Parada de caminhoneiros em SP mostra o tamanho da encrenca quando, um dia, se adotar o inevitável pedágio urbano

Funcionário da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de São Paulo fiscaliza o cumprimento das novas regras (Foto: Werther Santana / AE)

A falta de gasolina em inúmeros postos da cidade de São Paulo é apenas um dos problemas causados pela parada determinada pelo sindicato dos caminhoneiros contra uma providência desagradável, mas elementar para melhorar o trânsito de uma cidade com absurdos 7 milhões de veículos: proibir, durante determinados horários de pico, o trânsito de caminhões na avenida Marginal do rio Tietê e outras vias.

Se essa mera determinação, que já vale há anos para os motoristas de automóveis e similares — em regime de rodízio diário, conforme o algarismo final das placas, é proibida a circulação de veículos entre 7 e 10 horas, e entre 17 e 20 horas –, imagine-se quando algum prefeito precisar ter a coragem de adotar o pedágio urbano.

O pedágio urbano, restrito a determinadas áreas de uma cidade, é uma forma de reduzir o trânsito em regiões congestionadas e é adotado, entre outros colossos urbanos do mundo, em Londres.

No Brasil, há muitos especialistas que defendem sua implantação. E alguns políticos também. Surpreendentemente, o vereador paulistano Netinho de Paula, pré-candidato do PC do B à Prefeitura de São Paulo, declarou-se a favor da medida, dias atrás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro − 4 =

Nenhum comentário

  • Lopes A

    Caro Setti,
    Um dos poucos pontos que concordo com o prefeito Gilberto Kassab é que enquanto não houver transporte público decente em São Paulo não é viável a cobrança de pedágio, já que este seria mais uma forma de punição aos pobres, tirando-os do trânsito, enquanto que têm dinheiro pagaria e trafegaria livremente.
    Antes do pedágio urbano, transporte público de qualidade!
    Aliás, dá pra imaginar o que aconteceria com o transporte público atual se os usuários de transporte privado, por falta de dinheiro, tivessem que usar o ônibus e o metrô? Colapso total…

  • Edinaldo Abel

    Olá Ricardo!
    Se fica nublado, o trânsito de São Paulo para. Se chove, as ruas transforman-se em rios. Acredito que a solução, seria criar postos de trabalho no próprio bairro, onde o trabalhador reside. Ninguém usaria carro. É UM ABSURDO UM TRABALHADOR PASSAR TRÊS HORAS ATÉ CHEGAR AO LOCAL DE TRABALHO. ESSA É A REALIDADE DE SÃO PAULO HOJE.

  • Corinthians

    Nada mais que o petismo atuando.
    Agora que Kassab disse que irá apoiar Serra por lealdade, qualquer motivo irá gerar greve.
    Teremos outras.
    Pelo que soube a lei já havia sido discutida com o sindicato e informada – eles receberam até um tempo, se nao me engano de 6 meses, para se adaptar.
    Quanto ao pedágio urbano, sou completamente contra. Não somos em nada comparáveis a Londres, mesmo que os ditos especialistas defendam a implantação. Só vai piorar a situação e aí sim, onde houver protestos contra isso me farei presente.
    Não temos transporte público que atenda a demanda – simples assim.
    Londres, com seus 8.3 milhões de habitantes tem 402 km de metrô em 270 estações. Ou Nova York com 8.2 milhões de habitantes tem 368 km de metrô com 468 estações. São Paulo, com 11.3 milhões, tem somente 74,3 km e somente 67 estações.
    Não dá pra comparar – precisamos de muito mais metrô, e demora para fazer. Não tem como implementar o pedágio urbano aqui…

  • Patricia m.

    Concordo com os comentaristas abaixo. Nao da para comparar Londres com Sao Paulo. Enquanto nao houver transporte publico decente (metro) cortando Sao Paulo de norte a sul e de leste a oeste, nao da para instituir a cobranca de pedagio. O Netinho nao tem nem nocao do que ele esta falando, para variar um pouco. Eh facil apresentar solucoes aparentemente faceis para problemas complexos.

  • Angelo Losguardi

    Legal, Setti, fica combinado então: no dia em que todos morarmos em Londres, a gente adota o pedágio urbano.

  • Apoc

    Não é só de São Paulo que vive o Brasil.
    Em qualquer centro urbano neste país o caos foi instalado.
    Inclusive nas estradas federais, que há muito não vêm os investimentos para ampliação e melhoria.
    Parafraseando Malthus os carros crescem geometricamente, porém as vias não têm crescido.
    E para piorar mais ainda a equação, transporte público é uma droga em qualquer lugar do país.
    E engarramentos não são exclusividade das vias urbanas.
    É só frequentar aeroportos para ver que o propagandeado milagre brasileiro, não causou efeito algum nas obras de infraestrutura.

  • SergioL

    Entre outras (varias) diferenças:
    Região Metropolitana:
    -São Paulo tem cerca de 19.223.897 habitantes
    -Londres tem entre 12 e 14 milhões de habitantes.
    Fundação:
    -São Paulo foi fundado por padres jesuítas em 1554.
    tendo, 458 anos.
    -Londres: Foi fundada pelos romanos em 43 d.C, portanto tem 1969 anos de idade.
    Devo continuar enumerando diferenças?
    Não, não vou cansá-los com numeros! Mas, rogo que pensem algumas vezes antes de comparar São Paulo a Londres ou a qualquer outra cidade do planeta.

  • glaucia

    É UM ABSURDO O PREFEITO QUERER QUE AS PESSOAS FAÇAM ENTREGA DE MADRUGADA ,ELE NAO PENSA Q, ESTAS PESSOAS TEM FAMILIAS QUE-LHE ESPERAM ,SE FOSSE ELE IRIA GOSTAR DE CHEGAR EM CASA QUANDO SEUS FILHOS SAI PARA ESCOLA…..ESTA MEDIDA É RIDICULA POIS SAO PAULO A ANOS ANDA DESTA.

  • alberto santo andre

    o transito caotico, nao so de sao paulo ,mas da maioria das metrolopes brasileiras ,se deve a varios fatores ,mediocridade dos engenheiros de transito ,que acham que semaforos sao a solucao , e que fazem com que aconteca a cada fecahamento do semaforo desaceleracao e parada ,e automaticamente perda de tempo ,apos a abertura do mesmo lentidao de arrancada e aumento da poluicao,;;;motoristas mal preparados para andar no tansito ,hoje se preocupam muito, com ensinamentos teoricos que nao nos servem para nada, e se esquecem de ensinar ao motorista, que esta tirando sua habilitacao, regras basicas de direcao, como a entrada em uma via rapida ou uma auto estrada ,isto porque no brasil, carro e sinonimo de arrecadacao ,seja em impostos, seja em multas,e sendo nossos governos piores que prostitutas, que so querem o dinheiro do povo, pouco se preocupam em realmente resolverem os problemas, sejam das estradas, seja do transito urbano,;;;;;mesmo grande parte dos brasileiros terem uma aversao pelo americano, deveriamos mandar nossos pseudos engenheiros de transito, aprenderem como se faz o transito fluir em estados como a california ,aprender e poder realizar melhoras ,e sempre muito bom mesmo, que quem nos ensine, sejam pessoas de quem tenhamos inveja.