Image
O saudoso Nelson Cavaquinho: aqui, em excelente companhia

Por Daniel Setti

No último sábado, 29 de outubro, completou-se um século do nascimento de um dos maiores compositores da história do samba: o carioca Nelson Cavaquinho (1911-1986).

As peculiaridades sobre o sambista, cujo nome de batismo era Nelson Antônio da Silva, começam pelo apelido que, de certa forma, não o representava. O cavaco foi, de fato, seu primeiro instrumento, mas na verdade era o violão seu maior companheiro de palco, tal qual demonstram imagens preciosas como esta abaixo, de 1973, dos arquivos da TV Record.

Outra marca registrada de Cavaquinho era a tristeza de suas composições, tanto pelas melodias melancólicas quanto pelas letras desoladoras (e belíssimas).

Grande clássico de seu repertório composto com Guilherme de Brito e Alcides Caminha, “A Flor e Espinho”, da década de 1950, que ele canta no vídeo após “Minha Festa”, traz o célebre verso “tire o seu sorriso do Caminho, que eu quero passar com a minha dor”.

Para dar uma forcinha, Nelson conta com ninguém menos que Elizeth Cardoso (1920-1990), uma das grandes cantoras da história da música brasileira. Ativa desde o final dos anos 1930 e espécie de madrinha da bossa nova – gravou o álbum Canção do Amor Demais, em 1958, só com músicas de Tom Jobim e Vinícius de Moraes – ela já era uma verdadeira instituição nacional à ocasião do grande encontro.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − 5 =

5 Comentários

Marco em 01 de novembro de 2011

Amigo Setti: Ele está me pagando R$ 6.000,00 por mês, vai levar quase 40 meses. Abs. "Meno male", como diziam nossos ancestrais...

Marco em 01 de novembro de 2011

Amigo Setti: A minha tese é q mulher boa é a q te passa confiança, vou te dar o exemplo do meu cunhado, como uma mulher pode estragar a vida d um homem, o desgraçado, deu um calote em mim e nos meus amigos em torno d R$ 250.000. Morava numa mansão e a mulher trocou por um apartamento de luxo, próximo ao centro,e deu o pé na bunda nele, teve q morar num apto d 1 quarto na periferia, para fugir dos oficiais d justiça, deve mais d 17 milhões na praça,com esse dinheiro a mulher comprou 12 apts no Nordeste e pôs para alugar. E o débil mental ainda me liga pedindo conselhos para se reconciliar. Ela diz q só quer viver com ele como amante. Não é gozação. Abs. Barbaridade, Marco! Que história de horror! Espero que você já tenha se recuperado do calote.

carlos nascimento em 01 de novembro de 2011

Nelson Cavaquinho é uma lenda, patrono de uma das deusas do samba - Beth Carvalho - em vida nunca mereceu o devido reconhecimento ao seu talento. Como sempre, os brasileiros não reverenciam os seus artistas como eles merecem, estamos devendo, muito. A propósito, hoje pela manhã, ao ligar no "Bom dia Brasil", vejo Chico Pinheiro e Renata Vasconcelos exibindo uma reportagem feita no "sítio do Zeca", caramba o maior "pib" musical do SAMBA reunidos em Xerém-RJ, juntos, Zeca, Jorge Benjor, Seu Jorge, Almir Guineto, Jorge Aragão, Beth Carvalho, e tantos expoentes da nossa música, um fato raro, só ZECA PAGODINHO é capaz de juntar tanto talento ao redor de uma mesa, obviamente que a gelada correu solta. Bravo Zeca, joia rara.

Marco em 01 de novembro de 2011

Amigo Setti: As vezes as mulheres são mal educadas e não gostam do desejo d serem amadas, mas existe outra tese q o amor feminino é demonstrado pelo desprezo. Como diria um amigo meu, o q posso fazer se tenho fascinação por mulheres problemáticas. KKKKKKK... Abs. Abs. Todo homem tem um pouco essa fascinação, não é, amigo Marco? Abraço

Estrada de Damasco em 01 de novembro de 2011

Eu vejo com muito entusiasmo esse grande mercado de audiovisual e documentários para os jovens profissionais e tb para resgate da nossa infinita cultura musical. Excelente artigo! e vamos trabalhar! Parabéns, vamos divulgar este artigo! abs, s. vicente,sp

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI