Image
Foto oficial de Putin recebendo telefonemas de congratulações em seu gabinete (Alexey Druginyn / RIA / Novosti / EFE)

Ele sufoca a oposição, fecha a boca da imprensa livre, reprime manifestações por democracia e acabou com as eleições livres para os principais cargos executivos nas mais de oitenta repúblicas, regiões e territórios teoricamente autônomos da Rússia.

Mas, em seu longo reinado, iniciado em 2000, Vladimir Putin recolocou razoavelmente a economia nos eixos, fez diminuir a bárbara criminalidade que imperou durante o período de governo do presidente Boris Ieltsin (1991-1999), firmou o país como grande potência petrolífera — apesar da inacreditável roubalheira havida no processo de privatização do setor desde os anos 90 — e, utilizando fortíssima campanha de marketing pessoal, projetou-se como uma espécie de salvador da pátria, em frangalhos após o fim da União Soviética.

Image
A imagem diz tudo: mesmo com Medvedev presidente, Putin sempre esteve no primeiro plano (Foto: The Australian Sunday Times)

Nesse processo, entre muitas outras etapas de construção de uma ditadura pessoal e implacável, com um leve ar de democrcia, fez o dócil Parlamento russo, a Duma, esticar de quatro para seis anos o mandato presidencial.

Assim sendo, eleito ontem, domingo, para comandar novamente o Kremlin em pleito coalhado de irregulariades, o todo-poderoso Putin deixa em maio seu posto de primeiro-ministro do pupilo Dmitri Medvedev — que troca de lugar com ele — com a possiblidade de permanecer por mais doze anos no poder (dois mandatos consecutivos), além dos oito em que governou e dos quatro nos quais tutelou Medvedev.

Seriam, então, 24 anos como o manda-chuva da Rússia.

Image
Stalin em seu caixão: só morto, em 1953, deixou o poder absoluto

Se tal ocorrer — e é uma hipótese bastante provável, já que só tem sessenta anos de idade — Putin terá permanecido no leme da Rússia mais do que todos os chefões do comunismo soviético, exceto Josef Stálin, que reinou de 1924 a 1953 — 29 anos, portanto.

Se não, vejamos:

Vladimir Lenin mandou por seis anos e meio — de novembro de 1917 a junho de de 1924, quando morreu.

Josef Stalin permaneceu com o poder absoluto por 29 anos — de 1924 até morrer, em 1953.

Nikita Kruschev, seu sucessor, reinou por 11 anos, até 1964, quando foi deposto por um golpe de Estado.

Leonid Brejnev, que prevaleceu sobre a troika que sucedeu ao deposto Kruschev, governou por 18 anos, até morrer, em 1982.

Yuri Andropov, então chefe da KGB, foi um sucessor efêmero de Brejnev: assumiu no final de 1982 e morreu no começo de 1984.

Konstantin Chernenko, outro dos integrantes da gerontrocacia soviética, durou menos ainda: assumiu em fevereiro de 1984, e morreu em março de 1985.

Mikhail Gorbachev, que substituiu Chernenko e conduziu a política de abertura do regime, começou a glasnost (transparência) e a perestroika (reestruturação da economia) em março de 1985. Pouco menos de sete anos depois, no Natal de 1991, diante da proclamação da independência da Rússia e de trilha idêntica sendo seguida por outras repúblicas soviéticas, declarou a dissolução da União Soviética e renunciou ao cargo de secretário-geral do Partido Comunista e de presidente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − três =

Nenhum comentário

Tico Tico em 08 de março de 2012

Não confundamos eslavos com escandinavos. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Comunista Até a Alma. em 07 de março de 2012

Nosso novo líder soviético!!!

Corinthians em 06 de março de 2012

O medo é que o Putin na Rússia de hoje possa ser o Lulla no Brasil de amanhã. Tomara que não.

Mari Labbate *44 Milhões* em 06 de março de 2012

A RÚSSIA E O BRASIL ENFRENTAM A MESMA LUTA PELA DEMOCRACIA! OS POVOS JÁ ESTÃO MAIS ATENTOS! GRAÇAS A DEUS!

Queiroz em 06 de março de 2012

Rapaz, refaz os cálculos aí... Se ele começou em 2000, só serão 30 anos em 2030. Não tenho nenhuma afinidade com o personagem da reportagem, mas à cesar o que é de cesar. Se ele for reeleito em 2018, serão 24 anos. Só serão 30, se em 2024 ele conseguisse um terceiro mandato consecutivo. Prezado Queiroz, muito obrigado por me chamar a atenção sobre esse erro crasso, que já corrigi no post, graças a você. Um abraço

Calebe em 06 de março de 2012

Em comparação com os outros países emergentes, nossa democracia até que vai muito bem, não?...

lei em 05 de março de 2012

Lênin e Stálin governaram simultaneamente ou as datas estão erradas? Obrigado por chamar minha atenção, Lei. Stalin não tomou o poder em 1922, mas em 1924, com a morte de Lenin. Já corrigi no post, graças a você. Abraços

joao avelar em 05 de março de 2012

A democracia tem que ser cultivada sob pena dos fantasmas exorcizados voltarem a cena. O ser humano é perigoso. Só as instituições fortes e maduras para manterem as fronteiras entre o privado e a público. A democracia de todos os regimes é a menos pior.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI