Image
Esta é a segunda e poderosa porta de acesso ao cofre, 36 metros abaixo do nível da rua © Foto: Banco de España

O Banco da Espanha, criado como Banco Nacional de San Carlos em 1782 e que equivale ao Banco Central do país, dispõe de um cofre forte considerado um dos mais seguros do mundo, uma fortaleza formidável aonde se chega por uma série de galerias no coração de Madri.

Image
A primeira porta, no nível da rua, é por si só um colosso: pesa 16 toneladas © Foto: El Mundo

Lá estão guardadas mais de 62 toneladas de ouro, em cerca de 5 mil lingotes de ouro, barras numeradas, em formato trapezoidal, com 12,5 quilos cada uma, além de 2 milhões de moedas do metal de diversas épocas.

O valor dessas reservas varia diariamente, conforme as cotações do ouro.

Image
A sede do Banco da Espanha, na calle de Alcalá, no centro de Madri © Foto: Luis García

Para chegar ao cofre forte é preciso percorrer um labirinto, começando no piso térreo, depois de aberta a primeira porta, que pesa 16 toneladas. Em seguida, há que descer por um elevador os 36 metros de túnel vertical, bem abaixo das águas do grande chafariz da Praça de Cibeles.

Image
Atrás da segunda porta fica um fosso que só pode ser superado mediante uma ponte retrátil no melhor estilo da Idade Média

Neste nível, mais uma porta poderosa de16,5 toneladas protege uma ponte retrátil, que leva à última porta não tão pesada –8 toneladas –, mas extremamente sensível: existe um ângulo correto para se encaixar, em seu mecanismo de fechadura, uma chave especial. Qualquer desvio milimétrico e o mecanismo trava.

Image
Esta é a porta que guarda o santuário de ouro © Foto: Banco de España

O cofre foi escavado em 1933, à base de dinamite, pá e picareta, envolvendo 260 homens que extraíram 22.000 metros cúbicos de terra, em uma obra que custou o equivalente, hoje, a 15,8 milhões de euros (perto de 19,2 milhões de dólares).

As portas vieram de uma empresa especializada, a York, do Estado norte-americano da Pensilvânia, e necessitaram de gruas especiais para serem baixadas a seus lugares correspondentes.

Cofre forte e a fonte de Cibeles

Image
A fonte de Cibeles © Foto: Carlos Delgado

A fonte de Cibeles homenageia a deusa da mitologia grega símbolo da fertilidade da natureza e é guardiã do tesouro espanhol, pois faz parte do esquema de segurança do cofre. A presença de algum estranho nas dependências de segurança faz soarem alarmes, todas as portas fortificadas se fecham automaticamente e os corredores são selados. A fonte é o derradeiro recurso de defesa do supercofre.

Image
A água da fonte faz parte do esquema de segurança

Acima do cofre forte corre um canal de águas subterrâneas, o canal das Pascualas ou de Oropesa, um extenso rio subterrâneo que abastece a fonte. Em caso de uma emergência, que até hoje não ocorreu, um sistema permite inundar em segundos todas as instalações subterrâneas do banco.

VEJAM O VÍDEO:

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois − 1 =

26 Comentários

Paul em 02 de junho de 2014

Aqui as coisas sao mais simples, pois ha' a cueca cofre!

Roberto em 02 de junho de 2014

Se esse cofre, fosse no Brasil o PT, já tinha esvaziado, independente da segurança.

Renato Carvalho em 02 de junho de 2014

Pergunto: de onde vem esse ouro todo e em que condições foram extraídos? Com certeza, muitas mortes e explorados pelo caminho.

Marcio em 31 de maio de 2014

Interessante. Este blog é bom, pois mistura política com informações gerais sobre cultura e história, além de mulheres bonitas. Fiquei interessado em saber se no Brasil há algum cofre semelhante, na Casa da Moeda ou em algum outro lugar, pois certamente também devemos ter no Brasil algum ouro guardado ou não?

Charles A. em 31 de maio de 2014

O nosso ouro deve estar na cuecas dos membros do diretório central do pt,tsc,tsc...

Sylvio Haas em 30 de maio de 2014

Achei a tua descrição bem mais emocionante que o vídeo. Mais uma vez, o livro é melhor que o filme. À medida que ia te lendo, imaginava Tom Cruise, Michael Caine, Charles Bronson, enfim, a tchurminha de sempre em filmes de assaltos planejadíssimos a Bancos. Valeu!

MIDAS em 27 de abril de 2014

As regras para publicação de comentários no blog, conforme relembrei aos amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito à boa educação, aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web. Como presumo que você saiba, palavras em maiúsculas significam palavras gritadas, não é mesmo? Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm Obrigado

alberico em 02 de setembro de 2013

Não publico ofensas pessoais. É perfeitamente possível criticar a um político, seja ele quem for, sem lançar mão de ofensas. Conto com sua cooperação da próxima vez.

anselmo em 02 de setembro de 2013

Queria ver o cofre do Mollusco.....

Sasha Bender em 02 de setembro de 2013

Agora imagine a operação que foi para evacuar as mais de 500 toneladas de ouro para a União Soviética durante a Guerra Civil Espanhola...

Medico-professor em 01 de setembro de 2013

Mudando no mesmo assunto ... esta e umas pracas mais lindas que ja conheci.

gilnei em 31 de agosto de 2013

Toda essa segurança aí as pessoas morrem e fica tudo aí pra outros disputarem.

arilson sartorato em 31 de agosto de 2013

Atenção seguranças do Banco da Espanha, agora que a petezada viu esta matéria, reforcem a segurança, se não já era.

M@theus em 31 de agosto de 2013

Caramba, ladão nenhum deve ousar roubar esse ouro, nem os petralhas, kkkkkkkkkkkk...

Gilmar Silva em 31 de agosto de 2013

Para quem se interessa pelo assunto, sugiro uma visita ao Museu de Valores do Banco Central em Brasília, que possui uma bela coleção e que faz o visitante entender um pouco onde foi parar a riqueza surrupiada do Brasil por portugueses e ingleses. O acervo conta, por exemplo, com barras de ouro de cerca de 12 quilos e moedas do tempo do descobrimento e do império. Uma das principais atrações é, sem dúvida, a Pepita Canaã, a maior peça de ouro bruto já encontrada no país e uma das maiores em exposição no mundo. Vale a visita que, aliás, é gratuita. Abs!

Leonardo em 31 de agosto de 2013

Renata Comin - 30/08/2013 às 23:14, Sé acha hein Setti, será que é uma petralha????

Adaulto em 31 de agosto de 2013

Não seria mais interessante vender esse ouro todo e minimizar a fome pelo mundo afóra ?

otavio em 31 de agosto de 2013

e a crise da Espanha ???

Luís Henrique S em 31 de agosto de 2013

Artigo muito bom! Parabéns. E lhe parabenizo pela sua atitude de responder os comentários com respeito e seriedade! Pouquíssimos fazem isso, continue assim! Muito obrigado por seu comentário generoso, caro Luís Henrique. Um grande abraço

Renata Comin em 30 de agosto de 2013

Acima é junto! No mínimo um corretor de texto, por favor... Obrigado pela lição de português, idioma que, como se pode constatar, ignoro por completo. Agradeço sobretudo a enorme delicadeza, gentileza e educação do comentário. Saudações cordiais.

luiz em 30 de agosto de 2013

Quanto desse ouro foi saqueado do Brasil?

Diego em 30 de agosto de 2013

Maior tesouro dos espanhóis provindo do Brasil. Se não fosse o ouro surrupiado, seriamos outra nação, mas infelizmente, a corrupção começou dos primórdios e prevalece até os dias atuais! Infelizmente daqui uns 80 anos vou morrer e infelizmente não vou ver esse problema solucionado!

Naelson em 30 de agosto de 2013

É de se esperar que mais da metade deste ouro seja provenientes da era das colonizações, principalmente do Brasil! O outro atual, provavelmente, não. E o ouro que a Espanha colonial roubou das Américas veio quase todo dos atuais países hispano-americanos. Quem nos roubou foi Portugal e a Inglaterra, via seu subalterno aliado de então.

Marco Balbi em 30 de agosto de 2013

Setti! A próxima vez que estiver em Madri olharei com mais cuidado o prédio! As Cibeles a gente sempre admira, não é verdade? Pois acredita que eu, com tantos anos vindo a BCN, não visito Madri há mais de dez anos? Abraço

Rodrigo em 30 de agosto de 2013

Nem o Tio Patinhas conseguiu fazer uma dessas... Bem que poderíamos ter uma igual essa aqui para impedir que os Petralhas nos roubem, como fazem desde 2003...

AlexRio em 30 de agosto de 2013

É quase do tamanho do da minha casa, Setti. Hahahahaha...Boa! Este cofre é muito interessante, mas é antigo. Há uns cofres-fortes para guardar outro tipo de coisa, como os arquivos dos mórmons, nos Estados Unidos, que são inacreditáveis. O dos mórmons é inscrutrado um uma montanha de granito, a prova de bomba nuclear etc etc. Abraço

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI