Em 2003, na ocasião dos 50 anos de jornalismo do grande Alberto Dines, o Museu da Pessoa produziu um documentário sobre ele. Como o conheço há décadas, fui incluído como um dos entrevistados no filme de 33 minutos que acabou batizado de 50 anos por 50 amigos.

Em meu depoimento, no minuto 12, falo sobre a humildade e simplicidade de Dines, um gigante da imprensa brasileira que comandou durante 12 anos (1962-1974) um jornal modelo e influente, o Jornal do Brasil, cuja reforma, iniciada pouco antes de sua gestão, ele completou de forma brilhante e influenciaria de forma decisiva a imprensa escrita.

Dines é escritor, pensador da imprensa, historiador e professor e, a despeito de seu impressionante currículo, eu o vi trabalhar na cobertura da Copa do Mundo de 1982 na Espanha como um anônimo repórter no meio da multidão que cobria a Seleção, dando duro diariamente, de bloquinho de anotações e caneta na mão e olhos atentos a tudo, para atender a uma pauta da revista Playboy.

A lista de outros participantes do documentário inclui jornalistas famosos, a exemplo de Juca Kfouri, Villas-Boas Corrêa, Thomaz Souto Corrêa e Ricardo Boechat, e personalidades de outras áreas, como o maestro John Neschling e os cartunistas e Chico Caruso e Ziraldo.

Aqui se pode ver a íntegra do documentário.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × quatro =

TWITTER DO SETTI