Números irrelevantes:

O Palácio do Planalto consome cerca de 10 mil pacotes de meio quilo de café por ano.

Números relevantes:

69% das empresas brasileiras reclamam da falta de mão de obra qualificada, de acordo com uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 + 5 =

2 Comentários

Mauro Pereira em 13 de abril de 2011

Caro Ricardo Setti, bom dia. Pois é, caro amigo, em um país onde o mérito é desmerecido e o populismo barato torna-se programa de governo, evidencia-se o império dos desqualificados. Bons tempos em que o diploma era o requisito principal para avaliar o profissional. Hoje, a carteirinha de alguns partidos políticos (com a mensalidade em dia, é óbvio!) é o suficiente. Às vezes eu tenho a impressão que na apurada concepção ideológica dos cumpanheiros progressistas profissional qualificado é coisa de lacaio americano.

alberto santo andre em 12 de abril de 2011

O GRANDE PROPULSOR DA MAO DE OBRA QUALIFICADA SE DEU QUANDO DO INICIO DAS INDUSTRIALIZACAO NO PAIS QUE INCENTIVAVA O JOVEM A FAZER CURSOS TECNICOS ,POREM COM A ASCENCAO DO PUXA SACO, E DO DEDO DURO ,QUE CHEGAVA A LIDER SEM NENHUMA CAPACIDADE, FOI SE EXTINGUINDO A VONTADE DE VENCER POR CAPACIDADE O QUE FEZ COM QUE TIVESSEMOS UMA GERACAO DE MEDIOCRES ,COM A QUAL ESTAMOS CONVIVENDO HOJE.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI