OPERAÇÃO LAVA JATO: Críticas pesadas ao juiz Sérgio Moro e ao ministro Joaquim Barbosa expõem o sólido, impressionante e onipresente corporativismo dos advogados

(Fotos: Wilson Dias/ABr :: JF Diorio/Estadão Conteúdo :: Nelson Jr./SCO/STF)

A ida ao gabinete do ministro Cardozo de advogados defensores de empresas envolvidas na Operação Lava Jato foi alvo de duro despacho do juiz Sergio Moro, como havia sido de críticas do ministro Joaquim Barbosa pelo Twitter (Fotos: Wilson Dias/ABr :: JF Diorio/Estadão Conteúdo :: Nelson Jr./STF)

O jornalismo é uma atividade indispensável à sociedade, e, como todas as demais, tem defeitos, muitos deles graves — incluindo o corporativismo.

Mas um lado bom do jornalismo é que se trata de uma profissão que se auto-examina criticamente, e de forma severa — basta ver a quantidade de jornalistas que escrevem e já escreveram até hoje no implacável Observatório da Imprensa, sempre comentando o desempenho da própria atividade que exercem.

Em países mais avançados do que o nosso, há numerosas revistas, sites e blogs tocados por jornalistas que têm como principal objetivo cobrir o trabalho da imprensa, elogiando quando é o caso mas expondo da forma mais crua suas mazelas, inclusive o corporativismo.

Mas duvido um pouco de que nós, jornalistas, consigamos ganhar dos advogados nesse quesito.

Não sei se existe categoria profissional, pelo menos no Brasil, mais fechadamente corporativista, de um corporativismo sólido, impressionante, onipresente — e quem escreve, além de marido, irmão, sobrinho e primo de advogados, é filho de um grande advogado, maior do que todos os que poderei mencionar neste texto, e ademais um homem de ética de aço, desassombrado, que sempre esteve do lado certo nos embates da vida, até o final, não raro pagando caríssimo por isso.

Tendo tido a orelha puxada por uma simpática leitora advogada, devo esclarecer, aqui, que obviamente não me refiro a todos os advogados, indistintamente. Pode até ser que a maioria da categoria não vista essa camisa — de todo modo, o que sempre acaba vindo a público é a manifestação, mais barulhenta e perceptível, do corporativismo de quem o pratica.

De todo modo, seja qual for o problema envolvendo advogados, um coro de colegas e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) já partem da premissa de que eles estão com a razão. Os incontáveis casos de irregularidades cometidas por advogados e até a conivência de causídicos com a ilegalidade e o crime são, sim, punidos pela OAB, mas com lentidão, pouca publicidade e em número menor do que indica a prática de quem frequenta o dia-a-dia de fóruns e tribunais.

Moro: iniciativa de encontro com Cardozo é “intolerável”

Agora, está ocupando manchetes o coro e a gritaria de advogados para cima do juiz federal Sergio Moro, o até agora irretocável magistrado que vem conduzindo com firmeza, objetividade e técnica os delicadíssimos processos da Operação Lava Jato, que envolvem, pelos números já apurados, o maior caso de assalto à coisa pública no país desde a chegada das naus de Pedro Álvares Cabral à costa da Bahia, em 1500.

(Fotos: Leticia Moreira/Folhapress :: cabadvogados.com.br :: oabce.org.br)

Os advogados Alberto Toron, Dora Cavalcanti e Marcus Vinicius Coelho, presidente da OAB: críticas pesadas ao juiz, ao ministro ou a ambos (Fotos: Leticia Moreira/Folhapress :: cabadvogados.com.br :: oabce.org.br)

O tiroteio também se dirige a outra figura respeitável do mundo jurídico, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, relator do mensalão, o maior escândalo da história até surgir a barbaridade que é o petrolão.

As justas críticas feitas em despacho pelo juiz Moro sobre a absoluta inconveniência de advogados das empreiteiras envolvidas irem conferenciar com o ministro da Justiça — com o magistrado ecoando, nos autos, opinião que Joaquim Barbosa já expressara em sua conta no Twitter –, estão causando uma tempestade inteiramente injustificada. Vários dos encontros não constaram da agenda do ministro.

O despacho de Moro foi publicado ontem, quarta-feira, dia 18. No texto, o magistrado classifica como “intolerável” a iniciativa de advogados de empreiteiras que procuraram o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para discutir o andamento das investigações — embora alguns tenham chegado ao desplante de dizer que o respectivo encontro foi “um bate-papo entre velhos amigos”.

O que teriam conversado no “bate-papo” advogados com causas de bilhões de reais e o ministro que é hierarquicamente superior ao órgão que investiga, com eficiência, a roubalheira — a Polícia Federal?

Falaram sobre as chuvas em São Paulo? Sobre a situação do Botafogo na Segundona do Brasileirão? Sobre a nova novela da Globo?

Ora, parem de desrespeitar a inteligência dos brasileiros!

Tentativa de interferir nas investigações

Acertadamente, o juiz, repetindo parte da frase de Joaquim Barbosa, escreveu que os advogados devem recorrer ao magistrado da causa, “nunca a políticos”, caso queiram denunciar irregularidades ou excessos da polícia — uma vez que, fora dos autos, em declarações e artigos, vários deles reclamam de vazamento de informações sobre as investigações.

Como não avistaram-se com Cardozo para abordar as chuvas em São Paulo nem a situação do Botafogo, o juiz Moro foi ao ponto advertindo que os advogados, ao procurarem o ministro da Justiça, estariam buscando “interferência política” (o Ministério da Justiça é órgão do Executivo e seu titular exerce um cargo político, nada tendo a ver com o Judiciário) no processo judicial.

Consequentemente, o juiz decidiu manter em prisão preventiva quatro altos executivos de empreiteiras já encarcerados em Curitiba — foro da causa –, alegando que (via seus advogados) estão tentando interferir nas investigações.

Pergunto: e por acaso não estão? Foram conversar com Cardozo sobre poesia parnasiana, sobre o pôr do sol no Planalto Central?

Advogados: acho que eles devem à sociedade a discussão de vários problemas que não vejo serem abordados (Ilustração: americanlawyers.com)

Advogados: acho que eles devem à sociedade a discussão de vários problemas que não vejo serem abordados (Ilustração: americanlawyers.com)

O juiz não fez mais do que cumprir sua obrigação ao reafirmar que as prisões devem ser discutidas nos autos do processo, esclarecendo que jamais se recusou a receber advogados das empresas investigadas.

E continuou: “Intolerável, porém, [é] que emissários dos dirigentes presos e das empreiteiras pretendam discutir o processo judicial e as decisões judiciais com autoridades políticas. (…) Mais estranho ainda é que participem desse encontro, a fiar-se nas notícias, políticos e advogados sem procuração nos autos das ações”. (Refere-se, aqui, muito provavelmente ao ex-deputado do PT e advogado Sigmaringa Seixas, influente nos meios jurídicos de Brasília, que não defende empresa alguma mas que acompanhou um colega defensor em um dos encontros com Cardozo).

Despacho “truculento” e “repugnante”

A chiadeira dos advogados ocorreu de Norte a Sul. Este post ficaria gigantesco se fosse citar todas as manifestações, praticamente unânimes, de crítica ao juiz e de solidariedade aos colegas. O advogado Alberto Zacharias Toron, que defende a empreiteira UTC, chegou ao ponto de chamar de “repugnante” o despacho do juiz, que também classificou como “truculento”, alegando ser direito dos advogados “conversar com quem quiserem”.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcos Vinicius Coelho, voltou à inevitável tecla dos “direitos e prerrogativas” dos advogados, embora haja feito a ressalva de que toda audiência (no caso, com o ministro da Justiça) precisa ser “transparente, pública”, sem que a autoridade selecione “este ou aquele advogado”.

A seu favor diga-se que Coelho parece haver feito leve, levíssima referência ao fato de que pelo menos alguns dos encontros não constavam da agenda do ministro — nada tinham de público, portanto.

Em esquentado artigo na Folha de S. Paulo, a advogada Dora Cavalcanti, conselheira do Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD), escreveu que o ministro Joaquim “resolveu vociferar” contra Cardozo, classificando o ex-presidente do Supremo como “avesso ao direito de defesa”.

As discussões que não ocorrem

A advogada, que defendeu o empresário e bicheiro Carlinhos Cachoeira, envolvido em acusação de ligações com o crime organizado, faz, no texto, a gravíssima acusação de que há no país um “esforço concentrado liderado pela Operação Lava Jato para cravejar de morte o Estado de Direito”. No final do texto, revela que linha de atuação admira ao mencionar “a falta que me faz aquele que foi meu ministro de vocação, Márcio Thomaz Bastos” (o ex-ministro da Justiça de Lula, falecido em novembro passado).

Defensora da Odebrecht na Lava Jato, Dora esteve com o ministro da Justiça no começo do mês.

Outro que enxergou conspirações foi o defensor da Camargo Corrêa, Celso Vilardi. Ele nega ter estado com Cardozo, mas considera normal encontros do tipo e opina que “estão confundindo as pessoas dos acusados com a dos advogados”.

Ou seja, estão tratando os advogados como suspeitos de crimes.

Será? Onde é que Vilardi enxergou isso? Não li um texto, não assisti a um vídeo, não ouvi uma declaração em lugar algum que pudesse levar a essa conclusão. Vai ver que o advogado enxerga mais longe.

O corporativismo leva profissionais a esse tipo de exagero. E impede discussões muito interessantes para a sociedade, que eu, formado em Direito, gostaria muito de presenciar. Os temas são muitos, a começar por este de que trato — o corporativismo. Não seria ótimo?

Há vários outros ligados à profissão, alguns candentes: por exemplo, como tratar de situações em que o advogado de determinado criminoso, pelas características do caso, recebe honorários inequivocamente oriundos do produto dos crimes cometidos?

Mas isso é uma outra história, que fica para outra vez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

137 Comentários

  • Sergio the original since 1ª Leitura

    Caro Setti:

    Duvido que a esmagadora maioria dos advogados, entre os quais me incluo, não esteja enojada com coisas desse tipo! A OAB de norte a sul nada mais é do que um aparelho do pt e ipso facto sofre das mesmas moléstias.
    Queremos uma OAB para os advogados e não uma que se preste a carreirismos e oportunismos de sempre, sem falar de coisas mais graves que são do amplo conhecimento da classe!

    Se vivo, meu Pai estaria espumando!

  • umberto melo

    ..permita discordar!!! faca uma pesquisa!! o resultado mostrara a realidade da opinião dos advogados, contrario aos entrevistados.

  • Abreu e Lima

    .

    Epa… Das muitas dificuldades que tenho
    na Vida Social, interpretar um texto não
    é uma delas!
    O foco está não ligeiramente equivocado – e
    sim absurdamente errado!
    O Juiz Moro derrapou – e feio! – nessa contenda!
    Não estou aqui para defender classe nenhuma,
    muito menos a eleita a defender até o indefensável.
    No entanto o juiz deveria – isso sim! – bradar
    contra a atitude escatológica de um Ministro que
    dá margem ao escândalo que gerou tal encontro!
    Como se diz por aí, o advogado está “na dele”!
    Quem nunca poderia ter-se colocado à disposição
    para o “encontro” é o Ministro! Não invertamos as
    coisas!
    Não há recato entre prostituta e michê – porém
    sabemos quem é uma e quem é o outro. A liturgia
    da posição que ocupa um Ministro da Justiça não
    permite sequer imaginar o assombro ocorrido. E
    por conta da permissividade deste!
    Ao meu sentir ficou mais fácil chutar a bunda do
    michê – enquanto à prostituta guardou-se um
    refrigério!
    Por qualquer ângulo que se observe, tal fato só
    restou concretizado pelo desmedido “dinamismo”
    (se é que me entendem…) de um ministro que
    mostrou com todas as cartas qual é a jogada!
    Tudo bem que nesse filmeco de quinta não há
    mocinhos – só bandidos! -, mas afrouxar para
    o ministro está pegando mal!

    .

  • RQ

    O Brasil tem que ter a coragem de extinguir o tal 5º constitucional.
    O Brasil é o único país no mundo que admite uma instituição (OAB) em participar da elaboração e mudanças nas leis.
    Alguns advogados só querem leis que os beneficiem.
    OAB e seus advogados não mandam nos brasileiros, devem apenas se limitar as brechas das leis de onde tiram seus “honorários”, que em muitas vezes vêm do crime. Ou seja, alguns advogados também são sustentados pelo crime. VERGONHOSO.

  • oab, pra que serve, mesmo???????????



    – posso estar enganado, ams não me elbro de uma ação, um movimento, uma titude da oab que fosse para o aldocerto…. não emflem e diretas já, fora Collor, essas palahaças demogogicas ….


    cada vez mais entendo o meu irmão, bacharel em direito, que nãos e subordinou aos capricos da oab.. pra ele, um sindicato não pode ter mais força do que um ÓRGÃO FEDERAL…. assim, disse qeu jamais faria o exame ou pagaria para ter uma carteira …. guardou o DIPLOMA, EXPEDIDO POR ÓRGÃO FEDRAL…. e se dedicou apenas ao magistério, uma vez que também se formou em história.


    PAULINHO PAIAKAN – GEORGINA DO INSS , qeum mais ?????

  • Alexandre Araujo

    Pronto, agora só falta o Ministério Público Federal também procurar o ministro. E assim sendo, haverá um processo B. O verdadeiro conduzido pelo Moro e o ficto pelo Cardozo. A discussão é NOS AUTOS. Não vejo problemas em advogados procurarem um ministro, no entanto o X da questão é o porque foram até o ministro. Certamente não foi um chá da tarde. Outrossim, duvido que o MPF teria comportamento tão repugnante. O que houve foi um atentado ao estado de direito e ao princípio do devido processo legal, cláusula pétrea da carta magna.

  • Patricia

    Olá Setti. Parabéns pelo texto. Apenas deixo consignado que faço parte da “esmagadora maioria dos advogados” citada pelo colega Sergio 19:29. Saudade da OAB de outrora aquela capaz de mobilizar e fazer história, sempre em nome da democracia e muito diferente da OAB de agora.

  • Madel Rosa

    Só uma pequena sugestão: se o ministro tem o dever de receber advogados, sugiro que qq advogado que tenha a mínima discordância de juízes, o procurem em seu gabinete. Serão recebidos? Quem aposta?

  • renato

    Sou filiado no PT e escrevo este alerta aos companheiro de partido , nós nos tornamos uma quadrilha , o ministro da justiça mostrou a nação e ao mundo que o PT *** **** ***** e conta com o apoio da OAB , os poderes que deveriam estar defendendo o povo e a nação estão fazendo vista grossa ,senhores o País está quebrando as nossas empresas não aquentam mais , sou um simples operário e estou vendo o meu Brasil sendo destruido por uma quadrilha que eu faço parte, eu sei como funciona a mente dum petista eles odeiam os empresários e odeiam tudo e a todos que não façam parte do PT ,tudo fora do partido é Elite só nós do PT estamos certos se não for feito algo o PT vai trasformar a nação numa Venezuela , os que se omitirem por estar ganhando com a corrupção do PT vão colocar a vida dos seus e do povo Brasileiros em perigo .

  • RICARDO (PELA ORDEM)

    CURTO E GROSSO.
    Éééééééé, estes caras, pode Ser que tenham muito conhecimento jurídico, dai o porque de lhes faltar ESPAÇO PARA MORAL .

    Vão todos ***** com as ***** guardadas, dos *** *** PETROLÃO.
    Podem esbravejar o quanto quiserem, mas dessa vez não tem volta, seus clientes vão todos para cadeia,
    e eles desfrutarão por um longo tempo do lucro do fruto que gerou a condenação.
    É assim que funciona.
    VOU VOMITAR

  • Motoca

    Todos eles são advogados, jogo de interesses e ou picuinhas(decisão contraria) antigas.

  • Gil Lucio Almeida, PhD

    BASTA! O BRASIL PRECISA DE PAZ E PROSPERIDADE

    O ano chinês do bode se inicia e passou da hora de tirar o bode da sala dos brasileiros e deixar animal pacifista viver no ar livre.

    Não se coloca fogo em um país para prender duas dúzias de supostos corruptos. As partes envolvidas na Operação Lava a Jato precisam responder as seguintes questões:

    1) Quem vai colocar o pão na mesa dos milhares de desempregados das empresas prestadoras de serviços da Petrobras?
    2) Quem vai pagar os prejuízos dos acionistas minoritários da Petrobras que venderam suas aposentadorias a preço de banana?
    3) Quem vai restituir ao Estado Brasileiro um prejuízo que pode ultrapassar o meio trilhão de reais?
    4) Quem vai pagar o agravamento da carestia em que o povo está sendo submetido devido a piora da crise econômica?
    5) Que tipo de segurança social justificaria tamanha punição dos milhões de brasileiros inocentes?

    A corrupção existiu simplesmente porque houve omissão ou incompetência do Estado para impedi-la. A própria justiça reconheceu a ineficácia da ação Lava a Jato para prevenir a corrupção. O Brasil possui uma lei muito boa da transparência no trato do bem público. A melhor forma de combater a corrupção é exigir a publicação de todos os documentos contábeis e fiscais dos serviços públicos. A fiscalização, a imprensa livre e a sociedade o faz.

    A Justiça sabiamente afirmou que quem encontrou o cadáver não pode ser acusado do crime. Porém, não se atira em um sequestrador com as mãos na vítima. Para proteger a vítima, primeiro busca todas as formas de negociações com o bandido, para depois aplicar-lhe o rigor da lei.

    O povo brasileiro foi vítima do assalto na Petrobras e agora está pagando um preço centenas de vezes maior por que não tomaram as devidas precauções para proteger os interesses coletivos. O pior estar por vir, se o país perder o grau de investimento.

    O Brasil precisa reencontrar a paz e a prosperidade. Os políticos precisam deixar seus interesses mesquinhos de lado e a justiça a falar no silêncio dos autos.

    No Brasil, administrar o bem público sem eficiência é mérito. O que precisamos mesmo é de uma lei que puna o agente público incompetente. Um governo que apresentou os resultados como o da presidente Dilma deveria ser proibida por lei a concorrer a qualquer cargo público.

    Não é por outra razão que as pessoas de bem não se envolvem com política, deixando esse campo para aqueles que fazem carreira na incompetência administrativa. O Estado também precisa criar leis para coibir os abusos de agentes públicos que afrontam as garantias individuais e cometem erros grosseiros contra a honra do cidadão de bem. Só assim o Brasil vai trazer para a administração pública os seus talentos e combater a mediocridade. O resto deixa que o povo brasileiro constrói.

  • Lena

    Os advogados que estão chiando tem interesse em manter esses encontros espúrios.
    Essa Dora é advogada da Odebrecht e foi sócia do Thomás Bastos . Toron advogado da UTC e o Furtado Coelho quer ser indicado Ministro do STJ pela Dilma***.

    Os verdadeiros operadores do Direito não se coadunam com esses contatos espúrios dos advogados com Juízes e Autoridades, para comprar sentenças e obstruir a Justiça.

    Esses advogados perpetuam a impunidade no País e denigrem a Classe.

    A informação sobre Dora ser advogada da Odebrecht e de Toron ser advogado da UTC está no texto.

  • COSTUREIROS dos DITADORES

    Caro amigo, seu comentário não é publicável. Contém acusações gravíssimas sem prova a pessoas e instituições.

  • joselma

    Estão tentando desesperadamente desviar o foco. A questão central não é se o ministro pode ou não pode receber advogados dos acusados, o que se discute é o teor da conversa. Um ministro da justiça tramando contra a Justiça, dando nó em pingo d’água para livrar a cara dos ladrões do erário e a prova cabal de que a conversa existiu foi a pressa do TCU em aprovar a normativa que joga por terra o trabalho feito até agora pela Operação Lava Jato.
    É intolerável e esta turma que está vociferando por aí faz parte da turma e para completar, Joaquim Barbosa tem todo o direito de se manifestar, dar sua opinião, é um cidadão livre.
    O Brasil precisa ser passado à limpo, lavado a jato, do jeito que está não pode continuar, os três poderes de costas para a população governando, legislando e aplicando a lei de acordo com os próprios interesses, chafurdam na lama para salvar a pele de alguns portanto não fazem jus ao cargo que ocupam e tão pouco merecem os salários que ganham.
    Deem uma olhada no ‘Antagonista’ e vejam como os italianos fizeram para tirar a máfia do poder.

  • demis ricardo moura

    boa noite. Sou advogado e não concordo com o posicionamento da OAB e dos outros causídicos quanto ao encaminhamento da questão. Eventual abuso de poder deve ser apreciado pelo TRF ou STF. Antes de advogado o Sr. Cardoso está servidor público e deve obediência à lei. Não sou contrário ao recebimento de advogados, desde que seja cumprido os ditames da lei. E nesse caso, não há qualquer discricionariedade do ministro, está vinculado ao que diz a lei. Receba os advogados, desde que informe na agenda o horário e assunto. Eu pago o seu salário e como meu funcionário me deve explicações. A OAB infelizmente se acovardou e ficou numa explicação que não tem nem pé nem cabeça, que vai do nada ao lugar nenhum. Não concordo com seu posicionamento. Cobre obediência da lei, do juiz, do ministro de Estado e do Ministro do STF e nada mais.

  • Biagione Rangel de Araújo

    A OAB, nos últimos tempos, tem se preocupado em defender interesses alheios às reais necessidades da sociedade, a profusão de casos é imensa. A continuar nessa toada, não será surpresa se a sociedade começar a lutar por sua extinção.

  • JB Figueiredo

    Isso aqui nao e um pais serio e todo mundo sabe. Nos EUA se um rabula desses fizer 1/100 do que fazem aqui ja saem algemados da sala de audiencias. Aqui quem manda e o bandido e os juizes sao comprados ou acuados.

  • gilmar

    Meu caro ótimo artigo, é exatamente o que acho dessa classe [ acho mais coisas mais o respeito ao seu blog é muito para expolas aqui ] mais aproveitando o ensejo a ultima observação que você faz no seu artigo, eu gostaria de saber qual a grande causa que a OAB defendeu ou defende para o bem comum da nossa sociedade, só gostaria de saber de apenas uma [ e não venham “que no passado” ] estou dizendo nos últimos 10 a 15 anos ,quando eles acham uma “causa” é sempre olhando os próprios bolsos não respeitam nada criticam o código penal [ de mentirinha ] mais só aceitam mudança se eles ” participarem ” da criação de um novo código ao qual eles não tem interesse nenhum em mudar tenho duas pessoas próximas advogados [ criminalistas ] que a única coisa que interessam a eles é receberem o dinheirinhos para soltarem bandidos diversas vezes presos e soltos por eles mesmos devidos as ” brechas na lei” em um de nossos vários debates de ponto de vistas normalmente eles dizem que a culpa e do ” sistema ” e que ” todos tem direito a defesa ” é de um cinismo irritante. um abraço .

  • Milton Ribeiro

    Mais que um conselho de ética, que não atua, não pune e não convence, a OAB deveria criar no País, penas severas também para advogados que chantageiam, dificultam a ação da justiça e vivem quase que exclusivamente focados num mundo surreal onde o poder econômico, a influência política, o desprezo à justiça e a insensatez dão o tom às suas ambições.

  • Lindinha

    Cara Lindinha, seu comentário é impublicável, por conter uma série de acusações graves sem prova e palavras ofensivas a pessoas.
    Lamento. Fica para a próxima.
    Abraço.

  • goodamus

    A verdade é que a OAB precisa ser repensada, pois tornou se um monstro contra seus próprios princípios.

  • ragprocurador@gmail.com

    Concordo com o colega Demis Ricardo Moura. A OAB/Brasil devia de hora em diante marcar audiências dos advogados de qualquer recanto do Brasil com o Ministro da Justiça, afinal, todos temos assuntos a discutir de interesse nacional e receber advogados é um ato normal!? Quanto normal é essa recepção? Nós simples mortais!, operadores do direito!!Quando? Nós advogados devemos de hora em diante ligar para o Gabinete do Ministro e pedir uma audiência, se é comum, vou querer falar diretamente ao Ministro: lá direi que o cargo de Ministro exige conduta proba, clara, transparente, não admite versões sobre os assuntos tratados e tampouco desmentidos. Se o Ministro é vinculado ao partido que está no centro da crise do Petrolão não pode e não deve parecer “exercer advocacia administrativa” em prol dos denunciados. O normal, ao que parece no Brasil de hoje é o “tráfico de influência”, a defesa da “cosa nostra”, isso não pode prevalecer. A OAB/Brasil devia refletir melhor suas falas e atos, pois não falou em meu nome, advogado, mas simples mortal.

  • Gildson Gomes

    Setti, meu colega,

    O ponto nuclear dessa polêmica não reside no fato de um ministro poder atender advogados ou jornalistas em seu gabinete. Afinal, que mal há em conversar com alguém? Quer seja advogado, quer seja jornalista.
    Seria uma idiotice supor que toda conversação é perigosa em si mesma.
    É certo que toda interlocução abre espaço para proposições: legítimas e ilegítimas. Mas não é possível supor que a proposta, legítima ou não, será aceita.
    Ora, o jornalista, autoridade, juiz, advogado que tem receio de conversar, supondo que pode ser manipulado ou influenciado, tem de procurar socorro médico.
    Ninguém manipula ninguém, porque só faz sua uma oportunidade quem sofregamente a deseja. Se o ministro não deseja interferir, de fato, nas investigações, pode ele conversar com qualquer pessoa, em todas as oportunidades que surgir.

    É certo também que há pessoas inseguras que temem conversar, porque acham que podem desaparecer na conversa e por isso se escondem no biombo da autoridade. Todavia, trata-se de uma doença que cura.

  • Roberto

    Tem razão. O advogado deveria se ater à verdade dos fatos. É isso o que diz o Estatuto e o Código de Ética da OAB. Ocorre que muitos que atuam na área criminal, sobretudo quando o valor dos honorários são estratosféricos, buscam alterar a verdade dos fatos, desde o seu nascedouro, usando de todo tipo de influência para beneficiar o seu cliente. É por isso que o advogado é visto com desconfiança, não apenas perante o judiciário, mas por toda a sociedade. Muitos não agem com ética e, nesse sentido, não se diferenciam dos próprios (supostos) bandidos que defendem. Eu mesmo me desiludi bastante com a atuação de muitos colegas – embora entenda perfeitamente que o cliente insista para que o advogado “faça qualquer coisa” para ele não ser preso.

  • Brasileira

    Parabéns pelo texto!
    Absurda a questão, senão vejamos: ao ser questionado pela primeira vez, o ministro disse que não se encontrou com os advogados; depois disse que o encontro foi ocasional e agora o encontro foi para tratar dos vazamentos. Então tá. Acredite quem quiser. Tem gente que acredita em Papai Noel e em Mula sem cabeça. Em relação à OAB, sem comentários. Se ela continuar se posicionando como está ela passará a ser completamente dispensável.

  • olavo

    Esse ilustre juiz Sergio Moro tem toda a razão, é intoleravel o encontro ainda que agendado com advogados da parte criminosa envolvida no petrolão, com o ministro da justiça. Se esses advogados tem alguma coisa a reclamar, existem os caminhos legais para isso. Já a Dilma que não sabia de nada, vai ficar quietinha, já que o ministro é um dos poucos batalhadores que ainda defendem o PT envolvido até o pescoço com os malfeitos.

  • Jair Sergio

    Ter talento para determinada função e usar este talento para o que é errado, não faz do talentoso um exemplo pra ninguém, não sei porque enchem tanto a bola do falecido Marcio Thomaz Bastos.

  • Edilson Silva

    Estou com muita saudade da quela OAB da época que o Collor foi cassado.

  • alberto santo andre

    com varios advogados na familia ,porem uma coisa ecerta e como dizia um professor meu ,juiz de direito dizia ele que o advogado e pior que os virus assassinos ,pois estes quando seu cliente morre ,morre com eles enquanto o advogado ainda fica grudado na familia.e infelismente hoje a OAB ,deixou de ser a ordem dos advogados do brasil ,para ser a Organizaçao de *** *** *** ****

  • l sabacka

    tenho dois irmãos advogados. felizmente para mim, “talvez” não para eles; não atuam na defesa de crimonosos, recebendo , em muitas das vezes,dinheiro sujo que é lavado nas barbas da justiça com as custas a peso de, no momento, petro-ouros.

  • ze do matogrosso

    …já foi uma classe respeitada. Não custa lembar um Sobral Pinto, Hélio Bicudo, e ouros de saudosa memória. Hoje, existem na praça, mais advogados que mulhers ditas de “vida fácil”.; com a devia vênia da dureza da vida pelas segunda. Os rábulas de hoje,que se formam aos borbotões, são tanto mais cumplices e de mesmaindole que seus contratantes. A OAB é tida como entiade séria. Que se faça respeitar. Hoje, qualquer vagabundo e analfabeto, pode ostentar no dedo um anel de bacharel em direito. Assim não dá. Pobre brasil.

  • José Benedito

    E pensar que os OABestas detêm o monopólio do acesso à Justiça. Que esperança eles transmitem para os brasileiros. Alguém precisa avisar aquela senhora Dora que o direito de defesa não pressupõe necessariamente o achincalhe da instituição do judiciário. Sintomático ela ter citado Marcio Thomaz Bastos, a quem eu classifiquei como “o opróbrio da advocacia”, o advogado que ajudou aquele ex-presidente a enganar o país, enlameando a Constituição, no caso que foi o prenúncio dessa sujeira toda exposta pela Operação Lava-Jato

  • Toninho Malvadeza

    Ainda bem,que a AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros)também é corporativista.
    PERDEU,CARDOZO !

  • Motoca

    Leis claras com palavras simples, não permitiriam varias interpretações. PIADINHA(antiga): Uma única vez São Pedro foi a porta do inferno buscar uma pessoa que ele mandou por engano. Disse ao “cão”, devolva-o se não eu te processo. O diabo respondeu; Vai me processar como? Você tem algum advogado?

  • Paulo Diogo H. Dos Santos

    Ricardo, leia esta bombástica nota dos membros da AGU sobre o Ministro Adams e sua ida ao TCU para a aprovação relâmpago do normativo que trata do acordo de leniencia… A ideia era jogar água fria na Lava Jato, mas a reação da carreira foi duríssima.
    http://unafe.org.br/index.php/nota-publica-16/

    Boa dica, meu caro Paulo. Eu não tinha tomado conhecimento desse texto, que vou publicar no blog.
    Abraço

  • mariomm

    Prezado Setti,
    Até que enfim alguém levanta aspectos tão relevantes sobre a atuação dos advogados no nosso meio: tráfico de influência e honorários de origem duvidosa.
    Você demonstra de forma cabal como é crucial a liberdade de imprensa, para que temas cabulosos sejam trazidos à discussão.
    Parabéns!

  • luis

    Acuse-os do que você é. Esse lema está ridicularizandp uma classe tao importante. Resta saber quantos restam para honrar a gravata que usa.

    Seu português um tanto arrevezado, ou minha parca inteligência, me impediram de entender com clareza seu comentário. Eu sou o que, exatamente?

  • Valério Seccadio

    Vejo a situação de uma forma mais, creio, objetiva; dissociada de qualquer idéia de corporativismo: eles são, pura e simplesmente, petistas. Acreditam, mesmo, nas ações e princípios desses quadrilheiros que defendem.

  • umberto melo

    Na época do prefeito Pita, OAB deu as mãos saiu em passeata pela Av. Paulista!!! agora estão atrás do quinto constitucional!! fisiologismo puro!!

  • vitorio

    SETTI esse encontro é coisa do Lula, ele fala fala mas está morrendo de medo e como a terra não é quadrada como ele gostaria que fosse, pra se esconder em algum canto, tenho fé e esperança que desta vez ele não escapa.

  • Ednardo Santos

    Tenho 70 anos. Vivi o tempo do regime militar, meus tempos de faculdade, diretas já até a redemocratização. Muitas coisas mudaram, todos sabemos. Porém, a forma como vejo a UNE e a OAB de hoje me enche de tristeza.

  • João Alves

    Resta-nos tão somente rezar para que a UNAFE não seja aparelhada como as outras instituições claramente estão fazendo um esforço danado para demonstrar que o são !

  • Moacir 1

    Setti,
    A AMB também está querendo explicações do Cardozão.
    http://leiase.com.br/amb-pede-audiencia-com-cardozo-para-tratar-de-investigacoes-sobre-empreiteiras/
    Se o Porquinho-Mosqueteiro tinha qualquer ilusão de vir a ser ministro do Supremo , já tirou o cavalinho da chuva.Imagina a sabatina e nela , os senadores da oposição. Um vexame , constrangedor demais para ser cogitado. Quem precisa de mais barulho?
    Se os do PT pretendem ir para cima da Lava Jato , já compreenderam que não vai ser moleza. Moro é tranquilo, corajoso e muuuuuito bom de toga. Chamo a sua atenção para o fato de que , na sua nota, ao falar de pessoas “sem procuração nos autos” ele se referiu ao ex-deputado Sigmaringa Seixas do PT
    um dos “colegas” presentes na reunião do Clube dos Bolinhas.Na mosca! E o Ministro preferiu não dar recibo.
    Joaquim não negará fogo,o assunto bombou na net, o debate foi duro nos jornais e blogs , a imprensa está atenta( maravilha a matéria da Veja) O saldo? Para o Brasil, mesmo de ressaca,o enredo pegou mal pra burro: a negação inicial, a agenda em branco,a falha técnica, o pleito sigiloso.Já dizia minha avó: se é pra ninguém saber , então não faça.
    De resto, estão dizendo o busilis no Ministério incluiria,também, o acordo Brasil-Suiça.
    http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,odebrecht-questionou-cardozo-sobre-cooperacao-entre-brasil-e-suica,1636665
    AÍ TEM!
    Abraço

  • Fernando mattos

    A AMB saiu em defesa do juiz Sergio Moro. Está no G1. Muito bom .

    Eu vi e publicarei.
    Abraço

  • Marcelo

    Excelente artigo. Toca em um ponto verdadeiramente escandaloso, o pagamento de serviços advocatícios caríssimos com recursos roubados do povo brasileiro. De outra forma, como teriam os investigados capacidade de arcar com tão vultosas contas? Está na hora de a OAB, instituição que só se presta a extorquir bacharéis com um exame anacrônico e corporativista, atuar sobre essa conduta vergonhosa.

  • marco

    É triste ver uma associação que deveria ser apolítica, se tornar braço de um partido…

  • marcos oliveira

    Parabens pelo artigo.
    Sou advogado na Bahia e igualmente a seu progenitor não compactuo com o corporativismo utilizado pela ordem somente em situações que envolvam advogados do alto escalão. Que por gentileza sejam retirados deste lugar comum os advogados militantes da área previdenciaria, trabalhista, e de direitos do consumidor que atendem ao povo humilde deste país e não aqueles que saqueiam nosso erário e enriquecem alguns “doutores”.Saudações.

  • RONALDE

    Ricardo, sugiro uma enquete sobre a pauta da reunião.

    Ótima ideia: será feita!
    Muito obrigado.
    Abraço

  • emirton prazeres

    impressiona a capacidade de um ser humano enveredar e articular em todas as áreas desse Brasil. Ele tem na mão milhões de colaborares…esse é o cara.Parabéns Lula, próximo enredo da beija flor do Rio de Janeiro.

  • Ronald S

    Prezado Setti:

    O que acho lamentável, é que uma instituição que já foi referencia nas lutas democráticas no Brasil, tenha se tornado um órgão aparelhado do PT. Refiro-me à OAB.
    Quanto ao ministro Cardoso , não causa surpresa nenhuma a sua atuação , não o considero um homem de estado é apenas um títere do partido.
    Sou muito pessimista quanto ao desenrolar de tudo isso. Uma espécie de complacência moral se abate sobre o nosso país. Importantes instituições se calam . Fica difícil acreditar em um futuro melhor.
    Abcs

  • CDPLAY

    A OAB é uma entidade de classe como outra qualquer, sem mais. No entanto, é sabido por todos que a liderança dessa entidade plateia uma vaga no STF. Para tal, é necessário ter as bênçãos dos governantes da hora.No meu entendimento, não cabe a uma entidade de classe disputar vaga ou poder em atividade exclusiva do Estado Brasileiro. Ao Presidente da República eleito pelo povo, cabe indicar pessoas do mais alto gabarito para ser ministro do Supremo. Até onde eu sei, presidente da OAB é indicado entre seus pares para assumir uma função relevante dentro da entidade de classe. Daí, ser indicado para ser ministro do Supremo, com comprovado saber jurídico são outros 500.

  • DOUTOR( A) preciso de um NOBRE ADVOGADO (A)

    Algum ADVOGADO(a) Pode me DEFENDER?

    só q Não tenho dinheiro pra pagar os HONORÁRIOS, me ASSALTARAM, me BATERAM, me HUMILHARAM, me ZOMBARAM em PÚBLICO, alguns viram + não me socorreram , QUASE perdi a VIDA.

    Hoje estou em RECESSÃO, o Doutor entende né, VOTEI pra TRÁS .

    ALGUM ADVOGADO me AJUDA? Tem Piedade de Mim.

    Até o PCC tem advogado,
    os Mensaleiros tem advogado,
    Os do Clube do Milhão tem advogado
    O ministro da Justiça, pelo visto já tem advogado ( acima) defendendo ele ( de graça)
    O Carlinhos Cachoeira tem advogado.
    O IDDD tem advogado …

    Alguém tem piedade de mim , o assalto foi tão grande q estou falindo. Me ajude…
    Meu endereço: Avenida AMOR a PÁTRIA, n 2015.
    Agradeço desde já.
    Que Deus abençoe você Doutor(a) e sua família abundantemente .

  • Motoca

    Sr. Setti, eu não sabia sobre seu pai; Peço desculpas pela piada.

    Não tem de que se desculpar, caro Motoca. Imagine!
    Minha própria mulher é advogada, entre vivos e falecidos nas famílias paterna e materna devemos ter uns 15 advogados e meu próprio Pai morria de rir das piadas sobre advogado.
    O país do mundo com mais piadas sobre advogados — e as mais engraçadas, e cruéis — são os Estados Unidos.
    Uma delas:
    — Sabe quando o sujeito atropelado e morto era um advogado?
    — Não.
    — Nâo tem sinal de freada do carro na pista.
    Abraço

  • Clemente

    Prezado Setti. Sua colocação está perfeita. O penúltimo parágrafo, então, me deu ânimo de escrever este comentário, mesmo sendo início de madrugada. Ao meu ver, o caráter desses (advogados) que aqui foram citados é absolutamente igual ao daqueles criminosos, corruptos, safados, ladrões do erário público, a quem eles representam. A parte da sociedade que presta, que paga impostos, que esta nauseada com toda essa sujeira, apoia e reverência a atitude honesta e firme desse jovem juiz Sérgio Moro, e cobrará nas ruas, no próximo dia 15 de março, dentro da legalidade, a saída imediata da presidente e de todos os calhordas que a apoiam. A parte da sociedade que produz não pode mais permitir que este descalabro continue. Temos que extirpar o câncer que está no comando dessa nação. Chega!!! IMPEACHMENT JÁ!!! É a hora de colocarmos esses marginais atrás das grades. E que eles permaneçam presos por muitos e muitos anos. Um abraço, porque agora eu vou dormir.

  • maria

    Brilhante texto, Setti! Traz a discussão um tema muito importante, o corporativismo dos advogados, principalmente daqueles que orbitam em causas financeiramente astronômicas, como exemplo a defesa de Cachoeira. Penso que começa ficar cada vez mais claro para mim a pergunta que meses fiquei sem resposta:cadê a OAB nesse momento de crise política e da maior corrupção de nossa história? Por que até agora não se manifestou a favor da sociedade revoltada e fragilizada? Através de seu texto compreendi que vai muito além de um aparelhamento petista, a meta agora não é a sociedade mas o prestígio perante ao governo e o poder financeiro. Kakay e outras figuras são agora “celebridades” cantando no navio do Roberto Carlos. Sobral Pinto seria considerado um louco ou um tolo ao som de risadas irônicas. Apesar disso não perdi a esperança ao ver que a filha de Paulo Brossard, também advogada, expressou sua indignação sobre a postura da OAB. A coragem e dignidade do Brossard e de Raimundo Faoro nos faziam sentir representados como cidadãos em um momento tão crítico! A sociedade os conhecia por sua grandeza e agora estou conhecendo este presidente por sua ausência. Sou otimista porque sei que que tudo que chega ao ápice logo decai para um novo ciclo e ele virá! Escrevi em um outro comentário a minha revolta sobre a atitude dos advogados de defesa “solicitando esclarecimentos ao ministro, aquilo não me pareceu pleno direito de defesa, mas autoritarismo de quem tem o poder financeiro para abrir portas que deveriam estar fechadas, pelo menos por enquanto em respeito aos cidadãos. Se fosse possível sugeriria que você reportasse para a nova geração de leitores o que foi a OAB daqueles tempos, para talvez compreenderem melhor do que estamos falando, obrigada.

  • Luiz Albino

    Que diferença gritante a postura corajosa do juiz Sergio Moro, que não deixando-se intimidar com o poderio de políticos, que indicaram funcionários corruptos para serem detentores de desvios bilionários, juntamente com poderosos donos de empreiteiras que protagonizam o pior escândalo de corrupção da história do país, e a velhacaria, a pusilânimidade dos que defendem o indefensável, alegando ameaça ao estado democrático de direito. O que penso destas pessoas, certamente é impublicável.

  • osmar

    Me parece estar havendo uma grande confusão. Joaquim Barbosa não falou de ilegalidade, mas de IMORALIDADE. Não precisamos ser advogados para entender que a reunião do ministro (que não constava da agenda, e que ele negou depois admitiu como sendo um encontro “sem querer”) pode ser legal, mas é perverso. As evidências são claras: O ministro não está sendo ministro do estado, mas mais um servente do (des)governo petista mensaleiro e petroleiro. Ou seja, temos um ministro da justiça que defende a corrupção!!! Discutir a legalidade, nesta altura, é irrelevante. Vamos discutir a ética!

  • Marcelo

    Há os advogados que defendem criminosos, mas parece que alguns defendem o crime.

  • silvando

    Até outro dia essas bancas com o apoio do seu líder intelectual ganhava quase todas, as vezes com teses um pouco absurdas. Já que ele não esta por perto e nem estará, limite-se aos autos e parem de choradeira.

  • antonio

    Idealmente,advogados criminalistas deveriam zelar para que ninguém, uma vez condenado,não recebesse pena além da devida.Hoje, no entanto,fica a sensação que criminalistas servem tão somente para livrar criminosos da cadeia,e os grandes criminalistas,os grandes criminosos.

  • Braverman

    A reação da parcela-não-gado do povo é resultado do conhecimento (percepção? talvez, mas não faz a menor diferença) que este tem de parte dos advogados de seu país como picaretas, desonestos e que fazem o que for necessário para livrar seus clientes bandidos das garras da justiça. E respondendo ao Celso Vilardi em sua alegação de que “estão confundindo as pessoas dos acusados com a dos advogados”…é exatamente isso: parcela-não-gado do povo percebe claramente que não há a menor diferença entre picaretas empresários, picaretas politicos e picaretas advogados…são todos…como dizer… picaretas!

  • magda brossard iolovitch

    Caro Setti.
    Minha apreciação é diferente. Sou advogada, filha de advogado, e lamentei profundamente a nota da OAB, que brandiu as prerrogativas, quando o cenário dos fatos ocorridos no gabinete do Ministro da Justiça era outro. A OAB omitiu os fatos na sua nota, contou meias verdades, o que considero muito grave.
    Sou filha de um ex-Ministro da Justiça que honrou o cargo que ocupou, que não recebia ninguém às escondidas, nem tentava esconder os atos que havia praticado.
    A OAB não agiu em nome dos advogados brasileiros quando deu aquela nota na terça-feira de Carnaval. Sabe-se lá por qual razão fez aquilo! Depois soube que o presidente da entidade é “candidato” a uma vaga no Supremo Tribunal Federal, o que pode explicar algumas coisas.
    O Antagonista transcreveu como nota o comentário que fiz sobre este assunto, onde manifestei minha discordância com a OAB.
    Portanto, não era corporativista. Isto foi republicado no Facebook.
    Com surpresa, recebi uma enxurrada de mensagens de apoio e solidariedade – de advogados de todo o Brasil – contra a nota e a posição da OAB.
    Um post de republicação no Facebook teve mais de 1.400 compartilhamentos, um número extraordinário. As mensagens dos advogados sao contrárias à OAB.
    São dados concretos, que me surpreenderam, e me fazem discordar do post.
    Os advogados são parte da população brasileira, estão fartos da corrupção que corrói o país, e desejam a aplicação da lei. Não apoiam conchavos, histórias que não fecham.
    Um abraço

    Outro abraço para você. Não passa pela minha cabeça que todos os advogados do Brasil sejam corporativistas, tal como o caso de seu honrado Pai, Paulo Brossard, e de meu próprio.
    Lamento que o texto não tenha, para você, deixado isso pelo menos implícito.
    Agradeço sua intervenção e, depois de ler seu comentário, tornei isso claro, mencionando-a sem citar o nome e anotando o horário de atualização do texto.
    Um abraço

  • gilson

    SETTI, está tudo podre, os valores são relativos.Quem trabalha dentro da lei está na contra mão.

  • Reynaldo-BH

    Ricardo Setti – sem nenhum favor – é uma exceção em um mundo que abraçou como profissão.
    A formação jurídica, o saber processual e a sólida formação em uma das melhores (UnB) Universidades de Direito do Brasil, o faz ser o famoso ponto fora da curva.
    É repetitivo ver/ler jurisprudência de orelha. Ou conhecimento tão raso quanto uma xícara de chá sobre assunto tão importante como é o estado de Direito. De meu direito. Do seu direito. Daquele que garante a aplicação jurisdicional ao cidadão.
    E que qualquer um, sem ao menos ler, busca em trechos de leis, a defesa do indefensável.
    Que somente pode existir se o conceito de Justiça não for simplesmente um aforismo usado como frase feita, visto que ideia feita já é…
    Talvez ofenda ao amigo Setti. E neste país onde se pratica o direito do estado, infelizmente é.
    Setti é um ADVOGADO que o jornalismo e análise do mundo (entendendo mundo como o que se estabelece e tenta entender dos valores, conhecimento, moral e ética).
    Setti quando publica este post (um J’accuse de Zola) sabe da fúria nada santa que os bacharéis que se julgam laureados em algo, irão responder.
    Os nobres – sem ironias – conselheiros e presidentes das OABs recusam-se a observar o que seja a BAR. O exame de “ordem” dos USA. Acompanhado – mas não controlado – pela American Bar Associaton. Que aplica o Multistate Bar Association, aceito na maioria dos estados americanos.
    O exame (bar da sigla, vem de “barra”, a grade que separa os advogados dos espetadores, da publicidde e de quem possa ter interesse em um julgamento) é feito por quem?
    Pelo PODER JUDICIÁRIO americano, sem nenhuma interferência do mesmo e JAMAIS de um corporativismo que perdoa os seus e defende direitos que nunca são discutidos como essenciais em uma democracia. Que vive como a UNE: de cobranças de “carteirinhas” mesmo que estas sejam mais nobres (apesar de não dar descontos nos cinemas…).
    De que vive a OAB? De “chapas políticas” com “medalhões” ou mesmo com influentes que demonstram força e intimidade com os poderosos? Esta é a disputa pelo legítimo direito de representar milhares de advogados?
    A OAB representa o operador do direito que vive do trabalho diário – extenuante – em um tribunal? A OAB hoje tem algo de parecido com a de Raymundo Faoro? Os brilhantes causídicos (os que tem acesso a gabinetes ministeriais) frequentam tribunais, atrasos processuais, intimidações de alguns juízes despreparados e são fruto de uma formação onde matérias propedêuticas que eram a base da formação filosófica e jurídica de um advogado são meras “matérias introdutórias”? Supositórios à base de códigos?
    Hoje advogados não mais se escondem em lavatórios para pedir um favor. O que já era um desvio. No Judiciário de hoje, advogados com acesso a ministros togados (os do STF, por exemplo) ou desenvergonhados (José Eduardo Cardoso), são recebidos com hora marcada e tapete vermelhos. De vergonha.
    O que sentirá um juiz ao ver (e saber) da interferência de um político no exercício do JULGAR, para o qual se preparou? (Os que passam em concursos, obviamente. Outros são ministros do STF).
    Somente a certeza do corporativismo é o que leva os novos advogados a tentarem ser JAMAIS membros de quadrilhas: somente mensageiros. Regiamente pagos. Há que se ter Justiça? Dane-se! O que se busca e o sucess fee (além do já combinado) usando a lei como a antítese do que ela deveria ser. Não se julga mais a escolha de um defensor (a que todos tem direito) pelo saber. Exceto saber os nomes das secretárias dos poderosos, em qualquer dos poderes constitucionais.
    Uma das matérias basilares do curso de Direito foi abandonada. Ou por ser piada ou por ser motivo de ensinar a não fazer. Ou seja, por desuso.
    Deontologia.
    Por mais que os que não são da área custem a crer, houve tempos em que uma das primeiras noções acadêmicas que se tinha na Faculdadade de Direito era a que determinava fundamentos ÉTICOS para o exercício da profissão. E a partir deles, direitos e deveres.
    Era o passo inicial.
    Perdemos o passo, a pegada, a trilha e a estrada.
    Este é meu comentário e um elogio – sei que desnecessário – ao amigo Setti. Ao advogado Setti.
    Que foi emprestado ao jornalismo.
    Para lá levou a decência e ética.
    E – quem sabe? – desistiu a tempo de ser brilhante em uma profissão que deveria ser exemplo de cidadania e dignidade. Trocou de profissão. Mas não de caráter.
    Ontem, era assim. Hoje?
    Não. Não é mais.
    A OAB e um bar (em minúsculo), se possível em Brasília, onde se comemora a esprteza vulgar em nome do assassinato do direito.
    Só respeito (com ironia) a coragem dos milionários de hoje que recebem, honestamete, o que nos foi roubado: assinam os próprios nomes.
    Que nunca seria Sobral Pinto. Como exemplo.
    Do que eles poderiam ser. E jamais serão.
    (Cada um tem o “god” a quem reverenciar. Cada um sabe o por que escolheu o seu).

    Grande Reynaldo, publico seu comentário pelo seu alto valor, mas algo constrangido pelos elogios imerecidos. Gostei imensamente de meu curso de Direito, fui um aluno aplicado com bons resultados, tive grandes mestres antes que a ditadura militar esmagasse a Universidade de Brasília — figuras como a do grande ministro Victor Nunes Leal, por exemplo — e alguns, em número menor, mais tarde, mas não passo de um simples bacharel.
    Advogado, com “A” maiúsculo, foi meu grande Pai, Arnaldo Setti, que depois de muitos anos dono do próprio nariz fez carreira brilhante no Ministério Público, aposentando-se como subprocurador-geral da República — notório por qualidades como o grande saber jurídico (trabalhou de graça com o ministro Victor Nunes na criação das Súmulas do Supremo Tribunal), absoluta retidão moral e o fato de jamais levar desaforo para casa, inclusive de superiores hierárquicos.
    E, por tudo que sei a seu próprio respeito, grande cultor do Direito foi (e é) você, por sua atuação passada no Ministério Público — uma de suas tantas habilidades na vida.
    Obrigado e um grande abraço.

  • Luiz Carlos Toledo

    Pare de ficar lembrando que o Botafogo está na segunda divisão. Estou tentando esquecer.

  • Armando

    Setti, O Zé precisa largar o ministério e votar a advogar em porta de cadeia, ali é o seu lugar, quanto aos advogados dessa cambada de foras da lei e corruptos, estão defendendo o seu interesse monetário, isto é, a bolada que levam no início da defesa e o no final do processo pelo resultado obtido e contratado.

    Entendo sua indignação, caro Armando, mas não se pode criticar advogados pelos clientes que eles defendem, não é mesmo? Neste post, eu critico a postura dos advogados diante do caso específico.
    Abração

  • Paulo Souza

    Este governo faz o que quiser, não tem limites. Acorda Brasil !!!!

  • Nivaldo Ferreira

    Quanto ao corporativismo no Judiciário, nem se questiona, basta que se possa ler ou entender o que se fala durante anos sobre o pouco que o Brasil andou em relação a Justiça. Lembro que somente a pouco tempo, a sociedade brasileira conseguiu se ver livre do momumento ao corporativismo desta classe que era a aposentadoria integral como punição dos magistrados no Brasil. O Poder judiciário ainda permanece um feudo e isso também precisa acabar. A OAB que deveria ser o fiel da balança quanto a estes descalabros éticos, trabalha conforme a política. Defende qua a maioria defende a ataca fazendo o mesmo. Deveria ser a primeira a sofrer uma profunda e sensivel mudança de virtuamento. Quanto ao lobby dos advogados, este já será um problema mais complicado, mas a OAB deve acertar seu passo para poder disciplicar os seus.

  • marcelo matos

    Sr. Ricardo Setti ótima reportagem. Homens como o senhor dá força aos brasileiros de bem. Gostei muito do artigo da senhora Magda Brossard.

  • Claudio

    Esse Ministro recebe qualquer advogado, ou só os das grandes empresas?
    Se disser que recebe pessoalmente qualquer advogado que quiser falar com ele estará mentindo descaradamente.
    Se disser que só recebe os advogados de grandes empresas estará prevaricando.
    Ainda vem a público querer se explicar e fingir que tem razão.

  • Zé Geraldo

    Setti, sou também advogado, e lhe dou plena razão.A classe é de um corporativismo asqueroso. Vejo no episódio desses encontros a influência sempre nefasta do prócer-mór do lulopetismo, como o encontro dele com o ministro Gilmar Mendes em Brasília, quando tentou chantageá-lo para livrar a cara dos mensaleiros. Que figura e que influências deletérias para a nossa frágil democracia.

  • Cidadão Quem

    “República” dos advogados… É isso o que o Brasil é. Não admira que sejamos país tão desenvolvido e desburocratizado. Nossos advogados realmente trabalham pela prevenção dos litígios e a simplificação processual da vida civil no país. KKKKKKKKKKKKK
    .
    Piada, não é? Verdadeiro bando de *******.

  • Flávio Pantoja

    Pior que os advogados só o pessoal da Máfia de Branco !

  • Cláudio

    Os petralhas estão testando a paciência dos brasileiros. Estào esticando a corda. Até quando? Até quando resistiremos?

  • Kharma Kahn

    Há momentos em que se deve usar o microscópio para examinar alguma coisa, mas em outros, é preciso levantar os olhos e olhar ao redor, a paisagem e o ambiente como um todo. Estamos diante de um caso que afeta não só um pais inteiro, mas também pessoas e instituições de outros países que acreditaram no Brasil. O Petrolão está nos custando muito caro, e vai nos custar muito mais, não só economicamente, mas também pela enorme erosão que provoca na nossa credibilidade como nação. Aos brasileiros um pouco mais conscientes, provoca vergonha.
    O petrolão nos mostra que há muita coisa profundamente errada no Brasil, coisas estas que se não forem corrigidas, nos levarão a uma inevitável “Venezuelisação”, se me permitem a licença de usar este termo. Dizer que a operação Lava-Jato é uma ameaça ao Estado de Direito, é no mínimo, concordar com o abuso do Direito do Estado, coisa que seguidamente acontece no Brasil, e que infelizmente é confortável e conveniente não só a muitos advogados, como também a uma plêiade (para não dizer outra coisa) de outras categorias. profissionais. Acho que é hora da OAB levantar os olhos do microscópio e dar uma boa olhada ao redor: olhem para o imenso prejuízo que nos está sendo imposto por um bando de ladrões de casaca. Olhem para os milhares de trabalhadores que estão perdendo seus empregos por causa do petrolão (milhares, dezenas de milhares e logo centenas de milhares). Olhem para o dano que estes ladrões de casaca estão infringindo à respeitabilidade do Brasil e de suas instituições. E que tirem suas próprias conclusões.

  • Dacem

    Advogados que defendem os quadrilheiros denunciados na Lava Jato são qualquer coisa mas não são advogados.

  • LC

    A OAB e alguma figuras estão envergonhando a maioria dos advogados do Brasil, que são profissionais honestos…
    Essa atitude infeliz da OAB de apoiar o ministro da justiça em sua tentativa de atrapalhar a justiça, só prejudica a imagem da advocacia….
    Nesse sentido, essa entidade não representa os interesses da categoria.

  • gunter jr

    Sera que isso tem alguma coisa com o o brasil ocupar o 67 lugar como pais corupto?
    gj

  • Lima

    O Poder Judiciário brasileiro é tipico poder do terceiro mundo, como os outros dois, preguiçoso e corrupto.

  • Fernando

    Setti,

    como advogado venho manifestar o meu apoio a sua corrigenda. De fato, no primeiro texto, havia a possibilidade de dúbia interpretação, fato que, agora, não resta dúvida quanto a sua posição a respeito da “conversa de bastidores”. Claro que é direito (e dever) dos advogados defenderem os seus clientes em qualquer instância ou órgão, porém desde que o façam obedecendo os critérios legais e éticos que devem nortear o seu munus. Infelizmente, ficou bastante claro a tentativa de anular os atos processuais havidos por meio de conchavo político e isto é repreensível em sua totalidade, merecendo a execração pública de seus autores e a justa reprimenda por parte da OAB, entretanto, já vimos que isto não ocorrerá. Fraterno abraço!

  • Clemente

    Setti, bom dia. Você não postou meu comentário. Espero que tenha sido um lapso por estar trabalhando de madrugada, e não uma censura. De qualquer forma, lhe faço a seguinte pergunta: O que são 1.000 advogados nas profundezas de um oceano?

  • salvador

    SETTI,fico temeroso,pois na argentina silenciaram um
    procurador,no brasil por parceria da louca com a louca,pode resultar no mesmo,quanto aos rabulas não
    da pra esperar nada alem de chicanas,trambiques,
    afinal são parceiros,quanto ao cardoso”PORQUINHO”
    é um cego em tiroteio!

  • Sergio

    Este país tem a tradição histórica, derivada do Brasil Colônia e depois império, de ter construído um arcabouço jurídico que criou uma relação clientelista entre o judiciário e o crime. Os advogados foram forjados para serem intermediários nas negociatas entre a justiça e criminosos. Assim, os criminosos são todos “clientes” do sistema,e pare eles as leis são feitas. A coisa toda ganhou contornos de máfia e, tirando pelo nossos índices de corrupção e violência, temos hoje um sistema jurídico falido do ponto de vista da parcela da sociedade não corrompida.
    Este sistema hermético, complexo e pedante é que atrai tantos novos advogados. O Brasil vai se tornando aos poucos uma nação de querelas, demandas e questões, marginalizando quem produz e de fato alimenta este sistema.
    Quando um juiz, por obra do destino, resolve desafiar o sistema, as vozes da máfia bradam. Afinal, se não puderem mais garantir a impunidade para os seus clientes, vão viver do que afinal de contas ? Eles gritam porque se sentem ameaçados em sua capacidade de manipular a justiça, de perder o controle dos cordéis e com isto valer menos para os seus clientes. É muito pouco provável que tudo mude de repente por causa deste processo, mas é possível que seja ainda um importante passo para tornar a justiça algo mais parecido com o sentimento de justiça que parte da sociedade, não mancomunada com o crime, espera.
    E ainda temos muito jogo de cena, tão característico do mundo do direito. Afinal, os clientes pagam alto pela soltura certa e também por um certo drama teatral.

  • guilherme gotelip

    o Principio da amplitude da defesa, permite e referenda a reunião…nada contra.

  • Wagner

    “a falta que me faz aquele que foi meu ministro de vocação, Márcio Thomaz Bastos”. Após essa frase, essa advogada não precisa dizer mais nada. Nojo.

  • Graciano

    Carlos Setti, em sua coluna tocou em um ponto de interrogação que afeta a todos os brasileiros, pois todos dependem dele mais cedo ou mais tarde: o corporativismo da carreira de advogado. A OAB, que diga-se de passagem teve inúmeras vezes em defesa das leis e da democracia no Brasil. Mas até onde vai seu corporativismo atual? Entre o legal e a ética como se portar? Se um médico erra, apesar do também corporativismo da AMB, ele pode ser processado, condenado e até perder seu registro. Mas quanto aos advogados isso nunca acontece, a não ser raramente por casos escabrosos e reação publica. Se um advogado cobra um milionário valor de um malfeitor que é condenado, provado que seus pertences vem da ilegalidade, esse advogado não deveria devolver aos cofres públicos esse valor, que é oriundo do crime. Não é uma forma de receptação? Está passando a hora da OAB rever seus estatutos ou se isso é previsto de aplica-los.

  • haroldo libero mattei sobrinho

    Brasil, pais da imoralidade, do povo que vota errado colocando a pessoa errada no lugar certo, da impunidade com criminosos perigosos para a sociedade, da incompetencia das instituições juridicas onde quem pode mais chora menos sempre com bons e caros advogados, dos mensaleiros quase todos soltos, daquela historia em que perguntaram ao criador porque fizeram o Brasil um pais tão lindo e bom, com natureza exuberante,sem vulcões, terremotos e furacões devastadores, porem o criador parou e respondeu: mas voce vai ver só as pessoas que eu vou colocar la´.

  • Guilherme Machado.

    O José Dirceu falou que o PT precisava se defender, ou seria jogado uma pá de cal no Partido, e está dando nisso. Até o Presidente do PT começou a falar grosso como processar os que falam de seu Tesoureiro. Os canalhas estão se defendendo como sabem, politicamente, nunca nos autos, com contraprovas. Pobre Juiz Moro, não vai ser fácil a sua missão, muito menos dos competentes que lhe ajudam e colaboram. A Veja já tinha mostrado o José Dirceu fotografado recebendo o então Presidente da Petrobras em um Hotel em Brasília. O Joaquim Barbosa não sabia de onde vinha o dinheiro para a cambada pagar as pesadas multas com tanta rapidez. O Problema é o Zé Dirceu, Patrão de tudo que está errado hoje no Brasil. Antes eram outros, muitos mortos e que deixaram a família rica.

  • Ricardo Cesar Mandarino Barretto

    Falo porque conheço esse tipo de estratégia. Exerci a Magiatratura federal por quase 20 anos e hoje sou aposentado voluntariamente. Na verdade, o que os advogados estão fazendo é desestabilizar o Juiz Sérgio Moro. Provocam até a fronteira do limite do que seria razoável, quando não ultrapassam, contando que o Juiz, na condição de ser humano como qualquer outro, possa perder o controle emocional para dar motivo a alegação de alguma suspeição. Estão querendo plantar uma suspeição, imaginando que o processo possa ser conduzido por um juiz mais “suave”. O que eles ainda não perceberam é que a Justiça Federal é diferente. Mesmo que Sergio Moro, um grande magistrado, firme e sério, técnico, viesse a ser substituído, dificilmente eles encontrariam, na Justiça Federal, um magistrado dócil, sem independência. Conheço bem a Justiça Federal e o MPF, pois também fui também conselheiro do CNMP. São duas intituições exemplo de republicanismo, das quais a Nação brasileira deve se orgulhar

  • Henrique

    Há uma figura sendo deixada de lado nessa discussão: a outra parte (nós, o povo), que assiste os advogados dos réus sendo recebidos pelo ministro da justiça. O que podemos pensar? o que podemos fazer quando vemos o poder executivo se dispondo a interferir a favor dos acusados? Será que o Sr. Cardozo e os advogados nos acham tão ingênuos a ponto de acreditar na lisura de um encontro entre empresas acostumadas a pagar fortunas a autoridades por favorecimento e uma autoridade com poder de favorece-las? é uma pena que vários advogados pelo Brasil não só achem tudo isso tudo normal, como ataquem quem se indigna.

  • Meira

    O Juiz Sergio Moro,conta com o apoio de todos brasileiros. Somente os advogados e envolvidos estão contra, portanto, parabéns Dr. Moro, força. nós contamos com sua determinação,siga em frente, vamos prender esses corruptos

  • Paulo

    Esta classe que não produz nada, apenas fica procurando brechas nas leis mal feitas do país, as vezes elaboradas pela corporação. A quantidade de advogados que existem no país é absurda (maior do mundo), para sustentar tanta gente que participa com nada no PIB brasileiro é necessário lavar dinheiro sujo (será que alguém pergunta se pode usar dinheiro de roubos para pagar a banca de advogados). Caso criminoso não tenha dinheiro de procedência limpa, não poderia ser usado para pagar essa gente. Por que essa turma não faz engenharia ou outros cursos?

  • João Ludwig Sabino

    Apenas uma pergunta? De onde vem o dinheiro que os corruptos (qualquer um), usam para pagar seus caros advogados, donos de bancas extraordinariamente famosas Brasil afora? Todos já devem ter percebido que os advogados são sempre os mesmos! Ganham rios de dinheiro desses criminosos. A bem da verdade os advogados são pagos com o dinheiro oriundo do roubo que os corruptos praticaram. Isso não é crime de lavagem de dinheiro? Essa história vem desde o Carlinhos Cachoeira com o Márcio T. Bastos. Onde o Cachoeira arranjou dinheiro para pagar o nobre advogado já falecido se ele nunca trabalhou? Todo corrupto e ladrão do dinheiro público deveria ter como advogado um defensor público. Esse país realmente não tem jeito. SOCORRO, SOCORRO!!!!

  • dangtas

    Os Brasileiros sabem que essa ‘OAB’ que aí está, não representa a classe e muito menos o povo. É um braço do PT e como tal, age em prol da corrupção e bandidagem.FORA ‘OAB’ que tem como presidente um militante do PT.

  • Daniel Costa

    Prezadíssimo Setti. Sou leitor ferrenho de sua coluna.Estou com 63 anos e tive na minha juventude o sonho de cursar Direito. Mas posso falar que hoje me envergonharia de pertencer a esta OAB (Organização Arcaica Brasileira) por, detectar a conduta do seu presidente Marco Vinicius Coelho, em prol da bandalheira, da falta de seriedade para com a classe de Advogados e para com o andar da Justiça. Profissionais deste naipe deveriam ser banidos da profissão, pois não honram o juramento que fizeram quando se formaram. Esperemos que a escala de valores, ainda permaneça na Justiça Brasileira, ou seja, da moral, da ética, da dignidade, da conduta profissional, enfim, que possamos ainda acreditar que existe JUSTIÇA!!

  • Everardo

    Eu, como advogado, além de repudiar tais safadezas, reputo que essa corja que se dizem advogados renomados, são o lado podre da advocacia, prova maior disso seria que alguém desse notícia de que alguma “PITIÇÃO” de um desses kakais da vida servisse de exemplo ou modelo a um novo advogado, advogam tão somente sob sub-reptícios, subornando, ameaçando e quetais, é tudo bandido querendo se aliar a servidor, bandido, promotor bandido, juiz bandido e agora com esse ministro bandido da justiça.

  • Roberto

    Trata-se de uma máfia digna da época do Poderoso Chefão porém com valores BEM maiores e uma equipe envolvendo advogados, ministros, “jornalistas” pagos, UNE, Sindicatos, etc… todos corrompidos pelo PODER e receiam perder estes rendimentos. Por muito menos Color foi punido e hoje é aliado

  • Marcos Antonio Segundo

    Se os honorários pagos a esses advogados são fruto das propinas petroleiras há que se confundir sim advogados e clientes. Ambos ladrões !!!

  • Algoz

    empreiteiros, advogados, moluscos, crias molusquentas, ministros, politicos, vermes outros, boçais pagos, boçais ignorantes,etc., são vitimas de estupro legal , perpetrado por uns juizinhos provincianos, que ainda não entendenderam que se trata de gente fina, nobre, educada, honesta, ética, que tentam lutar pelos pobres, mas sabe como é né, a carne é fraca.
    Pecadinho venal por roubar bilhões e bilhões desse povinho brasileirinho.

  • sylvio marci santos

    Ricardo Setti,esteve brilhante como sempre em seus comentários.Atingiu com perfeição o âmago da questão.Parabéns.

  • Roberto

    Permita-me complementar um comentário deste post: penso que não se trata de aceitar ou não honorários profissionais de origem duvidosa ou ilícita – até porque a Fazenda Pública também não exige explicações a respeito da origem do dinheiro quando o contribuinte paga um tributo. Queiram ou não, o advogado não pode trabalhar de graça. No entanto, suspeita-se que alguns escritórios (e isso já foi noticiado) “lavam” o dinheiro dos seus clientes ricos. Esta é a questão e, muitas vezes, a explicação para os honorários milionários – que, convenhamos, são irreais.

  • Mauricio

    Espetacular, lúcido, imparcial, não tendencioso esses esclarecimento.É disso que precisamos para entendermos e poder opinar, mesmo não sendo doutos e letrados como os distintos Advogado citados.
    Esses doutos Advogados estão nos desmerecendo como o Sr. Dr. Ministro da Justiça…..não somos burros, estúpidos ou sem conhecimento dos Fatos.
    Parabéns!!!!

  • rodrigues

    Se há corporativismo entre esquerdistas, petistas, sindicalistas e todos os istas em listas, inclusive os da OAB, porque não, da parte dos juristas e magistrados em defesa do direito, da democracia, da moralidade e da vergonha na cara?

  • Kao Yung Ho

    Além do corporativismo, há uma questão fundamental da moralidade. A questão é filosofal, a legalidade sobrepõe à moralidade? Ou vice-versa? Há como os 2 terem o mesmo peso? É direito fatídico que todos tenham direito à defesa, constituindo um advogado para isso, sobretudo nos crimes mais hediondos, mas pergunta é: como um dinheiro pago ao advogado de defesa, notadamente sabido e reconhecido que foi obtido por meio de roubo com assassinato das vítimas, ou por meio de corrupção desgraçando a vida do povo, pode ter valor moral perante à sociedade? Pode ser lícito, pois assim a legislação estabeleceu, ter uma boa remuneração por um trabalho de advocacia, até árduo e também honrado, que é a defesa de bandidos. Também não se deve responsabilizar os advogados por essa legislação, que deixou para cada profissional ter a consciência do que faz. Mas é evidente que as consequências estão sendo prejudiciais à sociedade, desde que se estabeleceu uma legislação que se sobrepôs à moralidade, não prevendo seus efeitos colaterais negativos, ponderando ilimitadamente o valor do indivíduo sobre o coletivo. Essa legislação como está, permite a existência da maior lavanderia de dinheiro “imoral” no Brasil, pois a ilimitação de quanto pode ser a remuneração de um profissional na defesa de um crime hediondo não permite o controle de “enriquecimento através de numerário imoral”. A legislação de um país representa o espírito de um povo. Um espírito com permissividade de ocorrência de alguma coisa imoral é um espírito imperfeito. Não há corpo que consiga viver sã com espírito imperfeito. Em algum momento essa imperfeição aparece e faz estragos. O povo brasileiro está chegando ao limite sustentável de sobrevivência pacífica, beirando a um colapso coletivo, devido a socialização desequilibrada de todos os tipos de agruras em favor de proteção aos direitos individuais. Mas, se em casos de acidentes de trânsito há previsão de limitação quanto ao valor de indenização para que não se caracterize enriquecimento ilícito da vítima, deve haver regulamentação também para essa situação de modo a não caracterizar enriquecimento “imoral” do defensor.

  • Danilo

    Os advogados tendenciosos, manipuladores e anti-éticos advogam em causa própria, são corporativistas, anti-patriotas e ajudam a lesar a Pátria ao defenderem corruptos e corruptores que roubaram e roubam bilhões dos brasileiros, são sócios do crime e dele se beneficiam.
    Os defensores dos lesa-pátria tentam amenizar os crimes do cartel aliado aos bandidos políticos e funcionários públicos roubam a anos o presente e o futuro de toda uma Nação e emporcalham o seu passado, esta corja chama de “mau feitos” ROUBOS VULTUOSOS e ainda tentam denegrir e enxovalhar os poucos e bons Juízes éticos, honestos e competentes que ainda restam.
    O Juiz Sergio Moro e seus assessores e o Ministro Joaquim Barbosa, representam a parcela honesta e digna dos brasileiros que ainda acreditam na justiça, apesar das leis dúbias e capciosas existentes, que no Brasil foram propositadamente criadas para beneficiar malandros, marginais, bandidos, ladrões, assassinos, corruptos e corruptores e indignam os cidadãos justos.
    Os representantes do direito dos bandidos que roubaram e roubam o presente e o futuro de nossos filhos, netos e
    fazem os brasileiros honestos e trabalhadores desacreditarem nos 3 poderes de nossa republica, estes advogados não fazem parte da classe de profissionais que amam sua Nação e sim de oportunistas que só atentam para o seu beneficio e esquecem da maioria.

  • Sergio Almeida

    A questão é que a operação lavajato desnudou toda a bandalha operante no seio do poder. A corriola de advogados, que agia nos bastidores e se locupletava com a dinheirama pública, agora se encontra exposta à estupefação da opinião pública. A fonte, se não secar, pelo menos jorrará menos. Não adianta espernear. O mal já foi feito e não tem como esconder. Tomara que tudo isso se transforme em mudanças profundas que o país tanto requer.

  • Luciano

    Caro Ricardo Setti,
    Com todo o respeito, basta ler os cometários feitos aqui, neste mesmo post, para verificar que o Dr. Vilardi não “enxergou mais longe” que ninguém. Ele apenas apontou o óbvio. Não é preciso vídeo ou declaração explícita, basta conversar com as pessoas na rua, ou ler os cometários que os leitores fazem em seu blog ou em outro texto sobre o assunto, em qualquer jornal, para constatar que os advogados que trabalham neste caso são considerados tão bandidos quanto seus clientes que estão presos, e, portanto, estão sendo confundidos com os acusados.

  • Andrea

    Acontece meu Caro Ricardo, que esse mesmos advogado estão acostumados a reinar e a dominar as decisões. Possuem relações prosmiscuas com figuras do poder judiciário. jantares, regalias, viagens, etc.
    Quando aparece alguém que não se dobra e não se deslumbra com isso ou com um cheque gordo, acham que estão sendo mal tratados.
    O povo não é mais bobo. Vai ver a conta desses advogados. Quem está pagando? Dinheiro sujo é claro.

  • Maria

    Salve o Juiz Sérgio Moro!!! O Brasil necessita, com urgência, de mais Juízes, Ministros de Tribunais, Governantes, como ele. Sérgio Moro e Joaquim Barbosa, exemplos que deveriam ser seguidos.

  • Scott

    Em matéria de bandidagem uma parcela da advocacia só perde para os nossos políticos. É de doer ouvir três patetas advogados procurarem o Min. Cardoso para certamente pressionar a PF a fim de dar um novo rumo às investigações. Nada de leniência com empreiteiras. É cadeia neles e nos políticos envolvidos na roubalheira da petroleira.

  • Geraldo O. Silva

    Concordo com a afirmativa dos advogados de defesa das Empresas, quando reivindicam o direito de ser
    recebidos por quaisquer autoridade deste País, porém, não podemos aceitar que, para atender a prerrogativa, se atropele estado de direito tentando influenciar decisões, ao se tentar obstruir
    o andamento do devido processo legal em curso no Judiciário.

  • Paulistana

    Essa situação do Cardozo me fez relembrar o caso da Pasta-Rosa do Itamar. O Presidente recebeu prontamente o parlamentar Magalhães q dizia ter inúmeras denúncias contra seu governo, mas o fez acompanhado da imprensa. Cortou pela raiz a malandragem do outro.
    JB em outro twitter sobre o caso atual, lembra q recebeu advogado de réu do Mensalão, mas o fez acompanhado do PGR.
    Empresários japoneses são conhecidos por fazerem reuniões para decisões importantes com fornecedores ou parceiros sempre em bandos, levam toda a diretoria.
    Ou seja, quem quer consegue não apenas ser honesto mas tbm parecer honesto. E isso não se faz ocultando reuniões da agenda mas fazendo a maior publicidade possível tanto delas qto do assunto nelas tratado.

  • Alessandra SP

    Pois é, caro Setti
    Cada pais tem a Ordem que merece:
    “Não se pode misturar o Direito e a política.” diz representante da Ordem dos Advogados de Paris
    (Fonte: O GLOBO)
    Esse Ministro da Justiça é lastimável em todos os sentidos. Continua firme em sua missão de advogado dos petralhas. O pior é que periga acabar ministro do STF…

  • Precisamos de NOBRES ADVOGADOS

    Dr. Ricardo Setti, me permita …
    – – –
    ‘ADVOGADO e, JESUS’

    “Um mestre da Lei (ADVOGADO) se levantou e, querendo encontrar alguma prova contra Jesus, perguntou:
    — Mestre, o que devo fazer para conseguir a vida eterna?
    .
    JESUS respondeu:
    — O que é que as Escrituras Sagradas dizem a respeito disso? E como é que você entende o que elas dizem?
    .
    O homem (ADVOGADO) respondeu:
    — “Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma, com todas as forças e com toda a mente. E ame o seu próximo como você ama a você mesmo.”
    .
    – A sua resposta está certa! — disse JESUS
    — Faça isso e você viverá.
    .
    Porém o mestre da Lei(ADVOGADO) querendo se desculpar, perguntou:
    — Mas quem é o meu próximo?
    .
    JESUS respondeu assim:
    — Um homem estava descendo de Jerusalém para Jericó. No caminho alguns LADRÕES
    o ASSALTARAM,
    TIRARAM a ROUPA,
    BATERAM NELE
    e o deixaram QUASE SEM MORTO.
    .
    Acontece que um sacerdote estava descendo por aquele mesmo caminho. Quando viu o homem, tratou de passar pelo outro lado da estrada.
    .
    Também um levita passou por ali. Olhou e também foi embora pelo outro lado da estrada.
    .
    Mas um samaritano que estava viajando por aquele caminho chegou até ali. Quando viu o homem, ficou com muita pena dele.
    .
    Então chegou perto dele, limpou os seus ferimentos com azeite e vinho e em seguida os enfaixou.
    Depois disso, o samaritano colocou-o no seu próprio animal e o levou para uma pensão, onde cuidou dele.
    .
    No dia seguinte, entregou duas moedas de prata ao dono da pensão, dizendo:
    — Tome conta dele. Quando eu passar por aqui na volta, pagarei o que você gastar a mais com ele.
    .
    Então JESUS perguntou ao mestre da Lei (ADVOGADO) :
    – Na sua opinião, qual desses três foi o PROXIMO do HOMEM ASSALTADO?
    .
    – Aquele que o socorreu!
    — respondeu o mestre da Lei (ADVOGADO)
    .
    E JESUS disse:
    — Pois vá e faça a mesma coisa. Lucas 10:25-37″
    – – –
    O POVO,
    ASSALTADO / NU / ESPANCADO / QUASE MORTO
    … (neste momento de penúria, (até sem AGUA e LUZ estamos PRA FICAR SEM) que estamos passando, precisa de Mestres da Lei, Nobres Advogados)… precisa dizer mais alguma coisa ?

  • Hipócrates Viana

    Bravo, bravíssimo Ricardo. Cuidado advogados! Já estamos quase chegando ao ponto em que quando contratamos um advogado, ficamos com um um pé atrás. Será que ele vai me passar a perna? Será que ele vai me enrolar até secar meus bolsos? Se continuarem nesse passo será mais uma profissão marginalizada no Brasil. E aí OAB? Sejam mais profissionais e menos políticos!

  • VALMIRO-BA

    Setti, parabéns por você fazer parte deste time de alto nível que trabalham na VEJA!

  • rafael

    Há primeira vista e sem a analisar os autos, parece que há irregularidades na condução da lava- a- jato, equivocos jurídicos que podem por tudo a perder, um deles inclusive foi levantado pelo Reinaldo Azevedo, e sim, a questão dos vazamentos é muito grave, infelizmente, se não forem os causídicos a levantarem essas questões elas ficarão esquecidas, criarão precedentes perigosos a TODOS os cidadãos, lembre-se Setti que o próprio Ives Gandra afrimou que Dirceu foi condenado sem provas, e se amanhã for alguem p´roximo a nós, infelizmente a imprensa não tem se atentado para essas questões processuais, e não tem defendido o Estado de Direito, preferindo fazer coro contra o governo,inclusive omitindo que os advogados antes de buscarem o Ministro agiram atmbém nos autos, sem providência, haja vista que Moro tem agido como acusador, ultrapassando seu limite de juiz.Parabéns aos colegas por buscar em todos os foros a defesa do Direito.

  • Nadia

    Sei que há mil firulas em todos os ritos do direito , não podemos , nós, brasileiros admitir que um grupo nos sangre e continue sem punição. Precisamos que tudo seja posto em pratos limpos e não precisamos que nenhum ditador desfile no Brasil com o dinheiro roubado do povo da Guiné, achei injustíssimo a beija-flor ganhar e nem assisti ao desfile dela. Precisamos de mais vergonha na cara e não permitir tais coisas.

  • Filipe

    Pela lógica do colunista, então, se eles não estavam conversando sobre o “Botafogo, sobre a seca em São Paulo, ou sobre a novela”, só poderiam estar a tratar de assuntos condenáveis. É isso?

    Onde estão as provas de que os assuntos tratados eram ilegais?

    O que se sabe foi que o encontro existiu e que não é ilegal advogados serem recebidos por servidores públicos. O resto, até agora, é imaginação (que não é sinônimo de corporativismo).

    Encontros não registrados na agenda, com o claro objetivo, de parte dos advogados, de procurar perturbar as investigações a cargo da Polícia Federal — e, declaradamente (leia os jornais de hoje!), em que se tratou de viagens de PROCURADORES DA REPÚBLICA ao exterior em busca de provas –são, no mínimo, antiéticos. Dependendo do real conteúdo, ilegais.
    Como você sabe perfeitamente, o Ministério da Justiça não tem nem deve ter qualquer ingerência no Ministério Público e no trabalho dos procuradores da República.
    É intolerável não a atitude dos advogados, mas a do ministro de envolver-se em conversas sobre a ação de integrantes do MP, que dispõe de autonomia constitucional.
    Num país mais sério, o ministro estaria na rua.

  • Reynaldo-BH

    Este espaço que o Setti nos oferece é uma possibilidade – rara – de que debates aconteçam.
    Eu acreditava que seriam de um nível rasteiro, próximo à simples e abjeta agressão.
    Estou surpreso. Positivamente.
    Até mesmo aqueles que claramente identificamos como discordantes, conseguem (ao menos no que se aproveita para publicação) manter uma ideia ou tese defensável. Algumas bastante aprofundadas. Outras, expressões de revolta. Não importa. A ideia está posta. O debate aberto. A visão de cada um, defendida de modo civilizado. E – diga-se de passagem – acerca de um tema essencial.
    Deparei-me com o Rafael – 20/2/2015 às 16:42.
    Com uma visão equilibrada (e não ofensiva), embora eu discorde de cada ponto do comentário postado.
    Ficou claro que há sim um corporativismo classista nascido de argumentos como os do comentador citado.
    Mesmo se referindo a uma “primeira vista” e assumindo (como todos nós!) não conhecer os autos, aposta em e “equívocos” que “poriam tudo a perder” na ação que desvenda o maior escândalo mundialmente conhecido pelo montante roubado e pelos poderosos arquitetos do crime.
    Dr. Rafael, se houvesse conhecimento de usa parte dos autos, estes deveriam SIM se desprezados pela Justiça. Nem o Sr. nem nós sabemos. A lei também possuiu o instrumento (neste caso, essencial) do “segredo de Justiça”.
    Não seria uma “prova” do cuidado extremo – todos sabemos por que – o juiz Sérgio Moro conduz este processo, de modo a que no Brasil é dito como “legalista”, como se outros TAMBÉM não fossem igualmente classificados?
    O dr. Rafael busca na (i)lógica jurídica uma afirmação perigosa.; a da prevalência da “questão processual” esquecendo que ele – o processo – só existe por que algo motivou a ação do estado: o crime. Que dr. Rafael evita comentar.
    Um juiz não faz parte de coros, dr. Rafael. Um juiz é. Por vezes somente uma voz isolada, à capela. Para isto existe o conceito do Direito.
    Dr. Rafael, o senhor que parabeniza seus colegas na busca da Justiça, também os parabeniza quando os mesmos procuram caminhos fora dos tribunais? Qual a diferença da quadrilha que julga o traficante na favela e de outros que preparam defesas em nome de milionários? Pergunto isto em relação ao DIREITO! As outras diferenças já conhecemos. Não existem. Partem do mesmo princípio: do poder que não respeita as regras que o dr. Rafael – como advogado que parece ser – se preparou para defender, de modo profissional.
    Por fim, não responderei à sua acusação (sim, é uma acusação!) que tenta impor ao trabalho de Sérgio Moro.
    Solicito licença para fazer minha a explicação do dr. Ricardo Mandarino Barreto, que me empreste a explicação didática exposta. Basta como resposta, aula e comportamento ético.
    Atacar Sérgio Moro – defendendo a interferência espetaculosa de José Eduardo Cardoso, somente alguns pontos abaixo da chantagem (falsa) de Lula contra o ministro Gilmar Mendes – é defender o CORPORATIVISMO denunciado neste post.
    Dr. Rafael: pense bem antes de dar parabéns a quem usa sua profissão para prostituí-la.
    Um dia, talvez, o senhor precise atuar na defesa de direitos inalcançáveis por quem não use cargos políticos para ser um arremedo de justiceiro.
    Até por que, como na maioria dos justiceiros clássicos, somente se defende o adversário quando o prejuízo aos próprios interesses é maior.
    É o caso, dr. Rafael?

  • flavio

    Ricardo, vou apenas parabenizá-lo por este comentário esclarecedor. Você sem duvida é um dos poucos jornalistas que realmente possuem dignidade, honestidade e caráter.

  • Elizeo Spina

    Se nao bastassem, os varios ADIVOGADOS de( PORTA DE CADEIA ), que ficam com a metade do produto dos roubos,Agora surgem os poucos e caros ADIVOGADOS, dos LADROES DE COLARINHO BRANCO, que aproveitando esse governo PETRALHA, devem ficar com a metade dos roubos da Petrobras. NOJO DESSE PAIS….

  • Bruno Sampaio

    Existe uma praga em língua espanhola que diz: entre advogados te vejas…

  • Carlos Menta

    Sou advogado há 15 anos, além de ter uma empresa em paralelo, que deixo aos cuidados de minha esposa, e não sou, de modo algum, corporativista. Saibam que o Ministro exerce, sim, um direito que lhe cabe. E cabe aos demais. A OAB age de modo lícito e respeitoso. Vocês querem jogar a constituição no lixo?

  • Carvalho Gomes

    Apenas um adendo a tantos comentários, muitos, a meu ver, pertinentes ao artigo acima. Outros, perdoem-me (também tenho muitos advogados e juristas na família), nitidamente corporativistas. Quanto à OAB (a federal) há muito, por muitas atitudes tomadas nos últimos tempos, tem uma tendência petista evidente. Ao que parece também a OAB foi aparelhada, como a Petrobras, a Eletrobrás, o BNDES, etc… para não ficar aqui citando setores “petisados” nos últimos 12 anos.

  • Zé mane

    Um assunto para discussão.: Por que no Brasil advogado pode mentir e nos EUA não pode?
    Por que os advogados tem compromisso com a causa do freguês e não com a
    Verdade ou moralidade?
    No meu tempo de estudante tínhamos apenas 3 opções:.Engenharia, Medicina e Direito. Quem era bom de matemática fazia Engenharia. Quem gostasse de corta barriga de lagartixa fazia medicina. Quem não desse pra nada fazia Direito

  • Zé mane

    Desculpem o modo grosseiro da escrita . Só assim , sem os” data vênia ” da hipocrisia sei me expressar
    Há mais de uma semana o ministro que babou os ovos dos assassinos tiranos da América latrina na reunião do Foro de São Paulo em Montevideu negou o encontro. Depois disse ter sido casual. Por último confessou.. Não mostrou a agenda por a informática falhou.
    E ainda precisamos de provas do que foi tratado no “encontro casual” ???

  • sandovalsader

    Num país mais sério, o ministro estaria na rua….(Do seu blog)respondendo a um comentarista. Só que, desde muito tempo, este país deixou a seriedade de lado. Principalmente entre os governantes e, especialmente, descaradamente pelos petralhas. De toda forma há, ainda, uma esperança. Pessoas como o Juiz Moro e os Policiais Federais que apuram os fatos estarrecedores que, pelo Sapo Barbudo e seus acólitos, são tidos como golpistas. Devemos ficar alertas na defesa destas pessoas e, no 15 de março, vamos as ruas mostrar nossa indignação.

    Convido a todos para assistir o programa politico do grande PMDB que vai ao ar no dia 26/02. Observem que nas chamadas de televisão só aparecem artistas. Não tem bandido lá não?

    Ao jornalista parabéns. Muito trabalho nestes dias de folga. Bem robusto e variado o blog.

  • eliseu padilha

    Em um país com um minimo de ética no exercicio da profissão da advocacia e da associações de classe esse estelionatario e advogado defensor, que é o caso do ínfame e oportunista *** *** ****, de rede ***** e de bandidos e politicos da pior espécie como o **** **** **** *****, não poderia nunca exercer o cargo que exerce **** **** ****, só pela escolha **** ***** dá pra ver que a oab não é uma instituição séria e respeital e que prima pela lisura e pela ética e moral !

  • A RAINHA sem JUÍZO, o REI BÊBADO LADRÃO, e o ADVOGADO do POVO* MPF* JANOT q NÃO Defende o POVO

    —–/

    Ministério Público é um ADVOGADO do POVO…

    … então …
    JANOT é o ADVOGADO do POVO, inclusive nós pagamos o salário dele
    – – –
    então…
    ‘ADVOGADO JANOT e, JESUS’

    “Um mestre da Lei ( ADVOGADO JANOT) se levantou e, querendo encontrar alguma Prova Contra JESUS perguntou:
    — Mestre, o que devo fazer para conseguir a vida eterna?
    .
    JESUS respondeu:
    — O que é que as Escrituras Sagradas dizem a respeito disso? E como é que você entende o que elas dizem?
    .
    O homem (ADVOGADO JANOT) respondeu:
    — “Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma, com todas as forças e com toda a mente. E ame o seu próximo como você ama a você mesmo.”
    .
    – A sua resposta está certa! — disse JESUS
    — Faça isso e você viverá.
    .
    Porém o mestre da Lei(ADVOGADO JANOT) querendo se desculpar, perguntou:
    — Mas quem é o meu próximo?
    .
    JESUS respondeu assim:
    — Um homem estava descendo de Jerusalém para Jericó. No caminho alguns LADRÕES o ASSALTARAM,
    TIRARAM a ROUPA,
    BATERAM NELE,
    e o deixaram QUASE MORTO
    .
    Acontece que um SACERDOTE estava descendo por aquele mesmo caminho. Quando viu o homem, tratou de PASSAR pelo outro lado da estrada.
    .
    Também um LEVITA passou por ali. Olhou e também FOI EMBORA pelo outro lado da estrada.
    .
    Mas um SAMARITANO que estava viajando por aquele caminho chegou até ali. Quando viu o homem, FICOU COM MUITA PENA DELE.
    .
    Então chegou perto dele, LIMPOU os seus ferimentos com azeite e vinho e em seguida os enfaixou.
    Depois disso, o samaritano colocou-o no seu próprio animal e o levou para uma pensão, onde CUIDOU DELE,
    .
    No dia seguinte, entregou duas moedas de prata ao dono da pensão, dizendo:
    — Tome conta dele. Quando eu passar por aqui na volta, pagarei o que você gastar a mais com ele.
    .
    Então JESUS perguntou ao mestre da Lei (ADVOGADO JANOT) :
    – Na sua opinião, qual desses três foi o PROXIMO do HOMEM ASSALTADO?
    .
    – Aquele que o SOCORREU
    — respondeu o mestre da Lei(ADVOGADO JANOT)
    .
    E JESUS disse: ao (ADVOGADO JANOT)
    — POIS VÁ e FAÇA a MESMA COISA. Lucas 10:25-37″
    – – –
    – – –
    Dr. JANOT, nós te pagamos muito caro pro Dr. nos ” Defender” de ASSALTANTES como o PT, **** ***** , e seus CÚMPLICES e COMPARSAS.
    .
    Nós “O POVO” encontramos no momento :
    1 – ASSALTADO
    2 – NU
    3 – ESPANCADO
    4 – QUASE MORTO
    … Pela QUADRiNHA do PT, chefe LULA e DILMA
    – – –
    – – –
    E AINDA tem:
    – o ASSALTO no BNDS ( + de 6 BiLHOEs desviados pela dita Quadrilha para os DITADORES SANGUINÁRIOS )
    – o ASSALTO desviando nosso dinheiro na JBS / FRIBOI
    – o ASSALTO fundos de PENSÃO
    … A ficha da quadrilha é grande
    – – –
    – – –
    Dr. JANOT, o Dr. AINDA quer TRABALHAR para NÓS “POVO” ?- se não quiser é só avisar
    – CASO o Dr. Esteja disposto a HONRAR o seu Cargo NOS DEFENDA da QUADRILHA
    – – –
    “Dr. JANOT ESTAMOS de OLHO no DOUTOR ”

    Precisamos DIZER e PEDIR mais alguma coisa ?
    – – –
    – – –
    POVO:
    “Não tenham medo daqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Porém tenham medo de Deus / Criador, que pode destruir no inferno tanto a alma como o corpo. Mateus 10:28”

  • Sebastião Alves Pereira Netto

    Há sim, grande corporativismo na classe advocatícia.
    Se acham bastiões da democracia defendendo bandidos e muitas vezes emitem opinião à respeito do caso sem sequer saber do crime ocorrido.Falam sempre como se o acusado, sempre fosse inocente já querendo conturbar a opinião pública.Uma pena que se achem os donos da verdade.

  • Jean Carlo Sors Paganini

    Senhor Ricardo Setti,
    Como não se pode garantir que o senhor seja um santo, caso a PF o acorde às seis da manhã, levando preso para outra cidade e o confinando em um cubículo, você orientará seus parentes procurar:
    ( ) O editor de sua revista;
    ( ) O pai de santo
    ( ) O padre
    ( ) O advogado
    Seu comentário pode estar hipocritamente certo, mas ele não condiz com a realidade de providências que as pessoas procuram quando estão com problema. Antes de ser incoerente e levianamente depreciar toda a classe de advogados lembre-se que vivemos em um sistema que permite a todos a ampla defesa. Ampla defesa não está amarrada a uma definição ou a um conceito moral subjetivo.

    Se é que você leu algo além do título do post, deixo claro que não generalizo — até porque sou filho, marido, irmão, sobrinho e tio de advogados.
    Repito: se é que você leu algo além do título do post antes de criticar.

  • Márcia

    Caro Setti, permita-me – como leitora talvez, nem tão “simpática”, mas, sempre sincera e, tb advogada – beijar, virtual e respeitosamente, é claro, a mesma orelha que você teve “puxada” pela ‘colega’: pois eu ASSINO EMBAIXO todo o seu parecer (como de costume, lúcido e imparcial!) sobre esse deplorável episódio. Muito me admira que a OAB – que tem se mantido surpreendentemente MUDA diante do MAIOR ASSALTO DA HISTÓRIA DO MUNDO contra o ERÁRIO e, ORQUESTRADO JUSTO pelo “GOVERNO” que deveria protegê-lo(!!!) – venha, agora, “indignar-se” com o que deveria acolher, qual seja, o RESPEITO à LEI, ao ESTADO de DIREITO e aos PRINCÍPIOS REPUBLICANOS! Só mesmo nesta “terra devastada” em que todas as instituições necrosadas pelo “Supremo Poder PeTralha” transformaram o BRASIL, toda e qualquer intervenção político-partidária, de agentes públicos que deveriam ser ISENTOS, em processos contra parlamentares e membros do Executivo, pode ser “simplificada” para “direito de defesa”! É ENOJANTE e ABOMINÁVEL!!!

  • Leniéverson

    O mal que aflige algumas profissões é o excesso de corporativismo. Muita gente fala bobagens em nome disso.

  • o

    É uma classe que se sente dois dedos acima da humanidade, e assim com os médicos é a única profissão depois destes a receber o título de doutor sem sequer terem feito a especialização. O Congresso está recheado desses profissionais e o Estado tomado por criminosos Que vantagem Maria leva? A cena do advogado que entrou aos berros contra Joaquim Barbosa no processo do mensalão foi de uma violência sem fim, um espetáculo deprimente, e como gostam das atenções voltadas para si, fazem a festa numa plateia de ignorantes. É a classe que menos tem o respeito e a confiança do cidadão. Muitos se tornam meeiros do que se leva uma vida para construir, o melhor é não recorrer a eles, buscar entendimento, pois os processos, além de toda a situação acachapante que se sofre nas mãos de muitos deles, levam décadas para serem julgados.

  • valdemiro

    Quer mudar o Brasil?
    Lute para que os corruptores e bancos que ajudam a corrupção sejam condenados.
    O resto, maus políticos, são consequência,
    O corrupto só existe onde houver o corruptor.