Image
O líder do equivalente da CUT na Espanha não deixa por menos. Vejam alguns de seus relógios de rico: Rolex Submariner, em aço e ouro; Raymond Weil, Maurice Lacroix e por aí vai — todos caríssimos

O preço médio dos cinco relógios das fotos é de, no mínimo, 25.000 euros (cerca de 58 mil reais) — daí para mais. Eles precisariam ser examinados de perto para termos o valor preciso.

Eles, e outros, que não aparecem nas fotos, têm frequentado o pulso de um dos principais líderes sindicais da Espanha no momento não propriamente mais indicado para isso: com cerca de 5 milhões de desempregados, mais de 22% de sua força de trabalho, a Espanha é disparado o país da Europa com mais gente sem trabalho.

O sindicalista é Cándido Méndez, secretário-geral da União Geral dos Trabalhadores, a UGT, histórico sindicato fundado junto com o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) no século XIX, de forte atuação durante a Guerra Civil (1936-1939) e banido durante toda a ditadura fascista do generalíssimo Francisco Franco (1939-1975).

Image
Cándido Méndez: luxo no pulso e no paladar (Foto: Juan Naharro)

E não são só relógios carésimos que enchem os olhos do companheiro Méndez: a mídia, sobretudo a situada mais à direita, tem publicado seguidas menções sobre seu gosto por restaurantes de luxo, por exemplo. Entre outros, ele é cliente assíduo do Tse Yang, exclusivo restaurante do cinco estrelas Hotel Villa Magna, em Madri, e de outros bem cotados, como o El Torreón.

Image
O agradável terraço do restaurante Tse-Yan, em Madri

Méndez também gostaria de sofisticação na hora de tramar greves. A greve geral ocorrida em setembro de 2010 no país teria sido minuciosamente combinada numa reunião realizada por ele e outros chefões sindicalistas no também exclusivo restaure El Chaflán, do respeitado chef Juan Pablo Felipe, também em Madri, que, entre outros pontos, se vangloria de utilizar serviços de coqueteleria de prata do século XIX.

Sindicalista então não é gente? Não pode usar relogiões e frequentar lugares caros?

Claro que sim — uma vez que, sendo uma figura pública, que vive do salário de presidente de uma entidade, explique de onde vêm os recursos, sobretudo levando-se em conta que as grandes entidades sindicais recebem suporte do Tesouro. Mais de uma vez, porém, quando questionado por jornalistas, Méndez não quis responder a nenhuma pergunta a respeito, dizendo que se tratava de “assunto pessoal”.

A mesma resposta foi oferecida à imprensa no ano passado quando Ignacio Fernández Toxo, secretário-geral das Comissões Operárias (CCOO), sindicato durante décadas ligado ao extinto Partido Comunista Espanhol, fez jus a um apartamento subsidiado, apesar de, recebendo 114 mil euros anuais de salário, embolsa o triplo do que a lei requer para que uma pessoa tenha direito a esse benefício.

Image
Toxo e Méndez são os dois maiores dirigentes sindicais da Espanha

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × cinco =

Nenhum comentário

fpenin em 22 de fevereiro de 2012

Coisas difíceis de explicar, lá como cá.Aqui, neste país varonil,o presidente da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil, João Domingos Gom es dos Santos,saiu do zero para tornar-se um fazendeiro milionário,com muitos bens e com a extração confessada de 3 mil litros de leite diariamente. Esse milagre da multiplicação do leite incomoda a todos os contribuintes, mas, paradoxalmente, parece que não causa o menor prurido à temível Receita Federal, aquela que inferniza a vida de quem trabalha. É, Sr. João Domingos, vaca não sai de férias. Já os órgãos de fiscalização, parece que pemanecem DE...Onde estás, excelsa e onipresente RF? Onde? Em tempo:este assunto faz parte da edição de VEJA desta semana, que, como sempre, está poderosa. Nós, leitores da revista, merecemos parabéns pela opção da escolha.

Ronalde em 21 de fevereiro de 2012

"Lá como cá, más fadas há"

Pedro Paulo em 19 de fevereiro de 2012

O imposto sindical foi criado no governo Getúlio e deveria durar 10 anos. Foi criado para implementar o movimento sindical, portanto basta retirá-lo que veremos se o poder de convencimento das lideranças "operárias" conseguiria manter as CUT e CGTs da vida.Sobreviveriam os sindicatos representativos de verdade.

wilson em 18 de fevereiro de 2012

Setti aqui preferem Land Rover,Consultoria, e a guitarra chamada imposto sindical. Você tem razão.

tico tico em 17 de fevereiro de 2012

O calhorda dos relógios jamais será um homem fino!

tico tico em 17 de fevereiro de 2012

Setti. Não sou racista, mas tenho a convicção de que os latinos são malandros e vadios acima da média. Seria uma beleza, ter um poco mais J. R. GUZZO no seu blog. Abraços. Não posso concordar com essa generalização, caro Tico Tico, de forma alguma, mas está registrada sua opinião. Quanto ao grande Guzzo, ele está sempre no blog. Ele escreve quinzenalmente em VEJA, de forma que não posso publicá-lo toda semana. Mas sempre estará disponível para nossos leitores! Abraços

tico tico em 17 de fevereiro de 2012

Este calhorda faz dupla perfeita com o Zé Dirceu que toma vinhos que custam milhares de reais a garrafa. Como ser educado com esses jaguaras?

Marco em 14 de fevereiro de 2012

Amigo Setti: Apareceu outro grande advogado, q a saída para Espanha, seria a politica do Lula, em Trio Elétrico, q a concentração de serviços públicos em menor quantidade traz maior eficiência,funcionários só tem quer ter direitos e privilégios. Desperdícios com salários e ociosidade são a solução para o Estado e empresas. O Gustavo deveria implantar isso em alguma empresa ou trabalhar como executivo, ou ser empreendedor. Esses Gênios deveriam ser testados no Mercado, vai ver q a gente está realmente errado. Abs.

Gustavo em 14 de fevereiro de 2012

A Espanha numa profunda crise devido a medidas neoliberais (as quais a Veja defende) e vc se preocupa com o Rolex de um líder sindical espanhol (entre tantos líderes sindicais espanhóis). Que nível de jornalismo... Já já irão relembrar do aparelho de som do Lula. Escrevi inúmeros posts sobre a situação da Espanha, inclusive um, longo e detalhado, quando da eleição de Rajou. Não tem nada demais, de vez em quando, publicar algo mais leve a respeito. Que nível de leitor, o seu... Não lê o blog, cai nele de paraquedas e já vai atirando pedra. Confira, se quiser, o link com o texto grande sobre a vitória do PP: http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/vasto-mundo/vitoria-esmagadora-dos-conservadores-na-espanha-elege-um-lider-previsivel-e-confiavel-para-a-uniao-europeia/

Marco em 14 de fevereiro de 2012

Amigo Setti: Comparar a relação de trabalho com a China é uma inevitável ignorância em relação a vários e múltiplos fatores q a produção e bem estar q difere, não sabemos com exatidão as instituições e ações q significam são iguais, mas forçar o contribuinte brasileiro para uma direção de serviços públicos improdutivos e com benefícios é bem mais desastroso. Aliás um dos piores indíces de produtividade Mundial é do Brasil brurocrata. Muito mais cruel talvez q a China, já quem quer trabalhar no Brasil está paralisado. O Plano sindical brasileiro é uma predição e controle barnabé sobre os meios de produção opondo-se totalmente a liberdade individual, progresso e criatividade. Abs.

gilmar em 14 de fevereiro de 2012

Setti vamos fazer uma comparação o nosso lider sindical mor, o Lulla e outros mas acho que o Lulla é de longe o pior caso, vejamos afortuna do Sr Lulla se não fará inveja a estes mas sua reprtgem mostra como esta raça não presta em lugar nenhum do mundo.

Razumikhin em 14 de fevereiro de 2012

Em tempos de China, com seu trabalho escravo - 72 horas semanais, os sindicatos não têm mais lugar nem razão para existir. Deveriam ir para um museu; lá eles fazem sentido.

Sergio Puccetti em 13 de fevereiro de 2012

Sindicatos e sindicalistas em qualquer lugar só serve para atrapalhar e cometer safadesas. São uns inúteis...

lucio mota em 13 de fevereiro de 2012

alguma dúvida sôbre sindicalistas,quem paga o pato é sempre o trabalhador grevista.Quem articula tudo são eles.me ajuda aí!

lucio mota em 13 de fevereiro de 2012

Caro Lucio, seu comentário contém ofensa pessoal e não será publicado. Abraço

duduvieira10 em 13 de fevereiro de 2012

Prezado RS; Certamente os Rolex dos Sindicalistas Espanhóis (A CUT de lá, a CuT de cá não fica por baixo!!), o festival de porsche cayenne (300 contos cada um) dos funconário públicos do 4º escalão Grecos, as aposentadorias milionários dos Italianos; pobre da Sra. Angela Merkel, assim não há plano do euro que aguente. Meu caro dinheiro não aceita desaforo, essa turma pode espernear, mas vai ter que pagar essa conta, acabou a farra do boi!! sds

Pedro Luiz Moreira Lima em 13 de fevereiro de 2012

Pensei muito antes de dar a minha opinião - me assusto pelas sempre mesmas opiniões - " E CUBA?" "COMUNISTA!" Abração Pedro Luiz

Pedro Luiz Moreira Lima em 13 de fevereiro de 2012

Amigo Setti: Discordo é da generalização do POST - isso dá margens do "ninguem presta""tudo safado e corrupto..." Sei de seu bom senso o perigo é dos outro - fechar sindicatos assim por diante. Aqui todos abaixo:alguns sob novas roupagens assinariam o "BASTA" do Correio da Manhã dos idos MAI/ABRIL de 1964 - e gritariam REPUBLICAAAAAAAAAAAAAAA dos SINDICALISTASSSSSSSSSSSSSSSSSSS. Jamais seria seu caso - mas generalização é muito perigoso. Abração Pedro Luiz

Reynaldo-BH em 12 de fevereiro de 2012

Desde muito que ser líder sindical já não significa mais somente ser o representante de um setor trabalhista. É profissão. Quase uma dinastia, passada de companheiro a companheiro. Aqui e no mundo todo. Talvez por que a atividade funcional (trabalho x emprego, empregabilidade x estabilidade, etc) esteja sendo objeto de mudanças que estes falsos líderes sequer conseguem perceber. No fundo, o melhor cenário para qualquer líder sindical é o que mantém o status quo (com "Vitórias" pontuais aqui e acolá, para fazer o básico parecer essencial) e os privilégios que os tais sindicalistas dispõem (salários maiores, viagens, estabilidade, contribuição sindical obrigatória, participação em governos, etc. etc). E blindados por tropas de choque que não admitem sequer discutir uma nova relação capital x trabalho, frente a um mundo que muda em velocidade supersônica; E eles permanecem atrelados a carroças... A classe operária chegou ao paraíso. Lembram-se do filme? (A Classe operária vai ao paraíso. Elio Petri. O medo aconteceu sem o final previsto). Ou Sindicato de Ladrões, de Elia Kazan. (Mesmo sendo uma resposta ao macartismo, já colocava a questão do desvirtuamento de um sindicato. Qualquer um.). A história do Brasil deve muito a Sindicatos e sindicalistas. Sem eles, nossa luta (de todos) por democracia seria ainda mais complicada. Mas o mesmo mal que aflige quem se apegou ao passado e não vê o novo, repetindo velhas ideologias e discursos repetitivos,está destruindo a representação sindical. Em todo o mundo. Na Espanha, Portugal,USA e Brasil. Estes sindicalistas estão descolados da realidade de quem julgam representar. Talvez para isso necessitam mais que relógios. Será que eles conseguem ler as horas além dos ponteiros?

Reginaldo Gadelha em 12 de fevereiro de 2012

Isso não é só na Espanha, o tal paulinho da força (em minúsculas mesmo pq o acho asqueroso e não tenho nemhum respeito por ele) leva vida de milionário, não só ele mas tb outros dirigentes sindicais. é só investigar.

marina silva em 12 de fevereiro de 2012

I N F A M E!! Só quem vive aqui e ve de perto a CALAMIDADE do país com gente morrendo de frio por causa do desemprego que as pos "En la puta calle" literalmente sabe que cadeia seria o minimo que essa gente mereceria(inclusive porque na cadeia existe calefaçao,coisa que muito trabalhador desempregado NAO TEM MAIS! Excelente artigo(como todos que fazes daqui da Espanha),para que a gente aí no Brasil veja que a safadeza só muda de endereço,país e sotaque porque no resto é tudo a mesma Corja!

sonia maria mesquita em 12 de fevereiro de 2012

Sr. Setti, ja que seis ou oito o sr. nao é, me diga, este seu amigo marcos é doido com numeros que barato, mas a verdade é que acha que ele tbem nao é chegado a gifts caros? Tem certas profissoes que sabemos que existem so pra isto, pra que serve um sindicalistas, se nao for pra virar petista? mesmo que seja espanhol.

Marco em 12 de fevereiro de 2012

Amigo Setti: Me desculpe, fiz uma tabela mas a configuração do blog, alterou, então entenda investimentos x Número de participantes. Resumindo esses fundos tem 547 bi em patrimônio e 2,1 milhões de participantes( q contribuem). Se não ficou claro me avisa. E até o fim do Governo Dilmão a ambição desses grupos é de 12,5 trilhões . Abs.

Marco em 12 de fevereiro de 2012

Amigo Setti: Dilmão, Lula Lá e Marco "Sofazão" Maia e o Zeca Diabo teriam q se explicar na PF e MP, a PF tbm, como surgiu o Sicredi e essa conta absurda: Investimentos Número de participantes Previ 154,5 bi 94,5 mil Petros 52, 9 Bi 89,3 mil Funcef 44, 6 bi 78,5 mil Cesp 18,9 Bi 15,9 mil Abs.

Marco em 12 de fevereiro de 2012

Amigo Setti: Os números da força das Gangs em aportes: Previ: 48 bi 9,6 na petrobras 9,2 no BB o resto em outras grandes privadas. Petros: 17 Bi Itau 3,2 bi Petrobrás 3 bi e o resto em outras partyiculares. Funcef 4,8 bi Oi, Brt 760 mi e outras menores. Abs.

Marco em 12 de fevereiro de 2012

Amigo Setti: Era Lula Lá e Dilmão: 2003: Daniel Dantas é destituido de um fundo alimentado por entidades da previdência estatal q controlava a Brasil Telecom. 2005: Cpi dos correios aponta irregularidades na Administração das estatais e transferência ilegal dos valores dos fundo de pensões desde 2000, em esquema supostamente coordenado pelo então tesoureiro do PT, DELÚBIO SOARES. 2010: CMN retira restrições à participação dos fundos de pensões em obras de infra estrutura do Pac. Petros,Previ e Fucef tornam-se sócios da hidrelétrica de Belo Monte. 2011: Dilmão pede Prioridade ao Congresso Nacional a prioridade para aprovção de um potencial maior de fundão de pensão federal. 2012: Pagam R$ 16,2 Bi pela concessão de Gaurulhos. Abs.

Marco em 12 de fevereiro de 2012

Amigo Setti: vamos alguns dados de como atua essa "Gang Bag" social; 1904: Fundaram a 1 previdência oficial complementar barnabé do Brasil, até mesmo antes da previdência oficial. Anos 60 e 70: Nascem Cesp,Petros(1970) e Valia entre outros. Anos 70 e 80: Começam as fraudes nos Montepios,o mais famosao da familia militar. Anos 90: Já se movimentaram para a participação nos processos de privatização, comprara 90% da Marfesa, 29% da Acesita e 27% da Embraer. 1997: Cinco deles fizeram acordo irregulares com o Citigroup para obter controles de empresas de telecomunicações. somente em 2001: Com as leis complementares 108 e 109, Foi feita alguma regulamentação para esse setor. Abs.

Marco em 12 de fevereiro de 2012

Amigo Setti: Essa turma do Zé Dirceu, Lula, Marco Maia, essa gang d espoliadores públicos, tem q devolver tudo q já sacaram do país. Essa relação promíscua não é marcada por nenhum investimento de modernização do Pais, mas só por escândalos e péssima gestão,agora estreando com a concessão dos terminais aéreos. Como diz FHC a volúpia dessa gente é só aumentar sua rentabildade em vez de enxergarem oportunidades de melhorar infraestrutura.Essa Gang tão simpática ao MP e PF,recebem os recursos de estatais e gestores petistas. Os associados amam esse partido, não é para menos,até pq dado o obscuratismo é ate possível ser fonte d recursos para mensalão politico. Continuam atuando em formação de consórcios públicos nas obras públicas. Abs.

Claudio em 12 de fevereiro de 2012

Fico feliz em saber disso, pelo menos os vagabundos daqui não não muito diferentes dos vagabundos de lá. Concluindo: Só existem tiranos onde o povo tem vocação para escravos...

rosa calixto em 12 de fevereiro de 2012

São os petistas de lá?

Caio Frascino Cassaro em 12 de fevereiro de 2012

Prezado Setti: São muitas as histórias sobre líderes sindicais aqui no Brasil que faziam a greve "casadinha": Mobilizavam a categoria, colocavam na mesa a proposta que, na verdade, era a proposta patronal, a qual já havia sido acertada com as empresas, iam para a frente do povão e posavam de heróis pelo acordo conquistado. O resultado? No caso dos espanhóis, a coisa parece ter se consubstanciado em almços e jantares em restaurantes caros e em relógios diferenciados, sendo com certeza apenas a ponta do iceberg. Aqui no Brasil o caso mais famoso acabou por presidir a nação. E antes que a petralhada de costume comece a zurrar impropérios, essas histórias todas têm testemunhas. Uma delas inclusive contou-me o seguinte episódio: essa pessoa advogava à época para uma emprêsa que tinha negócios junto à Villares. Veio à São Paulo para uma reunião com o departamento jurídico daquela empresa para acertar algumas pendências de contratos ( esse pessoal é de Campo Grande). Chegando na Villres encontrou a empresa em greve e um comício sendo feito pelo ex-presidente Luiz "Onéscio" da Silva. Dirigiu-se a um telefone público e ligou para a pessoa com que se encontraria, pois achava que não conseguiria entrar na fábrica. A pessoa indicou uma entrada lateral através da qual ele acessaria as intalações da empresa sem maiores problemas. Assim a reunião pôde ocorrer. Enquanto tratavam do assunto referente àquela reunião, meu amigo manifestou sua preocipação com relação ao assunto que estavam a tratar pois se a greve se extendesse algumas situações ficariam inviabilizadas. O interlocutor da Villares disse-lhe então que não era necessário que ele se preocupasse, pois a greve acabaria na quarta-feira. Meu amigo perguntou-lhe como poderia ter tanta certeza, já que a situção aparentemente era bastante tensa, com irredutibilidade por parte do comando de greve. Foi quando então que o sujeito lhe disse que aquilo tudo era jogo de cena, que o sindicato, na figura de seu líder Luiz "Onéscio", já tinha feito o acordo nos termos do que propunha a emprêsa e havia levado o seu quinhão por conta disso, sendo que a greve terminaria na quarta-feira da semana seguinte (eles haviam se reunido em uma sexta-feira). Meu amigo ficou um pouco descrente, pois àquela época via em Luiz Onéscio uma figura quase que de folhetim, um herói que nascia para combater a ditadura e a opressão representando a classe operaria nessa luta. Pois bem, na quarta-feira seguinte, conforme informado, a greve terminou, deixando em meu amigo um sentimento de enorme decepção. Não é a toa que o ex-presidente morou anos no apartamento que dizia ser do "primeiro amigo" Roberto Teixeira, história da carochinha e que só cola para quem acredita em fada e duende. A picaretagem sempre correu solta no meio sindical. Só não vê quem não quer. Além do Luiz "Onéscio" da Silva, está aí o "Paulinho da Força" respondedo a "ene" processos por conta de, digamos assim, uma maneira pouco ortodoxa de encarar o uso de dinheiro e as relações de poder advindas dos cargos que ocupa. Um abraço

zemané em 12 de fevereiro de 2012

Setti, Não difere dos "sindicalistas" brazucas, até no ar afetado de "lider", a barba escondendo a cara de pau e o gosto por prazeres custeados por "entidades" sindicais bancadas por trabalhadores.Alguém sabe onde um tal de Jair Menegheli? Porvavelmente mamando alguma teta obesa do estado pilhado pelascorja petista.Alguém sabe o que faz CUT ou essas milhares de "entidades respentativas" dos ingênuos trabalhadores? Todos eles - sem exceção - deveriam ir para CUba desfrutar a vida boa do comunismo de vitrine, junto aos irmãoes homicidas. Caro Zemané, não sei -- confesso -- onde anda no momento o ilustríssimo cidadão Jair Menghelli que, como sindicalista, recusou-se a apertar a mão de dois presidentes da República eleitos pelo povo. Mas, com o lulalato, ele ganhou um presentão: passou a ser presidente do Sistema S -- Sesc, Senac, Senai, Sesi etc --, com salário várias vezes maior do que o do próprio Lula, carrão com motorista etc etc etc. E, daí pra frente, durante anos, ficou quietinho, quietinho, aproveitando a mordomia.

Marco em 11 de fevereiro de 2012

Amigo Setti: O dinheiro mais fácil q existe é desse setor, quem quer ganhar ou esquentar dinheiro, nem precisa outro lugar q não esse paraíso fiscal, no Brasil chega abrir mais de 1.000 sindicatos por ano,é uma farra com o dinheiro público. Um detalhe precisa d vocação psicopata. Abs.

Luiz Pereira em 11 de fevereiro de 2012

Setti, Será que o Zédirceu está prestando consultoria aos pelegos de lá? abs

jeremias-no-deserto em 11 de fevereiro de 2012

Também na santa terrinha de Cervantes os cumpanheirus não dispensam a barbinha.É o Fidel fazendo escola...

José Figueredo em 11 de fevereiro de 2012

Tanto lá como cá essas figuras exóticas não tem nem um mínimo de sensibilidade com os "patos" que os sustentam.Ainda chegarão à primeiro ministro.O barba daqui negociava com um litro de ROYAL na cabeça.Imagine o resultado das negociações.Os empresários amam ele.Os trabalhadores são corneados por ele todo o tempo,eu acho.Lembre do imposto sindical,uma aberração tupiniquim que continua empurrada goela abaixo dos "PATOS" daqui.

Siqueira em 11 de fevereiro de 2012

Se for condenado por corrupção tem refúgio garantido no Brasil como perseguido político "da direita" e já vem até com barba.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI