Sacada do leitor e VÍDEO PARA REFRESCAR A MEMÓRIA: Afif finalmente cumpre promessa da campanha presidencial de 1989

Em 1989, Afif já profetizava: "juntos chegaremos lá!"

Em 1989, lançando mão de gestos da linguagem de sinais, Afif já profetizava: “juntos chegaremos lá!”

Divertido comentário do leitor Jean sobre o vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos — eleito pelo cargo em 2010 pelo oposicionista DEM, em coligação com o PSDB, e agora transplantado para o PSD adesista –, aceitar ser ministro do governo Dilma:

Em 1989 o Afif foi candidato à Presidência da República.

Seu lema era: “juntos, chegaremos lá”.

Ele chegou lá e estão todos juntos: Maluf, Kassab, Sarney, Calheiros, Lula, Dilma, Dirceu…

Para quem não lembra da campanha:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

21 Comentários

  • Reynaldo-BH

    Esse complementa a frase. ELE CHEGOU LÁ!
    http://www.youtube.com/watch?v=z87ULgjBmsE
    Há vagas!
    http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/feira-livre/reynaldo-bh-afif-acaba-de-chegar-ao-cemiterio-onde-jazem-os-neopetistas/
    (Para não dizerem que o alter-ego bipolar – afinal é de dois: Augusto Nunes e Setti!)- segue o comentário no blog do AN! (E foi somente 6 minutos após a publicação do comentário!)

  • Leonardo

    ……, juntos chegaremos lá, e realmente chegou, de braços dados com o lulopetismo e seus asseclas picaretas.

  • Gustavo

    Ahahah! Muito boa a lembrança. Lembro que o Covas destruiu o Afif nos debates da Band. Infelizmente são lembranças que denotam quão frágil ainda é nossa democracia, pois as ideologias não valem um saco furado.

  • JT

    Em termos de jingle, o mais bacana da campanha de 89 era do Doutor Adhemar de Barros Filho. Pena que não consegui encontrar no YouTube, mas tinha um cantor com o jeitão do Toquinho que cantava mais ou menos assim:
    “Quem sabe vota
    quem vota sabe
    sabe que o futuro está no voto
    e o Adhemar é ponte entre o ontem e o amanhã.
    É só votar no Adhemar, Adhemar, Adhemar…”
    Caramba, eu dava muita risada com isso.
    Engraçado também era o pessoal que ganhava adesivo da campanha do Covas. Os vascaínos recortavam e colavam no carro como “VASCO”.
    Tinha 13 anos na época. Como a eleição presidencial era inédita para mim, não perdia um debate. Naqueles tempos a gente acreditava que o Brasil tinha jeito.

    Acho que vc se engana, caro Jean. O Adhemar Filho foi candidato a um monte de cargos, um monte de vezes (não passou de deputado federal), mas jamais concorreu à Presidência, nem em 1989 nem depois.

    Abração

    PS — Meu Deus! E obrigado, atrasadíssimo, pelo belo livro sobre os MP Lafer que você me mandou. Muito obrigado!

  • Arilson Sartorato

    Que papelão em seu Afif,vc não sente vergonha em de se olhar no espelho?????como foi vendido fácil este sujeito!!!!

  • JT

    Caro Setti,
    Tive um nó na memória. Eu tinha certeza de que o Doutor Adhemar foi candidato em 89. Me confundi com outras campanhas, talvez para governador ou prefeito.
    Fico feliz que tenha gostado do livro sobre o MP Lafer. É uma auto-publicação que já superou em três vezes a expectativa de venda para esse tipo de livro.
    Abraços!

  • Gustavo

    JT, tirando a parte do seu comentário sobre o Adhemar, sobre quem o Setti já esclareceu, o resto do seu comentário traz a gente pra reflexão. Eu tinha 15 anos na época e era impressionado como praticamente todos os carros nas ruas tinham adesivos indicando seu candidato, que, mesmo tirando os nanicos, eram muitos e personagens importantes na história política do Brasil. Muitos comícios, muitos debates na tv… Uma pena que a população ficou tão avessa à política. Fruto da corrupção, mas principalmente do baixo nível a que os políticos chegaram. Já dizia Ulisses Guimarães, questionado sobre o baixo nível dos membros de uma legislatura de sua época, “é porque vc não tem ideia da que vem por aí”. Infelizmente é a mais pura verdade.

  • moacir

    Setti,
    Tenho certeza que esse cidadão fez críticas duríssimas à Dilma.Tipo,o país não deveria ser entregue nas mãos de quem não sabe dirigir…
    Os ventos andam soprando para tudo que é lado…
    numa tormenta fisiológica escura.
    Abc

  • Geraldo de Freitas

    Ao assumir um ministério ao mesmo tempo que é vice-governador de São Paulo o Afif demonstra que: 1 – Chuta com os dois pés (ao mesmo tempo); 2 – Nenhuma das duas tarefas(?????) demanda dedicação (ou seja, são desnecessárias); 3 – Sendo os governos federal e estadual oponentes, essas administrações são verdadeiras surubas.

  • Fernando X

    Chegou, né, mané?

  • Corinthians

    Lamentável…

  • Reynaldo-BH

    Geraldo de Freitas (das 19:53) matou a charada!
    Afif (parece mesmo um fanho falando com disse o comentarista ftavares em outro post) chuta com os dois pes ao msmo tempo.
    Portanto, sempre caí!
    Caiu!

  • Luiz C.

    Todos os políticos tem Dignidade; e todas estão à venda; o preço da Dignidade de Afif é um Ministério… Assim que assumir o Ministério, perderá o direito de dizer que é um homem de Dignidade.

  • Zaratrusta

    “Caros amigos do Blog do Setti”,
    Vamos para mais uma análise sobre os últimos movimentos petralhas para a tomada de assalto do estado locomotiva do país, que já fora previamente apontado pelo Chefe da Quadrilha, como o próximo bastião a ser submetido à militância do partido em comício recente!
    .
    É com o uso de lógica elementar que se deduz que, no processo de fatiamento do país, após saquearem a PETROBRÁS, e comprometerem os recursos do BNDES e do TESOURO com seus apaniguados interesses econômicos internacionais na sustentação do “mega-competente” empresário “Mr-X”, precisassem investir o que fosse requerido para garantir que o Estado de S.Paulo se torne a próxima fonte bilionária de recursos (garantidamente renováveis) que pudessem garantir o necessário volume de saques que lhes possibilite a perpetuação no poder para as próximas etapas da inserção do país na Nova Ordem sem qualquer resistência!
    .
    O Afif, nada mais é que um inexpressivo político oportunista, se prestando a ser o fantoche da vez, a um preço ainda não revelado, com o único e firme propósito de garantir desde já os votos da base eleitoral desse outro feudo político paulistano, que junto com os votos do Maluf, e quiçá de mais alguns outros, garantirá a corrupta vitória nas urnas nas próximas eleições para o governo do Estado, de algum novo poste ao estilo do atual fomentador da homossexualidade infantil nacional que se tornou “milagrosamente” prefeito devido à sua “inquestionável” competência administrativa!
    .
    Durmam com mais esse barulho minha gente!

  • Jeremias-no-deserto

    Afif não passa de uma nulidade política, carreirista vira-casaca, está sempre atrelado ao poder. Malufista de carteirinha, encontrou o seu lugar certo,como ministro de um governo criado pelo malufista Lula.

  • Zaratrusta

    Uma questão de suma importância que se depreende desse movimento político do Afif, e que grande parte dos cidadãos hoje precisa entender como funciona com urgência, para não se arrependerem depois, é que o “mecanismo” eleitoral brasileiro, é em essência e resumo, uma real “Bolsa de Valores de Votos”, dentro de um “Mercado de Capitais do Voto”, e não um “Mercado de Partidos” ou um “Mercado de Projetos para o País” como continuam deixando imaginar que persista do passado, apesar desses aspectos também fazerem parte do “Jogo Mercadológico” eleitoreiro atual!
    Isso dito, por sí explica o “porque” se verifica a continua mobilidade de políticos entre as legendas, pois as alianças que deveriam acontecer, baseada em alinhamentos ideológicos ou propostas partidárias, são na realidade “pragmaticamente” tratadas como “oportunidades de negocio” a partir do cacife de votos obtidos nas últimas eleições dos políticos, visando sempre a partilha das verbas de arrecadação de impostos a nível de escala administrativa (municípios, estados e federação) e volume das respectivas arrecadações. Assim, explica-se a razão de políticos transferirem-se para partidos que em alguns casos até contradizem suas históricas convicções ideológicas. A contaminação da POLÍTICA pelas “Leis do Divino Mercado” impostas hoje a nível mundial, e submetida à “lógica” de uma Bolsa de Valores baseada no Voto onde cada político COMERCIALIZA o valor do seu passe de acordo com a “LEI DA OFERTA E DA PROCURA” é o cenário em que se desenvolve a política da nossa era “pós-moderna”.
    Os movimentos que observamos de conchavos e alianças fundamentam-se EXCLUSIVAMENTE no acervo de votos contabilizados pela totalidade dos “players” (políticos) de um partido, assim como na QUANTIDADE de votos que são fiéis a cada político individualmente (peso).
    Esse é também o motivo pelo qual a conhecida “Reforma Política”, não será nunca realizada, pois na sua essência, garantiria o retorno do poder para o PARTIDO (e de suas propostas de governo), eliminando o poder de barganha individual dos políticos. Logo, pela exposição, fica confirmado o que todos nós já havíamos percebido, ou seja: que os políticos hoje sempre visam primeiro seus interesses pessoais em detrimento dos interesses públicos, fazendo da política um dos mais lucrativos balcões de negócios do planeta!
    O engajamento do Afif é um “case” exemplar e evidente dessa realidade, sendo uma pretensão ilusionista pretender esperar que valores como decência e lealdade consigam vencer num ambiente contaminado por mentalidade pecuniária mercantilista dessa magnitude.
    Dessa forma, não há como não ser vista a influência dos recursos econômicos exercida pelo poder financeiro, corrompendo os legisladores e o executivo a atenderem seus objetivos na elaboração de leis que lhes garantam privilégios desejados! Esse cenário explica com clareza o empenho verificado hoje pelo poder econômico e financeiro mundial em transformar primeiramente todos os países do mundo em “democracias”, para em seguida serem incorporados ao embrião da Nova Ordem, a ONU, para consolidação de seu projeto de “governança” Mundial, submetendo todas as nações a seus fantoches e remedos de políticos regionais, nos quais se transformam quaisquer indivíduos, ao optarem por seguir a carreira política que ora está submetida a essas estruturadas forças limitantes e escravizantes!

  • Reynaldo-BH

    Setti, meu amigo!
    Para ver antes do almoço ou jantar!
    (Ministério da Saúde adverte: a visualização deste vídeo pode provocar vômitos).
    http://www.youtube.com/watch?v=ZcVgtIwQSgA

    Vai pro blog, Reynaldo, caríssimo!
    Abraço

  • Zaratrusta

    Ao Reynaldo-BH – 09/05/2013 às 21:52
    Vídeo antológico! Nada diferente dos que foram feitos pelo Lula em suas campanhas, onde também demole as imagens de Collor, do Sarney, do Serra e demais “vacas sagradas” de nosso cenário político que competiam com ele pelo poder!
    E tudo continua como “dantes no quartel de Abrantes” será porque?
    Porque será que a oposição está muda?
    Porque será que essas mudanças radicais entre o discurso e a atitude quando acontecem, sempre surpreendem?
    Qual a lógica por trás de “tamanha falta de caráter” verificada em maior ou menor grau, em praticamente todos os políticos da atualidade?
    Sinceramente, não é mais possível continuar acreditando nesse cada vez mais evidente “embuste” sócio-econômico e midiático, que serve sempre, apenas, para evidenciar MAIS da MESMA COISA, e nos direcionar à eterna catarse inócua que mantem tudo exatamente da mesma forma!
    Um abraço

  • Zaratrusta

    Prezado Setti,
    Não consegui localizar os fatos narrados nesse texto abaixo que teria sido postado por Paulo Boccato no Blog do A.Nunes conforme indica, ao fazer uma busca em seu Blog.
    Dado ao inusitado do fato narrado, que bem espelha uma boa parte do comportamento juvenil das atuais lideranças no governo, não pude conter em repassá-lo para seu conhecimento, dados os aspectos ridículos, desmoralizantes e pitorescos do que é nele apresentado. Essa é puro divertimento!
    .
    A COMISSÃO DA VERDADE FICOU DECEPCIONADA COM A HISTÓRIA ABAIXO. por Paulo Boccato no Blog do A.Nunes
    Tarso Genro era um jovem que acabara de completar 17 anos quando do golpe de 64 mas ‘se achava’ o “revolucionário” porque já fazia suas no Rio G do Sul àquela época!
    .
    Então, meio paranoico, achando que iriam atrás dele, em um planinho mirabolante que só existia mesmo na cabeça dele, se vestiu de mulher (‘PRENDA’ COMO DIZEM NO SUL) e fugiu para o Uruguai pela fronteira, coisa que por óbvio, ele nega (fuga travestido de ‘prenda’ não o auto-exílio) e que termina incrivelmente…
    .
    A família então foi procurar uns amigos de longa data, moradores da mesma rua, quase vizinhos, uma família de MILITARES do EXÉRCITO que ouviram os pedidos de clemência dos genitores para que o rapaz pudesse voltar do auto-exílio.
    .
    Os ‘malvados’ milicos ao investigarem, descobriram que rigorosamente os serviços de informação da “repressão” não apenas nada tinham contra o jovem Tarso Genro como nem sabiam quem ele era!
    Ele não acreditou na palavra da família que o contactou no Uruguai, tipo “Mas como? Então, não tenho importância alguma? É uma armadilha para me pegarem!”
    .
    Não apenas e tão somente os ‘malvados milicos’ reafirmaram que nada havia contra ele como se prontificaram junto a família (fardados desalmados!) a escoltá-lo de volta ao lar pegando-o junto a fronteira, coisa que foi feita.
    .
    No caminho, os dois irmãos, gaúchos, oficiais do EB, gostaram muito daquele rapaz idealista e achando que toda aquela efervescência revolucionária tipica da pós-adolescência necessitava de uma dose de disciplina militar, o convenceram a entrar aonde?
    NO NPOR de Santa Maria, coisa que de fato aconteceu pois, Tarso Genro é mesmo oficial R2 do EB tendo se formado e possuindo como padrinhos os tais dois irmãos oficiais do EB…
    .
    Sabes quem era um destes oficiais a quem Tarso Genro, mais de 30 anos depois, então Ministro da Justiça, acusou de ser ‘torturador e que foi UM dos responsáveis por trazê-lo de volta à família e colocá-lo no NPOR de Santa Maria? CARLOS ALBERTO BRILHANTE USTRA!
    E o mesmo me confirmou esta história toda.
    .
    Isto me fez lembrar a história de um Deputado de oposição dos tempos daquela chamada “ditadura militar” que queria aparecer para a mídia. Tudo fazia, mas em vão. Em ato de desespero, esperando ser preso e finalmente aparecer nas primeiras páginas dos jornais, eis que ele pára seu carro na frente de um quartel do Recife e brada: – Viva Fidel!!! Ao que, para aumentar o desespero do Deputado, responde o sentinela: – Viva!!!
    .
    E pensar que tivemos que levar a sério a decisão desse ex-ministro da “justiça” e engolir o Batistti como exilado “político”. De Gaulle tinha razão…

  • Dilma: último mandato

    #decepcionado. #chatiado Um monstro sagrado beijando a mão de forma a demonstrar subserviência a Dilma, a anos luz atrás dele. Que faça bom proveito com o Ministério que seja bem feliz. Que cena causadora de vergonha alheia.

  • Marco Antonio (Curitiba - PR)

    Ainda havia certa compostura de Afif na TV. No rádio, uma marchinha de sua campanha dizia o seguinte:

    “Afif, ó
    pra não tomá no fiofó!”