“Os políticos suspeitos de corrupção têm lugar nas listas eleitorais do dia XXXX. Mais de uma centena de candidatos nas próximas eleições municipais e regionais figuram como réus em processos judiciais relacionados com corrupção, prevaricação (…) ou delitos contra as leis de zoneamento nos quais se pode supor algum tipo de favorecimento ou tráfico de influência”.

(…)

Nas eleições de 2007, a conclusão [ao final da apuração] foi que o eleitorado não castigou a suspeita de corrupção: muitos dos políticos que eram réus não apenas não tiveram votação menor, como ganharam mais votos”.

Amigos, soa familiar?

Esse texto é sobre o Brasil?

Não, amigos. Os dois parágrafos acima são o primeiro e o último do texto em primeira página da primeira página da edição de hoje do jornal El País, o mair importante da Espanha. O título, referindo-se às eleições regionais e municipais que se realizarão no dia 22 de maio, é o seguinte: “Uma centena de réus em casos de corrupção se apresentam [como candidatos] no 22-M”.

Parece que a praga é geral, não?

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 Comentários

Mauro Pereira em 11 de abril de 2011

Caro Ricardo Setti. Pois é meu caro amigo, apesar de ser absolutamente contra o PT, tenho que me render às evidências. Os pupilos de Lula estão provando que são super competentes e estão fazendo escola na arte da maracutaia. Se dão ao luxo de exportar tecnologia de ponta, com alto valor agregado, para países da Europa ensinando aos espanhóis os caminhos que levam ao cofre. Para demonstrar a seriedade do empreendimento, o selo de garantia tem a chancela de José Dirceu. Precisa mais?

Marco em 11 de abril de 2011

Amigo Setti: Não vamos ser ingênuo com o ideal democrático, embora a instituição da regra da maioria seja louvável. O PT descobriu q o modo corriqueiro de uma democracia falhar, consite em tornar ela prisoneira de pressões conflituosas dos seus grupos setoriais de interesses. O lobby organizado sindical. O poder de voto de tais grupos sindicais é usado para apoiar os políticos e as políticas q mais protgem seus benefícios e privilégios, chamada de corrupção legalizada. Só teremos um parlamento livre quando, a liberdade pessoal exigir q qualquer autoridade seja coibida por princípios duradouros aprovados pela opinião pública de limite. O resto é crença e babaquice de q as assembléias eleitas se apoiarão na Autoridade do Povo. Isso é discurso vigarista sindical da Ufrgs... Abs.

Tuco em 11 de abril de 2011

. Todo castigo é pouco para um povo que não sabe votar. Vejam o Brasil. .

Paulo Bento Bandarra em 11 de abril de 2011

Ou, como se dizia no regime militar, entre seus defensores, Pelé: o povo não sabe votar. Acho que foi o grande engano de Fujimore, que num ato truculento, baniria a corrupção nos três poderes. Eles acabam voltando rapidamente pelas "mãos" do povo para serem roubados.

Paulo Toshiharu Watanabe em 11 de abril de 2011

Cheguei ao último parágrafo imaginando que se referia ao Peru, um país que estive em 1979 e ao longo de 2009 convivi com alguns peruanos, fora do Brasil e longe do Peru.

anonimo em 10 de abril de 2011

E por isso a Espanha 'balança'. Portugal já bateu nas portas do FMI - faliu. Espanha está à caminho, cai não cai. E aqui a inflação voltou - é só o começo.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI