Image
Usain Bolt com sua marca registrada após fazer o sprint final que garantiu à Jamaica vitória no revezamento 4 x 100 metros no Mundial de Moscou (Foto: Lucy Nicholson /Reuters)

O 14º Campeonato Mundial de Atletismo, que se encerra hoje em Moscou, foi um retrato do péssimo estado em que os cartolas brasileiros deixaram a modalidade no Brasil.

Incompetência, arrogância, amadorismo no pior sentido, falta de organização e de tino comercial (patrocínios e marketing) resultaram em uma participação vexaminosa do Brasil no certame.

Nem uma única e miserável medalha, ao que se acresce o fracasso banal da equipe feminina na prova final do revezamento 4 x 100 metros, hoje, em que escorreu pelo ralo a medalha de prata porque uma atleta deixou cair o bastão na passagem do terceiro para o último sprint.

O Brasil, uma das grandes economias do mundo, uma nação que se aproxima dos 200 milhões de habitantes e vista como um país emergente destinado a ter um papel-chave no xadrez das relações internacionais (nós, que vivemos aqui, sabemos que é um gigante de pés de barro, mas…), não chegou a entrar no quadro de medalhas, onde figuraram países do tamanho de bairros de cidades brasileiras.

Há uma única e última chance de o país aparecer de forma minimamente decente na vitrine do atletismo mundial, em Pequim, em 2015, antes da hora da verdade que serão as Olimpíadas do Rio em 2016.

Corremos o risco, a continuar assim, de termos a pior participação no atletismo de um país anfitrião na história dos Jogos Olímpicos modernos.

Então, perguntar não ofende: é com esse atletismo chinfrim que nos encaminhamos para as Olimpíadas do Rio?

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + seis =

31 Comentários

Ibrahim Tauil em 22 de setembro de 2013

Por ser o esporte-base, o mais fácil de ser praticado e o menos excludente, o atletismo deveria ser praticado obrigatoriamente em todas as escolas. Até para combater o flagelo da obesidade infantil. Mas não, muito pelo contrário. Continuamos construindo a casa pelo telhado. Sem apoio e um trabalho eficiente de base, os talentos que surgem aleatoriamente são absorvidos pelo futebol(o futebol exclui dos estudos e de outros esportes), pelo tráfico ou pela necessidade de trabalhar. Aqui em Santos, Carlos Alberto Carvalho que surgiu na década de 80 e tinha tudo para substituir o grande Joaquim Cruz, perdeu-se no tráfico e perdeu a vida. Mais recentemente, aos 13 anos, Tamires Farias atingiu a marca de 1m44s nos 600 metros rasos na Pista do Ibirapuera. Isso com um par de tênis costurado, doado por uma amiga. Teve que parar por falta de apoio e trabalhar para ajudar a família carente. É isso...

geni pereira em 20 de agosto de 2013

Fui atleta de atletismo dos 15 aos 34 anos. Sou do tempo de Aida dos Santos, Sebastião Mendes,Guaracy Mendes, Érica Lopes e outros grandes atletas.Os clubes não nos forneciam comida, dinheiro,médico. Treinávamos com fome.As viagens eram de ônibus e avião da FAB hospedagem em alojamentos. Tínhamos que trabalhar para nos sustentar além de estudar e treinar.Eu era telefonista a noite, estudava pela manhã e treinava a tarde. Hoje atleta tem carro, apartamento próprio, salário e tudo mais e ainda reclama.Assim não dá!

Paulo R. Herrmann em 20 de agosto de 2013

O que asombra erra o tamanho da delegacao um bando de Zerro,nao cretico os atletas pois eles sim suam a camisa mais e um monte de penduricalho cada um com seu tecnico mais o tecnico do atletismo mais o cordenador tecnico, que nao sei para que que nao sobe analizar que a atleta que suptituiu outra no revezamento alem de ter errado ja em Londres nao estava contente pois queixouse da alimentacao ,treino e ter durmido mal. Demicao imediata do cordenador e do treinador seria a resposta!!!

gil em 19 de agosto de 2013

Infelizmente a corrupção chegou até a beira das pistas.Cartolas,técnicos,medicos,fisioterapeutas,tudo,tudo dominado!Se houvesse alguém com juizo neste governo deveria sugerir à presidenta que abrisse mão de realizar aqui os Jogos Olimpicos.Ainda mais no Rio de janeiro!!!É o mesmo que mandar bode para tomar conta do milharal!

Dinho em 19 de agosto de 2013

Mas tenho certeza do ufanismo dos nossos dirigentes em relação à participação nas olimpiadas de 2016. E tome propaganda da Caixa, do BB, do Itaú. Estão trabalhando com a hipótese de trazer mais 2 medalhas de bronze......Huáhuáhuá

Teresa em 19 de agosto de 2013

O dinheiro que deveria ser usado pela Petrobas, Banco do Brasil e CEF para financiar atletas é desviado para financiar os blogs companheiros e os " fora de eixo" existentes para empregar PTralhas e seguidores.

marcelocetico em 19 de agosto de 2013

O que os pseudos atletas brasileiros querem é mamar nas tetas de patrocínios oficiais. Um monte de gente sem talento quer mesmo é se dizer atleta para não trabalhar. Eu gosto de desenhar, será que posso reclamar uma bolsa-desenhista? Em outros países os atletas o são por disposição pessoal e por idealismo, no Brasil é o são por falta de talento e por tentativa de ganhar bolsa-atleta e patrocínios e empresas controladas por pessoas ingênuas.

atsunori arakaki em 18 de agosto de 2013

chinfrin, ridiculo e vergonhoso alem de medalha zero nao havia atletas brasileiros em quase todas modalidades. em dois anos nao se forma atleta para mundial muito menos 3 anos para olimpiadas.

arc em 18 de agosto de 2013

Atletismo? Esporte é lixo!! dá pra compreender isso?

Daniel B. Silva em 18 de agosto de 2013

Assistindo, hoje, pela TV., o jogo entre o Flamengo e o São Paulo, o comentarista disse que o jogo entre Corinthians e Flamengo, que também será em Brasilia, o ingresso mais barato custara R$ 180,00 - meia R$ 90,00.- Fico imaginando que somos nós, pobres contribuintes, quem pagamos isto tudo. Brasilia não tem industria, só tem políticos. Eu não posso me dar ao luxo de assistir um jogo de futebol a este preço.

Fabiano em 18 de agosto de 2013

Infelizmente vamo ter que nus contentar com isso, somente com a força de vontade dos atletas em geral, que gastam até dinheiro do bolso para treinos viagem pra levar o nome do Brasil lá no topo e que o mesmo não valoriza seus atletas. O que esperar de um Brasil que acomeçar,todos os investimentos são feitos somente para o futebol?. Milhões e milhões sendo gastos para construções de estadios em lugares bastante "habitáveis para a pratica do esporte". Isso tudo tem que começar nas escolas, mas qual é o interesse de investir nas escolas? Enquanto o país não tiver visão de um divisão igual vai continuar sendo um país que sempre vai contar com o seu jeito brasileiro, que não desiste nunca.

Marco Balbi em 18 de agosto de 2013

Se tivesse ocorrido um planejamento esportivo sério os resultados já deveriam ter começado a aparecer nas Olimpíadas de Londres. Nada. Um ano depois: nada! Está na cara que não tem nada e vamos depender de um ou outro herói, sob o qual se joga todo o peso de conquistar uma medalha. Vamos ver a partir do dia 26 de agosto o teste da turma do judô, num campeonato mundial aqui no Rio de Janeiro. E tem mais. No que diz respeito às instalações estamos ameaçados de ficar sem o Maracanãzinho. Existe a exigência de construir duas quadras para aquecimento. Estas seriam feitas pelo consórcio que ganhou a licitação para a exploração do complexo. O problema é que o espaço destinado à construção das quadras seria o espaço onde se encontra a tal da escola que iria ser derrubada e que não será mais. Não existe plano B a não ser o COI abrir mão da exigência inicial.

João Leopold em 18 de agosto de 2013

Aldo Rebelo! Conhece alguém mais chinfrim? Ok conhece embora para mim seja empate entre os pares.

Isaias em 18 de agosto de 2013

O ministro Aldo Rebelo tem a responsabilidade e o dever de exigir das confederações agraciadas com verbas públicas a transparência e também de dar o exemplo. http://www.esporte.gov.br/faleConosco/faleConosco.jsp

fred oliveira - recife em 18 de agosto de 2013

Peço desculpas aos leitores: na postagem abaixo, esqueci de colocar a natação como posição de destaque....e só.

fred oliveira - recife em 18 de agosto de 2013

As coisas são interligadas. O Brasil está muito distante de estar bem econômica, financeira e soccialmente. Politicamente, nem se fala. Um país que tem uma educação péssima, cheia de analfabetos funcionais e alunos que não sabem ler ou fazer uma simples conta de multiplicar; uma nação que tem uma saúde caótica, que manobra os números da inflação, cheio de pessoas que vivem mau, em ambientes insalubres, com ruas esburacadas e esgoto a céu aberto...quer o que? Tirando o voley e o futebol ( e olhe lá ) qual o esporte que o Brasil está bem?

Tarciso em 18 de agosto de 2013

O esporte olímpico é apenas mais um retrato dos tempos atuais. Somos dirigidos por uma turma de enroladores, imcompetentes em absolutamente tudo. A imbecilidade é tanta que acham que as coisas darão certo apenas contando com a sorte. Nossos dirigentes não tem nenhuma condição de organizar qualquer coisa que seja, e o que impera é a estratégia do gogó. Olhem para a Jamaica, babacas.

Clau em 18 de agosto de 2013

Isso tudo meu caro Ricardo se dá em virtude de o Brasil apoiar apenas clubes de futebol,construir mega estádios(com dinheiro público) e tudo o que mais precisam,apenas no futebol... Não é de se admirar,pois o que se sabe do Brasil lá fora é que tem mulher-fruta pra todos os gostos,cerveja gelada,carnaval e futebol,se bem que esse último tem deixado muito a desejar(apesar dos investimentos milionários).

celia em 18 de agosto de 2013

Será que as pessoas esperam que a imprensa resolva também o problema do esporte no Brasil? Quer dizer que fazer um comentário, emitir uma opinião agora está proibido? É patrulha? Ou isso é ideologia? O esporte no Brasil é sim uma piada. E os atletas e a imprensa não têm responsabilidades sobre isso. Se quer sediar uma Olimpíada, pelo menos apresente atletas preparados e não somente uma bela festa de abertura. Ora, ora.... ou o fiasco será o de sempre.

Fernando X em 18 de agosto de 2013

O quê esperar deste ministro dos esportes?

Bivar em 18 de agosto de 2013

Não é com matérias superficiais e tendenciosas como essa que se fomenta a discussão necessária para um tema de tamanha importância. Muito me entristece que uma revista do porte e influência como essa perpetue reportagens que não agregam em nada o debate saudável, muito menos o dever informativo, caráter óbvio, mas aparentemente esquecido por alguns. Sugiro, caro autor, ao iniciar o trabalho, que o faça direito. Aprofunde-se no assunto, levante pontos de vistas e fatos que sustentem seu argumento ao invés de apenas apontar o dedo e criticar os atletas e o esporte em si, sabendo (espero) que eles são apenas a ponta de um problema muito maior. Não escrevi uma "matéria", fiz um comentário, expus uma indignação, algo perfeitamente legítimo e pertinente ao blog. Claro que o tema se presta a reportagens extensas, mas não foi a isso que a seção "perguntar não ofende" se propõe. Não critiquei os atletas, se é que você leu o post. Critiquei os cartolas.

Dacem em 18 de agosto de 2013

O Brasil tem atletas chinfrim ? Um país chinfrim poderia ter o quê ?

GUGA10 em 18 de agosto de 2013

Não é justo culpar os atletas pois são em sua maioria, senão na totalidade, abnegados treinando em péssimas condições estruturais e financeiras. E como tudo "nestepaíz" os dirigentes ficam cada vez mais ricos, principalmente do Comitê Olímpico Brasileiro.

juscelino em 18 de agosto de 2013

a minha pergunta..já tivemos um que não fosse? posso fazer outra? os milhoes de reais desviados(desviados esse é termo certo) pela cef , bb, petrobras e outras estatais do "POOOVO", para dar fama e sustento a meia dz de atleta meia e a centenas de cartolas vigaristas é justo? qual o retorno para sociedade em desviar dinheiro da saude, educação para sujeitos que tem como único objetivo ficar famoso e rico.?

Fernando em 18 de agosto de 2013

Pergunte ao Ministro dos Esportes... Garanto que o partido dele vem fazendo uma festa nas contas ministeriais. Obras, ongs, convênios, associações, federações, confederações, está tudo dominado. Façam uma auditoria no Ministério. É um espanto!!!

The Wall em 18 de agosto de 2013

E dá-lhe bolsa-atleta!!!

Heitor em 18 de agosto de 2013

Assalto aos babacas brasileiros pagadores

Isaias em 18 de agosto de 2013

Também não queria mas vou chatear o ministro Aldo Rebelo com uma constatação: Total destinado ao esporte - somente via loterias - em 2012 foi de 707,1 milhões; Total de modalidades nas olimpíadas de Londres: 29; Destinação por modalidade, por mês, em média: 2 milhões; Sem contar receitas de patrocínios e de outras fontes, Sr. Ministro, por quê os atletas brasileiros não vingam?

carlos nascimento em 18 de agosto de 2013

Grande RS, Na veia, esse é o País maravilha, uma década perdida, nenhuma medalha no atletismo em 10 anos, nós merecemos, o povo gosta mesmo é de "bolsas", do ócio fácil, educação e esporte é para aquela gente de olhos azuis, então.....VIVA À JAMAICA. Sabe quantas vezes um raio cai no mesmo lugar, só uma única vez, portanto, um novo PELÉ nesse PaAís, já era, esqueça, eita povinho inteligente o nosso. A Globo anda desesperada, imaginem tocar o orçamento gigantesco sem um herói, o "jabá" Bueno precisa berrar, berrar, o povo precisa de circo, tá ficando feia a coisa.

Márcia Maria em 18 de agosto de 2013

Boa, Seu Setti, só faltou o Sr. falar tb, do nosso caro e risório Ministério do Esporte. PIADA!

Aldo Matias Pereira em 18 de agosto de 2013

Setti, Isso é muito injusto! Fomos a maior delegação de técnicos, dirigentes, psicólogos, fisioterapeutas, videntes, tarólogos e quem mais gastamos em Moscou. Quantas medalhas de ouro dá isso? Mais que todos os outros países, juntos! Temos de reconhecer o mérito, pô!!!!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI