No primeiro, primeiríssimo post que escrevi para o blog, no dia de estréia — 13 de setembro passado –, chamei o PMDB de “uma jibóia faminta e insaciável, acostumada, há décadas, a triturar e digerir aliados – e a querer mais, sempre mais.”

Pois vejam só vocês: o partido que ironizei em post abaixo pelo “idealismo” do presidente Michel Temer (SP) e do governador do Rio, Sérgio Cabral, segundo os quais o PMDB só quer mesmo é participar da formulação de políticas públicas, detém no governo Lula os seguintes postos:

* Presidência do Banco Central (teoricamente, é verdade, já que o presidente do BC, o ex-deputado eleito pelo PSDB de Goiás, é filiado ao partido mas não obedece a suas diretrizes, mantendo conduta técnica no cargo; mesmo assim, entra na conta);

* Ministério das Comunicações

* Ministério da Saúde

* Ministério da Defesa

* Ministério da Agricultura

* Ministério da Integração Nacional

* Ministério das Minas e Energia

Está, ainda, infiltrado num sem-número de estatais, como os famigerados Correios, empresa exemplar até apodrecer nas mãos de políticos, e em agências reguladoras.

Isso tudo na situação atual, em que apóiam o governo Lula no Congresso.

Agora eu pergunto: tendo, no governo Dilma, seu próprio presidente, Michel Temer, como vice-presidente da República, eleito na coligação formal PT-PMDB, vocês acham que o partido vai se satisfazer apenas com isso?

A jibóia faminta e voraz vai querer mais, mais e mais — podem escrever.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + 5 =

Nenhum comentário

Leonardo Arrais em 04 de novembro de 2010

Analisando o PMDB de tempos passados, de outros governos, o partido vai querer sim abocanhar mais cargos no governo federal que se iniciará em 2011.Pois assim tentarão garantir nas eleições de 2012 o máximo de prefeituras pelo interior do Brasil, para que em 2014 seja dada uma tremenda rasteira no PT e ter neste mesmo ano uma candidatura própria, deixando o PT a esmo com partidos nanicos de esquerda. Esse é o PMDB. É isso mesmo, caro Leonardo. Abração

Gilmar em 04 de novembro de 2010

Não há como criticar o PT sem envolver o PMDB. O partido, desde o MDB, foi um dos pilares da democracia. Não há como negar. Assim como o próprio PT. Mas hoje trilham um caminho tortuoso. Que não estão indo bem é evidente. Que o terceiro mandado do PT somente foi possível com o apoio do PMDB também é evidente. Merece críticas sim. Contundentes.

Ricardo dias andrade em 04 de novembro de 2010

haha, PMBD deixou de ser o MDB de Ulysses faz tempo! O PT, o PSDB, tem certo alinhamento com alguma ideologia, agora o PMDB, me parece atualmente ser uma planta parasita em torno do governo, se tivéssemos um presidente com alinhamento de hitler, ou do stalin, lá estaria o PMDB pedindo ministérios.

José Américo C Medeiros em 04 de novembro de 2010

O PMDB soçobrou junto com o helicóptero em que viajava Ulisses Guimarães, em 1992, na Baía de Angra dos Reis. Não resistiu à perda do grande Timoneiro.

Mauricio em 04 de novembro de 2010

"Mais uma vez me deparo com comentários sobre José Dirceu e os mensaleiros. Entretanto, quem comentou esqueceu (?) de mencionar que o esquema dos mensaleiros do Valério começou com Eduardo Azeredo (do PSDB de Minas Gerais). Também, esqueceu (?) de mencionar o mensalário de Brasília de José Arruda e patota (do DEM), sendo que estes apoiaram a candidatura José Serra. Será que houve 'esquecimento' ou o comentarista não quis mencionar isso pois se tratava de 'factóide petista'?" E VIVA A DEMOCRACIA! Caro Maurício, não me deixe numa saia justa. Seu comentário foi precedido de queixas a respeito de um colega que não o publicou. Publico aqui, mas peço que você reclame diretamente ao colega. Não acho eticamente correto usar minha coluna para criticar um colega. Sei que você, como advogado, entenderá minha posição. Mas aqui você sempre verá publicada sua opinião, de que teor for, desde que dentro daqueles parâmetros mínimos de civilidade que os amigos do blog já conhecem. Um abração

berlatto em 04 de novembro de 2010

Caro Ricardo! Fico pensando cá comigo se Ulisses Guimães, Mário Covas estivessem vivos. Provavelmente não teriam deixado o PMDB chegar ao fundo do poço da imoralidade no qual se encontra atualmente. Mas, infelismente não temos mais figuras como estes dois expoentes da ética e da moral na política brasileira. Esses foram outros tempos, caro jornalista. Agora quem dá as cartas são estes "gigantes" morais como: Temer, Sarney, Jader, Jucá, Renan - virgem mãe...socorro.

José Américo C Medeiros em 04 de novembro de 2010

O PMDB afundou-se, infelizmente, com o helicóptero que naufragou na Baía de Angra dos Reis conduzindo Ulisses Guimarães (1992). Veremos os nomes que serão apresentados para compor o Governo Dilma. Que estrago fez o rei Lula.

Pedro Erik em 04 de novembro de 2010

Não entendo, Setti, infelizmente. Parece-me que perdoa o padrão atacando o empregado que recebe ordens. O que é o PT sem o PMDB? Continua sendo o PT. O que é o PMDB sem o PT? Nada. Terá de procurar outro patrocinador.

Angelo Losguardi em 04 de novembro de 2010

Jibóia faminta? Tá falando do pt, né? Perto da cleptomania petista, o apetite do pmdb é de faquir.

elizio em 04 de novembro de 2010

Caro Ricardo Setti: O que está acontecendo com os nossos CORREIOS? Moro num condomínio, 96 apartamentos. Temos uma agência central de distribuição distante apenas uns 500 metros daqui. Estamos recebendo visitas dos carteiros uma vez, no máximo duas, por semana; muitas contas a pagar chegam atrasadas. Lembramos que a empresa já foi considerada uma das melhores do mundo, hoje está numa penúria lascada. Já teve escandalos, trocaram diretoria, parece que a situação dessas franquias está para estourar, caramba, estão conseguindo destruir tudo o funcionava bem? Campo Grande - MS Os Correios foram a estatal mais apodrecida pela politicagem no governo Lula. Até o ex-ministro José Dirceu, em entrevista ao Roda-Viva da TV Cultura, reconhece que lá é preciso uma operação de emergência, com gestão técnica, realização de concursos a toque de caixa etc. A explicação é simples: má gestão, politicagem, roubalheira. Um dos primeiros desafios à presidente Dilma. Abraços

Pedro Erik em 04 de novembro de 2010

Setti, Se o PMDB é a "jibóia faminta" o PT é o quê? Não gosto dessa sua abordagem (é a abordagem que chamo de "Folha de São Paulo"), pois parece que o PMDB é o único da coligação que é voraz por cargos, fundos de pensão, estatais... Tá mais do que na hora do Brasil ver que o petismo é muito mais dominante e destruidor do que os corruptos do PMDB. Estes, historicamente, estão relacionados a corrupção. O PT, mais neófito no poder, mostrou que rouba muito mais e ainda destrói as instituições (Receita, TSE, CGU, Congresso Nacional, STF, ...) Caro Pedro, critiquei tanto o PT nos últimos tempos que gostaria, agora, de debruçar-me um pouquinho sobre o PMDB. Sei que você entende. Abração

Hélio Pimentel em 04 de novembro de 2010

E sobre a voracidade do PT, por que você não comenta? Houve uma coligação... por que os cargos do PT são naturais e os cargos dos partidos aliados são vistos de outra forma? A voracidade do PT, caro Hélio, é comentada neste blog de uma forma que não poucos leitores consideram excessiva. Quantas vezes, por exemplo, não mencionei aqui sobre o aparelhamento do estado com sindicalistas amigões do presidente -- e não necessariamente competentes para os cargos que ocupam? Abraços e volte sempre.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI