Image
O TGV francês, que agora chega à Espanha: inaugurado em 1981, transportou 100 milhões de passageiros transportados em 2010

A França possui trens de alta velocidade desde 1981, a Espanha desde 1992, mas só agora a antiga aspiração de franceses e espanhois de ter os dois países ligados por esses trens está se realizando. O fantástico  trem de alta velocidade francês, o TGV (Train à Gran Vitesse) cruzou dias atrás a fronteira franco-espanhola e chegou à estação de Figueres, na Catalunha — a terra natal do pintor Salvador Dali, onde fica o Museu-Teatro Gala e Salvador Dali, o principal acervo do artista no mundo e forte centro de atração turística.

Em linha férrea devidamente adaptada para suas características pelo governo espanhol, o TGV chega a Figueres — a apenas 40 quilômetros de Girona, a segunda cidade mais importante da Catalunha, e a 140 de Barcelona, a capital — vindo de Perpignan, na França, a 60 quilômetros de distância.

Para que o supertrem pudesse chegar à estação de Vilafant, em Figueres, França e Espanha, em cooperação, contruíram um túnel sob os Pireneus. O TGV, inaugurado em 1981 na linha Paris-Lyon, anda a 320 quilômetros por hora, em média, embora em testes já tenha ultrapassadoos 570 quilômetros horários. Liga as principais cidades francesas e tem ramais para vários países vizinhos. Transportou 100 milhões de passageiros no ano passado.

Agora, pode-se chegar de Figueres à Gare de Lyon, em Paris, em 5 horas e meia.

O governo espanhol, por sua vez, apesar da crise econômica que obrigou a uma redução de investimentos, continua trabalhando na conexão de Barcelona a Girona pelo seu próprio e excelente trem rápido, o AVE (Alta Velocidade Española).

Enquanto isso, no Brasil, ninguém sabe se vai sair o trem-bala São Paulo-Rio, e muito menos se ele é prioritário.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − seis =

6 Comentários

Kitty em 09 de fevereiro de 2011

Caro Ricardo, Essa é a resposta mas do que certa e que comparto com VC em sua totalidade. Sonhadores ? Aproveito este espaço para lhe comentar o que acabei de escutar na Tv.italiana RAI: A interessante entrevista feita ao escritor francês STEPFANE HESSEL autor do livro "IDEGNEZ VOUS".( indignar-se).Pois é,caro Ricardo, me parece que aquí e alhures padecemos dos mesmos problemas, a tremenda inversão de valores e a incapacidade de indignar-nos. Peço-lhe desculpas pela invasão do espaço, mas achei útil comentar. Obrigada e até logo em Política & Cia

Kitty em 09 de fevereiro de 2011

Olá Ricardo, Interessante e atual é o post de hoje. A Europa do post-guerra com a ajuda do Plano Marshal primero,e a pujança econômica depois, entenderam que trasporte de massas de qualidade, era imprescidível para atender o grande fluxo de turistas vindos de todas partes do mundo,e ao mesmo tempo,dar conforto e segurança aos usuarios de seus respectivos países.Então,o investimento em ferrovías foi prioritário.Apostaram alto e os resultados foram realmente fantásticos.A conjunção de alta tecnologia,sofisticação e velocidade tem sido a fôrmula certa para o êxito. Ricardo,o que VC posta em termos de velocidade, não dá para acreditar,320 KM por hora!!!! Intendo a sua leve tristeza,o Brasil,este quase continente,precisaría ter o trem-bala que liga S.Paulo-Rio.E muitos trens velozes que ligassem varios estados.A sua pergunta é pertinente:ele é prioritário? Difícil responder. Deixo que voçê responda o que sería prioritário, então? Um abraço e valeu o texto!!!!!!!!! Obrigado, cara Kitty. Para mim, seria prioritário estabelecermos uma rede ferroviária básica, moderna, de excelente qualidade, que ligasse os pontos mais importantes para cargas e passageiros, antes do trem-bala. Abração

Feliciano Dias em 27 de janeiro de 2011

Ricardo, desconsidere o comentario anterior, historicamente começou mesmo em 1981, mas que em 1975 fui de Lyon a Paris num trem que todos chamavam TGV, fui. Comeu grande parte do meu parco salário.

toninho em 26 de janeiro de 2011

Tomara que a Dilma não queira saber o preço do Trem de Alta velocidade francês, basedada na negociação dos caças, nois vai pro brejo de vez.

José Alberto Scur em 26 de janeiro de 2011

que adianta ser prioritario ou não? a imprensa toda esta contra, o governo é incompetente para realizar a obra, enfim, este pais é uma mer..

caipira mermo em 26 de janeiro de 2011

Ricardo Ainda é segredo, por isso não espalhe. O "nosso" sairá de Campinas,passará por S.Paulo, alcançará o Rio,Vitória,Salvador,Recife e acredite,Fernando de Noronha! Os branco de zóio azur vão se ralá de inveja.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI