O senador, que era de oposição, morreu. E o suplente apóia o governo. Loucuras da legislação partidária

Os absurdos, verdadeiras loucuras, da legislação partidária no Brasil não cessam de pipocar. Não sei se vocês leram recente entrevista do empresário Clésio Andrade, suplente de senador por Minas Gerais e ex-vice-governador no primeiro mandato do então governador Aécio Neves (PSDB).

Com a morte do senador e ex-ministro Eliseu Resende (DEM-MG), de quem ele era suplente, Clésio terá 4 anos de mandato pela frente e avisou:

— Não há hipótese de eu ir com Aécio contra Dilma.

Pois o suplente, ex-DEM, partido aliado de Aécio e de oposição a Dilma, é agora do PR e, portanto, aliado da presidente.

Então morre o senador titular, que era de oposição, e assume seu suplente, que é governista.

Como é que fica o eleitor nessa situação?

Certas coisas, como a jabuticaba e buzinar dentro de túneis e esse tipo de suplente de senador, só acontecem no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 10 =

Nenhum comentário

  • gaúcha indignada

    “Pelo andar da carruagem”, a situação caótica não muda tão cedo. A Criatura/fantasma não pretende “discutir” a reforma política, eis que este assunto vai mostras a “CARA” do partido da taxa de sucesso, e, assim, o circo continua……

  • SergioD

    Ricardo, por essas e outras propus recentemente aqui no BLOG que nenhum parlamentar deveria assumir cargos executivos enquanto permanecesse o sistema proporcional para a Câmara dos Deputados e essa esdrúxula figura do suplente de Senador sem votos.
    Votamos nos legisladores para que tenham uma participação no Parlamento, não para que usem os seus votos de trampolim para outros cargos onde, certamente, terão maior visibilidade e, consequentemente, maior chance de manter o mandato na eleição seguinte. Pior, ao deixar o cargo executivo, ele pode retomar a sua cadeira no Parlamento. Nesse período assume um suplente na maioria das vezes desconhecido.
    Pelo que acompanho, não vejo essa movimentação de Deputados e Senadores assumindo cargos executivos nos EUA. Acho que por lá os políticos respeitam mais os votos que recebem. Na Inglaterra parlamentarista eu acho que é diferente. Me corrija se eu estiver errado, mas lá o deputado que assume um ministério mantém a cadeira no Parlamento para que não ocorra alteração no número de cadeiras do governo na Câmara dos Comuns.
    Voltando ao ocorrido com o Senador Eliseu Resende, em caso de morte do Senador deveríamos fazer como alguns estados americanos, simplesmente convocar outra eleição, e no caso de estar próxima a renovação da legislatura, eleger o Senador através da Assembléia Legislativa do estado para o cumprimento o resto do mandato.
    Convenhamos, já está mais que na hora dessa nossa legislação partidária/eleitoral ser mudada. No entanto, sabe quando isso vai ocorrer? …….
    Um abraço e obrigado por lembrar o nome do livro do FHC.

  • Patricia

    E quem se importa com eleitor depois de ganhar a eleição?? O eleitor que se dane… essa é a regra vigente. Estamos todos entregues à própria sorte. Por essas e outras há anos me recuso a votar nessa cambada. Lamento… essa história de voto útil não cola. Votar é um DIREITO e não um DEVER, sujeito a multas e penalidades, ou pelo menos deveria ser.

  • joão lavador.

    “Franco”, o homem, não é mesmo? Paraquedista, também é?

  • Jose Figueredo

    Minas…Minas…óh!políticos de Minas Gerais,voces me deixam com a pulga atraz da orelha…

  • Elvio

    Caro Ricardo,
    CNT/Sensus+Sr Clésio = Senador?
    Como péssimo jogador de xadrez, pergunto: qual o interesse patológico da CNT por pesquisas eleitorais? Resultou em ao menos 01 cm2 de pista decente nas BR´s?
    Bom retorno o ano vai ser duro.
    abs
    Elvio

    Obrigado pelos votos de bom retorno, caro Elvio.

    Sim, é o homem do CNT/Sensus. O que a CNT gastou de dinheiro em pesquisas… Espero que ele saiba explicar a seus diretores e seus pares.

    Abração

  • Diocleciano

    Esse Clésio Andrade é um tremendo de um corrupto.
    Para quem não se lembra ele esteve envolvido no que se convencionou chamar de “Mensalão mineiro”. O esquema tinha por objetivo desviar dinheiro de empresas públicas para financiar a campanha do candidato Eduardo Azeredo ao governo do estado. Segundo relatório da Polícia Federal as empresas estaduais faziam pagamentos superfaturados à Marcos Valério; que repassava o dinheiro aos candidatos. Mas não foi só Azeredo o Beneficiado; consta no relatório da PF que Aécio Neves, então candidato a deputado federal, recebeu cerca de 100 mil reais do esquema. Ao todo teria sido desviado dos cofres públicos do estado de Minas cerca de 4 milhões de reais. É o que diz a PF.

  • ana

    Esse Clesio e um ****!Minas e o Brasil sabem disso… Vcs imaginam que ele alem de ser mentor do mensalao… Nao para de ***** e ****** com o dinheiro da CNT,politicos para agirem em seu interesse. a mulher e ***** tbem e Conselheira Do TCE MG, imaginem?!!! Ele mandou **** uma mulher que *** ***** *** *****, mas o Aristides ,um de seus amarra cachorrosb salvou apobre da **** ***** ***** ***** ****** do Clesio em 1996, e **** ***** ***** ****** ***** **** vc sabe Adriene?

    Cara Ana, não posso publicar acusações pessoais tão graves sem que você forneça qualquer prova. Juridicamente não posso fazer isso. Sei que vc compreende.

  • Antonia Tavares

    SR. RICARDO SETTI, POR QUE VOCÊS DA REVISTA VEJA NÃO CONSEGUEM VER AS COISAS BOAS QUE O GOVERNO DO PT FAZ E FOCAM, SOMENTE E INSISTENTEMENTE, NO QUE DESABONA O GOVERNO, HEIN ? ESSE TIPO DE OPOSIÇÃO (SE HAY GOBIERNO, SOY CONTRA) É TOTALMENTE ANACRÔNICA, VIU ? AMADURECER É PRECISO, PARA QUE OS LEITORES DE SUA REVISTA NÃO FIQUEM MAL INFORMADOS, O QUE SERIA PEGARIA MUITO MAL PARA VOCÊS !!!