Insinuar, como fizeram blogueiros fascistas na mídia americana, que a repórter da rede de televisão CBS Lara Logan, por ser “loura”, “branca” e “bonita”, é culpada por ter sido espancada e repetidamente estuprada no Cairo por manifestantes que pediam a queda do ditador Hosni Mubarak passa de todos os limites da abjeção.

E parte justamente de gente que tem acesso a largas fatias da opinião pública. Repetem a barbaridade machista que, durante longos anos, em diferentes países, inclusive no Brasil, impediu as mulheres de procurarem a polícia após serem sexualmente violentadas: muitos policiais e mesmo pessoal da área médica de hospitais enxergavam — e tratavam — a vítima como se o criminoso fosse ela, e não o estuprador.

No caso dos blogueiros fascistas americanos, que além de tudo falam abertamente da “inferioridade” dos povos árabes, não vou proporcionar nenhum link para os leitores. Desculpem, mas não vou nem citar o nome desses trogloditas da mídia.

Foi por reconhecer essa realidade de preconceito e barbárie em relação a mulheres vítimas de crimes sexuais que o falecido Franco Montoro, que governou São Paulo entre 1983 e 1987, criou, pioneiramente, a primeira Delegacia da Mulher, chefiada por uma delegada e integrada por policiais femininas.

Delegacias da Mulher, felizmente, proliferaram por todo o país, e hoje policiais de ambos os sexos prestam atendimento, em geral correto, às queixosas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − um =

29 Comentários

Leonel em 30 de janeiro de 2012

Quase 1 ano depois, vi que um dos comentaristas me criticou fazendo uso de monte de argumentos tolos. Pelo nome, não creio que seja de fato um Muslo, mas vamos lá: sobre as Cruzadas, elas não foram uma agressão gratuita do Ocidente ao islã, basta lembrar que a primeira Cruzada ocorreu em 1091, para quem não sabe, isto é cerca de 400 anos DEPOIS da invasão Islâmica à Ibéria. Sobre o colonialismo Europeu, presumo que a expansão muçulmana no século VII não foi muito pacífica, a exemplo de Pizarro na América. Em relação aos ditadores produzidos pelo Ocidente, lembro que na Bósnia havia divisões da SS compostas por Muçulmanos. Os Genocídios não são exclusividade do Ocidente, esses apenas são mais conhecidos, mas o Oriente tem muitos, Darfur, Timor Leste, Sudão do Sul... Podemos lembrar como o Império Otomano tratou gregos, libaneses, Curdos e principalmente Armênios. Se quer nomes mais recentes, que tal Hadji Mohamed Suharto, Omar Al-Bashir? De fato, o Ocidente criou a "bomba atômica", assim como Vacinas, Remédios, Computadores, Ônibus Espacial, Televisão...já o Oriente, me parece que criou o papel e a bússola. O sentido clássico de "Civilização Ocidental" não é lá muito utilizado, tendo mudado seu conceito com a Globalização, incluindo hoje até mesmo países do oriente, como Japão, Austrália, Nova Zelândia, já que são constituídos por povos que partilham costumes e valores oriundos da tradição Judaico-Cristã da Europa, e tendo também seus princípios sociais influenciados pelo Iluminismo, que trouxe a noção de Liberdade de escolha e opinião, valores que praticamente inexistem do outro lado do Mediterrâneo. Mesmo com todos seus problemas, eu agradeço por ter nascido no Oeste.

MBello2 em 12 de julho de 2011

* a favor da luta contra a discriminação de gêneros. Só pra constar.

MBello2 em 12 de julho de 2011

Mas só pra constar que defendi esse argumento contra a luta a discriminação de gênero. No entanto, todas as notícias que saem sobre o "episódio" possuem uma carga muito pesada de racialidade, dizendo que os árabes selvagens são animais que não podem se controlar na presença de uma ocidental branca, loira, olhos azuis. As notícias estão sendo usadas para difamar o povo egípcio e denegrir a revolução árabe também. Tudo é um absurdo hoje em dia e é triste eu nem me surpreender mais.

MBello em 12 de julho de 2011

Um absurdo compararem ocidente e oriente, o que é melhor. São dois desenvolvimentos diferentes, dentro de dois paradigmas diferentes. O mundo islâmico oprime a mulher de um modo e o mundo ocidental de outro. Enquanto a mulher lá é forçada a usar burca e ser omissa/submissa , aqui ela é objeto, ganha status ao ficar de biquíni no palco de um programa de TV feito por homens. Tem que aceitar piadas sobre estupro (apresentador Rafinha do CQC diz que mulher feia tem que agradecer ao ser estuprada), ser xingada até quando diz não para um homem, etc. Ambos são igualmente ruins. O que causa estupro ? 1- A roupa que você está usando , 2- Dar papo , 3- Beber e ficar ''alegre'' ou 4- Estupradores ? Algumas coisas podem facilitar esse tipo de atitude? Ok, podem. Só que filhas são estupradas pelo pai e pelo tio na própria casa. Crianças são estupradas em igrejas católicas ou nas escolas. Não é o local, a roupa, a cor da sua pele. É a sociedade ensinar pra menina como não ser estuprada, mas nunca aconselhar o menino a não estuprar. Não existe este assunto entre pai e filho, porém ao caminho do cursinho de inglês uma menina tem que pensar em não andar na parte mais escura da rua. Ela estava certa de estar onde estava, pois essa é a profissão dela. Se todas as mulheres tiverem medo de estupro, voltaremos ao início do século passado e ficaremos em casa. E isso não vai acontecer. Ainda mais quando em alguns anos a população feminina vai superar a masculina em até quatro vezes. Os homens deviam ser ensinados a não estuprar. Neste caso específico, acho que a oportunidade fez o criminoso. Se vivêssemos em estado de natureza, sem autoridade, sem valores, com chances de se impor constantemente pela força..poderia ser a Suíça, os estupros e outros crimes aconteceriam da mesma forma. Não sou uma grande fã do sistema de Estados, possui muitos defeitos. Mas a natureza humana possui defeitos ainda maiores e mais graves e, na falta de controle - seja pelo autoridade Estatal ou pela Religião - , agirá como agiria em seu estado de natureza.

cara em 10 de maio de 2011

Eu acho que na maior parte do tempo isso que as pessoas dizem que é alguém culpando a vítima, na verdade não é bem isso. Não é muito diferente do que questionariam no caso de uma pessoa ter se exposto a elevado risco de ser roubada, e de fato fosse. É uma "resposta natural", "cara, o que você estava fazendo andando lá com esse celular caro e essas roupas caras naquela hora?", algo que apesar de ter essa espécie de "acusação", não está realmente jogando a culpa na pessoa, mas sim mostrando empatia, compartilhando o sofrimento. A gente não pensa que é, depois do ocorrido, uma questão inútil, não dá para desfazer o passado. É meio como um "bug" do cérebro, ou talvez até um mecanismo instintivo social que leva as pessoas evitarem se expor a situações de risco. Eu acho que nunca vi, quando alguém questiona o risco que alguém se submeteu quando foi assaltado, ser acusado de estar culpando a vítima. Parece que só para o estupro existe essa interpretação. Acho que em parte surge do próprio estado de abalo emocional da vítima, mais grave do que o de alguém que apenas sofreu um assalto, mas mesmo assim, não é necessariamente correto. Não digo que não existam os trogloditas, que achem que de fato "fez por merecer" ou algo assim, que uma mulher que sai por aí patinando pelada "tem mais é que ser estuprada", só acho que na maior parte do tempo o questionamento é mais uma espécie de "conselho retroativo" instintivo/reflexivo, que parte de empatia com a vítima, não desprezo. Não posso dizer nada quanto aos bloggers a que se refere, podem bem se enquadrar na exceção, não duvidaria nada.

silas em 23 de fevereiro de 2011

Impressão minha ou toda essa enrolação foi só para no final exaltar o falecido Montoro? Enrolação? Você acha que comentar esse fato gravíssimo é uma enrolação? Meu Deus do céu... E fiz questão, sim, de lembrar do governador Montoro e sua ótima iniciativa. Era um homem de bem e foi um grande governador. Eu o conheci especialmente bem porque ele foi colega de turma de meu pai na Faculdade de Direito. Que falta que fazem homens decentes como ele, meu caro...

Cláudio Luís em 22 de fevereiro de 2011

Desculpe-me se me expressei mal. Maria Cristina Poli não culpou a vítima, mas foi como se ela estivesse justificando a violência sofrida pela repórter Lara Lang ao tecer comentários sobre seu tipo físico: loira e bonita.

Cláudio Luís em 22 de fevereiro de 2011

Me expressei mal. O que quis dizer é que o comentário de Maria Cristina Poli foi sobre o tipo físico: por ela ser loira e bonita. Ah, bom. Obrigado e um abraço.

Cláudio Luís em 22 de fevereiro de 2011

Sou de uma família de 4 irmãos e 5 mulheres. Fiquei indignado e estarrecido com a violência sofrida pela jornalista Lara Logan. Sobre o episódio, a apresentadora do Jornal da Cultura, a jornalista Maria Cristina Poli teceu um canalha e absurdo comentário sobre o tipo físico da repórter, afirmando que ela teria sido culpada e mesmo justificado, tamanha violência sofrida. Não há desculpas que justifiquem um crime hediondo como o estupro. Esses blogueiros são tão calhordas quanto os estupradores da vítima, cuja única culpa é ser mulher. Esse trágico episódio só revela uma coisa: quer seja no Ocidente ou no Oriente, estupro é estupro e seus autores são criminosos, não importa à qual vertente, política ou religiosa, eles pertençam. Você deve ter se equivocado quanto ao comentário da Maria Cristina Poli. Não é possível que ela tenha culpado a vítima pelo estupro, não combina com nada de sua longa carreira profissional. Deve ser um engano, caro Cláudio Luís.

Aparecido f. em 22 de fevereiro de 2011

Tudo bem que a repórter tenha razão... Mas o oriente médio sempre foi um lugar perigoso para mulheres...principalmente louras e bonita.. Já vi depoimento de um turista brasileiro, que viajando pelo oriente, recebeu a oferta de oito camelos pela sua própria esposa... Quem não quer ser assaltado, que não ande pelos becos e favelas... sempre existem lugares mais perigosos que outros...Ela preferiu correr os riscos...

costamcs em 22 de fevereiro de 2011

Mesmo sem querer criar polêmica com Jonny, digo que se a lei islâmica prega os direitos humanos há 1400 anos (de fato, prega), é de se pensar então que há muito tempo ela deixou de ser repeitada, não é? O que chamamos de civilização ocidental é sobretudo o respeito aos princípios democráticos e ao estado de direito, onde a lei é a tentativa de conciliar direitos e obrigações de todos e não só da maioria. Não há duvidas que a busca pelo poder, as guerras e os enfrentamentos não são exclusividade do ocidente nem do oriente, é próprio do ser humano. Mas estados que não respeitam a diversidade de cultos religiosos, de opiniões e o direito das minorias, estejam à direita, à esquerda, acima ou abaixo da Europa, não podem ser classificados como civilizados. A história dos direitos humanos passa sim pelo povo do Corão, aonde os derrotados (leia-se Império Muçulmano) eram tratados com respeito e até podiam escolher ser julgados pela lei do Islã ou pela lei local. Mas o que dizer das demonstrações atuais de violência e desrespeito que assistimos todos os dias no mundo islâmico? Talvez o problema hoje dos países que adotam a lei islâmica seja o que você diz que é uma qualidade: a lei que é aplicada sem sujeito. A lei não existe apenas por ela mesma, ela depende também de um intérprete que saiba adequá-la às circunstancias de fato e de direito (que é mais abrangente que a lei). É claro que se a lei é religiosa, a sua verdade se torna intocável, mas é aí, Jonny, que reside o x da questão: quem somos nós para ter a ambição de interpretar a vontade de Deus? Marcia Soares

Daniel em 22 de fevereiro de 2011

Cmentário muito parecido com o de um comentarista do Cultura dia destes. Comparar a relação da igreja cristã-católica com o islã, ora, o ocidente tem erros, mas por aqui não se chicoteia quem anda de calça, muito menos apedreja adlteras... e os adúlteros? Ah, e no islã é proibida a conversão para outra religião, já o mundo ocidental aceita o proselitismo mulçumano. Pais matam filhas por causa da desonra, mulheres são espancadas e violentadas muito mais que se imagina, e tudo fica debaixo da tradição de que o homem pode tudo. Em alguns lugares mulher não dirige e nem estuda. Mundo árabe/mulçumano não tem comparação com o mundo cristão/ocidental.

Jonny em 21 de fevereiro de 2011

Discordo do usuário Leonel Lazouwnik que está apresentando dados falsos no seu argumento, sou muçulmano e aponto abaixo com dados o fato de que o ocidente é muito mais violento, racista, opressor que o mundo islâmico, vamos às comparações exatas: O ocidente criou: duas guerras mundiais, as cruzadas, inquisições, caça as bruxas, colonizações dos índios das Américas, colonização da africa e asia, a guerra fria , criou a bomba atômica, armas químicas, narcotráfico de drogas, industria do tabaco(que matou milhões e etc), se reunir o número final de pessoas que o ocidente matou passa de 500 milhões. O ocidente produziu de forma unanime e disparada os maiores ditadores e déspotas da historia: napoleão , Hitler, Mussolini, Bush, Franco etc, existe algum grupo ou civilização no mundo que se aproxime das atrocidades que o ocidente fez e faz ? nem se esforçando muito dá para chegar lá. Nas colonizações, o ocidente matou mais de 50 milhões de pessoas destruindo culturas inteiras que desapareceram da terra como os índios das Américas, os aborígenes da austrália , os pele-vermelha americanos, os maias, incas , astecas, todos foram extintos, mortos, massacrados e suas culturas destruídas. Na guerra fria matou quase 40 milhões de pessoas, e nas guerras mundiais milhões e milhões. Nota 1: A lei islâmica é a mais completa lei do mundo, nenhuma lei ocidental sequer se aproxima da lei islâmica porque no ocidente quem decide é o juiz(magistrado soberano) na lei islâmica quem ordena é a própia lei, o juiz(mufi) é só um executor dela. A lei islâmica à 1400 anos atras no deserto da arabia trouxe direitos que os direitos humanos nem de longe passam, inclusive o bordão dos direitos humanos é plagiado de um verso do alcorão. Nota 2 : O brasil,o mexico, a argentina etc não fazem parte do ocidente, segundo o mesmo ensina . Ocidente ou em inglês "west civilization"(civilização do oeste) é a Europa ocidental(leste europeu não) e a América do norte pegando lá a traseira da Oceania com a austrália , que são ingleses que roubaram as terras dos aborígenes. Estes países estão a ocidente do mundo mais fazem parte da "civilização latina" assim como o marrocos esta a bem mais ocidente do mundo que a Alemanha por exemplo porém enquanto esta é do ocidente, o marrocos faz parte da civilização árabe. Isto é ensinado em faculdades nos EUA e Europa e é o que esta escrito no clássico "o clash de civilizações" a bíblia sobre este assunto escrito pelo intelectual americano Samuel P. Huntington

Roberto de Paula em 21 de fevereiro de 2011

O episodio ocorrido com a repórter da rede CBS no Egito, é apenas uma pequena mostra da onda de violência e intolerância que se instalará naquele pais caso a IRMANDADE MUÇULMANA chegue ao poder.

veiaco em 21 de fevereiro de 2011

Sem querer defender o estupro, mas a loira estava no lugar errado, numa situação errada e com o véu errado. Meu Deus do céu, amigo,você está a um milímetro de dizer que ela foi culpada pelo crime de que foi vítima. É uma jornalista, correspondente de guerra experiente, estava trabalhando.

walter em 20 de fevereiro de 2011

Não é a primeira vez que ouço falarem que a culpa são dos loiros de olhos azuis! Não vi ninguem da imprensa chamar quem declarou de facista!!!!

Noah Shuster em 20 de fevereiro de 2011

É lógico que é do Franco Motoro, que depois se filiou ao PSDB. . Isso já constava de seu plano de Governo. Era obra sua. Outro ajudaram, sem dúvidas. . Ele só não registrou em cartório, será que precisava? Desculpe-me pela piada infame. hehehehehe

Marcelo Meireles em 19 de fevereiro de 2011

A Delegacia a Mulher em SP foi criada por : ( ) Franco Montoro ( ) Michel Temer Pode ter sido criada pelo Michel Temer, que foi um dos secretários de Segurança Pública do governador Franco Montoro. Disse que foi criada por Montoro no sentido de que era parte de seu programa de governo.

Leonel Lazouwnik em 19 de fevereiro de 2011

Sim, a Civilização Ocidental é bem melhor que a Islâmica. Escravidão, tortura, racismo, preconceitos, opressão, massacres, tudo isso existe em quantidades extremamente maiores no mundo islâmico do que no chamado mundo ocidental. Se uma Loira se sentir incomodada com a música do Gabriel, O pensador, ela pode ingressar na justiça contra ele. Já uma muçulmana não tem esta opção...

costamcs em 19 de fevereiro de 2011

Óbvio que não é culpada mas é a vítima ideal para os troglodistas. Como se vê, certo segmento árabe não é de ficar só em palavras. Lá não há a quinta emenda, há sim sede por sangue e vingança por parte desses que odeiam a civilização ocidental, em especial a América e Israel.

Lilian em 19 de fevereiro de 2011

Nada justifica a violência!

Noah Shuster em 19 de fevereiro de 2011

Além de absurda declaração, onde a vítima é culpada, ainda é insensata com a dor da família e que ela mesma estão passando nesse momento. . Ricardo, você poderia confirmar? Eu soube que foram um grupo de mulheres Egipcias que a salvaram, eu fiquei emocionado só de pensar nessa cena. Não tenho absoluta certeza, Noah. Há algumas versões nesse sentido, e outras de que foram militares do Exército, e outras de que foram simplesmente outras pessoas.

wilson em 19 de fevereiro de 2011

Brutal e asqueroso estes pseudos comentaristas será porque foi mulher? Na maioria dos casos, sim. Mas houve até blogueiras mulheres que foram nessa linha horrenda.

Paulo Bento Bandarra em 19 de fevereiro de 2011

Nós por acaso somos melhores? Não foi o nosso Gabriel "Pensador" que iniciou o preconceito contra as loiras no Brasil chamando-as todas de Burras? A "nossa" mídia por acaso o condenou ou promoveu? E o MP agiu ou se calou? Faustão cansa de chamar atenção nas vídeos-cacetadas para o cabelos quando quem se dá mal é loira, para reforçar o preconceito. Você tem razão. Esses pequenos fatos parecem pequenos mas ajudam a solidificar o preconceito absurdo.

ORF em 19 de fevereiro de 2011

Ricardo: como voce bem sabe, jornalismo, como outras profissoes, implica em uma serie de riscos quando o reporter quer fazer sua materia na boca do vulcao. A Lara e habil em cobrir guerras, convulsoes sociais, crimes de corrupcao, etc. Ela sabe dos riscos!! Obviamente lamento o ocorrido e nao apoio violencia de especie alguma, no entanto atribuo a violencia deste caso mais a ousadia da equipe de reportagem do que a sevageria da multidao. Nos vimos na TV que a violencia estava no ar, em todos os cantos da praca.

Marco em 18 de fevereiro de 2011

Caro R. Setti: Já tinha te falado q conheço muito bem esse povo, esse é outro defeito fundamental, o FATALISMO, é muito dífícil entre eles reduzi-lo ou resistir, ela sempre canta vitória e eles acabam tendo q viver a sua sombra. È uma luta só e imaginária contra o destino. É só observar a história , mas eu estou te relatando na prática. É triste quase chega a ser um trovejo de maldição ! Abraços !

Eduardo em 18 de fevereiro de 2011

Isso é verdade. O caso do goleiro bruno é bem clássico desse caso. Na internet o que tinha de gente desqualificando a vítima, Eliza, por ela fazer filmes pornos e coisa e tal era brincadeira. inclusive jornalistas fizeram estas afirmações. Tem um jornalista da Tv Gazeta que inclusive começou a inventar história de que ela saia com todo mundo do estádio do morumbi nos dias dos jogos, saia com policial. é óbvio que ele não a conhecia, apenas estava tentando desqualificar a vítima. No jornalismo esportivo é muito fácil comprar opniões. Creio que apenas alguns jornalistas da rede globo, não as venda, já na bandeirantes e record, pelo amor de deus. É descarada a venda de comentários para empresários de jogadores. Uma pena.

Natã em 18 de fevereiro de 2011

Fascista é fascista em qualquer lugar do mundo. Parece que eles se comunicam telepaticamente para agir e pensar do mesmo jeito. Talvez seja um gem no DNA que está incrustado em cada um. Doutra forma, são todos psicopatas.

cacalo em 18 de fevereiro de 2011

os estados unidos são um país paradoxal, lá se encontra o que há de melhor e o de pior no mundo. A definição é perfeita, amigo Cacalo. Abração

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI