Image
O Complexo Olímpico de Atenas, redesenhado por Calatrava para os Jogos Olímpicos de 2004 na Grécia

Santiago Calatrava, o espanhol que é um dos mais celebrados arquitetos do mundo – autor de obras marcantes, como a Torre de Montjuic, marco dos Jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, da espetacular Cidade das Artes e das Ciências, em Valência, também na Espanha, e do Complexo Olímpico de Atenas, na Grécia, entre outras – viu-se envolvido nas tramas da política e está sendo investigado pelo Ministério Público da Comunidade Valenciana (entidade equivalente, em autonomia, a um Estado norte-americano).

O presidente da Comunidade Valenciana, Francisco Camps, do conservador Partido Popular (PP), vê-se metralhado há mais de um ano, junto com outras autoridades, por dezenas de acusações de corrupção no âmbito de um complexo escândalo chamado “Caso Gürtel” – até um rico guarda-roupa com dinheiro público Camps é acusado de haver amealhado.

Image
Calatrava: um dos mais celebrados arquitetos do mundo está sendo investigado

Pois agora o Ministério Público local, que independe do governo, atendendo a um pedido formal do partido Esquerda Unida, iniciou investigações sobre supostos gastos de 28 milhões de euros – cerca de 62 milhões de reais – em projetos “emblemáticos” encomendados pelo governo de Valência a Calatrava que nunca chegaram a ser executados.

O arquiteto, que é valenciano, está sendo acusado, junto a Camps e outros integrantes de sua administração, de delitos gravíssimos, como prevaricação, malversação de fundos públicos e fraudes, e ainda não se pronunciou a respeito.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis − quatro =

3 Comentários

Ailton em 08 de maio de 2011

Gaudí, Antonio Gaudí ainda é o maior arquiteto de linga espanhola. (No meu humilde conceito pessoal).

JT em 05 de maio de 2011

Na pequena cidade petrolífera onde resido, o ex-prefeito megalomaníaco contratou um arquiteto brasileiro de renome, legítimo herdeiro da tradição do mestre comunista. Ele encomendou o projeto de uma obra com pouco mais de 50m², apenas para expor as maquetes de um complexo que nunca sairia do chão. O custo a brincadeira: um milhão de reais. Pela obra? Não, pelo projeto. Não cito nomes pois não tenho como provar nada, mas é o que correu na boca solta por aqui. Também é conhecida a história do projeto da nova prefeitura, que também não saiu do papel na ocasião, pois considerava o terreno plano, onde na verdade havia um fundo de vale com córrego no meio. O escritório de planejamento era de outro estado... Enquanto isso, os arquitetos e engenheiros locais ficam chupando o dedo. Penso que toda obra pública deveria ter o projeto decidido por concurso, com participação exclusiva de profissionais da região. Assim, teríamos mais gente se destacando na área e não dependeríamos sempre dos mesmos medalhões.

Not funny em 05 de maio de 2011

Pensava que o vício ibérico hoje reinante na America latrina estivesse extinta na matriz pela imposição do EU, mas pelo visto vícios como estes que pululam no Brasil e que lá havia se tornado tradição por séculos ainda continua. Caso não venha a punição, a farsa será idêntica, lá como cá.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI