Image
A delegação russa com o presidente da FIFA, Joseph Blatter (no meio) em Zurique

Não sei o que aconteceu para que a FIFA, contrariando as previsões, escolhesse a Rússia como sede da Copa do Mundo de 2018, preterindo países preparadíssimos como o Reino Unido e as duplas Holanda-Bélgica e Espanha-Portugal. Não sei, mas desconfio.

Na véspera da decisão, tomada horas atrás, o primeiro-ministro e homem forte da Rússia, Vladimir Putin, não viajara a Zurique, sede da FIFA, para acompanhar a escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022, afirmando não querer se envolver em uma “competição desleal” e afirmando serem “escusos” os métodos para influenciar os delegados encarregados da escolha.

Do que desconfio? De que o sisudo, soturno Putin, faixa-preta de judô e praticante de outras artes marciais, que antes de ser presidente da Rússia por 8 anos dirigiu a KGB, a antiga polícia secreta soviética, e que mantém forte controle sobre os serviços secretos russos, sabe de muita coisa podre — porque Deus sabe que existem coisas podres — sobre os grão-senhores da FIFA.

E que, talvez, quem sabe, tenha exercido, por canais discretos, uma pressãozinha sobre esse pessoal.

Os ricos petrodólares da Rússia, maior produtora mundial do ouro negro, também, quem sabe, tiveram sua influência na história, não é mesmo?

Diplomaticamente, Putin acabou viajando hoje a Zurique e agradecendo à FIFA a “honra” de ter atribuído a seu país a organização da Copa de 2018.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − cinco =

17 Comentários

JT em 06 de dezembro de 2010

Caro Setti, É evidente que sim! Seria uma grande satisfação e uma honra. Obrigado, Jean Tosetto

JT em 06 de dezembro de 2010

Caro Setti, Segue o link do artigo que prometi para você: http://www.jeantosetto.com/2010/12/slowfoot.html Leve em conta que não sou jornalista e tão pouco um escritor. O mesmo vale para o desenho: estou longe de ser um artista dedicado. Conto com sua apreciação e, se for o caso, com um empurrãozinho para divulgar o Slowfoot. Afinal de contas você é o padrinho da idéia. Grande abraço e obrigado pelo incentivo, JT Caro Jean, Posso fazer um pequeno post com link para seu blog? Achei muito interessante. Abraço

Luiz Pradines em 05 de dezembro de 2010

Setti, Um amigo elaborou uma interessante teoria da conspiração a respeito da Copa de 2014 e a escolha das sedes para as de 2018 e 2022. O Reino Unido e os EUA não foram escolhidos pois eles poderiam receber a Copa de 2014, se for concluído que o Brasil não poderá realizá-la. Muita viagem? Estou surpreso com a convicção com a qual você escreveu que há "coisas podres" na FIFA. Você usaria os mesmos termos fortes para descrever a forte "amizade" que une Lula e Roberto Teixeira, ou Lula e Gilberto Carvalho? Questiono o critério de dois pesos, duas medidas que você usa em seus posts: para gente distante, uma análise severa e palavras despreocupadas. Para nossas autoridades, comedimento (como os "aplausos" antes da hora à Dilma ou a afirmação controversa em que declarava que ela ganhou "limpamente" a eleição). Caro Luiz, acho que se você fosse leitor do blog há mais tempo não teria essa opinião sobre eu ter dois pesos e duas medidas.

JT em 04 de dezembro de 2010

Caro Setti, Vou desenvolver melhor essa idéia do Slowfoot, quem sabe num artigo. Quando estiver pronto te aviso. No mínimo, essa brincadeira pode fazer as pessoas refletirem sobre o tema. Abraços! Tosetto Vou ficar aguardando, caro JT. Um abração

carlos nascimento em 03 de dezembro de 2010

Sim, o Blatter é suiço - pressa da web -, os sábios sempre acertaram suas previsões, os impérios imorais um dia ruirão, tropeçarão em suas próprias mazelas, quem sabe as atuais linhas tortas não desembocarão em luz ao final do túnel. A BBC está soltando os cachorros, vc conhece a turma, a mídia inglesa quando parte prá cima é para vencer. Aproveito, já que vc desistiu do desafio das camisas, um novo desafio, o seguinte: O Augusto em sua Coluna desafiou o molusco, argumentando que o louco corintiano -como vc - não teria coragem de encarar o Serra Dourada lotado domingo, eu já dei minha opinião - o molusco é frouxo não irá encarar - e vc o que acha ? o molusco vai torcer pelo timão de corpo presente ? Ele não quer arriscar.

JT em 03 de dezembro de 2010

Existe um movimento denominado "slowfood" - um contraponto à cultura do "fastfood" que se alastrou pelo planeta. Eu pretendo criar uma variante chamada "slowfoot" com "t" no final mesmo. Quem quiser fazer parte deste movimento só pode torcer para times de várzea de camisa limpa (sem patrocinadores). Nada de partidas transmitidas por TV (no máximo por rádios comunitárias). A Copa do Mundo já era, virou um ultra negócio que não mantém relação alguma com as origens do esporte... Genial a ideia do Slowfoot, JT. Genial!

carlos nascimento em 03 de dezembro de 2010

Decisão muito estranha, os ingleses não aceitarão calados essa escolha, pelo simples fato de que já terão decorridos meio século - 50 anos - desde que a última Copa foi realizada em seu território - 1966 -, convenhamos é um "castigo" aos criadores do futebol, além de terem o melhor campeonato nacional do planeta, seja em organização,seja em qualidade de atletas. O alemão Blater vai ter que se explicar direitinho, talvez,tenha ai um estratégia de tentar bloquear o pessoal da UEFA, uma queda de braço, lá prá frente o pau vai quebrar. As escolhas ferem o principio básico do esporte, que é priorizar as democracias, logo, Rússia e Quatar vivem Regimes que usam e abusam das exceções, mesmo que o apelo comercial seja forte, nada deve substituir o REGIME DEMOCRÁTICO. A Fifa é um emaranhado nebuloso de desvios, aqui mesmo no Brasil, temos um de seus membros - RT - enrolado até o pescoço em situações de ilicitos corruptos, quem sabe agora com os INGLESES feridos a roupa suja possa vir à tona. É hora da profecia do Mestre Confúcio funcionar: "o tempo é o Senhor das soluções". Alguém vai cobrar esse ENIGMA. Duvido, meu caro. A FIFA é a entidade mais nebulosa do planeta. E o Blatter é suíço, e não alemão. Abração

Gustavo de Paula em 03 de dezembro de 2010

G-R-A-N-A-P-R-E-T-A-!-!-!

alvaro em 03 de dezembro de 2010

Acho que a FIFA deveria escolher para sediar as copas apenas países democráticos. A Russia e o Qatar não se enquadram nesse quesito. No Qatar os turistas não poderão nem tomar um drink no hotel. Creio que as copas deveriam ser na Holanda/Bélgica e Austrália.

Lílian em 03 de dezembro de 2010

Setti, A Copa do Mundo não será em país desenvolvido em 2014 - Brasil. 2018 - Russia. 2022 - Catar. E Putin nem estava em Zurique! M-I-S-T-É-R-I-O!

celsoJ em 03 de dezembro de 2010

Ele fez o papel de Batman...

Antônio Simões em 03 de dezembro de 2010

Ora meu caro Setti,é tão elementar a resposta,pois,eram apenas dois grupos de notórios gângsters fazendo "business":"Famiglia Putin" de um lado e "Famiglia FIFA/Blatter" do outro.Deu Rússia,claro!!O outro agraciado com a Copa,o Catar,país islâmico "supertolerante" com hábitos diferentes dos que são correntes em sua nação(torcedores amigos de uma cervejinha antes do jogo,e,digamos assim,de outras "diversões",depois da partida,não perdem por esperar!!),sem tradição no futebol,e com uma população um pouco maior ou igual à da cidade de Campinas(SP),também deve ter apresentado "milhões de argumentos" aos ávidos velinhos da FIFA...Um abraço!!

Alline em 03 de dezembro de 2010

Seguindo o mesmo raciocínio, queria saber como o Lula convenceu o mesmo grupo a conceder ao Brasil semelhante "honra" e ainda somar a esta as Olimpíadas, sendo que qualquer cego vê que o Brasil não tem condições (e nem está se esforçando) de montar uma infra-estrutura compatível com estes eventos?

sinisorsa em 03 de dezembro de 2010

Eu não me surpreendi, não. A escolha da África do Sul e do Brasil mostraram o caminho das pedras: a Fifa quer "explorar novos caminhos, abrir fronteiras", e isso significa optar por países que tem pouca tradição futebolística e que necessitem de enormes investimentos em infraestrutura para sediar copas. Creio que a escolha de Catar tenha sido mais surpreendente que a da Rússia. Ontem à noite, meu marido me perguntou como é que esse pequeno país vai criar espaço físico para contruir e manter tantos estádios. Eu lhe disse que serão estádios infláveis e portáveis, exatamente como as pirâmides egípcias que vimos no filme Despicable Me. Acabo de ler no NY Times que "After the 2022 World Cup, Qatar plans to dismantle its stadiums and give them to poorer countries." Bingo! Eu nao estava tão errada, não! :D

Seilon em 02 de dezembro de 2010

Eu acho que é pelo fato de ser um grande mercado que a FIFA quer explorar.A Rússia é um país emergente e tem uma grande população.Nas outras concorrentes o futebol já está fortalecido,diferentemente da Rússia aonde esse esporte não é tão popular assim.Eu,apesar de achar economicamente interessante,não gostei,pois a Rússia não é um país democrático,e a Copa do Mundo,como outros eventos esportivos,não pode servir como garota-propaganda de ditadura.As entidades esportivas deveriam colocar a questão democrática como um critério importante na escolha de sedes. Concordo com você, Seilon. Mas aí já é sonhar demais...

Umberto Boihagian Junior em 02 de dezembro de 2010

Boa noite amigo Ricardo, Há alguns meses assisti o programa "Bola da Vez" na ESPN Brasil(jornalistas sabatinam o convidado de maneira transparente e direta, naquele dia o entrevistado foi Mr. Andrew Jennings. Jornalista inglês, que investiga e acompanha pessoalmente de maneira incansável, acordos, negociatas e suspeitas que pairam tanto sobre a FIFA, quanto ao COI. Vale a pena rever no You Tube. Após assistí-la, dificilmente acompanharei uma Copa do Mundo ou Olimpiada com os mesmos olhos... Abraço Beto Caro Beto, obrigado pela visita. O Jennings escreveu um livraço sobre as bandalheiras da FIFA que vou comprar pela Amazon. Abraços a você e família.

Esperançoso em 02 de dezembro de 2010

Ricardo, Será coincidencia? Em 2018 o maior investimento em estádios, será na Russia (US$ 3,8 bi) e em 2022 no Catar (US$ 3 bi). Com todas estas denúncias de suborno aos membros da Fifa acho que dá para desconfiar. E o Brasil, um dos territórios ocupados mais corruptos do planeta, vai "patrocionar" a Copa do Mundo e a Olimpiada. Abraços.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI