Image
Senadora Marta Suplicy: votação deve acontecer na quinta-feira que vem (Foto: Luiz Alves / Agência Senado)

Amigos do blog, tudo indica que não será fácil a tramitação do projeto contra a homofobia homofobia (PLC 122/2006), cuja votação foi confirmada pela senadora Marta Suplicy (PT-SP) para a próxima quinta-feira, dia 8.

Como informa matéria abaixo a respeito do assunto, a empreitada enfrenta considerável resistência, especialmente do senador Magno Malta (PR-ES), que é pastor evangélico e mantém forte ligação com igrejas e parlamentares dessa orientação.

Em pronunciamento de junho de 2008 sobre o mesmo projeto, o senador capixaba chegou ao ponto de afirmar que uma hipotética aprovação ajudaria a “criar um império homossexual no Brasil, uma casta diferenciada”.

Da Agência Senado

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) confirmou que o projeto de lei que criminaliza a homofobia (PLC 122/2006) deverá ser votado na próxima semana, na quinta-feira (8), a partir das 9h, na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

Ela afirmou, no Plenário, que apresentará substitutivo Substitutivo é quando o relator de determinada proposta introduz mudanças a ponto de alterá-la integralmente, o Regimento Interno do Senado chama este novo texto de “substitutivo”. Quando é aprovado, o substitutivo precisa passar por “turno suplementar”, isto é, uma nova votação. ao projeto original, que foi alvo de polêmica por criminalizar as manifestações contrárias à homossexualidade. Pouco depois do anúncio de Marta Suplicy, o senador Magno Malta (PR-ES) convocou os senadores da Frente Parlamentar em Defesa da Família, contrária ao projeto, para “sepultá-lo de vez” na CDH.

Image
Magon Malta: medo do “império homossexual” e da criação de uma “casta diferenciada” (Foto: Geraldo Magela / Agência Senado)

Marta Suplicy lembrou o aniversário de nascimento nesta quarta-feira (30) do jovem Alexandre Ivo, assassinado aos 14 anos. Ele foi morto em 2009, após ser torturado por pelo menos dois jovens, que aguardam o julgamento em liberdade.

– Alexandre teve a vida ceifada pela homofobia, preconceito e ódio. Foi barbaramente torturado e morto – afirmou a senadora.

Ela homenageou Angélica Ivo, mãe do rapaz, que, segundo ela, transformou a dor da perda do filho lutando contra a homofobia e clamando por justiça

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + cinco =

24 Comentários

Jeff em 12 de dezembro de 2011

Ja que se fala tanto em "privilegio" de uma "casta" vamos discurtir os privilegios das igrejas que possuem isenção tributária? Vamos fazer uma discussão aprofundadas dos privilegios de cada um? Mundo hipocrita cada um protege o seu e ainda por cima quer opinar no dos outros!

Papai Sabetudo em 04 de dezembro de 2011

Para mim, "tanto faz dar na cabeça como na cabeça dar"! Passo ao largo! Não discrimino as pessoas, mesmo porque não sou melhor nem pior do que elas. Quando alguém diz: "Não discrimino ninguém. Convivo pacificamente com homossexuais, negros..." Já estão alimentando um bruto de um preconceito! Se alguém "tolera" "gays", está insitamente alimentando uma diferença que "consegue tolerar e conviver com ela". Para mim, todos são iguais. Passei isso para os meus filhos. Já percebi isso com alegria! Já me certifiquei que são heterossexuais pelas ardentes relações de amor que exercem com o sexo oposto. Eu estava preparado para aceitar um ou outro como homossexual. Não foi preciso.. Só sei que as pessoas são "gays" quando me declaram isso, como no caso de uma amiga de minha mulher que é casada de papel passado com outra mulher, não esconde a sua condição e é uma pessoa maravilhosa. Aqui em casa, se não fosse a sua surpreendente revelação, não notaríamos nada de anormal. Assim, como disse no começo, a lei pode sair como quiser. Pra mim não faz diferença.

jose em 04 de dezembro de 2011

PERAI! MAS NAO FORAM OS PROPRIOS EVANGELICOS QUE MUDARTAM O PLC A PONTO DE FICAR AO AGRADDO DELES?? POR

Corinthians em 03 de dezembro de 2011

Míriam e Alcione, Independentemente das opiniões, não concordam que quem está tentando impor sua visão de mundo - no caso para o Silas - são vocês ? Vocês querem impedi-lo de ter a opinião que ele efetivamente possui sobre o assunto através de uma lei... no que isso é diferente da ditadura, que também através de leis impedia a pessoa de se declarar comunista ?

Rodrigo F. em 03 de dezembro de 2011

Miriam, seu comentário, sem dúvida, foi o mais prudente aqui exposto. Enquanto existirem pessoas que achem que uma forma de exclusão de um grupo social é uma forma de liberdade de expressão ou ainda que um país laico tem que se submeter a interesses religiosos, a cultura, na mais ampla semântica, não vai evoluir. Até porque a hipocrisia aqui exposta é de espantar qualquer um, pessoas criticam outras por uma opção que é de foro intimo e ainda acham-se no direito de dizer que não são preconceituosos ou ainda homofóbicas, me afastando da minha tese inicial, concordo com elas: não são nada disso, são animais, porém no nível dos macacos, suponho também que elas não se ofenderam com essa comparação, já que não passa da minha "liberdade de expressão". Repugnante.

ALCIONE em 03 de dezembro de 2011

Sabe, o que me conforta é que o mundo não é feito de porcarias, embora estas pareçam ser a maioria pelo odor que exalam. Parabéns Miriam! É isso mesmo, esse "povinho" ainda vivem no tempo das cavernas e querem impor a sua vidinha (provavelmente) uma merd's , a jugar pelas suas noções de bem e mau que não dá para aguentar. Ainda bem que logo, logo esses merd's vão estar se ferrando para explicar suas palavras em sites como esse ou nas ruas. PS. Não sou homossexual, sou apenas um ser humano, racional. Abraço.

Míriam Martinho em 02 de dezembro de 2011

Tenho dúvidas sobre o teor do projeto até agora, mas não sobre suas razões. Basta ler os comentários de seus leitores para ver como ele se justifica. Em particular o de um tal de Silas que diz não ser homofóbico, mas afirma, com a sensibilidade de um troglodita, que os homossexuais despertam nele, e em boa parte da população (ele pensa que todo mundo é limitado como ele), um misto de pena e nojo – se for travesti então, o sentimento é de asco mesmo. Por que razão seres humanos provocam nojo neste boçalnaro pelo simples fato de existirem? Então, enquanto fulanos, como esse Silas, acharem-se no direito de dizer esse tipo de escrotice em público, o projeto se justifica. Depois que aprovaram a lei contra o racismo, os racistas passaram a pensar duas vezes antes de falar absurdidades a respeito da população negra, antes de chamar um negro de macaco, como eu tive a triste oportunidade de presenciar mais de uma vez. Infelizmente, às vezes é preciso impor limites a certos tipos na marra. Senão a humanidade não evolui. A propósito, existem projetos análogos ao PLC 122 em 58 outros países. Abs,

Fora socialismo de rapina em 02 de dezembro de 2011

Ricardo, Tenho apenas dois comentários a fazer sobre mais essa ação de políticos fazendo na vida pública o que fazem na privada. 1- Me preocupa, pelo andar da carruagem, é que venham a votar uma lei tornando OBRIGATÓRIO ser vi...ops, homosexual. 2- A **** que levou, livrou o ***** de ***** com essa maravilha todos os dias. Nem ele merece.

Ricardo-MG em 02 de dezembro de 2011

Caro Ricardo, meu xará, seu comentário é muito grosseiro, me desculpe a franqueza. Não vou publicá-lo, tá? Fica para uma próxima vez. Abraços

Steve Ling em 02 de dezembro de 2011

A pergunta é: se criticarmos atitudes como as do video se tornará crime? Vejam o video inteiro não se deixem levar pelo título não é um caso de prática da opção sexual. http://www.youtube.com/watch?v=zDJt9qt9t_w&sns=fb Essa lei fere a minha liberdade de pensamento.

Angelo Losguardi em 02 de dezembro de 2011

Em qualquer lugar do mundo livre é possível se criticar uma conduta humana. Desde que não se "fulanize", pode se dizer o que quiser. Se "fulanizar", o ofendido pode sempre recorrer à Justiça. . Aqui não... Pretendem construir uma ditadura "virtuosa". É um trabalho diário de demolição das liberdades individuais, e sempre a mais visada delas é a liberdade de expressão. E é relativamente fácil isso aqui no Brasil. Que pessoa de bem quer crucificar os homossexuais? Ora, ninguém... E os tolos vão cedendo a respostas fáceis para questões bem complexas (a Democracia não é simples) e essa gente vai conseguindo, dia-a-dia, corroer nossas frágeis instituições. . E lá vamos nós, rindo rumo à ditadura...

Fernando em 02 de dezembro de 2011

Para refletir: http://front.moveon.org/two-lesbians-raised-a-baby-and-this-is-what-they-got/ []s!

Corinthians em 02 de dezembro de 2011

É, vai dar batalha mesmo. E pior que tem gente que sustenta suas teses atacando outros "grupos". A homofobia, de acordo com a tese progressista do momento, é culpa da Igreja e de Jesus. Fica a pergunta sobre o que os judeus, muçulmanos e outros seguidores radicais de religiões pensam disso. E aí torna-se mais uma batalha por ser um projeto "progressista", "esquerdista", "de minorias" e portanto defensável, contra os "malvados", "direitistas", "católicos" que por serem contrários à um projeto absurdo são considerados homofóbicos. O JMello disse tudo, e até mudo um pouco, mas repito o exemplo. O que o senado estaria fazendo caso o Alexandre Ivo não fosse homossexual ? E se ele fosse somente um garoto branco, heterossexual, com uma namorada talvez, filho de pais trabalhadores, que pagam seus impostos e que tivesse sido atacado por gostar de axé... iriam fazer uma lei contra "axéfobia" ? Patético é o país que tenta disciplinar e condenar os motivos e não os crimes.

Tuco em 01 de dezembro de 2011

. Certamente surgirão aqueles que me acusarão de implicante... Mas tenho ou não tenho razão acerca da semelhança com Jabba, The Hutt? http://reluctantbaltimoron.files.wordpress.com/2011/11/jabba-the-hut.jpg .

JMello em 01 de dezembro de 2011

Caro Setti, Eu nao sei por que tanta celeuma na votacao dessa lei. Para mim, isso nao vai mudar nada. Nao sou homosexual, muito menos homofobico e acho que nao vai resolver um problema de ordem cultural. Mas, tenho uma pergunta: se o jovem Alexandre Ivo nao fosse homosexual, mas um indio, e o crime teria sido cometido em virtude de sua raça, o crime seria entao considerado menos hediondo? Ou, se ja estivesse em vigor a lei anti-homofobia, o crime seria evitado? Acho muito dificil desses crimes deixarem de acontecer por causa de tal lei, afinal, no Brasil o que se tem mais sao leis! Ao inves de criar leis que nao resolverao nada, que tal criar mecanismos e condicoes para que as l;eis existentes sejam aplicadas com o rigor de forma justa? Afinal, sendo negro, branco, indio, homem, mulher, homo, catolico, somos todos seres humanos e com os mesmo direitos ao bem mais precioso. Nao importa de quem seja tomada a vida, o que importa e que a justica seja a... justica! Para finalizar, aos que acreditam que esses tipos de leis populistas resolvem alguma coisa, faco uma sugestao: que tal propor uma lei anti-corrupcao? Sera que toda essa roubalheira iria deixar de acontecer? Eh ruim, hein?

Moises Mourão em 01 de dezembro de 2011

Quanta hipocrisia e oportunismo dessa senadora (ou algo que se assemelhe a). O que mais esperar desse triste legado de uma era que espero que mude logo, logo. O que realmente me dá receio a noção de "casta" que os cidadãos homossexuais possam ter. O mais importante é ser cidadão e não qualquer outro atributo.

Lynott em 01 de dezembro de 2011

A senadora Marta Suplicy quando candidata para as eleições à Prefeitura de São Paulo, em relação ao vencedor, Kassab, questionou, de forma oblíqua: "É casado? Tem Filhos?" Fica complicada a defesa de qualquer coisa sob tamanha hipocrisia. João Ubaldo Ribeiro de forma simples e direta escreveu: "A primeira mentira de um gay é contra o próprio corpo". Homosexualismo não é uma opção sexual, porque sexo só existem dois, masculino e feminino, e pelo menos até agora, não há como optar em relação a isso, ainda é uma escolha, exclusiva, da mãe natureza. Defendo o direito das pessoas em escolherem a maneira mais conveninente de fazer sexo. Mas sou contrário a criminalização da chamada homofobia pelos mesmos motivos que sou contrário ao tal "Controle Social da Mídia". A legislação vigente atende e contempla ambas as situações. Os Tribunais e as leis existentes têm como qualificá-los. Marta Suplicy e Magno Malta são os extremos da questão. Não podemos desconsiderar a questão cultural e tradições que envolvem as questões. Nos meus anos de vida, que não são poucos, jamais fui convidado a uma festa, por exemplo, por um pai ou mãe para comemorar a escolha de um de seus filho(a)s em ser homossexual, nem tampouco jamais vi um policial comemorar que seu tinha optado em ser ladrão. Concordo que são analogias um tanto extremas, mas não há outro modo.

Esron Vieira em 01 de dezembro de 2011

Caro Setti, Peço-lhe desculpas pelo exagero de incerções. Desde os 10 mandamentos já temos leis demais e suficientes para uma pessoa de bem. Os bandidos não estão dispostos a respeitar nehuma. Pra quê mais leis? Se bater e machucar um gay, existe o crime de agressão e lesão corporal. Se matar o cidadão, consiste em crime de homicidio. Agora fazer lei Maria da Penha para homosexuais é coisa de politico querendo se dar bem com um nicho de mercado. E Dona Marta sempre explorou o nicho da sexualidade para angariar votos.

Esron Vieira em 01 de dezembro de 2011

Falando sério, existem tantas coisas importantes ao desenvolvimento do país que estes parlamentares procuram tomar medidas de quem não tem coisas realmente importantes à fazer.

Esron Vieira em 01 de dezembro de 2011

Rsrsrs, a marta do jeito que era vaidosa deve estar rangindo os dentes com as fotos infelizes que são postadas dela. Devem ser escolhidas a dedo. Que coisa feia, o fotografo deve ser um Duran ao avesso. Será que o Duran de verdade conseguiria melhorar a aparencia? Publiquei a foto divulgada pela Agência Senado...

Silas S. Carvalho em 01 de dezembro de 2011

Não me considero homofóbico. Fobia remete a medo de algo, o que não é o caso. O que os homossexuais despertam em mim, e em boa parte da população, é um misto de pena e nojo - se for travesti então, o sentimento é de asco mesmo. Mas nem por isso penso que mereçam ser espancados e mortos. Só não admito é que uma aberração dessas tente aliciar meus filhos e filhas. Tudo é uma questão de escolhas: eles fizeram as deles, e eu as minhas, e assumo as conseqüências das minhas escolhas. Portanto, não admito que homossexuais sejam tratados como uma classe especial. Assumam as conseqüências das suas escolhas e parem de se fazer de coitadinhos.

ALCIONE em 01 de dezembro de 2011

Porque há tanta intolerância contra os homossexuais? E os mais violentos, tanto em palavras de incitamento são pessoas ligadas a Igrejas, isto é, pseudo santos em ética e moral. Ué, mas foi isto que Jesus ensinou? até pode ser se levado em conta o Antigo Testamento, mas ao humanista Jesus... Além do mais, estranho toda esta revolta contra a prática homossexual, pois não é na santa igreja que estão os maiores escândalos homossexuais e a horrível pedofilia? É o que eu leio todos os dias nos jornais... Porque cada um não cuida da sua vida? Esse "povinho", tipo o deputado Bolsonaro ainda vivem no tempo das cavernas... parece que não evoluíram. A propósito: Imaginem um mundo cheiinho de pessoinhas cópias do deputado Bolsonaro? Ia ser hilário! Nem os "santinhos" de plantão aguentariam. Forte abraço.

Mari Labbate *44 Milhões* em 01 de dezembro de 2011

Como a masoquista Marta Suplicy ofendeu o Prefeito Gilberto Kassab, será julgada pelo Universo! Esse tipo de crime é considerado comum. Nada o difere dos outros! Até crime político é tido como comum, de acordo com as Leis Universais, pois todo ato que desrespeita um irmão é condenável, nas várias gradações.

J.R.Monteiro em 01 de dezembro de 2011

Essa iniciativa, é a continuação da tentativa de extermínio do humorismo no Brasil. Já não se pode contar piadas de preto e estão tentando acabar com a dos viados. Nessa toada políticamente correta, vão chegar aos cornos, portugueses, animais e piranhas, O humoristas ficarão restritos aos políticos, e estes, se se derem conta disso, vão rejeitar esse projeto homofóbico, afinal, prevenir é melhor que remediar.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI