Números irrelevantes:

A Esplanada dos Ministérios abriga sete edifícios de ministérios à direita e dez à esquerda de quem olha para a Praça dos Três Poderes.

Números relevantes:

Um professor do ensino fundamental na Coréia do Sul — país que realizou uma das maiores revoluções educacionais em todos os tempos — ganha em média 4 mil dólares mensais.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 3 =

5 Comentários

Really... em 20 de março de 2011

Quantas vezes mais ganham os senadores, deputados e juízes no Brasil em relação aos americanos, canadenses, ingleses? E que tipo de retorno temos por essas aberrações? Pode haver exceção, mas como os professores são da mesma espécie corporativista, podem pagar U$ 10 mil que a educação não vai melhorar, basta as universidades publicas brasileiras, nenhum premio Nobel e quantidade de invenções e patentes medíocres. Se for pelos números de 2009, o que a China patenteou num dia o Brasil levaria 3 anos! O que falta aqui são diretrizes e cobrança de metas ao contrario do que acontecem lá fora. Por ser um país “loteado” na base da boquinha, o dono da boquinha não tem moral para cobrar nada e nem está interessado em cobrar, daí o caos não só na educação, mas em todos os setores.

francisco penin em 19 de março de 2011

Setti, Complete, por favor:..., enquanto o professor brasileiro ganha um pouco mais que isso, por ano. INDECENTE.

BETHS em 18 de março de 2011

Ricardo, você saberia informar qual o salário mínimo(se é que há)ou a média salarial na Coréia do Sul? Só para nos situarmos. Obrigada. Beths, desculpe a demora na resposta. Seu comentário caiu na caixa de spam do nosso sistema. O salário mínimo é de cerca de 950 dólares por mês. O salário médio só consegui referente a 2005: por volta de 2.200 dólares mensais.

Mauro Pereira em 17 de março de 2011

Caro Ricardo Setti. Embora não seja saudosista, gosto de relembrar as figuras de duas pessoas que foram importantíssimas na minha formação como homem e cidadão: Dona Cecília, minha professora dos 1.º e 2.º anos e do Senhor Luiz, meu professor do 3.º e 4.º anos do curso primário. Eram os meus ídolos. Havia respeito, sem subserviência. Atualmente o respeito deu lugar a socos, pontapés, cadeiradas e tiros. Hoje, o pobre do professor, além de desistimulado, está entregue à própria sorte e jogado às feras. São desrespeitados, agredidos e mortos. É lamentável!

Davi em 17 de março de 2011

Em contra ponto a média salarial do professor no Brasil é muito baixa, mas o professor recebe uns vales como: vale carteira, vale cadeira, vale ofensa e alguns recebe até vale bala. A educação do país exemplo a não ser seguido.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI