Image
Os piores pesadelos, esses que aparecem em ficção, às vezes viram realidade — e não em países remotos e primitivos, mas aqui, perto de nós

Amigos, esses três médicos — ou monstros? — que estão sendo julgados a partir de hoje em Taubaté (SP) são a corporificação dos piores e mais horripilantes pesadelos que aparecem como ficção, aqui e ali, em livros e filmes: a situação em que alguém, vivo, tenha seus rins retirados para que sejam transplantados em outras pessoas.

Com base em provas periciais, o Ministério Público julga que os três, responsáveis por quatro mortes nos anos 80, retiravam os rins de pacientes vivos com falsos laudos de morte cerebral.

Leiam no site de VEJA e constatem: não há limites para o horror — e não em algum remoto país primitivo, sem lei e sem governo, onde a barbárie corre solta, mas perto, bem perto de nós.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + seis =

5 Comentários

Bernardo Ortiz Junior em 14 de dezembro de 2011

Propaganda, aqui, não, meu caro.

Luis em 19 de outubro de 2011

E como nada é tão ruim que não possa piorar ainda mais, fatos como estes depõem contra a doação de órgãos no Brasil. Se tal procedimento já é uma lástima por aqui, imagine quantas pessoas irão desistir por medo que coisa parecida aconteça a elas... Lastimável. Em tempo: sou doador habitual de sangue e ainda continuo convicto em ser doador de órgãos.

Paulo Faustini em 18 de outubro de 2011

Não menos horroroso é o fato do julgamento ser feito agora quando os crimes foram cometidos nos anos oitenta. Vai ser a pantomima judiciaria de sempre, ou o crime prescreveu ou ficam um ou dois anos presos e voltam para a rua.

JT em 17 de outubro de 2011

Certa vez estive numa mesa de reuniões negociando a prestação de serviço para dois sócios num empreendimento. Um deles era médico. O celular dele tocou e testemunhei uma bronca homérica dele em seu assistente: - O que? Você liberou o Fulano do tratamento (de câncer)? Seu burro, dava para segurar ele pelo menos mais seis meses! Aí ele comentou com a gente depois de desligar na cara do infeliz: - Vou te falar viu! Essa molecada tem muito o que aprender ainda... Depois dessa, rezo para não ficar doente. Para minha sorte, o trabalho não saiu. Meu Deus do céu, Jean...

patricia m. em 17 de outubro de 2011

Eh por isso, meu caro, que eu nao sou uma doadora de orgaos na carteira de habilitacao nem do Brasil nem dos EUA nem de lugar nenhum. Ah mas ninguem vai assim metendo a mao nos meus orgaos nao sem pedir permissao a pelo menos uma pessoa da minha familia, ta louco... Comigo nao.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI