Image
Agora para saúde, mais um imposto destinado a engordar cofres públicos

Ela dá má notícia, mas pelo menos não faz rodeios: o governo quer, sim, um novo imposto para a saúde, com o objetivo de engordar em pelo menos 45 bilhões de reais por ano seus cofres.

É entrevista, sincera mas desagradável, da ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti.

O governo é gordo, gasta demais, não corta despesas, não enxuga o funcionalismo, gestiona mal o dinheiro que tem mas, sim, quer mais.

Preparem seus bolsos, amigos.

Quem dizia isso há alguns meses era tachado de derrotista, catastrofista ou mentiroso.

Pois aí temos. Leiam a entrevista aqui.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − 2 =

Nenhum comentário

Teresa Engren em 27 de setembro de 2011

Muito lúcida e interessante a observação do Sergio Roberto Santos. Pouco menos de 50 % da população não engole o PT, Lula e Cia, mas até agora não apareceu um político para liderar esses insatisfeitos.

Lemos em 27 de setembro de 2011

Instituição do roubo legalizado, ou seja, roubando o bolso do outro amparado pela lei. sai do meu e vai pro deles. Qual a diferença entre o roubo efetuado por uma quadrilha na beira da estrada e o do governo? Alguém já leu sobre isso em Sto Agostinho?

Teresa Engren em 27 de setembro de 2011

Isso sem contar com o aumento absurdo do IOF para compra no cartão de credito no exterior. Não foi a criação de imposto novo, mas foi a exacerbação de um imposto já existem. Estão sempre mexendo no meu bolso, e sempre para esvaziá-lo, nunca ao contrário.

Think tank em 27 de setembro de 2011

Para saúde de quem? Das manjadas empreiteiras parasitas e dos políticos corruptos? Do contribuinte com certeza não é, lembra se do Jatene que tanto justificava a sua incompetência culpando a falta de verba? Insistiu tanto que naquela época que acabou conseguindo ressuscitar a maldita, mas ao invés de mostrar o serviço, vendo que agora não tinha mais desculpas, pulou fora. E todos nós sabemos que o que veio depois também nada fez, os açougues, digo hospitais, continuaram progressivamente piorando mesmo com CPMF. A lorota criar mais tributos é sempre a mesma,o objetivo também, meter a mão no bolso vazio do contribuinte para manutenção da farra alegando que é para saúde do povo.

Corinthians em 27 de setembro de 2011

Isso só mostra o quanto o brasileiro não vota com consciência. Essa é mais uma prova da fraude eleitoral, das mentiras do PT que não são cumpridas. Nada fora do normal. Já sabbíamos disso quando resolveram privatizar os aeroportos, depois daquela campanha ridícula anti-privatização. "O que o PT fala não se escreve" diria minha avó.

Sergio Roberto Santos em 27 de setembro de 2011

Em vez de criticar o governo e a sua base parlamentar, deveríamos criticar a oposição. Qual a posição de Beto Richa e Geraldo Alckmin? Não podemos esquecer que a oposição qualifica um governo pois apresenta limites à sua ação e determina alternativas às suas politicas. Um dos motivos do crescimento econômico no Brasil não ser maior e mais consistente foi a miopia do PSDB em não assumir as suas conquistas no governo FHC e deixar o PT, que não pode ser criticado por isso, assumir todos os méritos do crescimento do PIB nos últimos anos. Os comentaristas deste blog são obcecados por seu ódio ao PT, mas se esquecem que escrevem e falam para quem já tem a mesma opinião. Esta campanha contra a corrupção por exemplo não levará a nada. O que eu procuro fazer por exemplo, dentro das minhas ridículas possibilidades é pregar, talvez no deserto, sobre as vantagens da concorrência, do empreendedorismo, da globalização, em suma do capitalismo. Mas infelizmente eu acho que menos gente do que pensamos acreditam de fato no capitalismo.

veiaco em 26 de setembro de 2011

Mas eu pensei que essa crise era só na Grécia. Vão apertar o cinto dos contribuites aqui também. Aqui não tem crise, tem imposto e Corrupção.

João Máximo em 26 de setembro de 2011

Setti, temos é que lutar contra isto. Chega de impostos. Não falta dinheiro para a saúde, falta competência, seriedade e sobra corrupção.

Raul em 26 de setembro de 2011

Isso foi promessa de campanha! Assim como foram as construções de casas que só atingiram 0,5% até agora do previsto no ano, assim como foi o crescimento e como foi a promessa de que não haveria contenção de gastos correntes. O Brasil era uma maravilha só!!! Como diz o Reinaldo Azevedo:"NÃO, VOCÊS NÃO PODEM!!!

sidney em 26 de setembro de 2011

Setti Que tal passarmos a anotar as pessoas como a sra em questao que - ORQUESTRADAMENTE - estarao ( estao sendo ) escaladas para e aos poucos a conta gota , passar a intensao colocada e pretendida ??? Serao muitos nao ?? Digo - muitos - porque assim ; tal qual diversas das propagandas que ouvimos e assistimos , para convencer , adotam esse mesmo - esquema repetitivo - !!! De repente cola e fica mais facil ( digamos assim ) implantar/cobrar/arrecadar etc etc. Falando nisso Setti ; a quantas anda mesmo o tal do - PRE-SAL !!!! Propaladamente , sabemos que ja investem e forte antes mesmo de saber a cor dele nao ?? para aonde mesmo irao esses recursos $$$ ?? Porque do nosso bolso ja tao vazio etc etc Grande abraco Caro Sidney, As discussões sobre o pré-sal, a meu ver, são precipitadas e, da parte do governo, volta e meia demagógicas: primeiro vamos ver esse petróleo ser extraído e exportado ou refinado, não é mesmo? Um abração pra você também.

Roberto em 26 de setembro de 2011

As contas do genial governo brasileiro tem tudo para fecharem no azul. A Ministra anuncia que vem aí novos impostos, há uma semana,outra ministra informau que resolverá o problema da mobilidade urbana no Brasil decretando feriados. Perfeito, aumentamos a receita e não gastamos com supérfluos como aeroportos, estradas, saúde, educação etc, etc.etc. Prêmio Nobel de gestão para eles...

augusto melo em 26 de setembro de 2011

Prezado Setti, Como leitor regular de sua coluna, sobre essa questão de uma nova 'garfada' tributária, só não compartilho do subtítulo de sua manchete. Não acho que temos, simplesmente, que nos conformar. Nada de preparar os bolsos. Ao contrario, o que deve existir é a permanente irresignação de nossa sociedade contra esse permanente abuso dos governantes de não priorizarem a eficiência, a honestidade e o combate à corrupção e o desperdício, antes de enfiarem goela abaixo do contribuinte mais um injusto e desnecessário imposto. Vide o que ocorreu com a tentativa de ressuscitar a famigerada CPMF. Chega!!! Forte abraço, Augusto

SergioD em 26 de setembro de 2011

Ricardo, faltou um "o" em mentiroso no cabeçalho. Abraços Obrigado, amigo Sérgio. Já consertei. Abração

Luís Roberto SBO em 26 de setembro de 2011

a ministra idelli, é mais uma idiota últil da seita dos vampiros q.assaltam os cofres públicos.

Ilson de Pádua em 26 de setembro de 2011

Prezado Ricardo, O que podemos esperar de um governo que já desgoverna o Brasil por quase nove anos. São todos pertencentes ao PAM - Partido do Aloprados e Mensaleiros. Nunca se viu tanta bandalheira. Eles tomaram conta. Rouba tudo. Simplesmente não sobra nada. Esta safadeza da CPMF só passa de a tal oposoição deixar. Acho que se houver manifestações da Fiesp, CNI,DEM,PSDB e PPS, dificilmente passará. Se eles deixarem temo a obrigação de cobrá-los. Veja Nelles.! Abs, Ilson de Pádua

Paulo Bento Bandarra em 26 de setembro de 2011

Pois é, isto é o lulismo, a virtuosidade da mentira. O Ministro da Saúde comentou, quando das discussões da PEC 29, que Argentina e Chile aplicavam muito mais que o Brasil na saúde. Mas o que ocorre é que a carga tributária do Chile e da Argentina são MUITO MENORES do que a do Brasil. O que ocorre, através dos anos, é que a Saúde tem servido como justificativa permanente para aumentar impostos, e tem sido permanentemente não aplicado na mesma área. São promessas constantes em todas as eleições como prioridade, e constantemente são descartadas assim que as urnas se encerram

Leones em 26 de setembro de 2011

Ricardo, sem comentário.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI