Image
O labirinto de mais de 60 mil metros quadrados: “Vai Usain!” (Foto: Dangerousminds.net)

Enquanto o mundo esfrega as mãos à espera da estreia de Usain Bolt nas eliminatórias dos 100 metros rasos, prevista para este sábado, dia 4, às 6 horas da manhã (horário de Brasília), alguns fãs mais exaltados do sobre-humano corredor jamaicano dão suas demonstrações de apoio ao ídolo.

Nada, porém, que se compare à obra criada pelo fazendeiro Tom Robinson, que utilizou uma plantação de milho em sua propriedade no condado de Staffordshire, centro-oeste da Inglaterra, para talhar um complexo labirinto verde de 60,7 mil metros quadrados dedicado ao homem mais rápido do mundo.

Sonho olímpico

Robinson, que diz ter sonhado com novo triunfo e recorde do atual campeão olímpico dos 100 e 200 metros rasos e revezamento 4 x 100, reproduziu minuciosamente a célebre silhueta de Bolt em seu gesto típico de comemoração nas vitórias. Abaixo, escreveu a mensagem “Go Usain!” (“Vai, Usain!”). O trabalho foi batizado pelo autor como The Amazing  Usain Bolt Maize Maze (“O Incrível Labirinto de Milho de Usain Bolt”).

Ele garante que, mesmo com a mutilação “artística” do campo de milho, a o cultivo já está em sua metade e a colheita não sofrerá grandes interferências.

 A expectativa em torno de Bolt

Após desempenho demolidor nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, quando além de faturar as três medalhas de ouro quebrou uma trinca de recordes mundiais – nos 100 metros rasos (9.69 segundos), 200 metros rasos (19.30 segundos) e revezamento 4 x 100 metros (37.10 segundos) -, Usain Bolt arrasou também no Mundial de Berlim no ano seguinte, superando suas próprias marcas, com 9.58 nos 100 metros e 19.19 nos 200, além de vencer nos 4 x 100.

Em seguida, no Mundial de Daegu, Coreia do Sul, em 2011, participou do quarteto de velocistas jamaicanos que registraram novo recorde mundial nos 4 x 100 (37.04) e arrematou outro ouro nos 200, mas queimou a largada na final dos 100, sua especialidade e prova mais importante do Atletismo.

Por causa disso, e por ter sido derrotado duas vezes nas recentes seletivas para os Jogos por seu compatriota Yohan Blake, a expectativa em torno do que pode fazer Usain em Londres é enorme. E ele não foge da responsabilidade, dizendo em entrevistas que “chegou a minha hora”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − 7 =

4 Comentários

Luiz Pereira em 02 de agosto de 2012

Setti, Na verdade "page not found" é, coincidentemente, o nome da coluna. O texto segue abaixo. Mas se tiver oportunidade, veja as fotos. São de uma desumanidade ímpar!!! abs Em um país com mais de 1,3 bilhão de habitantes, material humano não falta. Mas o Comitê Olímpico Chinês faz uma seleção e uma preparação rigorosíssima para forjar os seus futuros campeões olímpicos. Desde que em Pequim-2008 tomou dos EUA a hegemonia nos Jogos Olímpicos, a China tem sido alvo de críticas pela forma como prepara as crianças do país para brilharem nos mais variados esportes - da natação à ginástica olímpica. O regime comunista espalha ginásios por todo o país na expectativa de encontrar e treinar futuros campeões. Os métodos são questionados. E cada vez mais cedo as crianças vão parar em centros de treinamentos, como o de Nanning, um dos mais badalados. Algumas famílias chegaram a denunciar que seus filhos - alguns de 5 anos - são retirados de casa para ficarem internados em centros esportivos, de acordo com reportagem do "Daily Mail". Um dos maiores destaques chineses em Londres é a nadadora Ye Shiwen, de apenas 16 anos, que ganhou duas medalhas de ouro e bateu um recorde mundial, nos 400 metros medley - com tempo nos últimos 50 metros mais baixo que o do americano Ryan Lochte, vencedor da prova masculina. Eu imaginava que fosse isso mesmo, caro Luiz Pereira. É por causa disso a velha piada de que, se não obtiver resultado, o atleta é fuzilado ou pega cadeia na volta... O que, claro, é um exagero, mas que revela o peso que desaba sobre esses jovens. Abração

Luiz Pereira em 02 de agosto de 2012

Setti, bom dia, Veja este link. Vale a pena liderar o quadro de medalhas a esse custo? Acho que não. abs http://oglobo.globo.com/blogs/pagenotfound/ Amigo Luiz, seu link (basta reler acima) conduz a uma "page not found". Mas imagino do que se trata: o que a China impõe a seus atletas para que cheguem a altos níveis de competição. Se quiser mandar o texto inteiro do texto, estou às ordens. Um abração

Willian em 01 de agosto de 2012

Eita cara loco e paciente... Bolt é o cara!

Diêgo da Silva em 01 de agosto de 2012

Daqui 10 anos essa foto volta a circular na internet como "prova" da existência de ufos

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI