Perguntar não ofende: estaria Temer chateado com Dilma porque há quem cogite de Eduardo Campos para vice em 2014?

Temer com Dilma: a aliança com o PMDB foi mais longe ainda do que o fizera o lulalato. Agora, porém… (Foto: exame.abril.com.br)

O PMDB, jiboia gulosa e insaciável por cargos, verbas e poder, finalmente chegou ao núcleo do governo com a presidente Dilma, como já se sabe de cor e salteado.

Estava com um pé no poder durante o lulalato, com ministros, diretores de estatais e gente dependurada em órgãos reguladores, mas queria mais, mais para – supostamente sem sustos – compor a chamada “base aliada” no Congresso.

A velha conversa de propiciar “governabilidade” no que cientistas políticos batizaram como o peculiar “presidencialismo de coalizão” em vigor no Brasil.

Se com o lulalato o PMDB abocanhava determinada quota de cargos e verbas, com Dilma passou a deter uma joia nada desprezível da coroa – a Vice-Presidência da República. (Quem achar que vice não vale nada basta lembrar que já o primeiro vice, marechal Floriano Peixoto, assumiu em 1891 e governou até 1894. E, do final da ditadura de Getúlio Vargas, em 1945, para cá, nada menos do que quatro vice-presidentes governaram: Café Filho (1954-1955), João Goulart (1961-1964), José Sarney (1990-1995) e Itamar Franco (‘992-1995).

Pois bem, aí estamos. Parte do PMDB, agora, rebela-se contra a presidente Dilma, e, para tentar saciar a gula da jiboia, a presidente mantém longa reunião com seu vice.

Dilma com o governador Eduardo Campos: candidato a vice em 2014? (Foto: exame.abril.com.br)

Michel Temer, com seu semblante de pedra, pouco diz sobre o que fará e qual será o resultado da conversa.

E aqui vou arriscar uma pergunta que encerra um palpite, reforçado pelo que me sopra uma fonte confiável: será que o vice, presidente licenciado do PMDB, não anda arredio com Dilma?

Arredio devido aos rumores de que, para conter os ímpetos do PSB de voar sozinho, feliz com os resultados da eleição de 2010, que lhe engordou as bancadas e lhe propiciou um magote de governadores, estaria inclinada de oferecer o lugar de vice ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos, presidente do partido, na eleição presidencial de 2014?

Perguntar, como se sabe, não ofende.

Quem viver, verá.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 1 =

Nenhum comentário

  • Jurema

    “Jiboia gulosa e insaciável”. Esta foi a melhor definição que eu já li sobre o PMDB. Na verdade poderíamos afirmar que em se tratando de política no Brasil veremos sempre “cobra engolindo cobra”. Muito bem comentado o assunto Ricardo! abraços

    Obrigado, prezada Jurema. Fico feliz por você ter gostado.

    Espero que volte mais vezes ao blog.

    Um grande abraço

  • Edinaldo Abel

    Olá Ricardo!
    Se ele está chateado, tabém não sei. Nessa política de tapetes sujos, cada um esconde o seu lixo, e há ainda, aqueles que escondem o lixo no tapete dos outros. É ter cuidado para não cair.

  • Sônia

    O Dia que o Brasil ficar livre desse PMDB vai ser o dia da ibertação total do país. Que esse dia chegue logo.

  • Alberto Mury

    Eduardo Campos é o cara da política. Astuto, silencioso, determinado, estadista. Ele tem na veia aquilo que o Lula tem, só que de uma maneira diferente. É mais gestor, é elegante mas firme no trato com as pessoas, não tem nenhum orgulho em pisar no barro molhado e visitar favela de pobres, tem uma visão social sensivel, pensa no futuro… É uma serpente inovadora. Quem o conhece sabe. Para vice ou presidente do Brasil é um excelente nome.

  • Odivar Meneghetti

    Reforma política urgente eliminando todos os “partidos” atuais.
    Vamos começar tudo de novo, no Brasil não temos partidos verdadeiros, são grupos que “governam” por interesses próprios, e o país que se f….!

  • Corinthians

    Ué ?
    A Dillma não sabia que estava casando ? “Na alegria e na tristeza” ? Que cônjuge não fica nervoso quando o outro está flertando por aí ?
    Ainda mais com pessoas como “quero mamãe no TCU e o Bezerra na Integração” Eduardo Campos ?

  • SergioD

    Ricardo, quem sabe não teremos numa de nossas próximas eleições presidenciais um segundo turno disputado por Aécio Neves e Eduardo Campos?
    Não creio que ocorra ainda em 2014 pelo simples fato de que ele deve estar articulado com a Presidente Dilma que tentará a reeleição. Mas para 2018, quem sabe?
    Ou será que você acredita num retorno de Lula?
    Abraços.

    Lula depende da evolução ou cura da doença. Se estiver firme, deve tentar em 2018 — se o medo das comparações com os índices incríveis de popularidade nos primeiros 8 anos não prevalecer.

    Acho que a presidente Dilma tentará a reeleição em 2014. E cooptar Eduardo Campos pode ser necessário na medida em que o PSB mostrar desejo de ter voo próprio, separado do PT.

    Abração

  • Mari Labbate *44 Milhões*

    Querido Setti: o PMDB, qualificado como “uma jiboia gulosa e insaciável por cargos, verbas e poder”, é considerado um grande partido e essas exigências fazem parte da “sociedade” proposta. Trato é trato! Acrescentarei a essa lista de vice-presidentes o nome de Michel Temer. Afinal, estamos ou não lutando pela Democratização do País, visto que os insaciáveis-petistas já estão fechando o regime e ninguém faz NADA! Energeticamente os tiranos, LUIZ I e DILUÍZA II, anularam-se politicamente, pois abarcaram o Capitalismo, ferozmente, e hoje integram a ELITE, que tanto combateram! Autodestruíram-se, filosoficamente! O “semblante-de-pedra” de Temer dá para ser aproveitado, integralmente. O de Dona Diluíza é “fantasmagórico”! ABAIXO ESSE NEFASTO PRESIDENCIALISMO DE COALIZÃO! VIVA o Parlamentarismo Unicameral e Bipartidário! O Ano do Dragão é muito propício a profundas transformações: já totalmente observáveis! CORAGEM PMDB! DEUS ESTÁ CONOSCO! Quem poderá estar contra nós? QUEM VIVER, VERÁ!

  • Veronica Fialho

    Nesse caso, estaria então surgindo, depois de Ulisses um candidato própio de PMDB? O própio Temer?