Amigos do blog, em breve não vai bastar que nós, torcedores, nos preocupemos com a seleção brasileira.

Vamos ter que nos preocupar também com as informações sobre a seleção brasileira.

Para quem preza a liberdade de informação, é assustador saber que, entre os planos do presidente da CBF, Ricardo Teixeira – há longos, intermináveis 22 anos no cargo – está o de montar uma estrutura de “jornalismo” própria.

Ele quer uma emissora de TV, com diretores, editores, repórteres, apresentadores etc.

Com uma transparência que rivaliza com a da extinta KGB soviética, os planos da CBF não são conhecidos em detalhe.

O objetivo principal parece ser o óbvio: responder a seus críticos.

O segundo é que assusta mais: produzir conteúdo “de interesse da CBF” e comercializar o “acesso privilegiado” que a CBF tem sobre os jogadores.

Isso está na reportagem da jornalista Daniela Pinheiro sobre Ricardo Teixeira publicada na edição da revista piauí que está em bancas.

Imaginem, amigos, o que será produzir conteúdo “de interesse da CBF”.

Imaginem então o que será “comercializar o acesso privilegiado” que a entidade tem sobre os jogadores.

A CBF, ao longo dos anos, vem dificultando cada vez mais a cobertura que a imprensa realiza sobre a Seleção. Menos entrevistas, menos acesso aos jogadores, menos acesso aos treinamentos.

Produzindo ela própria – e para vender – reportagens, entrevistas com o treinador e com os jogadores etc, configurando uma concorrência mais do que desleal, já é possível antever o que será a vida da imprensa esportiva, e que tipo de informação será servida ao torcedor brasileiro, quando a emissora oficial da entidade estiver funcionando.

E nas mãos de um dirigente pequeno, rancoroso, que odeia a imprensa.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + 15 =

10 Comentários

Irineu S. S. em 24 de julho de 2011

Sabemos que a CBF e também seu subproduto(a seleção brasi?? financeira) são na verdade uma grande empresa privada com fins lucrativos e não culturais como muitos cuidam.

Tuco em 22 de julho de 2011

. Não há como não concordar contigo, RSetti, nesse aspecto. No entanto, da maneira que as coisas evoluem, é claro que a Seleção Brasileira não representa sequer 5% do que era a Seleção de 1970! Você vivenciou e sabe disso! A Seleção, por multiplos motivos, tem se afastado do torcedor - e esse dela. Ninguém aguenta mais! De outra banda, dá uma olhada na formação da baderna pelos chapas-brancas: http://www.jb.com.br/esportes/noticias/2011/07/22/une-promete-pressao-para-garantir-meia-entrada-na-copa/ SENSACIONAL, caro Tuco. Vai virar post. Muito obrigado e desculpe pela demora. Abração

Tuco em 22 de julho de 2011

. Vejo esse plano muito mais legal e moral do que uma TV Justiça, TV Senado e outras drogas custeadas pelo erário público. Ou será que a "TV CBF" (ou TV RT...) também surgirá graças ao meu dinheiro? . Amigo Tuco, não é necessário haver desperdício de dinheiro público para a iniciativa da CBF ser preocupante. A tendência é cada vez haver menos informação independente a respeito da Seleção Brasileira -- aí é que está o problema. Abraço

Steve Ling em 22 de julho de 2011

Será mais um canal ao estilo TV Senado, Camara, CNU etc...

Wilson em 21 de julho de 2011

ô, gente! Deixa de ser criança! A CBF é privada! E o futebol é um negócio. Amor ao time, liberdade de informação...? O que conta ali, como em qualquer negócio, é o dinheiro. Se a CBF quiser vender as informações sobre o seu negócio privado, que venda! E compre quem quiser! É igual a Globo, a Record, a RedeTV, o SBT e a Bandeirantes resguardarem suas produções e seus contratados. Escândalo é jogar dinheiro público fora com estádio e renegociação das dívidas dos clubes.

A. Cabral em 21 de julho de 2011

Tipo a Hora do Brasil, não? Bem lembrado!

José Geraldo Coelho em 21 de julho de 2011

A CBF é um país dentro do Brasil. Um feudo com PIB superior ao de muitos estados. Não se submetem a nenhuma autoridade brasileira, nem ao judiciário, principalmente. Nem a FIFA se entromete nos negócios da CBF. Só através dos maus exemplos e apoio aos seus cambalachos. Em troca nos dá uma seleção mediocre, mais preocupados com a fabricação de jogadores para exportar.

Luiz em 21 de julho de 2011

FAÇO A SEGUINTE SUGESTÃO: UMA PESQUISA PARA SABER QUANTOS BRASILEIROS AINDA TORCEM POR ISTO QUE ALGUNS CHAMAM DE "SELEÇÃO BRASILEIRA". EU TORÇO CONTRA, FIQUEI MUITO FELIZ COM A ELIMINAÇÃO CONTRA O PARAGUAI. TORÇO CONTRA DESDE O MUNDIAL DE 2006 NO JOGO CONTRA A FRANÇA, QUANDO O JOGADOR HENRY MARCOU O GOL QUE DESCLASSIFICOU O BRASIL NA POSIÇÃO DO LATERAL ROBERTO CARLOS, QUE NAQUELE MOMENTO ESTAVA NA INTERMEDIÁRIA AJEITANDO SUA MEIA.

Reynaldo-BH em 21 de julho de 2011

Ricardo Teixeira teve onde aprender. Na TV Traço ( a tal da Cruvinel que contrata o Nassif e outros) que ninguém vê mas que todos nós pagamos. Neste caso há uma agravante. Até onde treinadores e jogadores irão poder dar entrevistas a outros canais ou orgãos de imprensa? A TV Cruvinel só tenta distorcer o que outras TVS divulgam. E enaltecer o que o chefe (qualquer um) manda e pauta. Qual jogador teria coragem de se opor ao mando absoluto de um filhote de Havelange, piorado com a própria natureza de caráter? Faltam Afonsinhos, Sócrates e Casagrandes! Os atuais serão docilmente convencidos (??) a serem cordatos e exclusivos da TV Teixeira! Até entenderem que serão somente um TRAÇO na admiração que temos por jogadores da Seleção Nacional. Dará tempo?

Marcello Castellani em 21 de julho de 2011

Como a cada dia me importo menos e menos com o futebol brasileiro acaba ficando na mesma. Ver um bando de caras milionários jogando pelada sem qualquer amor à camisa é muito deprimente.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI