Os “indignados” que tomaram praças e ruas de mais de 50 cidades espanholas antes das eleições de domingo, 22, protestando contra “tudo isso que aí está”, estão minguando em número e em repercussão, como já narrei em posts anteriores.

Nem por isso deixam de produzir bons slogans.

Uma faixa levantada na Puerta del Sol, no coração de Madri, por exemplo, diz:

“Se votar fosse útil já seria proibido”.

Não concordo, acho que o voto é fundamental, mas não tenho dúvida de que a frase é boa e que expressa funda descrença nos partidos e nos políticos tradicionais.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 15 =

4 Comentários

Francisco em 25 de maio de 2011

Concordo que o povo não saiba votar, mas é assim na democracia. Não entendo porque seja uma obrigação aqui no Brasil, isso é contra a liberdade. E caro Paulo Bandarra, o Poder Judiciário não é para nos representar e sim para assegurar o cumprimento das leis.

Paulo Bento Bandarra em 24 de maio de 2011

Outra grande frase é que o povo não sabe votar. Mas a verdade igualmente presente é que as eleições, e creio que aí também é assim, são uma farsa. Uma série de mentiras e promessas falsas, para depois o governo fazer o que quiser. Mesmo sendo uma democracia, verificamos facilmente que os três poderes se lixam para a opinião do povo e não representam realmente o mesmo. Não estamos melhores do que as monarquias constitucionais.

Think tank em 24 de maio de 2011

“Se votar fosse útil já seria proibido” Ou Se votar fosse útil já estaria proibido. Não se proíbe, mas no Brasil numa urna eletrônica cuja senha está com o mesário, nem existe no site do TSE acesso para conferir o próprio voto, é o mesmo que proibição farsesca.

LolMongol em 24 de maio de 2011

Prevejo algo assim se continuar a ser comum estes escândalos na nosa política... algo depois das Olimpíadas, do ejito que somos lerdos...

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI