Image
Policiais Militares do Rio de Janeiro: em média, o 25º pior salário do país 

Amigos do blog, vejam só a contradição.

O governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), no centro das atenções nacionais devido à bem sucedida recuperação para a soberania nacional de parte do território do país — o complexo de favelas do Alemão, antes território governado por bandidos –, deveria estar empenhado em melhorar as péssimas condições de trabalho da Polícia Militar do estado, não é mesmo?

Esse é apenas um dos problemas gravíssimos que o governador, com ajuda federal, necessita resolver para propiciar uma revolução na segurança pública do estado, como ressaltei em post anterior.

Péssimas condições de trabalho inclui, para os PMs, serem mal pagos: entre os colegas dos 26 estados e o Distrito Federal, eles recebem, em média, o 25º pior salário do país.

Pois bem, Cabral é um dos governadores que, enquanto exalta o trabalho da Polícia Militar, trabalha freneticamente nos bastidores para que o Congresso rejeite a Proposta de Emenda Constitucional 300, de 2008, que, se aprovada, proporcionaria uma revolução salarial “nunca vista neste país” aos policiais do Oiapoque ao Chuí, ao equiparar o vencimento básico de um policial ao vigente no Distrito Federal: 4.500 reais por mês.

NÃO SE PODE TER UMA BOA POLÍCIA PAGANDO MAL

A PEC 300 pode ser uma solução simplista para uma questão complexa.

Cabral, porém, como quase todos os governadores, se é que quer colocar a segurança pública com a prioridade que a população confere ao tema, não pode fingir que se pode ter polícia menos corrupta, com mais auto-estima e mais eficiente pagando mal a quem está lá no front, enfrentando os bandidos.

Se quiser, acompanhe o acidentadíssimo trajeto da PEC 300 neste link.

No final do texto que você lerá, é possível cadastrar-se para ser informado automaticamente, pela Câmara dos Deputados, de cada novo passo no andamento da proposta.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + sete =

Nenhum comentário

Marcio themistocles Muniz em 10 de fevereiro de 2014

É preciso responsabilizar o governador do Estado do Rio de Janeiro , pela péssima situação da polícia militar do estado do Rio, é uma vergonha ver polícias morando em favelas e sendo mortos de forma sistemática pela bandidagem do estado e ainda receberem o pior salário entre as polícias do país.

Hercules Augusto em 28 de dezembro de 2010

Não tem dinheiro para segurança, mas para aumentar os seus próprios salarios tem!!!!!! Falam de corrupção e so lebram da PM. Nada justifica a corrupção,mas policiais corruptos beiram a santidade se comparados aos politicos com seus altos salários. Se um policial corrupto deve ser exonerado e o q fazer com um político corrupto eleito pelo povo!... Acho que em Brasília os PMs ganham bem para fazerem "vista grossa a corrupção",a pedofilia,drogas, e ouras "cozitas" mais que rola por lá.Aqui no Rio é o contrário, para muitos é bom ter uma polícia mal remunerada,com o pires na mão, pronta a receber qualquer migalha que cai da mesa dos Senhores corruptos. Os governos pedem uma polícia sem corrupção, a sociedade também, todos querem isso! Mas não são todos corruptos? Mas no Rio acharam uma maneira de incobrir toda e qualquer corrupção,basta ter uma policia mal paga e corrupta, é só ler os jornais de amanhã e........

Marcos Vinícius S. Souza em 08 de dezembro de 2010

Vamos ser práticos. Se os governantes quiserem há recursos de sobra para bancar os aumentos previstos na PEC 300, basta fechar os ralos da corrupção, das obras superfaturadas, etc. Os governantes poderiam se concentrar ainda em prover, de forma eficiente, as chamadas carreiras tipicamente de Estado, como segurança, eduacação e saúde, entregando para a iniciativa privada, os demais serviços. Só a título de ilustração, o soldo de um soldado paulista é de aproximadamente R$ 540,00 e o resto do seus vencimentos são completados com as "famosas" gratificações. Diárias alimentação é de R$ 11,00 (por mês e não por dia) e o vale alimentação R$ 4,00, porém, se você receber valores acima de R$ 2500,00 passa a não ter mais direito.

Fernanda em 01 de dezembro de 2010

Pois é, Setti...para pagar melhor os policiais, que recebem um salário miserável e indigno, os governantes alegam que não tem dinheiro...mas para comprar um novo avião para Dilma, num valor superior ao triplo do que foi pago no Aerolula, ah, para isso eles acham o dinheiro...afinal, o próprio Lula disse ser humilhante ter de fazer escala para viajar até à Ásia...o salário dos policiais não é humilhante, mas o avião presidencial sim...essa é a lógica desvirtuada do atual governo e, provavelmente, do próximo...enquanto isso a inflação vem só acelerando em níveis assustadores...sobre isso ninguém discute, nem o próprio Lula, quando enche a boca para falar em "herança bendita"...estou ficando enojada disso tudo, Setti, e cada vez mais descrente...

Gustavo de Paula em 01 de dezembro de 2010

Setti, Estava olhando agora a PEC-300 e a Lei 11.633 de 2008 que é a Lei na qual a PEC-300 se lastreia. Vi lá que um agente de polícia no DF recebe R$ 11.879,08 por mês fora as gratificações a que tem direito. Vi também no texto da PEC que PM não tem FGTS, aviso prévio, pagamento de horas-extras, adicional noturno, filiação sindical e direito de greve. Bom, o FGTS é questão financeira, o resto não - e afinal, são militares e não civis, e isso (essas ausências) é característica da carreira militar. Porém mesmo levando em conta o FGTS, ganhar mais de R$ 11.000 por mês é bom mesmo... fora as gratificações... Veja Setti, se a polícia militar ganhar hoje METADE do que estão propondo, na minha humilde opinião, não está mal... lembrando das gratificações... Afinal, metade disso é R$ 5.900 por mês. Para um colunista da Veja pode ser pouco, mas para alguém como eu, que ganha R$ 1.800 por mês para realizar um doutorado (e tenho 4 filhos!!), e com perspectiva de subir para R$ 4.000 quando plenamente doutor, após ter dado duro na escola por mais de 20 anos... Cá entre nós, não é tão mau. Você tem o valor do "soldo" atual de um PM carioca ou paulista, por exemplo? Seria interessante para balizar toda esta conversa sobre ganhar "bem" ou "mal". Você tem razão. 5.900 reais por mês seria um avanço extraordinário para as polícias de praticamente todos os estados. Não tenho no momento os valores dos soldos básicos dos PMs de SP -- creio que é de 2.500 reais por mês -- e do Rio (sei, com certeza, que ganham menos do que PMs do DF e de 24 outros estados). Quanto ao que você receber por mês para fazer um doutorado, é um escândalo. Mostra o quanto o país dá valor a investimento em P&D. Abraços e obrigado pelo comentário substancioso de sempre.

Gustavo de Paula em 30 de novembro de 2010

Setti, Nota dez esta informação sobre o link para acompanhamento dos processos em andamento na câmara. Juro que não sabia que dava para receber notificações. Corri para me inscrever. Muito obrigado por este serviço de utilidade pública - divulgue-o mais vezes de possível. E por gratidão, se por acaso passar por São Carlos me avise, o almoço é por minha conta! Abraços e novamente, muito obrigado. E você ainda agradece, caro Gustavo? Muito obrigado digo eu... Abração

Wilson Alves em 30 de novembro de 2010

Desculpe, Senhor Ricardo, se o senhor puder desconsidere o ultimo comentário e coloque este. SENHOR Ricardo Setti… Rejeitar a PEC 300 não torna Sérgio Cabral contraditório, afinal, pode-se dar aumento de salário para o contingente militar sem inflacionar a folha. Esta proposta de emenda é de uma estupidez sem limites, até porque não leva em consideração a diversidade econômica das regiões brasileiras, ou o senhor acha crível que um PM no Vale do Jequitinhonha ou em Quixeramobim possa perceber os mesmos vencimentos de um PM do Distrito Federal, sem que isto venha a afetar o erário nacional? Outra coisa importantíssima: Se a PEC 300 viesse a ser aprovada o que impediria as corporações das demais categorias de funcionários públicos de obterem equiparação salarial?

Wilson Alves em 30 de novembro de 2010

Senhora Ricardo Setti... Rejeitar a PEC 300 não torna Sérgio Cabral contraditório, afinal, pode-se dar aumento de salário para o contingente militar sem inflacionar a folha. Esta proposta de emenda é de uma estupidez sem limites, até porque não leva em consideração a diversidade econômica das regiões brasileiras, ou o senhor acha crível que um PM no Vale do Jequitinhonha ou em Quixeramobim possa perceber os mesmos vencimentos de um PM do Distrito Federal, sem que isto venha a afetar o erário nacional? Outra coisa importantíssima: Se a PEC 300 viesse a ser aprovada o que impediria as corporações das demais categorias de funcionários públicos de obterem equiparação salarial?

Wilson Alves em 30 de novembro de 2010

Senhor Ricardo Setti... Não é preciso criar melindres por estar sendo inquirido aos moldes em que inquire, até porque, jamais lhe faltei com o devido respeito. Os senhores da Veja são muito bons ao cobrarem atitudes alheias, contudo, péssimos quando têm que perscrutar as próprias consciências. Na verdade só freqüento seu blog porque apesar do ranço reacionário é um dos poucos locais onde se pode ler o contraponto ao noticiário dos blogs ditos progressistas e ao mesmo tempo comentar, coisa impossível de se fazer no Reinaldo Azevedo e Augusto Nunes. A “tesoura”, senhor Setti, está em suas mãos, faça como melhor lhe aprouver, mas não se esqueça que dar espaço ao contraditório é fundamental a quem se define como democrata, e que é condição sine qua non, ao homem digno, a honestidade intelectual.

Corinthians em 30 de novembro de 2010

Infelizmente essa equação não fehca, e nem fechará da menira que está. Os estados estão endividados, e dadas as responsabilidades prçamentárias previstas na constituição, não tem como bancar este aumento. No caso do Rio de Janeiro, é necessário contratar e treinar mais policiais, coisa que já não ocorre. Com o aumento de salários a situação só vai piorar. Não defendo aqui os salários, que são realmente baixos, especialmente no caso de policiais que arriscam suas vidas para dar segurança à população, mas sim ao fato de que o governo federal, que gasta absurdamente mal e destruiu a recém implantada política de ajuste fiscal, definir os repasses aos estados. Ou seja - tem que pagar melhor os policiais ? SIM, e o governo federal tem que arcar com os custos e começar a gastar melhor os absurdos recursos que possui.

jefferson em 30 de novembro de 2010

Nessa reunião os governadores Alberto Goldman - SP (PSDB) e Jaques Wagner - BA (PT) se juntaram para barrar o aumento dos policiais. Para ferrar os policiais eles são suprapartidários.

alexandre fernandes em 30 de novembro de 2010

é comum as pessoas falarem : funcionário público ganha muito bem !!! na verdade, uma parte do funcionário público (auditores fiscais, banco central, bndes). professores, médicos e policiais ganham mal. e como um país pode ter educação, saúde e segurança pública de qualidade ?

joão lavador em 30 de novembro de 2010

No meu entendimento:Quanto aos policiais da capital doRJ, esses têm de ganhar melhor que os de Brasíla,DF.Tão simplesmente pelo fato das produtividades tanto relativa como absoluta desses homens.Sem margem pra dúvida!

joão lavador em 30 de novembro de 2010

No meu entendimento:Não concordo que salário alto dá um chega "pra lá" na corrupção policial.Se Brasília é a referência, não se engane,alguns deles poderiam ganhar o mesmo dos ministros do supremo, mesmo assim não deixariam de pegar as suas"pontas".è uma questão de "administração de expediente". Isso também acontece muito com a PRF também pois muitos trabalham nos "CAFUNDÓS" ou "NO MEIO DO NADA". Fazer o quê? è o ser humano.O policial militar brasiliense já foi acusado da "extorsão branca na alimentação":Eles, mesmo tendo um dos melhores auxílio refeição do Brasil, achavam que os comerciantes dos locais onde trabalhavam,deviam custear a sua alimentação durante o expediente. Foi constrangedor, na época.Brasília,DF é complicada.Devia ser objeto de estudos tanto antropológicos como sociológicos.Fico de mandar a tese "dos engenheiros e dos moradores dos prédios", de winston churchil.

Wilson Alves em 30 de novembro de 2010

O Sérgio Cabral é contra a PEC 300, Senhor Ricardo? E qual governador é a favor da PEC 300? O Alckmin é a favor? Ah! Desculpe, o governador de São Paulo não precisa ser a favor de PEC alguma, né? Por certo os PMs paulistas já são muito bem pagos; se não são, seu texto continua se justificando, afinal, quem varre o crime de São Paulo não é o efetivo policial, mas a alta cúpula administrativa. Varre, através de acordos, pra “baixo do tapete”. Outra coisa importante: A PEC é constitucional? Que eu saiba o legislativo não pode criar despesas para o executivo sem prever a fonte desses recursos. Você sempre se dirige a mim como um policial faz com um suspeito, não é mesmo, Wilson? Será que não dá pra mudar isso? Ou então você mudar de blog, já que destila rejeição a este por todos os poros? Todos os governadores estão contra a PEC. Comentei sobre Cabral porque me parece contraditório ter uma polícia pessimamente paga, querer combater uma situação criminosa que passou de todos os limites e ser contra a melhoria considerável de salários que a PEC prevê. E, já que pergunta, é óbvio que a PEC é constitucional. Afinal, trata-se de uma, como o nome diz, "Proposta de Emenda Constitucional". Ao passar a integrar a Constituição, e em suas Disposições Transitórias, ela pode, sim, aumentar despesas. Foi uma brecha que os deputados encontraram para isso, no caso.

Marco em 30 de novembro de 2010

Caro R. Setti: Extra-oficialmente te passo os dados: 3,2 bi a.a e 120.287 servidores. Um aumento de 153%no Orçam/ em relação a o ano passado. Agora é só fazer o cálculo, se o problema é salário ou produtividade ? Abraços.

kleber em 30 de novembro de 2010

pq será que eu não tô surpreso?

Marco em 30 de novembro de 2010

Caro R.Setti: Meu amigo o q fizeram com o coringão não está te fazendo bem, ou a mim, mas meu amigo pega o Orçamento de segurança do Rio e divide pelo número de policiais. Para realmente saber-mos qual é o custo per capita por segurança/ ano. Tenho uma leve desconfiança q é bem maior q esse valor... Abração !

gaúcha indignada em 30 de novembro de 2010

Os policiais do estado do RJ, são os que percebem os salários mais baixos do País. Todos estão vivendo nas comunidades, ao lado dos traficantes e bandidos. Que segurança o Cabral quer implantar na cidade maravilhosa???

Márcia em 30 de novembro de 2010

Tenha vergonha seu Cabral! Coisa feia!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI