Image
A bandeira de comando em Bagdá é baixada, para ser guardada: fim de uma guerra controvertida, que custou uma fábula em vidas humanas, sofrimento e dinheiro (Foto: Getty Images)

Um dia histórico para os Estados Unidos e para o mundo, e celebrado praticamente em silêncio.

Após nove anos de uma guerra extremamente polêmica seguidos de ocupação militar, de 4.500 soldados americanos mortos, de 30 mil feridos e de pelo menos 100 mil iraquianos mortos e um número incalculável de vitimados pela guerra por outras formas, o presidente Barack Obama declarou o fim do conflito do Iraque e anunciou a retirada dos poucos milhares de soldados americanos remanescentes.

Washington ainda negocia a permanência no país de um pequeno contingente de 4 mil homens.

Uma cerimônia singela, sem discursos mas cheia de simbolismo, decretou, em Bagdá, o fim também de um sorvedouro de recursos que drenou a superpotência em mais de 1 trilhão de dólares.

Image
Soldados da 4ª Brigada da 2ª Divisão de Infantaria “Raiders” a bordo de avião militar: de volta para casa

Em contraste com a pompa, a circunstância e o ardor guerreiro com que o então presidente George Bush anunciou, em março de 2003, o início do ataque ao Iraque, militares americanos arriaram, no fortificado centro de operações que mantêm na capital do Iraque, a bandeira de comando que tremulou durante todo esse tempo sobre os céus da cidade.

Conforme tradição do Exército, a bandeira foi cuidadosamente dobrada e guardada numa bolsa de tecido do tipo camuflagem, sob toque de corneteiro.

Image
Obama às tropas em Fort Bragg, Carolina do Norte: gratidão aos militares e boas-vindas aos que voltam

Em Fort Bragg, na Carolina do Norte, uma das maiores instalações militares dos Estados Unidos, o presidente Barack Obama já agradecera, na véspera, aos combatentes ali baseados e disse aos soldados ainda no Iraque: “Benvindos de volta a casa”.

Hoje, em mensagem por email dirigida a milhões de americanos desde a Casa Branca, Obama escreveu, a certa altura, que “este momento de sucesso” é resultado do esforço, da dedicação e do patriotismo dos militares. “Mais de 1,5 milhão de americanos serviram no Iraque”, lembrou Obama, assinalando os mortos e feridos. “As famílias dos militares americanos suportaram uma enorme carga. No momento em que registramos o final desta guerra, precisamos mostrar a nossos veteranos e a suas família que a nação lhes é extremamente grata. “

Não sei, não, amigos, mas acho que Obama, com todas suas idas e vindas, suas trapalhadas, hesitações e recuos, vai ser reeleito.

Anotem aí.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete − 4 =

Nenhum comentário

Alaércio Flor em 23 de dezembro de 2011

Ganhar a eleição novamente, o Obama ganhará.Agora,o que ele vai fazer com a máquina de guerra desmobilizada???Vai dar bolsa família pra todos ficarem casa esperando a proxima guerra????Os Estados Unidos são a Roma de hoje, não vivem sem fazer uma guerra...

aleksandro em 22 de dezembro de 2011

"fim da guerra"... pra eles, agora sunitas e chiitas vao tocar o terror pelo dominio do que um dia foi um país!

Ramiro S. Figueiredo em 18 de dezembro de 2011

Por favor, falem de Ron Paul, ele está revirando a midia americana. Eles tentam ignora-lo mas nao conseguem o povo está clamando.

Anthony Kudsi Rodrigues Rodrigues em 17 de dezembro de 2011

Fim da guerra do Iraque? Na verdade, eu acredito mais em mais uma retirada estratégica tipo:"pede para fazer xixi e sai".A tecnologia aérea dos EUA é fantástica, entretanto, quando esta "potência com os caninos desgastados" tem que combater em terra para ocupar, a compra de "fraldões" pelo Pentágono aumenta assustadoramente,respondendo pela maior parte deste défict público de 1 trilhão de dólares, pois os "valentões" ficavam escondidos nos porões de suas bases e prédios públicos, não botando a cara para fora, nem para sentir o cheiro da "ca@#da" que eles fizeram. Ademais, que negócio é este "de que as famílias dos soldados americanos suportaram a maior carga..", e as famílias iraquianas agredidas, como lidam com os seus CEM MIL MORTOS?

Paulo Cesar Ferreira em 17 de dezembro de 2011

Obama só será reeleito se os republicanos se comportarem como os candidatos do PSDB, como bananas. Obama é uma Farsa e o povo americano já percebeu.

Pedro Luiz Moreira Lima em 17 de dezembro de 2011

Setti e amigos: O grande critico e cineasta Michael Moore define bem Republicanos e Democratas - "Os americanos a cada nova eleição de presidente,somente esperam qual o novo país a ser bombardeados e onde seus filhos serão mortos." In Michael Moore we trust - mas ao contrario preferem destrui-lo. Pedro Luiz Moreira Lima

SergioD em 16 de dezembro de 2011

Ricardo, eu ia comentar esse post mas a Eliane(RJ)escreveu como se os meus dedos estivessem digitando. Grande comentário o dela. Quando Obama venceu a eleição em novembro de 2008 comemorei como se o meu time tivesse sido campeão mundial. Com o fim do governo Bush assistimos ao final de uma era terrível de sordidez e arrogância na política americana. Uma era onde os americanos atuaram com uma desfaçatez impressionante. Bem, arrogantes eles sempre são, em menor ou maior grau, dependendo do governo. Um abraço

MEDEIROS em 16 de dezembro de 2011

..e as bases de CUBA, GUAM,ETC.....QUANDO VÃO SER DESOCUPADAS...O Iraque é perfumaria demagógica!

roby em 16 de dezembro de 2011

Eu aposto, sim! Acho que os desdobramentos da "primavera árabe" e o imbróglio iraniano — que ainda não mostraram no que vão dar — terão um peso maior junto ao eleitorado americano. Aliás, embora no momento não se veja alternativa viável, os americanos merecem alguém mais capaz, cuja "eficiência" não se restrinja à propaganda populista — praga a que nós brasileiros já devíamos estar acostumados, não é mesmo?

Eliane (RJ) em 15 de dezembro de 2011

Espero que ele seja reeleito. Eh um homem capaz, muito bem preparado, equilibrado e que pegou um pais em frangalhos: duas guerras simultaneas e uma economia em declinio. Tem uma oposicao no congresso que deveria fazer nossos deputados e senadores morrerem de vergonha! E mesmo assim, aos poucos, esta fazendo diferenca. A cada promessa de campanha cumprida mais se distancia do que nos conhecemos aqui como "politicos". Em tempo: nao compactua com corrupcao e em toda a sua vida politica nunca se ligou a "malfeitos". E olha que eh um politico de Chicago, estado de Illinois, famoso por politicos corruptos (pela otica americana - aqui seriam meros pivetes!). Parabens por seu blog. Sempre passo por aqui e gosto muito da variedade de assuntos que vc tao bem aborda. Um abraco. Muito obrigado por suas boas palavras a respeito do blog, Eliane. Volte sempre! Um abraço

Tuco em 15 de dezembro de 2011

. Um dia eles teriam (terão) de sair do Iraque. Mas a história nos ensina que é aí que iniciam-se os maiores problemas... Pobre povo iraquiano, ficará à mercê sabe-se lá do quê... Acredito que o "rescaldo" seja pior do que a guerra. .

Corinthians em 15 de dezembro de 2011

Eu aposto que ele não será reeleito. Não foi capaz de cumprir o que prometeu, e pelo que vejo estão muito descontentes com ele. Infelizmente ele tem um trunfo - a oposição lá também está batendo cabeça e não está unida, não tem um nome agregador. Mas ainda assim eu aposto que Obama não será reeleito. A questão econômica é mais forte.

Vera Scheidemann em 15 de dezembro de 2011

Espero que seja reeleito. Ele merece mais uma chance. A herança deixada por Bush (mais do que maldita) é, em grande parte, responsável por todas as diiculdades pelas quais o governo e o povo americano têm passado. Vera

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI