Nas vezes (poucas) em que menciona a possibilidade de o governo propor o fim do fator previdenciário, o ministro da Previdência – melhor dizendo, o ministro do Abacaxi, conforme ele mesmo intitulou sua pasta no dia da posse –, Garibaldi Alves, lembra que, com o fator, quanto mais baixa a idade com que o trabalhador se aposenta, menor é o valor do benefício.

O problema é que o fator previdenciário, criado para ajudar a equilibrar as cambaleantes contas da Previdência, pode perfeitamente ser lido de forma contrária, como um estímulo: quanto mais tempo o trabalhador demorar para requerer sua aposentadoria, maior será o valor do benefício.

Pelo jeito como se refere ao instituto, o ministro não está nem um pouco interessado em “vendê-lo” pelo seu lado positivo. As finanças da Previdência, nesse caso, sofrerão mais um golpe.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 12 =

Nenhum comentário

Vlademir Vive em 12 de julho de 2013

Caro Vlademir, não damos curso a abaixo-assinados ou manifestos no blog. Por várias razões, inclusive porque, se abríssemos uma exceção, haveria dezenas deles por dia. Sei que você compreenderá. Um abraço

Jorge em 22 de agosto de 2011

O fim do "FATOR PREVIDENCIÁRIO", não será um golpe. Mas, sim justiça para Classe Trabalhadora, Aposentados e Pensionistas. Golpe mesmo é essa "CORRUPÇÃO DESCARADA", junto ao Congresso Nacional. Até quando o povo brasileiro vai ter que aguentar essas "BARBARIDADES". Assim, não há dinheiro que chega.

Edilson em 19 de fevereiro de 2011

o fim do fator previdanciario naum sera um golpe golpe, quem aplica sao os politicos em geral ,e nesse caso nao existe regra .pra aulmentar seu propio salario em ate 60% eles sao rapidos .isso sim é um grande golpe . me oerdoe mas eu estou indignado.

Carlos Costa em 26 de janeiro de 2011

Tá tudo errado na previdência,desde a nomeação do dorme em pé, até as polpudas verbas, pagas a uma minoría, que sequer contribuiram. POBRE BRASIL.!!!ATÉ QUANDO.

Kitty em 25 de janeiro de 2011

Boa noite, Ricardo. Eu acho que ele, é o grande abacaxí.Que conhecimento ele tem sobre Previdéncia? Nenhuma, são apadrinhados políticos sem a mínima experiência sobre a pasta que deverão administrar. São fadados ao fracasso, como aconteceu com os Correios,perdendo a credibilidade por má administração. Quanto á o fator previdenciário,você acertou no comentário quando disse que deveria ser usado como um estímulo:quanto mais tempo o trabalhador demorar em pedir a aposentadoria,mas será o valor a receber. Um abraço. Valeu, prezada Kitty. Um grande abraço.

Roberto P Pedroso em 25 de janeiro de 2011

Caro Ricardo, concordo com o comentário do Marco sem duvida este deve ser um tema melhor explorado e discutido pela imprensa em defesa de uma população que em sua grande maioria não tem como defender seus próprios direitos. O fato não é se aposentar cedo ou tarde, o caso é a regra. Milhões de trabalhadores entraram (sem direito de opção) no sistema previdenciário com a regra de que receberia aposentadoria integral quando realizasse 35 anos de contribuição e, durante o jogo a regra foi alterada sem considerar os direitos adquiridos Já existe julgado que considera o fator previdenciário inconstitucional. (http://www1.folha.uol.com.br/mercado/839938-justica-de-sao-paulo-considera-inconstitucional-fator-previdenciario.shtml) Um trabalhador que durante 35 anos contribuiu com o INSS (420 meses de contribuição) e aos 52 anos requer o benefício ele tem uma perda de certa 40% dos rendimentos mensais a que teria direito – isso é ROUBO. Saliento ainda que não foram os trabalhadores e empresas, que mensalmente realizaram os depósitos de suas contribuições aos cofres do INSS, os responsáveis pelas fraudes ocorridas e má administração financeira que geraram este déficit tão comentado e muito pouco explicado.

Marco em 25 de janeiro de 2011

Caro R. Setti: Pois é, se tivesse investido o dinheiro da contribuição em capitalização, estaria milionário hoje. Tem q terminar com o fator da distribuição e passar para o d capitalização. Fora q o funcionalismo do INSS te atende com nojo e quando fazem greve adoram te EXPULSAR do recinto e te deixar na fila na rua. Com FHC era diferente o atendimento era em Shopping super organizado o INSS era realmente da SC. Tiraram esses serviços e deixaram com os Doentes... Abs.

Marco em 25 de janeiro de 2011

Caro R. Setti: Meu amigo, acho q vc deveria fazer um bem para a Sociedade Cívil, publicar mais vezes sobre esse assunto, acho q vc está prestes a se aposentar pelo INSS.É uma vergonha o que pagam para os aposentados q contribuiram pelo SM. Vejamos se vc contribui com 10 SM teria q estar recebendo R$5.400,00. Se não me engano o Teto é R$ 3.000,00 e pouco. Ouvi falar q a idéia do governo é transformar tudo em um salarião de R$ 800,00. E o que mais dói é ver Fundos de Pensões de Estatais cada vez mais ricos e os Funcionários públicos. Recebendo como se estivessem na ativa com juros e correções monetárias e aumentos. Uma das soluções é separar isso, com a chamada complementação dos fundos de pensões do Funcionalismo. Taxar em 30 % os Fundos de Pensões para o INSS fazendo q devolvam o q ganharão. FHC começou isso mas só taxou 5 %. Se existe dinheiro fácil e milionário é esse dos fundos de Pensões e Funcionalismo. Meu amigo Congratulations por Sampa ! Obrigado pelas congratulações por Sampa, caro Marco. Quanto ao INSS, já sou aposentado por lá, e e recebo pouquíssimo. Abração Abs.

Patricia em 25 de janeiro de 2011

Mas porque ele estaria interessado em alguma coisa que diga respeito ao povo? O dele já está garantido. Abacaxi é o que se tornou o Brasil para quem não tem uma boquinha ou esquema com o PT/Governo.. isso sim.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI