Ora, ora, ora, quem diria?

Não sei se os amigos do blog prestaram atenção aos dados finalmente consolidados de 2012 sobre a situação das finanças dos países europeus – brutalmente afetados pela crise de 2008 –, a cargo do Eurostat, o organismo da União Europeia responsável por todos os dados oficiais.

Vou ajuda-los.

Há ali surpresas espantosas. Quem diria, por exemplo, que a desgraçada, estraçalhada, humilhada Grécia, com déficit público equivalente a 10% do PIB, estivesse melhor do que a Espanha, com assustadores 10,6% — o maior entre os 27 países-membros da União Europeia?

Sabem o poderoso Reino Unido, orgulhosa sexta maior economia do mundo?

Pois bem amigos, com 6,3% do PIB de déficit público, o país governado pelo primeiro-ministro David Cameron tem resultado i-gual-zinho ao de… Chipre, o pequeno país-ilha de 1 milhão de habitantes cujos bancos precisaram ser socorridos pela União Europeia para não levar a economia local para ao buraco, espalhando efeitos até para a Rússia.

A lista de surpresas é longa – e inclui, por exemplo, a Polônia ex-comunista (déficit de 3,9% do PIB) bem melhor do que a França eterna (4,8%).

A maior de todas, porém, vem da Itália: o país sem governo estável e até sem presidente da República até há poucos dia, agora pilotado pelo jovem primeiro-ministro Enrico Letta à frente de uma complicada e heterogênea coligação, frequentemente citado como sinônimo de desgoverno e bagunça apresenta o MELHOR resultados entre os 17 países cujos dados o Eurostat divulgou: déficit de 3% do PIB, rigorosamente dentro das normas da União Europeia.

Sinal de competência do governo de técnicos do primeiro-ministro Mario Monti, responsável por uma rigorosa e ousada e curta gestão (novembro de 2011 a abril deste ano).

O único dos 27 países da União Europeia a apresentar superávit foi a Alemanha – 0,2% do PIB.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 5 =

7 Comentários

Corinthians em 13 de maio de 2013

Setti, Me perdoe, parece-me que o comentário que eu estava redigindo foi enviado pela metade sem querer. Eu estava tecendo um comentário quanto à tentativa de pautar não só seu blog, como também sua opinião, no caso da OMC. Perdão pelo comentário incompleto.

Marcos F em 11 de maio de 2013

Sou eleitor italiano, e aqui, corri atrás de quem pudesse defender o Mario Monti. Ele fez um belíssimo trabalho, inesquecível e que perdurará. O Berlusconi é um belo canalha, mesmo. Política é assim. É fácil falar mal da Italia ... longe dela, porque lá ... ô coisa bonita! Concordo inteiramente com sua última frase e também com sua afirmação de que o primeiro-ministro Mario Monti vinha fazendo um belíssimo trabalho. Uma pena não ter tido mais tempo no cargo. Um abração

Corinthians em 11 de maio de 2013

Nossa. Parece que colocaram uma faixa no seu blog Setti! Ué, Corinthians, que faixa?

Kitty em 10 de maio de 2013

Meu caro Ricardo, Meu coração tem três pontas: Argentina, Brasil e Itália colocadas em ordem alfabética e late forte quando um três países passa por situações econômicas difíceis ou qualquer outro percalço que leve sofrimento aos três povos. A crise europeia atingiu em cheio Itália e outros países da euro-zona.Estão realmente numa situação difícil. O desemprego, especialmente entre os jovens é preocupante, para não dizer desesperador. Além de tudo isso, o país passa por uma crise no parlamento. Após as eleições onde três correntes políticas não conseguiram maioria para montar um governo bastante forte para por em prática medidas que visem à retomada do crescimento econômico para criar postos de trabalho. O governo do Premier Mário Monti e algumas das suas medidas, embora que amargas, conseguiu algum melhoramento ao qual você, comenta na sua excelente analise, e que me fez bastante feliz de saber que, estão despontando mesmo que timidamente da crise. Uma das razões, tal vez a principal delas, pela qual o ministro do conselho, Mario Monti, não conseguiu cortar o gasto público que foi a escolha de manter os postos, quase sem excepção,de todos os grandes burocratas que administram os ministérios. Este será o desafio para Enrico Letta que terá tempo até o final de maio para decidir se mantém os altos dirigentes dos ministérios. Quem não for confirmado, automaticamente, cairá. Sem dúvidas é uma das escolhas mais importantes para as próximas semanas. Enrico Letta foi eleito pelo Pte. Napolitano depois de uma árdua tratativa de formar uma esdruxula coalizão para que Itália não estivesse por muito mais tempo acéfala, ou seja sem governo por muito mais tempo. E mesmo assim, na bagunça, cresceu mais que os outros países, excluindo a Alemanha. Senti um tremendo alivio com a notícia! O Presidente Napolitano deu um grande tributo à pátria que, apesar de sua avançada idade, decidiu permanecer mais 7 anos para ajudar a formar o governo, grande patriota Napolitano! Caro Amigo Ricardo, nunca esquecerei suas palavras que me consolaram quando comentei numa oportunidade a minha apreensão sobre a crise italiana e você respondeu:" E eu confio em que a Itália sairá desta crise..Afinal, quem entende mais de Renascimento?"..Parece que você adivinhou de que a "bella" Itália está começando, embora que timidamente, sair da sufocante crise econômica! Adorei o belo texto portador de tão boas notícias. Um abração/Kitty

moacir em 09 de maio de 2013

Setti, O governo de plantão deveria criar juízo e fazer negócios nesse balcão OMC que a partir de ontem passou a ser comandado por um brasileiro.No entanto,eu muito dúvido. Vão continuar a vender bugingangas no Mercosul e para Cuba.Quem precisa de grandes mercados e de grandes parceiros se está com um DEFICIT de 6,7 bilhões na sua balança comercial no último quadrimestre? Quem liga para isso? Nunca a Dilma! Os problemas dela não são os números negativos da economia.Mas a caridade bolivariana irresponsável. E criar ministérios desnecessários em troca de tempo televisivo e votos.Desgovernar assim é moleza... Outra coisa.Aqui os comentaristas não costumam gritar.Temos educação doméstica.Quem manda - e deselegantemente!- comentaristas para o quinto dos infernos é le lion, le roi des animaux,aí mais abaixo,tentando pautar o blog. Quanto a Itália - tanti auguri! Abraços

Zaratrusta em 09 de maio de 2013

Questa è l'eterna Italia che si riprende sempre, perchè conoscono bene dove e come si devono girare le viti.

P Faustini em 09 de maio de 2013

Epur se muove

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI