Sarney, quem diria, virou papagaio de pirata

O presidente do Congresso ex-presidente José Sarney procurou aparecer em tudo quanto foi foto e imagem de TV durante a solenidade de posse de Dilma

Estava em férias no dia da posse da presidente Dilma Rousseff mas postei um comentário sobre a “herança maldita” de Lula. (Leia aqui).

Embora a posse tenha ocorrido há mais de duas semanas, não posso deixar de comentar o novo papel do presidente do Congresso Nacional, senador José Sarney (PMDB-AP), que com toda a sua prosopopéia de “liturgia do cargo” e tudo quando exerceu a Presidência da República (1985-1990), foi o grande papagaio de pirata do dia, começando pela cerimônia no Congresso.

De forma melancólica, constrangedora e algo ridícula,  ex-presidente procurou aparecer em tudo quanto foi foto e imagem de TV, fez um discurso inoportuno e longo demais, quando só deveria declarar a presidente empossada, e, com sua voz de taquara rachada, tal qual puxador de escola de samba, comandou o cântico do Hino Nacional inteirinho ao final da cerimônia.

Com o pretexto de “levar Lula até em casa”, enfiou-se no avião presidencial que conduziria o ex-presidente a São Paulo, de onde rumou para seu apartamento em São Bernardo do Campo. E, como se sabe, até subiu no palanque em que Lula falou a partidários, fazendo ele próprio mais um discurso.

Sim, José Sarney, que, como presidente da República, teve em Lula um feroz opositor que chegou a chamá-lo de “ladrão”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − 13 =

Nenhum comentário

  • Caro Ricardo, isto mostra apenas que se tratam de pessoas hipócritas, tanto de um lado, quanto de outro. Eles são tão camaleões que daqui a pouco não terão mais camadas para trocarem…
    Outro dia assisti a uma entrevista de Carlos Monforte com o Sarney na GloboNew que se eu não fosse tão desconfiada teria acreditado nos ditos arrependimentos dele e na forma inofensiva como ele falava da sua época como presidente, sem falar na cara de coitado que ele fazia… o gato de botas do Shrek perdia de longe…
    Falando de Lula, só pra fazer um paralelo entre os dois e suas falsidades, outro dia lendo e relembrando a nossa estória política, lí sobre um fato que não tinha conhecimento. Qd Lula foi preso por comandar greves no ABC, quem liderou um abaixo-assinado para livrar ele da prisão, foi nada mais nada menos do que o criticado e xingado por Lula, Fernando Henrique Cardoso…
    Sarney, Lula, PMDB, PT e suas corjas são tudo farinha do mesmo saco, banana do mesmo cacho e água do mesmo rio, como diz a minha sábia mãe…
    Abs! Dani

    Pois é, cara Daniela. FHC teve várias demonstrações de solidariedade a Lula no passado. Chegou até a hospedá-lo, com a família toda, durante uma semana na casa de praia que então possuía em Picinguaba, no litoral norte de São Paulo. Mas respeito e gratidão não são qualidades fáceis de encontrar, não é mesmo?

    E gostei do ditado de sua mãe!

    Abraços

  • gaúcha indignada

    Quem diria o Sarney aliado “íntimo” do falecido e da criatura/fantasma. Além dele, outros, como por exemplo, Collor, Maluf, etc…. Até quando suportaremos estes tipos????????????????????

  • Cecilia

    Claro… esta raposa sabe dos lucros de estar no poder ou ao lado dele.

  • Foi o que comentei com os meus familiares. Ele conseguiu aparecer até mais do que o Temer.

    http://www.mariosergiomachado.com/

  • Marco

    Caro R. Setti: É muita afetação !
    Abs.

  • vera scheidemann

    Ótimo texto (como sempre, aliás) ! Realmente
    esse Sarney não tem mesmo jeito… é um caso
    para estudo, como ele tem se perpetuado no poder
    sem que nada o atinja, governo após governo. Ele
    é a prova de que nem sempre o tempo (esse bom
    professor) torna as pessoas mais sábias na
    velhice. O Maranhão e sua pobreza que o digam.
    Um abraço !
    Vera

    Obrigado pela visita, pelo comentário, pelo elogio ao texto e pelo abraço, que retribuo, cara Vera.

  • Bem-vindo em retorno Ricardo. A “levada” de loola em casa prá mim foi uma atitude campeã, em toda carreira adesista do Ribamar. Falta-me capacidade de alongar raciocínio para saber até onde sir Ney quer chegar com essa atitude final.

    Obrigado pelas boas vindas, caro Ajuricabat. Quanto ao Sarney…

    Abraços

  • gaúcha indignada

    Por oportuno, e a “taxa de sucesso” como está????

  • Ismael

    Ricardo, bom retorno de férias e que esse ano lhe seja muito profícuo.
    Meu comentário é: O equivalente de Sarney como acadêmico da ABL é o Doutorado do Mercadante. Fatos absolutamente relevantes para a cultura nacional.
    Um abraço.

    Caro Ismael, obrigado pela visita, o comentário e sobretudo os bons votos.

    Um abraço

  • observador100

    Caro Setti, continuamos aguardando “O que NÃO estou gostando no governo Dilma”. Está demorando…..ou será que está TUDO bom?

    Haja fôlego… Estou brincando. Mais tarde irá ao ar. Infelizmente, não está tudo bom, não.

    Abraços

  • Bruno

    E os petistas falavam que o Jose Serra era de direita, um conservador. Que ridículo um homem nesta idade apelando desta forma para se apegar no Poder. VIVA O BRASIL ! O país do futuro.

  • Iago José

    Ricardo, tudo bem?
    Talvez não se lembre de mim, o jovem de 18 anos, blogueiro, que estava sempre por aqui comentando no teu blog. Dei uma sumida, mas voltei. Em breve lanço uma coluna no maior portal aqui do Vale do Paraíba, a ser lançado agora em fevereiro.
    Bom, com relação ao post:
    Seria engraçado se não fosse trágico, imagina-se por aí o poder de um coronel do Maranhão, dos nordestes brasileiros. Chamar de ladrão é uma chacota, afinal, em meio a tantas chanchadas da política nacional, teria importância tal adjetivo para o Deus todo poderoso do Brasil?

    Espero poder manter contato meu amigo.
    Qualquer coisa, mande-me um e-mail, se puder!

    Grande abraço,
    Atenciosamente,

    Iago José

    Caro Iago, é um prazer tê-lo de volta. Lembro de você, sim. Você tinha sumido!
    Quando lançar a nova coluna, em fevereiro, me avise.
    Um grande abraço.

  • Pedro

    Setti, caríssimo,
    apenas uma pequena nota: por um lapso, passou um “a” que deveria ser um “há” logo na primeira linha do segundo parágrafo.
    Lapso de quem produz muito como você.
    Sds, do leitor fiel.

    Obrigado, caro Pedro. Mas está correto. Alguma coisa está “a uma distância de…”. Este foi o sentido. De todo modo, vou mudar a frase para não dar margem a dúvidas. Muito obrigado pela atenção e sempre que notar algo errado, me avise, que serei grato.

    Abraços

  • sandovalsader

    Preocupa não, caro Jornalista, o Ribamar caducou de vez…….

  • Antônio Simões

    É um prazer reencontrá-lo por aqui meu caro Setti!Qto ao Sr. Sarney,acreditoa sua conduta nesses episódios são uma síntese de sua desoladora e nefasta carreira política:sempre ao lado dos Poderosos de plantão,não importam quais sejam…uma vergonha!!Um abraço Setti.

    Caro Simões, o prazer é meu, após esses dias de ausência.

    Um abração pra você também. Obrigado pela visita e pelo comentário. Volte sempre!

  • Zelda

    Infelizmente esse senhor não se toca.
    É lamentável esse fim de carreira…
    O apego ao poder é uma doença grave
    e afeta muitas pessoas.
    Uns fazem qualquer coisa pra continuar,
    outros se fazem de superior e ficam
    fazendo as coisas às escondidas e falando
    abobrinhas pra permanecer na mídia.

    Lamentável…

  • Sandro Ferreira

    Setti. Talvez um dos motivos do ex-presidente Sarney estar cevando a atual presidenta, seja para que ela não interfira em uma certa reportagem, que a mais de 500 dias se encontra proibida de vir a público! Vamos torcer para que ele não tenha sucesso, como teve com o “Jaca Palladium Lula da Silva”.

  • L.Candeia

    Ótimo retorno ao batente, caro Setti.
    Quanto ao comportamento do Sr. Ribamar, pouco o difere do Sr. Luiz Inácio, inclusive quanto ao “caráter” de ambos…

    Obrigado por sua visita e por seu comentário, e mais ainda pelo elogio, caro Candeia.

    Um abração

  • carlos nascimento

    “sir nei”, caramba, êle ainda está por aqui, quando será que vai largar o osso, nem na velhice o rato busca dignidade.

  • fpenin

    Setti,
    Deixemos passar a caravana. E cantemos: Ribamar /… É
    coisa nossa…B rasil, meu Brasil brasileiro…

  • DMim

    ” honoraveis Bandidos”