Image
Sarney: “A decisão do Supremo é para ser cumprida, por mais que nós tenhamos a noção de que é uma decisão que pode ser errada” (Foto: Agência Senado)

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), criticou hoje a decisão do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que concedeu ontem, 14, [liminar em] habeas corpus ao empresário de jogos ilícitos Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. A decisão suspendeu o depoimento dele na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito do Cachoeira, que estava marcado para esta terça-feira.

“A decisão do Supremo Tribunal Federal é para ser cumprida, por mais que nós tenhamos a noção de que é uma decisão que pode ser errada, na realidade nós entregamos ao Supremo a guarda da Constituição e é ele que interpreta”, disse Sarney à Agência Brasil.

Ontem à noite, o ministro Celso de Mello acatou pedido da defesa de Carlinhos Cachoeira para suspender o depoimento. Segundo decisão liminar do ministro, o depoimento fica suspenso até o julgamento do mérito do pedido [pelo conjunto de ministros do tribunal].

Perguntado se a decisão poderia ser meramente protelatória, Sarney enfatizou que por mais que seja inadequada, a medida tem que ser respeitada. “Por mais que a gente possa julgar errada, essa decisão é do Supremo”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 5 =

Nenhum comentário

fpenin em 21 de maio de 2012

Sarney ficou um bom par de dias em um hospital. O Brasil não sentiu a sua falta, muito pelo contrário...

fpenin em 21 de maio de 2012

Sarney ficou em cima do muro, não criticou a decisão do STF de forma enfática, pois falou que a decisão "pode ser errada", maneira de ser que lhe é bem característica. Sarney, o combativo...Aliás, é estranho que um poder manifeste-se contrariamente a outro. Cada um no seu quadrado.

José de Araújo Madeiro em 17 de maio de 2012

Que Brasileiro Extraordinário? Putz!!!! Madeiro

relume romano em 16 de maio de 2012

"É um erro ter razão cedo demais".

Corinthians em 15 de maio de 2012

O que esperar deste baluarte em defesa da lei e dos bons costumes ? Deste grande estadista que fez e faz do Maranhão e Amapá o que são hoje ? Desta enormidade de senhor que hoje é aliado de primeira e segunda hora do governo lulopetista ? É claro que ele iria criticar o STF por seguir a lei.

Stanley Pontatlantica em 15 de maio de 2012

Peraí, Setti... o que esta sendo chamado de crítica ao STF é aquela velha frase coringa que na boca daquele que considero o maior inimigo desse pais (não a pessoa física, mas o que ele representa), pois tem o controle do legislativo, judiciário e através de chantagem, também do executivo. Essa frase dita pela madre superiora das mercês só pode ser entendida no contexto como um alerta para os cúmplices e capangas subordinados que o Zé Bigode já esta articulando nos bastidores a decisão judicial que mais lhes convém, como foi o caso da censura vergonhosa ao estadão. Que se cumpra e não se discuta. Que falta nos faz um Gregório de Matos;.

ari alves em 15 de maio de 2012

Aproveito o post sobre o Sarney para perguntar aos demais leitores: como é que um comunista inimigo da revista que aponta suas maracutaias, como é o caso do "delegado Protógenes" em relação à valorosa Veja, pode estar numa CPI que quer enquadrar a imprensa?

ari alves em 15 de maio de 2012

Sarney teria que protestar é com a presença desse tal Protógenes, condenado pela Justiça, na CPI. Quem sabia tratar de comunista era o presidente Médici. Que saudades!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI