Amigos, comentei recentemente o fato de que a Telefónica, maior empresa da Espanha e empresa-mãe da Telefônica brasileira, está demitindo até 20% de seus 32 mil funcionários nos próximos três anos – decisão que anunciou junto aos maiores lucros de sua história e a uma farta distribuição de bônus a seus executivos.

Pois bem, é interessante recordar que, numa demissão coletiva anterior, em 2003, o alcance foi ainda maior: 13.900 funcionários, um terço do total dos quadros da companhia.

Esse tipo de demissão, por lei, deve passar por um trâmite denominado Expediente de Regulamentação de Emprego (ERE), que envolve negociação com os sindicatos, pagamento de indenizações e outras providências.

Aí, vejam só: o ministro do Trabalho que aprovou a operação, Eduardo Zaplana, do conservador Partido Popular, foi eleito deputado no ano seguinte, 2004. Quando terminou seu mandato, em 2008, tentou o Senado e não se elegeu.

A Telefónica socorreu o ex-ministro, contratando-o como assessor e delegado da empresa na União Europeia, função de pouco trabalho e alto salário.

Essa prática parece a de um certo país que conhecemos, não?

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + 18 =

2 Comentários

Tonho em 13 de maio de 2011

Espanha e Portugal poderiam ter gerado meios para que o ouro extraído das Américas gerasse riquezas permanentes.Mas qual o quê,a nobreza deles nunca se deu bem no batente.Perdulários,são chegados a achar que as fontes nunca secam.Resultado, boa parte da grana foi pra Inglaterra que sempre achou que o olho do dono é que engorda o boi. Em nosssos tempos temos a Alemanha,que sempre teve como leitmotiv dominar os vizinhos, depois os vizinhos dos vizinhos.No momento acha que não deve usar as armas,reprimindo-se.Mas como tem uma vontade poderosa(e como já disse Freud,sem dizer:antes de tudo a necessidade!)botou toda a Europa no seu alforje de caçador,menos a Inglaterra que como sempre disse:comigo não violão! Então temos Portugal na situação humilhante de pedir pra ser adotado pela Espanha,isso antes desta também ficar prostada na cama,e agora tá falando que até admite ser rapariga do Brasil. Navegar é preciso,mesmo que seja no mar da insensatez.

Not funny em 13 de maio de 2011

É o famoso vício ibérico, incrustado no cerne dos saqueadores da Cleptolândia. Hoje comandado pela ditadura do sindicalismo, que se valem do mesmo vício desde o executivo, nas universidades publicas, até o pessoal da coleta de cadáveres. O pessoal que tem alergia só em falar em competência e habilidade.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI