Image
“Eu sou feliz sendo prostituta” (Cartaz oficial de campanha do Ministério da Saúde)

Agora é hora de tirar o corpo fora, dizer que não sabia, que a coisa não passou por ele — a velha história do homem público brasileiro de nunca assumir responsabilidade pelo que ocorre em sua seara.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, diante da grande reação negativa a uma campanha infeliz sobre doenças sexualmente transmissíveis, as DSTs — especialmente a uma das peças, em que uma profissional do sexo diz “Eu sou feliz sendo prostituta” –, não só alega que não sabia de nada como jura que campanhas do tipo não mais ocorrerão em sua pasta.

Algo me diz, porém, que a candidatura do ministro ao governo de São Paulo em 2014 pelo PT está na marca do pênalti.

Dificilmente um concorrente a cargo de tal peso oferece de bandeja aos adversários material desse tipo.

Por mais que a campanha tenha sido bem-intencionada — vamos conceder, cristãmente, o benefício da dúvida aos responsáveis do Ministério da Saúde –, não se percebe, até onde a vista alcança, que a grande massa do eleitorado vá considerar aconselhável que cartazes oficiais apregoem a felicidade de alguém na condição de prostituta, seja em nome de que causa for.

Se Padilha chegar lá, durante a campanha eleitoral de 2014 isso fatalmente virá à tona — e não vai adiantar o PT falar em preconceito, xingar, espernear. É inevitável que essa e outras pisadas de bola do ministro sejam expostas no horário destinado à propaganda porque a política é assim, e não vai mudar. A campanha existiu, a responsabilidade última por sua divulgação é de quem comanda o Ministério da Saúde.

Durante minha carreira, entre outros postos, fui diretor de Redação de uma revista — e nenhuma peça publicitária, de espécie alguma, em outdoor, TV, rádio, revista ou site, ou onde fosse, embora criada por especialistas em publicidade, era divulgada sem meu OK.

Que dirá, então, um ministro de Estado — e ainda mais da Saúde! Se ele sabia e deixou divulgar, fez um mau julgamento e se mostrou incompetente. Se ele efetivamente não sabia, não manda em seu Ministério, deveria pegar o boné e ir embora.

Se uma polêmica como essa não surge em uma campanha eleitoral, não estaremos no Brasil.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis − dois =

Nenhum comentário

Corinthians em 07 de junho de 2013

Brasil, um país cada vez mais PaTético... Essa campanha só pode ter sido inspirada em Cuba. Fico imaginando como será que os partidários explicam a campanha para seus filhos de 6 anos... "Papai por que a moça é feliz ? O que é prostituta ?" "Ah meu filho, é uma pessoa muito importante, se não mais do que os pedreiros, engenheiros, vendedores, advogados, médicos aqui neste país... afinal são elas que fazem o verdadeiro 'milagre do crescimento' - por isso é que elas, mais que todos - professores, enfermeiros, médicos, veterinários, agrônomos - merecem uma campanha especial. Afinal sabemos que desde 2003 estudar é coisa de tonto que gosta de pagar impostos" "Sério papai, mais importantes que médicos ?" "Sim meu filho, afinal, precisando de médicos, a gente pede ajuda da Sonífera Ilha dos Castro, que se prontificam a mandar milhares de escravos para atender nossas necessidades."

Leandro em 06 de junho de 2013

Estou chorando sangue.. depois de disto não nos resta mais nada. luto pelo Brasil

freed em 05 de junho de 2013

A foto da campanha deveria ser estrelada pela amante do Lula.

Milton Simon Pires em 05 de junho de 2013

Ricardo,abaixo eventual colaboração Brasil Invertebrado - 190 MILHÕES DE PROSTITUTAS Todo mundo sabe, no seu íntimo, a diferença entre moralidade e imoralidade. Seja lá o que isso signifique para cada um de nós, fica estabelecida imediatamente uma relação de oposição total e de diferença que é, em termos filosóficos, estabelecida na categoria de substância; nunca de acidente. Quando uma organização revolucionária e criminosa utiliza de uma estratégia como a apologia da prostituição para atacar os valores da sociedade, sustento que não está sendo imoral, mas sim amoral A diferença básica é o caráter puramente utilitário e meramente simbólico da prostituição por parte dos ideólogos petistas. O que as pessoas não conseguem entender, justamente porque não estudaram a estratégia dessa seita comunista,é que para esse partido tanto faz gastar milhões em cartazes elogiando as prostitutas quanto o mesmo valor numa campanha para que as mulheres se casem virgens! Os fundamentos são sempre desviar dinheiro público, gerar polêmica e fazer com que a sociedade se volte contra si mesma numa luta cultural suicida. Várias vezes já escrevi que, só assim, na situação de caos total vão surgir as condições para o nascimento do Partido Salvador – a besta que o PT incuba sem que ninguém perceba e que está cada dia mais próximo de dar à luz. Nesse momento a história há de começar de novo, como no Camboja do Khmer Vermelho com seu Ano Zero. Só aí a dominação vai ser total e, finalmente, para sempre. Nada disso que escrevi eu deduzi sozinho. Está muito melhor detalhado em autores que hoje são vistos como simples “teóricos da conspiração.” - visão que desespera os materialistas dialéticos porque se apresenta justamente como uma alternativa à ideia absurda da História como matéria a ser estudada sob a luz de leis científicas imutáveis. Entender a motivação para que o Partido-Religião quebre a espinha dorsal da sociedade brasileira passa necessariamente por distinguir a gigantesca mudança na estratégia da luta revolucionária. Sempre que alguém fala em comunismo no Brasil vem logo aquela sensação de isso já passou. Imediatamente pensamos em invasão de terras e empresas, proibição de religiões, e inevitavelmente, luta armada. Ninguém, com exceção de poucos, consegue ver que a estratégia mudou, que a luta agora é outra, e que são os valores da sociedade que estão jogo. Vencido “definitivamente” em 1989, o movimento revolucionário compreendeu que seguia um caminho invertido na sua luta. Queria controlar totalmente a economia para depois mudar a cultura de uma sociedade. Numa jogada genial, o PT viu que se trata fundamentalmente de fazer o oposto – destruir a cultura para depois controlar a economia do Brasil. Nesse processo, o Partido dos Trabalhadores não tem interesse em propor “nova moral” nenhuma, mas simplesmente destruir a antiga. Ao mesmo tempo que defende, usando dinheiro publico, as prostitutas brasileiras ele morre de amores por regimes como o do Irã onde as mulheres não tem absolutamente direito à coisa alguma! Ao fazê-lo, busca no discurso islâmico, ajuda para derrubar outro grande pilar da sociedade brasileira – seu caráter cristão. Nada há de esquizofrênico nesse discurso. Pelo contrário, ele é perfeitamente organizado – basta saber entendê-lo como um plano de poder que nos estágios mais avançados é capaz de abrir mão, inclusive, do governo. É necessário, de uma vez por todas, que o Brasil compreenda que o PT não é, e jamais vai ser, um partido como outro qualquer. Ele é um movimento revolucionário sem qualquer tipo de escrúpulo em termos de aliança – coisa comum entre os partidos brasileiros – mas com uma grande diferença em relação aos demais: não existe, no discurso petista, lugar para termos como bem ou mal nem tampouco certo ou errado. O simples conceito de moralidade dentro do pensamento marxista, aí sim ortodoxo, já é reflexo da sociedade burguesa a ser destruída. Absolutamente tudo que for bom para o partido e para a revolução deve ser bom para o Brasil. Ou entendemos isso e paramos com esse discurso ridículo de que o “PT se vendeu” e é um “partido como qualquer outro”, ou em breve seremos todos, felizes ou não, 190 milhões de prostitutas num Brasil de invertebrados. Milton Pires – Porto Alegre 5 de junho de 2013

Aguiar Filho em 05 de junho de 2013

Esta campanha mostra bem, muito bem, em que quadra está nosso País. Um País de prostitutas e seus cafetões.

Aguiar Filho em 05 de junho de 2013

Esta campanha mostra bem, muito bem, em que quadra está nosso País. Um País de prostitutas e seus cafetões. Triste fim de quem acreditou (como eu) na decência destes que estão no poder.

Paulão em 05 de junho de 2013

Em tempo, Setti, Pelo que ando lendo por aí, os petralhas já estão preparando o "contra-ataque preventivo", para calar críticas na próxima campanha eleitoral. Se o candidato tucvano fosse o Serra, com certeza já estaria enfiando a viola no saco... Aqui no nosso lado não vão calar ninguém, não, Paulão. Pode ficar tranquilo.

Paulão em 05 de junho de 2013

Boa tarde, Setti, Uma certa ministra, sem ter o que fazer e sem querer politizar a coisa, disse que a central de boatos dazopozição anda espalhando que a tal peça publicitária foi retirada do ar, por causa de protesto indignado do maior lobista de megaconstrutoras. Ele teria ficado irritado com insinuações de que a modelo da foto seria alusiva a uma certa rosa, ou rose, sei lá...

Varlice em 05 de junho de 2013

Em tempos de hipocrisia petista, leia-se de politicamente correto, puta é profissional do sexo, amante é amiga íntima e pobre é deserdado das opíparas cornucópias. Bons tempos os da minha infância quando se chamavam as coisas pelos seus nomes corretos.

Fernando em 05 de junho de 2013

Por que pisou na bola? Eu também achei a campanha desnecessária e vulnerável a muitas contestações, mas não podemos fechar os olhos quanto a esse grupo, sem dúvida de risco, e que como tal também pode ser alvo de campanhas. Concordo que a forma de abordagem,uma espécie de enaltecimento da classe, foi equivocada, mas não a intenção da campanha.

Marcelo Silva em 05 de junho de 2013

Parece a Rose, a da foto.

João em 05 de junho de 2013

Meu Deus!!! só falta a assembleia legislativa , aprovar o dia da corrupção; bem como o dia do assaltante...

Márcia Maria em 05 de junho de 2013

Seu Setti, mas como esse partido tem admiração por GLS e agora prostituição. Primeiro era simpatia, agora é reverência, mesmo!

LC em 05 de junho de 2013

Ricardo, As pessoas esclarecidas e de bom senso sabem que prostituição não se "pega" lendo um cartaz, conversando, ou olhando para uma prostituta... O mal estar geraldo deve-se ao fato dos dizeres "sou feliz", pois o ( hipócrita ) moralismo vigente não aceita essa condição nas pessoas que não se enquadram em seus valores. Os fundamentalistas religiosos, felicianos e malafaias da vida, não aceitam que haja felicidade em pessoas que não seguem seus preceitos e abominam a idéia de alguém se prostituir e ser feliz por fazer o que gosta.... Entendo que até por essa visão egoista de felicidade eles detestam a Daniela Mercury, que é gay e esbanja felicidade..... Detalhe: se Geraldo embarcar nessa de moralismo na campanha vai se dar mal assim como o Serra.

toninho malvadeza em 05 de junho de 2013

Nas próximas eleições vou votar nelas,porque nos filhos não adianta !

o desPeTetizador em 05 de junho de 2013

"Nunca antiz nessi paiz" uma oposição [PSDB, etc] teve tão FARTO material [sujo!] para ser usado em um campanha!!!! Se não usarem, o Brasil acabará de vez! CHEEEEEEEEEGA DE PT! É só m... todo dia q jogam nas nossas caras!

Angelo Losguardi em 05 de junho de 2013

"e não vai adiantar o PT falar em preconceito, xingar, espernear." . Que ingenuidade, Setti. Sempre adianta. E os pogreçistas que lotam as redações de jornais de SP (em especial a Folha e o Estadão) passam a ser verdadeiros "fiscais do petê" (triste atualização do "fiscal do Sarney") e começam a gritar histéricos se alguém tocar no assunto. Foi assim com o haddad. Ou não foi?

Milton Simon Pires em 04 de junho de 2013

Todo mundo sabe,no seu íntimo,a diferença entre moralidade e imoralidade. Seja lá o que isso signifique para cada um de nós, fica estabelecida imediatamente uma relação de oposição total, de diferença que é, em termos filosóficos, estabelecida na categoria de substância,nunca de acidente. Quando uma organização revolucionária e criminosa utiliza de uma estratégia como a apologia da prostituição para atacar os valores da sociedade,sustento que não está sendo imoral, mas sim Amoral ! A diferença básica é o caráter puramente utilitário e meramente simbólico da apologia da prostituição por parte dos ideólogos petistas. O que as pessoas não conseguem entender,justamente porque não estudaram a estratégia dessa seita comunista,é que para esse partido tanto faz gastar milhões em cartazes elogiando as prostitutas quanto o mesmo valor numa campanha para que as mulheres se casem virgens! Os fundamentos são sempre desviar dinheiro público, gerar polêmica e fazer com que a sociedade volte-se contra si mesma numa luta cultural suicida. Várias vezes já escrevi que,só assim,na situação de caos total, vão surgir as condições para o nascimento do Partido-Salvador - a besta que o PT incuba sem que ninguém perceba e que está cada dia mais próximo de dar à luz. Nesse momento a história há de começar de novo,como no Camboja com seu Ano Zero. Só aí a dominação vai ser total e, finalmente, para sempre. Nada disso que escrevi eu inventei sozinho. Está muito melhor detalhado em autores que hoje são vistos como simples "teóricos da conspiração". Ou estas palavras perdem o caráter "profético dos loucos paranóicos" e se tornam um aviso para o Brasil inteiro, ou muito em breve vai ser tarde demais - razão pela qual, Ricardo,se quiseres fazer disso um post,escreva no título: Um Aviso da História. Porto Alegre, 5 de junho de 2013

Márcio F. em 04 de junho de 2013

Mas é o próprio PT, é a definição do partido dos trabalhadores - SOU FELIZ SENDO PROSTITUTA.

Etiene em 04 de junho de 2013

"Não temos nada contra as Prostitutas, felizes ou não. Nossos problemas são gerados sempre pela incompetência dos Filhos Delas". Comentário pirateado de Paulo, Blog RA.

Rodolfo em 04 de junho de 2013

Não publico em hipótese alguma comentários que defendam a quebra da legalidade constitucional.

luiz fernando moreira em 04 de junho de 2013

Sou feliz sendo prostituta. Até parece um convite, um incentivo, tipo: Sem medo de ser feliz , venha você também ser feliz como eu sou. Isso é o PT. Que Deus nos livre e guarde desta praga

Leonardo Saade em 04 de junho de 2013

Dos três nomes do PT sugeridos para o Governo de Sao Paulo, eu não sei qual é pior. Mercadante , Ministro da Educação que estava a frente do ENEM com redação de Miojo. Cardozo, Ministro da Justiça em um momento que a violência dispara no pais todo. E por fim Padilha Ministro da Saude com essa campanha vergonhosa...

wilson em 04 de junho de 2013

Prostituta feliz só em novela da Globo, o pessoal Que fez esta propaganda devi ler um pouco de Plínio Marcos.

toninho malvadeza em 04 de junho de 2013

Essa reposta do Padilha já não foi dada pela Dilma no episódio do Bolsa Família ?

Milton Simon Pires em 04 de junho de 2013

O Brasil Enquanto a Noite Não Chega Título da obra de Josué Guimarães, Enquanto a Noite não Chega foi publicado em 1978. Nem de longe é um romance que possa ser considerado “comum” na nossa literatura. Aborda temas que estavam, e estão até hoje, muito distantes daqueles que se tornaram best sellers ou cânones da academia – os dois únicos critérios utilizados para avaliar a produção literária ocidental..rss..rss O livro trata fundamentalmente do tempo e da morte. Foi escrito em plena época do regime militar, quando ainda existia no Brasil alguma referência em termos de certo e errado, e algum paradigma a orientar a sociedade no sentido da transcendência destes valores. Jamais naqueles dias alguém pensou que o fim de um tipo de governo poderia significar o fim de um tipo de moral. Na década de 1970 nenhum brasileiro poderia acreditar que crucifixos seriam retirados dos tribunais por uma demanda das lésbicas, que chutar cachorros tivesse a mesma repercussão na mídia que queimar dentistas, ou que as pessoas teriam vagas na universidade garantidas pela cor da pele. Duvido que o doente mental mais grave solicitasse ao seu psiquiatra a vinda de 6000 médicos de outros países, ou que as famílias dos criminosos mais perversos tivessem um auxílio financeiro do governo enquanto seu “ente querido” cumprisse pena. Não me lembro, de ter visto algum personagem do Trapalhões, do Chico Anísio Show, ou do Viva o Gordo sugerir que cirurgia de mudança de sexo (é esse o nome politicamente correto?) fosse feita gratuitamente com dinheiro público, ou que uma criança pudesse ser educada por dois marmanjos como se eles fossem seu pai e sua mãe. Não me recordo de nenhum general brasileiro alcoólatra, semi-analfabeto ou fotografado lendo livros de “cabeça para baixo”. Não havia hospitais com médicos chefiados por enfermeiras, os professores não levavam surras dos alunos, e os policiais não moravam nas mesmas vilas que os traficantes com quem trocavam tiros... Quando penso em tudo isso tenho plena consciência de que olho para o passado e vejo – até certo ponto - aquilo que gostaria que o presente fosse. Sinto, como a maioria das pessoas, uma saudade infinita da infância ..e de um tempo que já não volta mais. Entendo também que muita gente que está agora lendo o que escrevo pode lembrar com muita razão que nem tudo “era um mar de rosas”. Sobre este ponto não há discussão. Além de Deus, nada ao meu ver é eterno mas ainda assim acho que houve uma, talvez apenas uma, perda que foi irreparável – a da nossa capacidade de indignação! Essa não existe mais há muito tempo. Quebrou-se a espinha dorsal do país quando se destruiu, aos poucos e metodicamente, num trabalho começado ainda na década de 1960, o conceito de Nação e a crença sincera num Deus apolítico..numa força superior e eterna, capaz de ser a fonte do amor gratuito e da caridade tão necessária a honestidade intelectual e esperança de um povo. Desse processo todo nada mais restou além da pobre família brasileira. É ela agora, sozinha, quem tem que fazer também o papel de um Deus e de uma Pátria que há muito foram esquecidos. Dia após dia ela vai sobrevivendo a tudo e a todos – não da caridade de quem a detesta (como cantou Cazuza) mas de quem a ignora. Nos lares mais pobres do Brasil ela ainda é contra a liberação das drogas, faz oposição cerrada ao aborto e ao casamento gay e vê, com olhos de gente simples e desconfiada , esse “tal de aquecimento global”. Isolada num país moralmente tetraplégico, a família brasileira espera quieta a sua hora chegar..mais ou menos como os personagens de Josué Guimarães - Seu Eleutério e Dona Conceição – sempre vigiados pelo amigo coveiro, sempre lembrando um tempo que já passou – eternamente esperando... É o próprio Brasil que espera.. Enquanto a Noite não Chega.. para o meu pai.. Porto Alegre, 23 de maio de 2013. cardiopires Enviado por cardiopires em 23/05/2013

barata cascuda em 04 de junho de 2013

Socorro !! Os macacos tomaram a administração do zoológico !! Fora PT !!

moacir em 04 de junho de 2013

Setti, Me desculpe,mas esses petistas são muito ruins de serviço! Há dias o Mec fabrica um ficha a ser preenchida por milhões de estudantes inscritos no Enem,na qual a empregada doméstica é classificada como OBJETO.Agora,num cartaz oficial,da campanha contra as doenças sexualmente transmissíveis, Padilha não viu uma cidadã praticante da mais velha profissão do mundo se dizendo feliz da vida de ser prostituta.Padilha deveria era receitar Gardenol pros cumpanhêrus do marquetingui. Quanto as candidaturas,pelo andar da carruagem,será Cardoso,aquele que prefereria morrer a ir para uma das cadeias cuja administração é seu dever de ofício.É mole? Abraço Abraços

Marco em 04 de junho de 2013

D. Setti, Olha, aqui em Poa a Marchas das Vadias,organizado como núcleo de idéias pelas esquerdas da cidade. Acho q fora do comício, nenhuma era do ramo. O Objetivo como sempre era tirar a vergonha do ilogismo dessas pessoas, e colocar essa vida dura desses sujeitos(as) com respeito, as esquerdistas de Poa, gritavam palavras e músicas do Chico. Q no fim só ridicularizava e cuspia na necessidade ou utilidade desse tipo de vida. Lamentável quando tentam apresentar isso como uma admiração. Para mim isso é pura arrogância pessoal ou inclinação para o ofício. Abs.

Luiz Pereira em 04 de junho de 2013

A moça está de vermelho, cor do PT. Será que o inconsciente petista se associa às práticas dela?

pierre em 04 de junho de 2013

Caro R.S. O PT nacional vem fritando lentamente a virtual candidatura do Padilha ao governo de São Paulo! A Imprensa engajada e beneficiada com as prebendas oficias por meio do patrocínio das empresas estatais, está expondo ,por todos os meios, as chagas que não se curam, no sistema da Saúde Pública no Brasil, depreciando o efêmero trabalho do Ministro Padilha! Evidencia-se uma sabotagem, um fogo amigo, que parte de dentro do próprio partido para desestimular a candidatura do Ministro. Ao mesmo tempo, essa mesma Imprensa alugada ,dirige seus trabucos,contra o Governo de São Paulo e seu programa exitoso na área da Segurança, para tentar emplacar como possível candidato e salvador do "caos", o Ministro da Justiça Zé Cardoso (O Garboso,para os íntimos e Prédio de Avenida, para os inimigos políticos!). De qualquer forma ,aí está o lullo-petismo e suas idiossincrasias !

GUGA em 04 de junho de 2013

Caro Setti,com esta oposição creio que "não estaremos no Brasil".

Roberto Souza em 04 de junho de 2013

Não sei não, caro Setti. Essa mesma oposição morre de medo de fazer qualquer crítica ou emitir qualquer opinião contrária ao discurso dos militantes e "donos" das causas modernas como os gays, os índios, os invasores de terra, os viciados em crack, os menores criminosos. Não acredito que irão levantar esse assunto na campanha eleitoral,sabe como é, há sempre o medo de ser "carimbado" como preconceituoso, direitista e retrógrado por não se sensibilizar com o drama das prostitutas e o blá blá blá tão comum hoje em dia. Existe também o risco de ser acusado de ser contrário a uma campanha como esta porque deseja a extinção das prostitutas. Não que as causas mencionadas não sejam importantes mas no Brasil não é mais possível questionar, criticar, e principalmente se opor ao pensamento dos chamados defensores da causa, independentemente dos argumentos que se possa ter.

Que Horror!! em 04 de junho de 2013

Prostituta? Aquela ali da foto do poster da propaganda do Ministério da Saúde petralha? Mas esses petistas ou são tarados ou são cegos!!

gilson em 04 de junho de 2013

O país não merece um governo tão incompetente.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI