Image
Neymar se apresenta à torcida do Barça no Camp Nou no dia 3 de junho: para continuar a tradição (Foto: Reuters)

Texto adaptado de materia publicada pela revista Fut! Lance em abril de 2009

Por Daniel Setti

Ah, os brasileiros… ainda que nos bastidores do FC Barcelona sempre haja quem torça o nariz quando a contratação de um dos nossos é anunciada – os precedentes irreverentes de Romário ou a fúria baladeira de Ronaldinho ainda fazem o Camp Nou tremer – o clube, e sobretudo sua torcida, têm uma relação de amor com os boleiros tupiniquins.

Desde que o pioneiro Fausto dos Santos aportou em solo español há 82 anos, oriundo do Vasco da Gama – sofreria preconceito por ser negro -, foram 33 os brasileiros azul-grená. A lista abaixo traz todos eles, incluindo o atletas como Henrique, atualmente no Palmeiras, que foi contratado em 2008 mas, emprestado, nunca atuou pelo clube; também marcam presença nomes que defenderam predominantemente a segunda equipe, o Barça B (exemplo: Tiago Calvo).

Em negrito estão os seis que o próprio site do clube considera como “lendas”. Abaixo de cada um, vídeo com lance inesquecível. Nomes de peso, como Roberto Dinamite e Giovanni, não entram neste seleto hall porque ficaram abaixo da expectativa, apesar de sua importância como jogadores (o hoje presidente vascaíno só durou três meses e o ex-santista até deu trabalho, mas nunca como na Vila Belmiro).

1-Fausto dos Santos (1931-1932):

2-Jaguaré Bezerra (1931-1932)

3-Lucídio Batista da Silva (1947-1949)

4-Evaristo de Macedo (1957-1962): é o goleador brasileiro definitivo entre os que jogaram no Barça. Marcou 178 gols em 226 partidas, uma média de 0,8 por partida. Títulos importantes: duas ligas e uma Copa da Espanha. Os culés relembram com carinho especial, embora mais tarde defendesse o Real Madrid. (Crédito vídeo do gol de peixinho do atacante que eliminou o Real da Copa da Europa em 1960: TVE)

5-Walter Machado da Silva (1966-1967)

6-Mário “Marinho” Perez (1974-1976)

7-William Silvio “Bio” Modesto (1978-1979)

8-Roberto “Dinamite” Oliveira (1980)

9-Cleo Inaio Hickmann (1982)

10-Aloisio Pires Alves (1988-1990)

11-Romário de Souza Farias (1993-1995): inesquecível, apesar de ter ficado pouco e ganhado apenas uma Liga. O clube viveu o auge do Baixinho (período que coincidiu com a Copa que ganhou sozinho para o Brasil) e suas polêmicas brigas com Johan Cruyff, o único técnico que ganharia seu respeito. Prevaleceu o holandês, mas ele mesmo nunca esqueceria que o centroavante marcou 53 vezes nas 82 em que esteve em campo. (Crédito vídeo, que inclui os três gols que marcou em goleada por 5×0 ante o Real Madrid: FC Barcelona)

12-Giovanni Silva (1996-1999)

13-Ronaldo Luis Nazário de Lima (1996-1997): ele só se transformou no fenômeno por completo jogando pelo Barça, passagem que lhe rendeu a Bola de Ouro da revista France Football em 1997. Ganhou três troféus (uma Copa do Rei, uma Recopa e uma Supercopa da Espanha) e marcou incríveis 48 gols em 51 jogos. Para muitos, foi ainda melhor que Romário, e só não se fala dele com mais carinho porque acabou jogando no Real. “Colocando os dois cara a cara, fico com aquele Ronaldo incomparável, que lamentavelmente durou pouco”, diz o jornalista Jorge Esteve e Ruiz. (Crédito vídeo, com gol de placa contra o Compostela: Canal Sur)

14-D’Marcellus Machado (1996-1997)

15-Sonny Anderson da Silva (1997-1999)

16-Rivaldo Vitor Barbosa (1997-2002): é possível que o gol de bicicleta de fora da área que fez contra o Valência em 2001, classificando o Barça à Copa dos Campeões no finalzinho, já valesse sua importância. Mas o meia-atacante Rivaldo também fez nada menos que 136 gols em 253 partidas e colecionou cinco títulos (entre eles duas Ligas e uma Supercopa da Europa), sendo justamente eleito o melhor do mundo em 1999. (Crédito vídeo, com o famoso gol de bicicleta: Canal Plus)

17-Thiago Motta (2000-2007)

18-Marcelo da Silva (2001)

19-Luciano “Triguinho” da Silva (2001)

20-Fabio Rochembak (2001-2003)

21-Geovanni Deiberson (2001-2002)

22-Ronaldo “Ronaldinho” de Assis Moreira (2003-2008): a ressaca do furacão “Ronnie” só está passando agora, mas ele já é considerado um dos maiores de todos os tempos. Foram cinco anos, sendo os três primeiros deles de pura magia, 110 gols em 250 partidas e oito canecos. Entre eles, duas Ligas e a Copa dos Campeões de 2005-2006 (Crédito vídeo, com a torcida do arquirrival Real Madrid aplaudindo golaço do craque: Canal +)

23-Tiago Calvano (2003-2005)

24-Juliano Belletti (2004-2007)

25-Silvio “Sylvinho” Mendes (desde 2004)

26-Anderson Luís “Deco” de Souza (2004-2008): o Barça de Ronaldinho teve como coadjuvantes maestros como Deco, meia estilo “motorzinho” de um time que encantou o mundo. Antes de ver seu rendimento cair, jogou muita bola e guardou 28 vezes em 188 jogos. (Crédito vídeo, com gol de voleio contra o Espanyol: Ch 3)

27-José Edilson Gomes (2004-2008)

28-Thiago Alcántara (2005-2013)

29-Rafael Alcântara (desde 2006)

30-Daniel Alves (desde 2008)

31-Henrique Adriano (2008 – foi emprestado e nunca atuou pelo clube)

32-Maxwell Andrade (2009-2011)

33-Adriano Claro (Desde 2010)

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + dezenove =

3 Comentários

Evaristo Filho em 12 de julho de 2013

Bela matéria, Ricardo. O Marco tem razão. O velho sempre foi muito perfeccionista. Ele me dizia que foi mais fácil ser jogador do que treinador. Como jogador sabia fazer e pensava rápido. Como treinador tinha que ensinar e futebol não se ensina, apenas se aprimora. Não tinha muita paciência, talvez por ter jogado com grandes craques. O velho costuma dizer que "nunca teve a pretensão de ser o melhor, mas sempre procurou estar entre os melhores". Acho que conseguiu. Quanto ao Neymar, torcemos muito para que tenha grande êxito. É um bom garoto! Abraço Evaristo Filho Caro Evaristo Filho, pelo jeito seu pai é o grande Evaristo, um dos primeiros brasileiros a arrasar aqui na Espanha, onde me encontro no momento. Fez tanto sucesso que, tendo um nome brasileiríssimo, "batizou" muitas crianças, hoje adultos, com o nome de Evaristo. Jogava uma barbaridade, mesmo, o seu pai. Instinto de matador dentro da área, goleador, veloz, raciocínio rápido. Sem dúvida esteve entre os melhores. Cinco temporadas no Barça, duas no Real Madrid etc -- não é brincadeira! Os seus parabéns vou encaminhar a meu filho Daniel, colaborador do blog e autor do post. Parabéns agora digo eu, e um abraço pra ele!

Marco em 09 de julho de 2013

Don Setti, pela riqueza de detalhes, o guri já tá te superando, Parabéns Daniel! Para quem viu jogar, Evaristo foi o melhor. Evaristo sempre foi um perfeccionista em campo e muito difícil de lidar com a imprensa e os jogadores. Me lembro q treinou o Grêmio, já com uma certa idade, pediu para um jogador bater uma falta de tal jeito. O jogador tentou varias vezes e não conseguia. Se irritou e disse q era impossível. Evaristo apesar da idade, foi lá e converteu várias vezes. E foi campeão em cima do meu Inter,em 1988, pelo Bahia. Outra historia engraçada é do Cléo Hickamann, um alemão com porte de modelo,q na época tirou fotos nu, com um colunista social, chamado Roberto Gigante. Ele e seu Irmão o Silvio, sempre foram jogadores de força.Então, fui eu e um amigo fazer teste no Inter para Juvenil, na época era o seu Abílio do Reis , q fazia as peneiras. Eu de QZ e o meu amigo de PD, meu amigo jogava muito, ainda joga. Pegou e deu 3 balãozinhos consecutivos no Cléo sem deixar a bola cair. Seu Abílio parou o treino e dispensou meu amigo, com sua frase histórica. " Aqui não é lugar de se fresquear. E, eu fui tentar a sorte no São José de Poa e depois no Cruzeirinho. Mas não joguei como profissional. E meu amigo ganhava mais jogando campeonatos na Várzea. E tinhamos tempo para estudar durante a semana. Abs.

JMello em 09 de julho de 2013

O gol do Rivaldo foi, sem sombra de dúvida, o mais bonito. Bom texto para relaxar no meio desses assuntos espinhosos!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI