em noites frias e muito calor em noites quentes.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI