Dirigentes espanhóis divulgam seu patrimônio. Perto dos nossos políticos, parecem pedintes…

zapatero-mariano

Zapatero, o governante socialista, e Rajoy, o líder conservador: na meia idade, patrimônios a anos-luz de congêneres brasileiros

Amigos, os espanhóis deixaram esta semana por algum tempo afastadas as preocupações sobre a capacidade de o país arcar com seus débitos – no âmbito geral da crise de alguns países da zona do euro – para discutir o patrimônio declarado de seus principais políticos, que acaba de ser divulgado.

Como brasileiro, tive vontade de rir com a reação da mídia e do público. O excelente jornal El Periódico, de Barcelona, por exemplo, trouxe como uma das manchetes sobre o tema a seguinte: “A difusão dos bens de parlamentares causa furor”.

Pensei comigo: “Se eles soubessem como é no Brasil…”

Causou “furor”, entre outras informações, saber que o homem mais rico das Cortes – o Legislativo espanhol – é o presidente do Congresso dos Deputados, José Bono, cujo patrimônio é de 1,7 milhão de euros, ou algo como 4 milhões de reais. Ele chegou a ser denunciado pela imprensa de extrema direita, no passado, por suposto enriquecimento suspeito, mas o caso foi arquivado.

Não é de rir? Com certeza há centenas de prefeitos de cidades médias e até pequenas no Brasil com patrimônio de valor superior. Bem como vereadores, deputados estaduais, governadores, deputados federais, senadores…

Lembro-me de que, há uns bons 10 anos atrás, VEJA realizou um levantamento independente, com avaliadores confiáveis, sobre o patrimônio visível do ex-presidente e senador José Sarney (PMDB-AP), presidente do Senado. Sarney se dedica em tempo integral à vida pública há cerca de 60 anos – e, no entanto, e naquela época, VEJA chegou à conclusão de que seus bens valiam 100 milhões de reais. A valores de hoje, só Deus sabe quanto.

Há ainda mais tempo, VEJA mostrou que o falecido ex-governador Orestes Quércia, que desde seus 20 anos só fez política, havia conseguido amealhar, em bens oficialmente declarados, 52 milhões de reais – patrimônio que quando de sua morte, no ano passado, estimava-se bem superior a 1 bilhão de reais.

O falecido ex-ministro e ex-governador Antonio Carlos Magalhães, o ACM, que igualmente só se dedicou à política durante sua longa vida, faleceu em 2007 como dono de um império, que incluía emissora de TV filiada à Rede Globo, emissoras de rádio, jornal e uma plêiade de negócios.

Em comparação com os nossos, os políticos espanhóis parecem pedintes. Vejam só os 3 principais casos:

O primeiro-ministro socialista José Luís Rodríguez Zapatero ainda não tem casa própria. Seu patrimônio consiste em um imóvel ainda em construção de valor não declarado na cidade onde cresceu e se formou, León, em sociedade com a mulher, Sonsoles Espinosa, para o qual não solicitou empréstimo. Aos 51 anos, em contas bancárias e 3 diferentes planos de aposentadoria privada, acumula 158 mil euros (370 mil reais). Não tem automóvel.

O líder do principal partido de oposição, o Partido Popular (PP) e provável vencedor das eleições gerais de novembro, Mariano Rajoy, aos 56 anos possui um apartamento e 3 garagens em Madri, uma casa em Pontevedra, em sua Galícia natal, e 597 mil euros (1,4 milhão de euros) em depósitos bancários, ações e investimentos vários. Não tem automóvel.

Rubalcaba: um bom dinheiro em investimentos, mas proprietário de um só imóvel e dois carros velhos

O candidato socialista à sucessão de Zapatero, Alfredo Pérez Rubalcaba, químico de formação, ex-ministro do Interior, é dono de um apartamento em Madri, co-proprietário de uma garagem, dispõe de 984 mil euros (2,3 milhões de reais) em depósitos bancários, investimentos e ações, um automóvel Mazda 1998 e um Skoda 2000.

São os três principais políticos da Espanha no momento, todos de homem já de meia idade, fase em que pessoas de classe média/média alta na Europa, como é seu caso, amealharam tanto ou mais do que eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + dois =

17 Comentários

  • João Máximo

    A politica no Brasil virou profissão para a maioria dos políticos, que a ela aderem, para enriquecer as custas dos contribuintes.

  • Paulo Bento Bandarra

    Pois é, em vez de virem para o Brasil fazer consultoria de empresas. Faziam amizade com o pessoal do PT no governo e receberiam os amigos no escritório.

  • João da Bahia

    Prezado Stti,
    Não sei se você sabe, mas o ACM costumava falar que estes bens aqui citados não eram dele e sim da sua família.
    Como senador em 2001 ele renunciou (no escândalo do painel eletrônico) para não ser cassado.
    Daí ele deu uma entrevista ao Boris Casoy que lhe perguntou + ou menos o seguinte: “O senhor agora está desempregado, que vai fazer para sobreviver?”
    E ele, ACM, respondeu + ou menos o seguinte: “Agora chegou à vez de a minha família ajudar-me”
    Não lembro se ele citou que tinha uma aposentadoria.

  • J.R.Monteiro

    O problema com os nossos políticos não é o fato de serem ricos, mas o de ficarem ricos no decorrer de mandatos sucessivos.
    Muito pior, é a recorrente inapetência e incompetência, no trato da coisa pública.

  • Jeusa

    Ah, como os políticos espanhóis são santinhos!
    Como são pobrinhos! Uns anjos. Não foi atoa que quebram a Espanha. É excesso de pureza…

  • Sergio

    Infelizmente o Brasil é parâmetro ao contrário de tudo o que deve ser feito. Juros mais altos do mundo, uma das piores educações do mundo, uma das piores infraestruturas do mundo, um dos países com o sistema tributário mais complexo do mundo, um dos países com a justiça mais lenta, ineficiente e injusta do mundo, um dos países mais corruptos do mundo, um dos países com a pior classe política do mundo, etc, etc, etc. Triste sina a do brasileiro (quem manda não saber votar)

  • Markito-PI

    Bom Setti.É de dar inveja. O jornalista Fernando Rodrigues fez um ótimo trabalho que está no site “politicosdobrasil.com.br”,que nos permite avaliar os bens de TODOS os candidatos a cargos federais nas ultimas 4 eleições. É muito instrutivo.

  • veiaco

    Pelo semblante grave dá para sentir quem está preocupado com a coisa pública ao contrário dos nossos políticos que escondidos atrás do voto, estão preocupados com o bolso. È só abrir o jornal, a picaretagem dos nossos está na cara.

  • mané brasileiro

    Setti
    A Revista Forbes publicou o nome de um político
    brasileiro “avaliado” em US-DOIS BILHÕES!
    Esse bota todos os outros no chinelo!

  • Juju

    Mas será que essas declarações de bens são realmente verdadeiras? Sei lá, né, Setti, como brasileira a gente sempre desconfia, infelizmente…se fosse aqui, teríamos certeza absoluta que eram declarações fraudadas…vejam só, o pobre Garotinho declara apenas R$ 60.000,00…enfim, se esses políticos espanhóis soubessem a fórmula de seus colegas brasileiros, aí tudo estaria perdido…eu realmente acredito que, só com o salário de parlamentares, os políticos brasileiros poderiam amealhar um bom patrimônio, mas daí a se tornarem grandes milionários, bilionários…há um mar de distância…vergonha!!! E o pior é que esses indivíduos não morrem nunca porque nem o capeta se anima com a ideia…

  • ricardo carvalho

    Não se faz mais político como antigamente. Até os anos 60, os políticos tinham vergonha na cara. Hoje, são sem vergonhas. Homens como Gregorio Bezerra, Etelvino Lins, Agamenon Magalhães, Afonso Arinos de Melo Franco, Adauto Lúcio Cardoso, Francisco Julião e Carlos Prestes, morreram pobres. Hoje,os políticos ficam rico ( bota rico nisso ), no primeiro mandato. É triste, mas é a verdade. Fosse este um país sério, homem como Gregório Bezerra teria monumento em todas as praças deste país.

  • Corinthians

    Setti,
    Isto me lembra o espanto que tive ao ver o filme A Rainha – um dos personagens do filme é o primeiro-ministro inglês Tony Blair.
    O retrato que o filme faz da vida de Tony Blair, em uma casa comum, com roupas comuns, esposa comum, filho comum deu muita inveja, fiquei espantado… se fosse aqui no Brasil…

    Pois é…

  • Lucia s

    Já imaginou se soubessem como é por aqui? mudariam , talvez, e viriam se fazer na América?
    Por lá, o povo grita. Aqui,o povo muge.
    E olha que também pr lá, apreciam futebol, bares, música e festas.
    Só não são bovinos mansos.

  • Think tank

    Se estes inventores do vicio ibérico não estiverem fazendo o mesmo que os similares políticos tupiniquins, ou seja declaram apenas uma fração do que apossaram saqueando o erário, pode se dizer que lá pelo menos já enterraram este vicio que não passa de gigantesca fabrica de criar miséria, injustiça social que priva não só termos de bens materiais mas em educação e saúde.

  • Abílio Santos

    Sou português.

    Leio alguns comentários e me convenço que a nação irmã é a Espanha.
    Não entendo como o brasileiro pode ser tão azedo e ressabiado…
    É pouco digna a permanente desresponsabilização dos brasileiros perante o seu destino com o antigo passado colonial.

    O que pretendem? a inimputabilidade?!!!

    Não acham ridículo que um país como o Brasil, com dimensão, riquezas naturais, energéticas e agrícolas, não as consiga converter em riqueza para o povo, e, ao invés, passe todo o tempo se desculpando com o passado colonial?

    A Espanha está quebrada? Explica pra eles Ricardo Setti, please.

    Tem dívida na Ibéria? Sim. Sabe onde se gastou essa grana? Em coisas que estão à vista: hospitais, escolas, parques eólicos, etc… se foi algum parar no bolso de um político mais corrupto? – é provável, mas não tem comparação.

    A pequena Ibéria (15 vezes menor que o Brasil, tem muito mais cidades vibrantes (cultural, social e economicamente que o Brasil (Compostela, Vigo, Bilbao, San Sebastian, Barcelona, Madrid, Salamanca, Valência, Sevilha, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Lisboa, Évora)
    Porque será?

  • CARLOS MATTOS

    Amigo, se estas contas corretas e acredito que sim, pois, por ser um pais de pequenas dimensoes, todo mundo conhece todo mundo, este topico deveria ser afixado la em Brasilia em outdoors gigantescos, pelo menos, quando vissem, pelos menos < corariam, sei la?? sera?? ou cairiam na gargalhada, ruminando : imbecis, otarios!!!!!

  • CARLOS MATTOS

    Setti, sera que nestes 10 anos o chefe da familglia sarney ja reformou a mansao da praia do Calhau e uma visita turistica muito importante, chegar a eira de um penhasco e ver do outro lado a mansao do ze, morei em sao LUiz, trabalhei na Alcoa e ja fui ate la para ver isto em em 1982